História 7 Tons de Desejo (Imagine - BTS) - Capítulo 4


Escrita por: ~, ~IAmCrazy, ~KyKai, ~xdragon, ~xBaby, ~unnieminnie e ~jangguk

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 8.758
Palavras 2.819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi bbs, ~unnieminnie aqui!

Eu atrasei um pouquinho e passei o dia certo para postar, mas é que eu ainda tô me recuperando de uma coisinha aí e realmente não estava bem, mas hoje eu consegui terminar e espero mesmo mesmo mesmo que vocês gostem! Ando meio derrubada em fazer hentai e o medo de vocês não gostarem está bem grande, mas eu me esforcei e saiu isso aqui! Agradeço o amor e as críticas (construtivas e também não) que estamos recebendo! Isso faz nosso squad se fortalecer ainda mais, deixo aqui também o meu agradecimento!

Boa leitura! Unnie.

Capítulo 4 - O Piloto de Avião - Min Yoongi


Fanfic / Fanfiction 7 Tons de Desejo (Imagine - BTS) - Capítulo 4 - O Piloto de Avião - Min Yoongi

Terça

Após ter aproveitado muito bem, diga-se de passagem, meu segundo presente eu já começo a imaginar como será o terceiro. Se será tão maravilhoso tanto quanto meu comandante e médico foram. Havia sido uma terça tranqüila para mim, apesar de minha ansiedade me deixar inquieta eu consegui fazer tudo sem problema algum. Desde que recebi a caixinha de presente de minha amiga, a agradeço todos os dias por ter tido a idéia maravilhosa de me proporcionar á melhor semana de minha vida. O melhor aniversário de todos!

Chego em minha casa e trato de procurar uma bela lingerie da mesma caixinha, tirando de dentro um conjuntinho branco todo de renda, a calcinha fio dental parecia ser feita na medida certa para meu corpo, deixando minha bunda bem marcadinha. Ao olhar para o grande relógio na parede da sala percebo estar chegando á hora em que sempre eles chegavam, então trato de correr para o banho e me preparar. Tomando uma bela chuveirada, consigo tirar todo o cansaço do dia e o pouco do nervosismo que se instalou em meu corpo que ainda existia marcas das noites passadas e sempre que eu as via, meu corpo todo se arrepiava.

Rapidamente visto a lingerie e para dar um toque final, procuro uma camisola fina e aberta para cobrir parcialmente meu corpo. Vou para a sala com passos apressados e vejo que já passam das 23h30 e estranho, sempre batiam em minha porta neste horário. Sento em meu sofá e pego uma revista qualquer, folheando as páginas sem interesse algum. 00hrs, nenhum movimento e começo a ficar impaciente, será que desistiram? Continuo sentada quando resolvo pegar meu celular na mesinha de centro e me assusto ao ouvir batidas na porta, eu já havia cogitado que realmente meu terceiro presente não viria.

Jogo meu cabelo para o lado e levanto, andando tranquilamente em direção da porta e antes que pudesse abrir, minha curiosidade fala mais alto e dou uma espiada pelo olho mágico. Um homem tão branco quando a parede do corredor e com cabelos platinados aparece em meu campo de visão. Não tão alto quanto os dois últimos eram, mas mesmo assim... Me parece bem interessante e sua expressão séria é o que me faz o achar ainda mais sexy. Com certeza deve ser ele, nenhuma outra pessoa aparecia essa hora em minha porta e muito menos vestido de piloto de avião, bem como eu esperava.

– Você é...? – pergunto ao abrir a porta e seu olhar se direciona rapidamente para meu corpo, devorando-me com os olhos sem pudor algum. Em seus lábios vejo um sorrisinho repleto de malícia aparecer.

– Meu nome não importa. – ele abre ainda mais a porta, entra em meu apartamento e a fecha logo em seguida. – Tudo que você precisa saber por hora, é que hoje você se sentirá nas nuvens.

– Hum, e como você pretende fazer com que eu me sinta assim, Sr sem nome? – ele ri, tira seu quepe (um chapéu engraçadinho que talvez seja parte da fantasia) e o coloca na mesa. Começa a desabotoar os botões do grande terno que usa e sua pele pálida vai aparecendo aos poucos, me fazendo salivar ao imaginar as marquinhas vermelhas que também posso fazer. Ele se desfaz totalmente, mas permanece com a calça branca evidenciando um belo volume e volta seu olhar para mim.

