História A água que escorre e o fogo que queima - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Furihata Koki, Himuro Tatsuya, Hyuga Junpei, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kiyoshi Teppei, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Momoi Satsuki, Murasakibara Atsushi, Personagens Originais, Riko Aida, Takao Kazunari
Tags Akafuri, Animais De Estimação, Aokaga, Deuses, Família, Gravidez Masculina (mpreg), Himuro Tatsuya, Hyukiyo, Kisekuro, Lemon, Midotaka, Momoriko, Mpreg, Murasakibara Atsushi, Yaoi, Yuki - Yukio - Yukine, Yuri
Visualizações 86
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometido aqui está o capítulo (finalmente eu cumpri com alguma coisa que falei, vai chover canivete) fiquem com capítulo e espero que gostem.

Capítulo 20 - A vida de um casal pode virar um desafio com os trigêmeos


Fanfic / Fanfiction A água que escorre e o fogo que queima - Capítulo 20 - A vida de um casal pode virar um desafio com os trigêmeos

Pov Kagami

   Eu e o Daiki estávamos terminando de empacotar as coisas para a nossa mudança, tem três dias que os trigêmeos nasceram, eu e o Daiki não sabemos o que fazer, quando eles dormem não demora muito para um acordar e começar a chorar acordando os irmãos.

   A Yuki tem os cabelos vermelhos como os meus, os olhos azuis iguais ao do Daiki e a pele clara. Ela é calma e não é de chorar muito, ela ama dormir no colo do Daiki o deixando com os braços doloridos de vez em quando.

   O Yukio tem os cabelos azuis do Daiki, meus olhos vermelhos e a pele morena bem mais clara que a do pai. Seu temperamento é forte e não gosta muito de bico dificultando meu trabalho, mas quando pega a porquera do tem fica estalando a língua nele.

   Já o Yukine tem os cabelos azuis com a raiz vermelha, olhos heterocrômicos o direito azul e o esquerdo vermelho sua pela é da mesma cor que a do Daiki. Ele é calmo, mas não gosta de ficar longe de mim, do Daiki ou dos irmão, ele também tem cólicas constantes me impedindo de dormir a noite.

   Nesse momento eles estão dormindo. O Daiki está arrumando as nossas roupas nas malas enquanto eu empacoto as panelas, talheres e vasilhas da cozinha. São sete caixas com roupas de cama e toalhas de banho, quatro com as cosas da Mira, do Raxo e dos três filhotes, da cozinha até agora são cinco caixas sem contar o que está fora das caixas.

   Nós já vendamos nossos moveis deixando apenas um futon grande para dormimos. Ryouta e Momoi ficaram de mobilhar nossa casa no mundo humano e a única coisa que eu falei que queria eram os berços das crianças no meu quarto porque ninguém merece sair do quarto de madrugada para ir ao quarto dos filhos.

   Mais algumas horas e conseguimos empacotar todas as nossas coisas. As crianças ainda dormiam no futon na sala só que agora o Daiki as acompanhava. Me sentei na beirada futon vendo meus amores dormirem.

   Não posso acreditas no quanto minha vida mudou em dois anos e meio. As crianças dormiam todas atravessadas e espaçosas e o Yukio dormia perto de onde eu estava sentado, peguei sua mãozinha e a acariciei com delicadeza.

  Meus filhos são tão pequenos que poderiam caber facilmente na palma da mão do Daiki, suas peles suaves, seus cabelinhos pequenos, seus rostinhos redondinhos e as boquinhas pequenininhas e carnudas chupando os bicos adormecidos, são tão lindos.

   -Lindos né? –Perguntou Daiki me assustando e se apoiando no cotovelo.

   -Desculpa te acordei. –Olhei para ele e depois voltei minha atenção aos pequenos.

  -Não, eu já ia acordar mesmo. –O Yukio empurrou seu o bico azul com a língua e depois a passando no seu da boca varias vezes antes de se mexer minimamente apertando meu dedo.

   -Fofo. –Falei e o Daiki e eu rimos baixinho. O Daiki cutucou a bochechinha do Yukio antes de pegar o bico e colocá-lo novamente em sua boca.

   -Eles são realmente lindos. –Falou Daiki com um sorriso enorme no rosto.

   -Claro que são, são meus filhos. –Falei sorrindo também.

   -Convencido, mas agora que eles nasceram. O que você acha de matarmos a saudade? –Perguntou Daiki com um sorriso travesso.

   -Acho uma ótima ideia. –Assim que terminei de falar o Daiki se levantou com cuidado para não acordar os meninos.

