História A Alfa que não podia amar - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Sehun, Você
Exibições 29
Palavras 2.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei depois de quinhentos anos.
Olá pessoal.

Capítulo 9 - Um pouco do passado, presente, e possível futuro.


De volta a Casa, entro direto recebendo a reverencia de todos, sentei-me em meu lugar e os olhei, vi Taeil sentado no sofá onde Sehun se encontrava antes, ele estava acuado, e olhava apenas para baixo, logo vi que ele sabia oque havia acontecido e estava com medo. Suspirei fechando os olhos.

-Então vamos continuar com essa reunião. Qual a próxima pauta? Quero as coisas mais importantes e urgentes primeiro. –Falei abrindo os olhos e olhando para todos.

-O mais urgente agora são as lutas na fronteira. Houveram muitos ataques nesses três anos, principalmente depois que todos souberem que você havia desaparecido. –Falou Namjoon serio, ele estava irritado pelo que aconteceu antes, e isso somado ao fato de eu não ter revelado oque havia acontecido durante esse período. –Há uma alcateia em especial que tem nos atacado frequentemente. –Falou me olhando enquanto estendia um papel que continha o desenho de uma marca que eu odiava.

Aquela marca. A marca dele.

-Tiveram baixas do lado deles? –Perguntei seria olhando a folha em minhas mãos.

-Durante esse tempo somente três, e cinco feridos gravemente. Nossos membros são muito habilidosos, então a única coisa que nos aconteceu, bem, foi com Taeil... –Falou olhando para o outro que colocou as mãos no braço direito que havia perdido.

Suspirei e olhei para Zico atrás de mim que logo entendeu e acenou com a cabeça. Me levantei e fui até ele.

-Você se lembra de quem fez isso com seu braço? –Perguntei para ele que apenas acenou com a cabeça, e eu senti sua raiva. –Que bom, porque você vai fazer o mesmo com ele, e até pior se quiser. –Falei dando um sorriso de canto.

-Como? Eu não posso nem me transformar mais por causa do meu braço. Eu não posso nem correr se eu fizer isso. –Falou amargo.

Olhei para Zico que se aproximou de nós e olhou para Taeil que rosnou para ele.

-Esse é Zico, um vampiro como já percebeu. – Falei o olhando. –Existe uma raça rara e antiga de vampiros com dons, e Zico é um deles. –Falei oque arrancou uma exclamação de todos. –Ele pode regenerar qualquer membro de seu corpo, mesmo que este seja arrancado fora. –Falei e o olhei que olhava espantado para o vampiro que sorriu convencido. –Mas acontece que Zico é tão habilidoso que tem controle total sobre sua habilidade, e pode até mesmo regenerar o membro perdido de outra pessoa se ele quiser. –Falei terminando ainda olhando para Taeil mas dessa vez com um pequeno sorriso.

Ele logo arregalou os olhos olhando para Zico entendendo onde eu queria chegar.

-M-mas ele é um vampiro, tem certeza que podemos confiar nele? –Perguntou ainda meio receoso, mas eu podia sentir sua ansiedade para ter seu braço de volta.

-Acredite quando digo que este vampiro é a pessoa em que mais confio. –Falei olhando para Zico que tinha um sorriso convencido no rosto.

-Acredite gracinha, se eu quisesse matar qualquer um de vocês eu já teria feito. –Falou com um sorriso de canto.

-E então? Você aceita? –Falei olhando para ele que olhou para seu braço e olhando para Zico em seguida.

 -Vai doer? –Perguntou engolindo em seco me fazendo rir.

-Talvez um pouco, mas vai valer a pena no final. –Zico falou dando de ombros enquanto se abaixava em frente a Taeil no sofá.

Me afastei deles vendo Zico colocar as mão sobre os ombros de Taeil e fechar os olhos.

-Por favor não grite muito, meu ouvidos são sensíveis. –Falou antes de seus olhos se tornarem negros como a noite.

Taeil se contorcia no sofá gritando de dor, enquanto Zico apenas o segurava com força ainda de olhos fechados.