– Por que você não tira isso primeiro, princesa? – se referindo á camisola que estou usando, ele se aproxima de mim com cautela, ao mesmo tempo em que continua observando meus passos. Eu não sei como agir e fico sempre a espera de que ele próprio faça algo, mas parece que ele gosta de ver esse meu sofrimento. Ao começar a fazer o que ele me pede, seguro com os dedos o pequeno laço que prendia a peça em meu corpo para desfazer o pequeno nó, mas suas mãos me impedem.

– Eu faço por você. – me abraçando por trás, ele gruda sua boca em meu pescoço e sua voz rouca e arrastada faz os poucos cabelos de minha nuca se eriçarem. Ainda com sua boca em minha pele, meu piloto deposita leves beijinhos e mordiscadas e quando dou por mim estou apenas com a lingerie que havia separado mais cedo.

– Me chamo Min Yoongi, a propósito. Mas garanto que meu nome será a última coisa que você irá lembrar quando estiver quicando bem gostoso no meu pau. – ele diz e é automático, sinto minha intimidade pulsar e um gemido sôfrego escapar. Algo me diz que vou amar a noite com esse cara. Suas mãos apertam minha cintura com firmeza e deixa-me ainda virada para si enquanto sinto seus beijos descerem por todo meu pescoço. – Você tem um cheiro delicioso, princesa. Se pudesse, passaria o dia todo apenas lambendo cada parte desse teu corpo.

O Min se ajoelha e suas mãos que estavam em minha cintura descem para minhas coxas, quais ele aperta e as puxa com agressividade para si. Ele beija, mordisca e lambe minhas costas enquanto sinto seus dedos brincarem com o fecho do sutiã. Minha pele se arrepia em cada movimento seu e estou entregue com tão pouco, que sinto que poderia desabar no chão se suas mãos não estivessem me segurando.

– Conta para mim, princesa. O que você quer que eu faça? Te chupo agora, te fodo com meus dedos ou deixo você brincar comigo antes que eu te deixe sem forças? – ele se levanta e o sutiã encontra o chão, tudo que faço é o puxar pela nuca e tomar sua boca com a minha. Yoongi volta a segurar minhas coxas, mas faz-me enlaçar sua cintura e caminha comigo em seu colo até a porta da sacada e abre, tendo o espaço necessário que dê para passar nossos corpos sem problema.

Ele a abre e a fecha rapidamente quando estamos para o lado de fora, inicialmente estranho por estarmos aqui e não em meu quarto. Está tudo tão calmo e percebo que a maioria das casas estão com as luzes apagas, também pudera, são quase 1h da manhã. Meu pensamento muda quando volto a sentir suas mãos passeando em meu corpo, ele segura meus peitos com força e os aperta lambendo os pequenos lábios que tive o prazer de provar apenas uma vez esta noite, quase que pretendo mudar.

– Sou seu presente, S/N. Mas também tenho que fazer o meu trabalho, certo? Não sairei daqui até ter a certeza de que você ficou totalmente saciada. – ele me vira, me deixa de costas e me faz encostar o rosto no grande porta de vidro da sacada, me deixando apoiada. – Sei que meus colegas fizeram o trabalho deles direitinho, mas esta noite me empenharei para que você me considere um dos favoritos.

— Não sei, Min, você até agora não fez nada comigo. Como quer que eu te ache um favorito apenas com palavras? – ele solta uma risada seca e acerta um tapa em minha nádega direita, um belo tapa que deixa uma leve ardência em minha pele.

— Gosto de preparar minhas presas antes do abate, princesa. Não quero que se assuste com nada que eu fizer aqui hoje. – ele pressiona meu corpo para frente e claramente sinto seu pau duro roçar em minha coxa, está tão pulsante que minha vontade é de pegar e o enfia-lo de vez em minha bocetinha. – Mas agora, vou te chupar por trás. Alguém já fez isso com você?

Não respondo, apenas deixo que ele faça o que tem em mente. Ser chupada por trás é uma coisa que sempre adorei em que fizessem em mim, mas poucos caras faziam e conforme o marasmo que minha vida se encontrava, não lembro exatamente qual foi a última vez que isso aconteceu. Sinto seus dedos esguios descerem minha calcinha e minha ansiedade vai a mil, agora sim a brincadeira certa vai acontecer. Estou tão entorpecida que quase esqueci o detalhe de estarmos fora do apartamento e qualquer alma que apareça possa ver o que está prestes a acontecer aqui.