  Ele veio para minha frente me estendendo uma mão que eu aceitei, ele me ajudou a levantar e ainda de mãos dadas fomos caminhando para o nosso quarto que agora só tem caixas e malas empilhadas em um canto.

   Nos sentamos no chão no canto mais afastado do quarto para não acordar o trigêmeos com o barulho que faríamos. Daiki se sentou do meu lado colocando uma de suas mãos na minha coxa a alisando sem pudor.

  -Você está tão sexy quanto costumava ser. –Falou ele rouco rente ao meu ouvido. Depois que os trigêmeos nasceram meu corpo voltou ao normal graças ao fato de eu ser um deus, mas as únicas coisas que não voltaram foi minhas coxas e bundas que continuaram grandes e roliças, mas eu acho que o Daiki  não se importa, na verdade ele parece gostar.

   -A única diferença é que depois que as crianças nasceram você não vai precisar me alargar. –Falei sacaneando.

   -Deve ter doido muito! –Exclamou ele brincando.

  -Mais do que te receber. –Assim que falei o Daiki segurou minha nuca e me puxou para um beijo que não era rápido, mas também não era nada singelo.

   Suas mãos passeavam em minha coxa e quadril. Com cuidado o Daiki me deitou no chão ficando no meio das minhas pernas me beijando com mais intensidade e passando suas mãos por todo meu corpo. Ele desabotoou todos os botões da minha blusa e passou a mão levemente em meu peito. O Daiki sabia que ele não poderia apertar ou sugar meu peito por causa do colostro que começava a ter uma coloração mais clara se tornando um leite materno comum.

   -Desculpa. –Falou o Daiki tirando a mão do meu peito quando sentiu um pouco de leite molhá-la.

  -Não se preocupa isso aconteceu porque os meninos não mamaram muito e o leite foi acumulando. –Falei vendo o Daiki lamber os dedos.

   -Meio doce. –Assim que ele falou eu dei uma risada. –Que é?

   -Nada. –O Daiki começou a me beijar novamente, um beijo quente que foi ganhando velocidade e selvageria da parte dele.

   Eu estava completamente a mercê do Daiki, quase nu sentindo cada caricia ousada que eu recebia e dava a ele quando escutamos um choro alto e estridente inundar meus ouvidos. O Daiki me olhou com cara de quem pensava se era mesmo necessário ir até a sala.

   -O Yukine está chorando. –Falei rindo da cara de contrariado do Daiki.

   -Amo meus filhos, mas tem hora que eles poderiam me deixar curti-lo sabia? –Falou Daiki emburrado.

   Nos levantamos, eu abotoei os botões da minha blusa enquanto o Daiki vestia a dele. Depois de prontos fomos para a sala onde vimos Mira, Raxo e os filhotes deitados perto dos trigêmeos. A Mira passava o focinho de leve no rosto do Yukine para ver se ele parava de chorar, coisa que não estava funcionando, com certeza ele está com fome.

   -Vem aqui na mamãe. –Me abaixei, peguei o Yukine no colo que parou instantaneamente de chorar.

   Me sentei no sofá e abri os três primeiros botões da minha blusa deixando meu peito a vista. O Yukine não tardou em se aproximar e abocanhá-lo, eu o balançava e cantarolava baixinho, já o Daiki se sentou ao meu lado acariciando os cabelos do pequeno enquanto ele mama.

   Depois do Yukine também acordaram os outros dois, como o Yukine já tinha terminado de mamar o entreguei para o Daiki que se levantou balançando-o de leve até ele dormir enquanto eu amamentava a Yuki e o Yukio.

   Depois de duas longas horas resolvemos dar banho nos trigêmeos. Eu dei o banho enquanto o Daiki os colocou roupa, de banho tomado eu ninava o Yukine e o Daiki a Yuki e o Yukio. Mais uma hora se foi até eles dormirem, os colocamos no futon novamente e fomos tomar o nosso banho que não poderia ser demorado, já que tínhamos que dormir porque amanhã nos mudamos cedo.

   Dormir com os trigêmeos é um desafio. A Yuki vive chutando, ontem o Daiki tomou um chute dela bem na boca do estomago que o fez ver estrelas, Yukio fica chupando o bico com tanta vontade que fica estalando na língua dele e o Yukine vive com fome, com toda certeza ele é o que mais mama.

   Eu e o Daiki deitamos um de cada lado do futon com as crianças no meio, o Daiki pegou no sono rapidamente, já eu fiquei vendo meus filhos e marido ressonarem de cansaço até eu conseguir pegar no sono também.


Notas Finais


Ficou bom? Gostaram?
Amanhã tem mais só não sei de qual fanfic, mas manhã tem mais, um beijo e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...