O braço antes inexistente de Taeil crescia a cada segundo mais, causando espanto e admiração em todos, dava para ver as veias, articulações e tecidos sendo regenerados, era algo incrível de se ver, mesmo que eu já tivesse visto antes.

Taeil logo parou de gritar quando seu braço já estava totalmente reconstruído e desmaiou nos braços de Zico que o apanhou e deitou-o no sofá.

-Ele vai ficar bem, vai acordar em um ou dois dias, o processo é muito violento com o corpo porque ele pega células de varias partes do corpo para poder reconstruir o membro exatamente como era antes, por isso ele sentiu dor, e agora o corpo dele está cansado. –Falou colocando as mãos no bolso.

-Suga leve Taeil para casa, será melhor para ele lá. –Falei me sentando novamente sentindo Zico atrás de mim como sempre.  –Então? Oque há mais? – Perguntei olhando Namjoon.

-A algumas alcateias mais ao sul que estavam interessados em uma aliança, já que você os ajudou no passado. Eles ficaram sabendo do seu sumiço e como sabiam que estávamos em apuros vieram nos ajudar, não falamos nada sobre a aliança que eles ofereceram, mas tenho certeza que com você de volta eles vão querer com certeza.  –Falou Namjoon serio com as mãos cruzadas sobre a mesa.

-Uma aliança agora seria muito proveitoso visto que as coisas aqui estão uma bagunça. –Falei seria e ouvi um rosnado ao fundo. –Quem ficou no comando quando eu não estava? –Perguntei mesmo já sabendo da resposta.

-Nina, já que ela era sua beta. – Falou Suga irônico enquanto adentrava a sala novamente.

-E você não soube sequer resolver pequenos problemas pelo que vejo. –Falei para Nina que soltou outro rosnado com raiva. –Mandarei Suga e Hoseok até eles para convidarem o alfa e oferecer esta aliança. Veremos se você continua tão afiado com a língua Suga, é bom que faça bom uso de sua lábia, eu quero esse acordo. –Falei seria olhando para ele que assentiu dando um pequeno sorriso mostrando que esse acordo já estava no papo, e eu sabia mesmo que estava.

-Próximo assunto. –Falei acenando com a mão.

-Ultimamente estão tendo muitas aparições sobrenaturais no meio humano, mas até agora não soubemos dizer oque exatamente. –Namjoon falou suspirando.

Namjoon. Era sempre ele que falava nas reuniões, apresentava os fatos e explicava o melhor que podia, os outros apenas ouviam e davam opiniões quando necessário, ele seria um bom alfa caso algo acontecesse comigo.

-Mandaram alguém atrás investigar? –Perguntei calma.

-Não. Estávamos muito ocupados com coisas da alcateia, preocupados demais com oque poderia acontecer caso alguns de nós estivesse fora por muito tempo, então Nina optou por não mandar ninguém, por isso não temos nenhuma pista.  –Falou serio.

-Certo, caso algo aconteça novamente me avisem, mandarei alguém até, temos pessoas capacitadas para isso. –Falei suspirando. Não vou dizer nada sobre oque realmente achei sobre tudo isso.

Respirei fundo e apenas continuei ouvindo Namjoon relatando tudo que aconteceu nesses três anos, com os gemidos e soluços de Tae ecoando em minha mente, junto da ansiedade e medo de Hoseok, e os pensamentos incrédulos e raivosos dos outros. Seria uma longa noite.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os raios de sol que atravessavam as janelas da sala de reuniões denunciavam que já estava amanhecendo e havíamos passado a noite ali dentro resolvendo os assuntos de maior urgência da alcateia. Namjoon já havia terminado tudo que havia preparado e eu encerro a reunião mandando todos para suas casas enquanto eu subia para meu quarto no segundo andar com Zico atrás de mim.

Fecho os olhos enquanto andava ouvindo a respiração fraca de Tae no subsolo onde ficava a cela. Entro no meu quarto e me deito na cama sem nem mesmo tomar um banho, olho para o teto pensando em como tudo seria daqui pra frente.

-Durma enquanto pode, ficarei aqui caso algo aconteça. –Zico falou se sentando na beirada da cama se encostando na parede.

