História 760 days in the hell. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 3
Palavras 797
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá galerinha que lê a minha fic tudo bom com vocês? Espero que sim. Então lá vai mais um capítulo, desculpem a demora pra postar, mas estava com um pouco de dificuldade de escrever, são muitos fatos e tenho que organizá-los para que vocês entendam um pouco da história. Espero que gostem, ficou bem pequeno em comparação aos outros justamente pela dificuldade de escrever. Mas saiu algo pra vocês, vou me dedicar nos próximos, prometo!!

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction 760 days in the hell. - Capítulo 6 - Capítulo 6

05.07.2014 - 12:09pm

Era um sábado e no dia anterior eu tinha combinado com a Hel, minha melhor amiga de irmos no Forte de Copacabana, onde o Romeo tirava serviço e também era um "museu histórico" no qual contaria horas para a faculdade. Ela topou na hora, porque se tem uma coisa que eu conheço daquela viada era que ela gostava de um homem fardado com força. Sabia que ela não me diria não! Cheguei na casa dela, terminamos de nos arrumar porque eu sempre me maquiava lá, e nos encaminhamos até o forte a pé mesmo, já que era "perto" da casa dela. Chegando lá, pagamos meia entrada por sermos estudantes e entramos. Primeiro de tudo e primordial era tirar fotos, a vista lá era linda e as fotos sempre ficavam maravilhosas! Nesse dia o Romeo estava preso por ter feito alguma merda e isso não era novidade, mas ele conseguiu sair pra vir me ver.

- Romeo, essa daqui é a minha melhor amiga a Hel, Hel esse é o Romeo – disse apresentando os dois e eles se cumprimentaram

- Yumi não posso ficar dando bobeira aqui não, eu estou detido e o sargento está rondando o forte – disse olhando pros lados como se procurasse o sargento

- Tudo bem, vamos pra algum lugar – disse

- Vem - me puxou pela mão e descemos para um lugar escuro dentro da casa de máquinas - Aí brother dá uma cobertura aí, daqui a pouco eu subo – disse pra um outro soldado que por sinal tinha o meu sobrenome SD Leandro.

Chegando lá nós começamos a nos agarrar e ele já estava animadinho por sinal, nos beijamos e do nada senti meu celular vibrar

“Viada onde você está? Volta logo! Não quero mais ficar sozinha aqui”

“Daqui a pouco tô indo aguenta aí”

Respondi e voltei a beijar o Romeo, nos masturbávamos e nos beijávamos muito, ele colocou o membro pra fora e eu comecei a chupar ele, enquanto eu chupava escutava os barulhos de gente passando mais em cima, estávamos escondidos e a adrenalina me excitava mais, estava quase dando pra ele ali mesmo. Chupei ele até gozar, engoli todo o seu leite e ficamos mais um tempinho abraçados para dar um tempo pra subirmos sem sermos pegos, pois daria mais merda pra ele já que estava detido. Meu celular tocou de novo, era a Hel não respondi pois já estava subindo.

- Porra viada, já tava ficando maluca aqui – disse ela – Não me deixa mais sozinha

- Yumi, vou subir! Daqui a pouco tento descer de novo – Romeo disse e me deu um beijo e subiu pra onde estava os outros meninos que também estavam detidos.

Ficamos um tempo sentadas perto de onde eles estavam, Romeo ficou na janela e nos olhando

- Yumi, tem um amigo querendo ficar com a sua amiga – disse da janela

- Isso é com ela, não é comigo – eu disse e olhei pra Hel que me beliscou e balançou a cabeça seguido de um não

- Com a branquinha vocês podem mexer, já com a morena não! Ela é minha – disse Romeo pros amigos, me senti e sorri. Quando ele dizia isso me sentia bem, fica feliz.

Eu e Hel ficamos mais algumas horas no forte, tiramos mais fotos e os meninos mexeram muito com a gente, quando saímos eles ficaram fazendo “psiu” não gostava daquilo então não liguei. Acho ridículo um cara que tenta chamar a atenção de uma mulher assim, parece que é um objeto, uma coisa que se conquista apenas com um assobio, mas o que esperar de moleques? Nada menos do que isso. Não pode se julgar todos, mas a maioria é imatura a começar pelo Romeo.

Depois que saímos do forte, fomos pra casa da Hel e a mãe dela tinha feito um lanche pra gente, comemos e eu passei mais algumas horas na casa dela. Era quase de noite quando fui pra casa e no caminho mandei uma mensagem pro Romeo.

“Adorei o dia de hoje, mal posso esperar a hora de você voltar pra casa para terminamos o que começamos no forte!”

“Também”

Nossa, ele foi tão insensível com essa resposta que me sinto como um objeto! Que ele usa pra suas necessidades e depois descarta quando está satisfeito. Isso me deixa muito mal, estar com ele é como estar em uma montanha russa, em um momento você está muito feliz se sentindo a pessoa mais especial do mundo e no outro um completo lixo, a pior pessoa, só um objeto. Eu ainda não descobri qual a dele comigo mais sei que estou me cansando desse jeito dele. Só estou anotando os vacilos no meu caderninho, quando eu explodir não vai sobrar Romeo pra contar história. Escreve o que eu lhes digo.


Notas Finais


Comenteeem e favoritem a minha fic, pfv!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...