– Você curte voyeurismo, Yoongi? Sabe que alguém pode aparecer e acabar com nossa brincadeira, não sabe? – pergunto ao sentir que minha calcinha não se encontra mais em meu corpo e seus dedos passando em minha fenda, que se encontra tão molhada que não me espantaria se estivesse pingando.

– Essa é a graça, princesa. Vou te comer aqui mesmo sob a luz das estrelas para que se sinta realmente nas nuvens. Quero ouvir teus gritos, teus gemidos e que não se importe com quem possa aparecer. Só relaxe. – seus dedos me abrem, deixando-me mais exposta para si e sinto um dedo enfiar-se em mim e um gemidinho meu escapa. Oras, impossível que não queira gritar com esse homem, ele realmente parece saber o que faz.

O vejo se ajoelhar pelo vidro e seus olhos brilham, aperta a pele da minha bunda e rosna algo que não consigo entender. Preciso tampar a boca com o braço quando começo a sentir sua língua deslizando em minha boceta, ele vai desde a entrada até o clitóris e me chupa com vontade. Chupa e mordisca de leve a pelinha que cobre minha bocetinha e volta a chupar soltando pequenos estalinhos quando puxa e solta meu botãozinho inchado com os dentes e língua. Meu corpo vai para trás involuntariamente, empino mais a bunda para que ele tenha mais acesso para que faça o que queira.

Suas mãos me apertam com vontade e até a noite fria não me faz ficar menos excitada como me encontro. Ele praticamente mama meu botãozinho como se fosse um bebê procurando por leite, com muita fome!

– Ah, Yoonie... Se continuar assim com certeza você será um dos meus favoritos, se não O favorito. – digo quando não consigo mais segurar os gemidos e os deixo saírem sem pudor e me preocupar se alguém possa escutar. Devem ter escutado das outras noites e escutarem dessa não trará problema. Mesmo se trouxesse, todas essas fodas valeram toda a pena.

– Quero que me diga isso quando eu terminar de fazer tudo que tenho em mente. – ele levanta sem que ao menos eu espere e se posiciona atrás do meu corpo. Se inclinando para frente ele fica por cima do meu corpo, depositando beijos desde minha nuca já suada até todo meu torso. Percebo que está abrindo o cinto da calça e o retirar, jogando-o no chão o barulho da peça caindo chegar aos meus ouvidos. A calça desde entre suas pernas e rapidamente sinto seu pau teso e duro bater em minha bunda, sem sinal de boxer alguma.

Se antes eu podia senti-lo pulsar entre minhas pernas ainda com a calça, sem ela a sensação é ainda mais prazerosa. Ele desliza seu pau entre minhas carnes, indo e voltando lentamente enquanto brinca comigo, passa a mão em minha bocetinha e pega um pouco da minha lubrificação para passar com o dedo em minha segunda entrada. Hum, lembro que meu primeiro presentinho também me fodeu por trás. Será que hoje terei uma segunda rodada?

– Me diz, princesa. Sei que você gostou quando um dos meus colegas comeu bem gostoso seu cuzinho apertado e eu fiquei bem interessado em provar também. Você não se importaria, não é? – ele não espera que eu responda qualquer coisa, apenas mete um dedo, vai até o fundo e agora sim grito. Grito tanto que sou calada por uma de suas mãos.

– Xi... Não tão alto assim, linda. Eu quero varar a noite com você aqui e para que isso aconteça, precisamos tentar ser discretos. Se quiser gritar alto, você pode me morder. – sinto um segundo dedo passar entre minha entrada e seu dedão deslizando em meu clitóris. Uma pequeno desconforto se faz presente, mas não deixa de ser bom. Seus dedos fazem círculos dentro de mim e isso faz com que todo o desconforto que estivesse sentindo fosse embora e desse lugar ao prazer que senti também na primeira vez.

– Vejo que gosta de torturar, Min Yoongi. Talvez eu devesse você me deixar fraca de vez para que não sobre energias para brincar com você também. – sua risada se faz presente outra vez, mas ele tira os dedos que estavam dentro de mim e se afasta para pegar o pacote de camisinhas no bolso de sua calça caída no chão, se reveste e mete seu pau em minha bocetinha. O que me pega de surpresa, ele estava me preparando para nada?

– Longe disso, princesa. Sou um presente de aniversário, esqueceu? – seus movimentos começam e um suspiro meu de alívio escapa. – Não posso te torturar quando meu dever é deixar feliz, certo? – ele volta a se levantar, pega um braço meu e o torce devagar para trás, com o braço livre ele consegue me deixar na posição que deseja para depois com a mão livre segurar meus cabelos e puxa-los para trás.