-Oque poderia acontecer? –Perguntei irônica.

-Talvez um assassinato? Uma rebelião? –Falou também cínico. –Não duvido nada se levar em conta os ânimos de todos depois do que fez. –Falou irônico.

-Foi preciso. –Falei me virando para ele.

-Eu sei que foi, você não faz nada sem um por que. Mas a questão aqui agora é: Por quê? –Perguntou me olhando curioso. –Pelo que entendi da situação toda, Taehyung tem medo da cela por algum motivo estou certo? –Acenei com a cabeça e suspirando. –Então porque o mandou pra lá mesmo sabendo disso?

-Porque sei que JongHyun não ficara quieto com minha fuga, você sabe disso. –Me sentei na cama da mesma forma que ele. –Se ele vir para cá, ele vai tentar pegar Tae porque sabe que ele é como um irmão para mim e vai tentar usa-lo para conseguir oque quer. Sabendo disso, também já posso prever oque ele vai fazer com Tae caso consiga o pegar: Vai leva-lo para a cela. –Falei olhando para um ponto qualquer na parede. –Levando-o para a cela ele deixara Tae vulnerável já que ele também tem conhecimento do trauma de Tae já que foi ele quem o “presenteou” com ele, e vai usar e abusar dele com isso. –Falei seria soltando um suspiro.

-Ele? –Perguntou confuso.

-Antes de eu assumir a liderança da alcateia, JongHyun era um de nós, ele queria ser o alfa, mas quem conquistou a todos e venceu foi eu, então para se vingar e descobrir meus planos ele capturou Tae, ele tinha apenas 15 anos nessa época, foi algo realmente assustador tudo que ele passou por lá. Fui eu quem salvou Tae, era meu dever como alfa protege-lo, mas acima disso, ele era meu irmão, eu iria até o fim do mundo por ele, e fui, o tirei de lá, mas para isso eu tive que lutar contra JongHyun e muito sangue foi derramado. –Falei fechando os olhos e vendo tudo se repetir em minha mente. –Salvei Tae, mas foi tarde demais. Ele já estava traumatizado, e tudo já havia acontecido com ele. Depois disso prometi protege-lo de tudo, com minha vida se fosse preciso, e manda-lo eu mesma para a cela foi algo pior que traição para Tae, ele jamais vai me perdoar por isso. –Falei deixando uma lagrima correr.  

-Ele não me parece que ele é alguém que guarda rancor por muito tempo, uma hora ele vai entender que foi preciso, ou vai esquecer disso. –Zico falou se aproximando e me abraçando de lado. –Agora durma, você ficou a noite toda acordada e precisa descansar. –Falou se deitando e me olhando em seguida esperando que eu fizesse o mesmo.

 -Ele pode ser um amor de pessoa, sempre foi, mas dessa vez não foi uma coisa tão banal. Eu sei que ele jamais vai me perdoar, e algo me diz que ele vai sair de lá totalmente o oposto de como entrou. –Falei olhando para o teto.

Ficamos em silencio até eu adormecer nos braços de Zico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abro os olhos ao sentir um carinho em meus cabelos, olho para cima vendo Jin ao meu lado me olhando terno e logo me dá um sorriso carinho ao ver que acordei.

Me levanto e sento na cama olhando para o lado vendo Zico sentado em uma poltrona no canto do quarto, passo as mãos em meus cabelos soltando um suspiro.

-Que horas são? –Perguntei olhando para Jin.

-Ainda são meio dia, vim trazer seu almoço, e como não queria que você comesse sozinho  vim aqui. –Falou sorrindo enquanto se levantava. –Ah, e eu pedi para Namjoon trazer sangue do hospital, então você vai poder almoçar conosco. –Falou para Zico que o olhou surpreso.

Olhei para ele e dei um pequeno sorriso.

-Obrigado. –Falou calmo.

-Vamos a comida esta lá embaixo, levante-se e se arrume. –Falou Seokjin logo saindo do quarto.

Me levantei e fui até o banheiro que tinha ali já que o quarto era uma suíte.

