História 7 Kiss - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Ciel Phantomhive, Personagens Originais, Sebastian Michaelis
Tags Ciel Phantomhive, Sebaciel, Sebastian Michaelis
Exibições 71
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gomen ne, eu demorei para postar, mas infelizmente terei que mudar os dias das att para as quartas, os meus dias estão tão corridos que mal estou dando conta de escrever, então eu peço a compreensão caso venha atrasar, e isso equivale as outras fics (mesmo que tenha dois meses de atraso Warui)
Enjoy it <3

Capítulo 2 - Domingo, 07 de fevereiro


Naquele domingo de pleno inverno, Sebastian sentia o peso em seu corpo, era como um daqueles sonhos em que não consegue se levantar e que algo lhe prende sobre a cama, o breu de seu quarto não o deixava enxergar nada além da escuridão. Sem dificuldades movia os pés e as mãos, mas o tronco havia o peso total nele, lentamente foi sentindo carícias no meio de suas pernas até chegar a sua virilha.

Levado completamente pelo susto, Sebastian não pensou duas vezes em jogar a pessoa para o chão, logo pode ouvir o resmungo e um gemido baixo ao pé da cama. O moreno esticou o braço para o seu lado acendendo o abajur logo poder ver o menor sentado no chão com uma careta de dor.

— O que pensa estar fazendo? – Sebastian tentava controlar a sua voz.

— Exatamente o que parece ser! – novamente o moreno notava o mesmo olhar de antes, olhar de quem não estava ligando para nada, o que incomodava Sebastian. – Quero meu beijo!

Sebastian riu baixo controlando a sua vontade de rir escandalosamente da cara do menor. — Enquanto você dormia profundamente como uma criança, eu lhe dei os seis beijos que faltavam! – disse Sebastian inocentemente.

— Eu não estava acordado para isso, então não está valendo. – mais uma vez a indiferença de Ciel irritava o moreno. – Terá que me beijar de novo!

— Tsc, e porque você acha que eu irei te beijar de novo?

Ciel pegou o celular que estava no acolchoado e mostrou ao moreno. – É sempre bom se lembrar de que eu ainda posso enviar para quem eu quiser! – finalmente o menor deu o seu sorriso de vitória. – Não se esqueça disso, deveria ter apagado as fotos por segurança e para se livrar de mim, mas devo pensar que você quer me beijar...

— Não diga besteiras! – Sebastian bufou irritado, olhou para Ciel que se mantinha a poucos palmos de si. Não tinha jeito, teria que fazer novamente, esticou o braço e segurou firme a gola da camisa do menor puxando para si. – Eu não quero ver essas fotos no celular de ninguém, então cumpra a sua palavra! – Sebastian soltou o outro e foi ao seu guarda roupa separando algumas peças.

Sebastian sentia a água quente cair em sua costa por ele ficaria ali por um bom tempo, mas para a sua infelicidade tinha mais duas pessoas aguardando para usar o banheiro também. Enquanto se secava podia ouvir seu irmão mandando sair do banheiro e a batida na porta, como sempre o ignorou e continuou o que fazia, com o vapor do banho, foi obrigado a passar a mão no espelho gélido sentindo seu corpo arrepiar, tocou em seu cabelo e puxou uma longa mecha.

— Preciso cortar meu cabelo. – virou a cabeça de um lado para o outro mantendo o olhar fixo no espelho e franziu o cenho. – Talvez faça isso antes de ir embora. – vestiu suas roupas e saiu do banheiro trombando-se com seu irmão, não antes de dar um tapa no menor. – Você irá sentir falta disso nos próximos anos, então aproveite que estou dando de graça!

— Estou rezando para que vá logo, assim posso ficar com seu quarto! – o mais novo sorriu com a ideia de ficar com o quarto maior para si.

— Não sonha alto pivete, quando voltar nas férias irei ficar em meu quarto, nem que tenha de trancá-lo! – Sebastian sorriu ao ver seu irmão fechar a cara.