– Você é um maldito, sabia? Mas um maldito tão gostoso... – as estocadas ganham ainda mais velocidade, tanto que sinto seu quadril bater contra minha bunda e coxas e aquele barulhinho de pele com pele soar pela sacada. Com um braço segurando meu braço para trás e com a outra mão em meu cabelo, ele me faz virar e ficar de frente para si.

– Senta princesa, senta e rebola bem gostoso no meu pau. – fico em pé por uns segundos e posso olhar bem o que estava dentro de mim. É grande, grosso e tão branco quando ele próprio. A cabecinha meio rosa, meio roxa me dá ainda mais água na boca e não penso duas vezes em me abaixar, retirar a camisinha e coloca-lo de vez na boca. Pela primeira vez consigo deixar o prostituto em minha frente também surpreso, mas seu gemido rouco o entrega e me diz que está gostando tanto quanto eu.

Segurando pela sua base, passo minha língua por todo seu comprimento enquanto com minha outra mão massageio suas bolas com leveza e o vejo pender a cabeça para trás, dando-me visão de seu pescoço branquinho. Claramente tenho tara por homens brancos, não consigo olha-los sem imaginar uma marquinha sequer em suas peles. Volto minha atenção ao homem sentado em minha frente e começo a dar atenção em sua glande inchada. Rodeio minha língua ali, passando por cima de seu buraquinho e o chupo com vontade, deixando um pop ao terminar de sugar.

Não demora muito para que eu o sinta pulsar entre meus lábios e suas veias engrossarem, dando indício que está perto do seu orgasmo. Eu deveria interromper como fez comigo, mas não sou tão ruim assim e continuo até sentir seu gosto em minha boca e ouvir um chiado de alívio.

– Gosta de leitinho, princesa. Engoliu tudinho. – seu peitoral sobe e desce, está tão ofegante que quase não consigo entender o que diz. – Mas você não fez o que pedi para fazer, não reclamo, mas eu queria tanto comer sua bocetinha de novo. Por quê não fez o que eu pedi antes e senta com vontade, huh?

Termino de engolir tudo que ele me deu e faço o que pede, mas antes que eu sente ele volta a me virar e me deixa de costas, tendo o tempo necessário para pegar outra camisinha e colocar. Pego apoio em seu braço e vou sentando devagar, ele passa seu membro entre minhas duas entradas e antes que coloque em minha boceta, sinto-o introduzir em minha outra entrada. Outro suspiro me escapa quando o sinto totalmente dentro, eu permaneço parada e ele me deixa que fique assim, tanto que uma de suas mãos prendem minha cintura para que eu não faça qualquer movimento.

– Isso princesa, aperta meu pau bem gostoso. Assim.. – sua voz me tira dos eixos, é tão baixa e arrastada que um arrepio toma conta da minha pele quando começo eu mesma os movimentos. Min Yoongi continua sentado, mas levanta seu corpo e me deixa quase em pé para depois sentar novamente em seu pau. Subo e desço incontáveis vezes, fecho os olhos e deixo que a sensação boa me invada, mas tudo melhora quando sinto seus dedos em meu clitóris para lá de inchado, imitando meus movimentos em si, ele sobe e desce com os dedos.

É quando sinto meu corpo amolecer, pegar fogo e formigar ao mesmo tempo. Meu primeiro orgasmo tendo relação anal e me parece delicioso. Yoonie continua metendo, mas devagar para que a sensação seja prolongada. Agarro sua mão que está em minha intimidade e aperto com força, fincando minhas unhas ali que não estranharia se o machucasse. Ele aumenta sua velocidade e eu praticamente pulo em seu colo até o sentir me apertar novamente e suspirar alto. Quando abro meus olhos, percebo o dia amanhecendo e me espanto. As horas passaram que eu sequer percebi.

Continuo sentada no colo do Min enquanto nós dois tentamos conseguir recuperar todo o fôlego que nos foi tirado. Bem como ele disse, se tornou um dos meus preferidos, mas não vejo a hora de ver se os quatro últimos mudarão minha ideia.


Notas Finais


Não esqueçam de nos seguir e seguir o perfil cheirosinho! Beijinhos, @unnieminnie!

/@thespiritgirls; @xbanshee @kykai @jangguk @xBaby @IAmCrazy @unnieminnie @xdragon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...