Logo ao descermos Gina aparece e me abraça apertado, dizendo que estava com saudades, mas logo fecha a cara e mostra a língua para Zico que vinha logo atrás.

-Ihhhh a cenourinha e mal educada assim mesmo? Que coisa feia. –Falou negando com a cabeça fazendo uma falsa cara de decepcionado.

-Fica quieto sua beterraba. –Falou emburrada enquanto cruzava os braços e virava a cara.

Me sento na ponta da mesa com Jin ao meu lado, logo vendo Zico se sentar também, Gina se senta ao lado de Jin ficando de frente para Zico.  

Comemos em silêncio, apenas ouvindo Gina tagarelando.

-Omma. –Gina chama me fazendo olha-la de olhos arregalados. Ela havia me chamado assim quando me viu antes, mas achei que havia sido apenas coisa do momento. –Eu queria ir para a escola. –Falou me olhando cabisbaixa. –Porque eu não posso ir?

Olhei para Jin ainda sem saber muito bem como reagir a isso, mas ele apenas sorriu para mim me encorajando.

-Ah, você já teve sua primeira transformação certo? –Perguntei mesmo sabendo que sim, ela havia tido uma transformação bem prematura, logo depois de descobrir que eu havia sumido. –Você já sabe se controlar? –Perguntei olhando para Jin dessa vez, mesmo que a pergunta tenha sido para ela.

-SIM. –Gritou empolgada. –Tio Tae disse que eu sou muito boa com meu controle para minha idade. –Falou sorrindo, sem perceber que a menção de Tae havia deixado uma nuvem sobre o a mesa. 

-Então não vejo porque não pode ir. –Falei sorrindo pequeno.

-Mas ela vai precisar de um endereço para a escola ter uma referencia, e ainda de uma... –Mãe. Jin completou mentalmente me olhando preocupado.

-Eu sei que eu preciso de uma família e de uma casa, mas você é minha mãe agora não é? –Falou me olhando meio acanhada.

A olhei nos olhos sentindo meu peito se aquecer com aquilo.

-Claro. –Falei com um sorriso para ela. –Mas para isso você terá que se mudar para minha casa na cidade, e ficara longe daqui durante a semana, esta disposta a isso? –Perguntei a olhando seria dessa vez.

-Sim. Sei que posso vir para cá nos finais de semana não é? –Falou empolgada. A frase “vou morar com a omma” não parava de passar pela cabeça dela.

-Sim, é claro que pode. –Falei.

-Mas ela vai precisar de documentos e de uma matricula, como vai conseguir isso? -Jin perguntou me olhando preocupado.

-Tenho certeza que Zico me ajudara com isso. –Falei o olhando dando um sorriso de canto.

-Só se a cenourinha disser que o sou o vampiro mais lindo do mundo. –Falou como quem não quer nada.

-Você vai ajudar? –perguntou Gina o olhando desconfiada.

-Só se você disser bem alto que eu sou o vampiro mais lindo do mundo. –Falou a olhando com um sorriso de canto.

-Não. –Gina disse de braços cruzados.

-Ele vai ajudar sim. –Falei terminando de comer, oque fez Zico bufar contrariado.

 


Notas Finais


Gente foco aqui rapidão.
Sei que eu sempre demoro pra postar capitulos novos, e sei como é ruim pois eu também sou leitora.
Aqui em casa as coisas estão uma completa bagunça e vocês não tem noção do quanto as coisas estão caindo sobre mim.
Ontem minha mãe chegou estressada em casa e tacou meu celular no chão acreditam? E ainda me humilhou, vocês não tem noção de quantas palavras maldosas ela usou comigo, e eu definitivamente não estou bem.
Ela vai possivelmente vender meu computador e eu vou ficar sem ter como escrever, mas eu prometo pra vocês que eu vou dar um jeito de escrever e postar pra vocês está bem?
É isso, obrigado pelo desabafo.
Espero que tenham gostado do capitulo, comentem oque acharam, e se tiverem alguma critica não exitem em me falar okay?
Amo vocês, até a proxima. o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...