Muito bem agasalhado Sebastian estava pronto cair na cama e voltar a dormir... Ou talvez, continuar o serviço de arrumar suas coisas. Passava pela sala, mas novamente a conversa entre sua mãe e Ciel não o agradava, poderia até ser considerado como ciúme de filho, seria se ele fosse apegado mulher. No mínimo estava curioso.

— Ciel é tão amável... – a mulher apertava a bochecha do menor. – Gostaria de ter um filho como você, Rachel tem tanta sorte!

— Ah claro, como se eu fosse um péssimo filho! – Sebastian encostou-se ao batente, cruzou os braços e fitou os dois. – Não sei por que você ficar mimando ele deveria fazer isso com seus filhos! – deu à costa e ainda assim pode ouvir a risada de ambos. – Isso é ridículo!

"Ela não vê que tipo de garoto ele é?”

Inesperadamente uma nevasca atingiu a cidade, impedindo qualquer pessoa de sair de suas casas, obrigando Sebastian a ficar mais na companhia de Ciel, já que seus pais estavam presos em outra cidade e o menor em sua casa, começava a entrar em colapso se ele ficasse mais um dia. Poderia facilmente trocar de lugar com seu irmão, se não fosse tão egoísta a ponto de não sair do seu quarto por conta de um desgosto e se a cama dele não fosse tão pequena para deixar parte de suas pernas para fora. As horas foram passando e a nevasca diminuindo, mas para a felicidade de uns era a tristeza para outros.

— Sebastian vá tirar a neve da entrada! – seu irmão veio lhe importunar. – Foi o que a mamãe disse!

"Foi o que a mamãe disse!" Repetiu mentalmente.

Obrigado a vestir um conjunto de roupas impermeável, cachecol e luvas, e quase se comparando a um pinguim prestes a ter seu ovo, Sebastian saiu de casa sendo engolido pela quantidade considerável de neve. Era a cada pá que tirava da entrada era um resmungo de irritação, todo ano era isso, e nunca iria se acostumar e a única coisa que ele agradecia era o fato da calçada não ser longa e que muito em breve Ciel iria embora. Alguns minutos gastos e esforço feito e poderia voltar para o calor de sua casa e quem sabe tomar uma xícara de chá bem quente.

— Estou indo embora! – Ciel apareceu ao lado do moreno. – Meus pais acabaram de chegar... – o menor mostrou o celular no qual aparecia a chamada finalizada.

— E? – Sebastian tombou a cabeça para o lado, não era algo que ele estava se importando no momento.

— E que Sebastian está esquecendo-se das coisas, devo lembrar...

— Você está se achando muito, não é mesmo? Falando assim só me faz ficar com mais raiva e se é isso o que você queria está conseguindo!

— Quero meu beijo!

Sebastian controlou a sua vontade de ignorar Ciel e ir para o aconchego de sua cama, mas também não poderia ignorar que a foto iria parar no celular de seus pais, começava a ficar cansado desses joguinhos idiotas que Ciel estava fazendo e que ele era obrigado a participar.

"Se eu for para o inferno, ele vai comigo!" Sebastian fitou aqueles olhos azuis.

Com um suspiro pesado, Sebastian puxou o menor para mais perto de si selando os lábios, Ciel aproveitando o momento segurou na roupa de Sebastian prolongando o contato entre eles. O moreno começava a sentir seu corpo arrepiar com a boca gelada do menor tocando na sua, queria afastar essa sensação de si, nem que tenha de se bater. Bruscamente Sebastian soltou-se do menor, e deu um passo para trás.

"Ainda não sei o que ele ganha com isso!" Sebastian mirou Ciel.

— Vá para casa logo, está frio aqui fora! – disse somente isso e rumou para a entrada. – Esse garoto... – olhou disfarçadamente para trás onde Ciel seguia para a sua casa do outro lado da rua. – Preciso encontrar um jeito de apagar essas malditas fotos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...