História A Agente e o Assassino - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bethany Days, Eric Tereny, Originais, Policial, Romance, Romance Policial, Tortura
Exibições 11
Palavras 1.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ola pessoas, voltei, ja estava demorando demais para postar um capitulo, ele pra mim foi um dos capitulo mais dificeis de escrever, nunca tinha escrevido esse tipo de coisa, peço perdão desde ja, e voces vao entender do que eu estou falando.

Capítulo 10 - Entregue?


Ao andar para o lado, minha perna dói, Eric segura meu braço me puxando para não cair.

-Cuidado!

Ele fica me olhando nos olhos.

-Quer saber, não aquento mais.

-O que?

Eric me puxa para si, me beijando, o que ele está fazendo, tento sair mais ele me puxa ainda mais, e eu acabo cedendo a passagem...

====================================================================================================================================

Capitulo 10 – Entregue?

Bethany Pov´s

Entre os beijos de luxuria, Eric me leva para o meu quarto, ainda me beijando e me deixando junto ao seu corpo, nos separamos para respirar...

-Eric, isso é...

Ele me puxa para o beijo novamente, ele desliza rapidamente para o me pescoço, começa a beijar e morder, sinto meu corpo arrepiar diante esse toque, ele volta para minha boca e interrompe o beijo e se aproxima da minha orelha e sussurra...

-Não vou fazer nada que você não queria, a menos que eu queria...

Ele pega a barra da minha camisa e puxa para cima tirando com rapidez, entendo que ele não vai parar enquanto não ter o que quer. Se é isso que ele quer, e isso que vou dar a ele.... Puxo sua camisa, tirando, ele arregala os olhos e dá um lindo sorriso malicioso.

Tiro minha calça moletom, ficando somente com a lingerie no corpo, passo me braço em volta de seus ombros, ele segura minha cintura me levantando, aproveito e levo minhas penas em volta de seu corpo, ele se aproxima mais da minha cama, ele se vira de costa para a cama, e senta comigo, agora sentada em seu colo.

Ele se aproxima mais, passa seus braços para as minhas costas, e tira meu sutiã, sinto vergonha, mas quando olho para ele, ele me empurra na cama, ficando encima de mim, ele começa a passar a linha pelo meu corpo descendo até a minha intimidade, ele deposita um beijo encima da minha calcinha, e volta a me beijar, ele faz um movimento rápido e tira sua calça, ficando só de cueca, como esse ruivo pode ser tão lindo?

-Agora estamos quites – Fala colocando o braço por baixo do meu pescoço, e me puxando, enquanto ele deita ao meu lado, assim me puxando, com que eu fique em cima dele. – Será que terei a honra de ter a sua primeira vez?

-Muito engraçado.

-Brincadeirinha! Agora chega de enrolação!

Minhas bochechas esquentam, encosto o rosto em seu peito, tentando esconder a vergonha, nunca fiquei com tanta vergonha antes, devo estar vermelha igual tomate, por causa da cor da minha pele.

Ele levanta meu rosto fazendo com que eu olho em seus olhos.

-Ei, não se preocupe.

-O..Ok.

-Espere só um segundo.

.

-Eu te amo... – Ele me beija tirando a minha última peça de roupa do corpo.

.

.

.

-Eu também. – Minha voz sai baixa, quase um sussurro.

Agora eu tinha certeza que eu o amava... Será?

.

.

.

.

.

.

Eric Pov´s

Entro no banheiro tomo um banho, pego minha roupa, visto, passo pela cama, Bethany ainda estava dormindo, ela realmente me impressionou muito, ela não parece ser de muitas relações, agora percebi que é ela que preciso proteger, e dessa vez não falharei...

Saio do quarto, e percebo que são três da manhã, todos os funcionários inclusive Tom, já devem ter chegado, agora é hora de começar com o terror, como dentro do apartamento, só a câmeras na entrada, deixarei uma carta para Tom.

Entro em seu quarto, ele estava dormindo em um sono pesado, minha vontade era de mata-lo agora, mas que graça teria mata-lo durante o sono. Abro a janela coloco a carta na berrada e uma pedrinha encima para que a carta não voe.

Saio do seu quarto, vou para a cozinha pego um copo de água e sento no sofá, começo a me agradecer mentalmente por ter trancado a porta do quarto, escutei alguém batendo na porta e girando a maçaneta, não queria que ninguém nos atrapalhasse. Levanto do sofá e vou para meu quarto para descansar um pouco.

 

17 anos atrás...

-Você está doente, não deve sair dessa cama, tem que ficar em repouso absoluto. – Fala o médico guardando suas coisas.

-Mãe, não se preocupe, eu prometi para o pai que cuidaria de você como o homem da casa.

-Por isso, agradeço a deus por ter um filho tão corajoso, escute, você deve ficar com Ruan, ele e a pessoa mais confiável que conheço.

-Não, vou ficar com a senhora até você melhorar.

A mulher começa a chorar...

-Esse cartãozinho que está encima da mesa, tem o endereço certinho de Ruan, quando eu me for, fique com ele.

-Mãe. – O garoto começa a chorar. – A senhora não vai a lugar nenhum, o médico mandou a senhora ficar quentinha.

A mulher chora novamente, por ter que deixar o seu único filho sozinho.

-Filho, pegue o telefone para mim.

A mulher disca um número no telefone, após um tempo de conversa, ela desliga.

-Filho vá dormir.

Depois disso não consegui protege-la mais, seria essa uma maldição de família? Será que nenhum Teremy conseguia proteger as pessoas até o final?

.

.

Acordo faço a minha higiene pessoal e vou para a cozinha começo a fazer meu café da manhã. Termino e vou ao quarto de Bethany.

-Bethany?

Não tinha ninguém na cama, mas dava para ouvir o barulho do chuveiro, ela deve ter ido tomar banho. Bato na porta para conferir se estava tudo bem.

-Beth? Você está bem?

-Está sim, estou saindo.

Quando saio do quarto de Beth, vejo Tom, ele parece estranho, pode ser a carta, tomara que ele só piore.

-Sr. Tom, o senhor está bem?

-Estou sim, onde está Bethany?

-Em seu quarto tomando banho.

-Avise-a que ficarei o dia todo em meu quarto, ela está livre, mas a partir de segunda-feira ela trabalhara normalmente.

-Sim senhor.

Ele sai e vai em direção ao seu quarto.

-Estou pronta. -Fala Bethany atrás de mim.

-Pronta para que?

-Para irmos atrás do tal Chris.

-A sim, Beth posso te pergunta algo?

-O que seria?

-Você tem algo a falar sobre ontem a noite?

-Não quero falar sobre isso, mas não se preocupe. Agora vamos.

.

.

.

Continua...


Notas Finais


Então, nunca tinha escrevido esse tipo de coisa, por isso parei na metade, se tiver mais facilidade com esse tipo de coisa, mande uma mensagem pra mim por favor, eu gostaria realmente de algumas aulinhas.
Obrigado por lerem, comente suas opniões ai em baixo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...