História A Aluna Nova ➖ Kim Namjoon - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Colegial, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Romance, Suga
Exibições 54
Palavras 796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


[Esses capítulos serão etapas do plano, por isso serão curtos. Serão dividos em três: A Entrada/O Prato/A Sobremesa]

Não demorei tanto :3

Capítulo 9 - A Entrada


- Então, maknae, qual o plano?

- Unnie, vamos fazer besteira. Muita besteira. Até eles não nos aguentarem juntas.

- Isso! - Pensei comigo mesma que, se eles não se separassem, ao menos eu poderia voltar para a Coreia! Ótimo, ótimo. A maknae pode ser útil! - Mas... Por onde começamos, Nathalia?

- Hum... Espero que você não seja alérgica à gatos - ela sorriu maliciosamente 

- Não, não... Não sou. Mas acho que essa entrada me deu uma ideia para o próximo prato. - Sorri.

ETAPA 1 - A ENTRADA

Saímos do quarto e logo da casa. Andamos duas quadras até o abrigo de animais mais próximo e fomos até a parte em que ficam eles.

- Vocês tem algum pré-critério quanto ao gato ou vocês não tem preferências? - a moça sorriu

- Não, não. Só queremos... Um gato. De preferência felino, com bigodes. 

- Não só um gato! - Nathalia intrometeu-se - Nós queremos... Três! Três gatinhos.

Ela sorriu, assentiu e nos mostrou três gatos. Como não tínhamos certa preferência apenas pegamos os gatos e demos o fora.

- Qual a próxima etapa da Entrada? Afinal, esse jantar será delicioso.

Ela sorriu meio de canto e concordou com a cabeça.

- Bom - ela disse - Esses gatos vão ficar no meu quarto até de noite. À noite, seu pai e minha mãe terão uma surpresinha.

Concordei e assim fizemos. 

O quarto de Nathalia tinha três paredes brancas e uma negra, onde encostava-se sua cama, sua escrivaninha e uma caixa, acredito que para guardar todo tipo de tralhas. Ela tinha vários pôsteres de rock. Ela me contou que sua banda preferida era Slipknot, mas adorava qualquer banda relacionada à rock.  Até que depois de conhecê-la ela me pareceu bem mais legal. Ela disse que jogava basquete no time de seu colégio, sabia tocar baixo elétrico e que sofreu muito com a perda do pai, que foi com o quê mais me identifiquei.

Bem, voltemos aos gatos. Eles ficaram em uma caixa com cobertores. Eu vou tentar descrevê-los. O primeiro era preto em cima, branco em baixo. Tinha olhos azuis e era bem alegre. O segundo era completamente preto, seus pequenos e atentos olhos eram verdes, e ficava observando o terceiro. O terceiro era laranja. Muito ativo, queria descobrir tudo. 

Os filhotes ficaram na caixa enquanto descemos para jantar na sala enorme, com um gigante lustre. A janta era lagosta.

- Pai... Você não gosta de lagosta.

- Não? - Cristina perguntou. Ele olhou para baixo e sorriu - Oh… Querido, me desculpe! Eu não sabia... Posso fazer outra coisa...

- Claro que não, meu amor! Afinal, só olhar para você já é uma das coisas mais saborosas que já experimentei.

Nathy pôs o dedo indicador na língua e fingiu vômito. Eu ri e revirei os olhos. 

- Tem certeza?! Eu posso...

- Meu amor, eu posso comer arroz, salada e o aperitivo, afinal, tenho que emagrecer mesmo - ele riu

- Óbvio que não, meu lindo! Você é perfeito.

- Parem de melação e comam logo. - me arrisquei a dizer

- Naka! O quê é isso? Foi essa a educação que eu te dei?

- Ah, querido... Ela está certa! Vamos comer logo... - Cristina disse e sorriu

- O quê...? - disse. Havia alguma coisa no meu pé! Se esfregando nele. Algo macio, peludinho... Oh, não! 

Eu pedi licença para me retirar da mesa e puxei Nathy junto. Seus cabelos negros tomaram o lugar do rosto delicado e pálido de tão rápido que a puxei.

- Ei, Naka!

- Vem - a puxei, peguei rapidamente o gatinho preto e branco e o puxei junto ao meu colo. 

Subimos as escadas e fomos em direção ao quarto da minha meia-irmã. Entramos no quarto e fomos até a caixa. Nem um gato. Revisamos o quarto dela, olhamos embaixo da cama, da escrivaninha, dentro do armário, nas roupas sujas. Depois também vimos no meu quarto e no quarto de meu pai e da mãe dela. Nada. Nos banheiros? Quarto de hóspedes? Não, não estavam.

 Até que ouvimos um ronronar alto e prazeroso, vindo do andar de baixo. Descemos as grandes escadas com o gatinho no colo, passamos pela sala de jantar, pela sala de TV e na sala de estar meu pai e Cristina estavam deitados, fazendo carinho nos gatinhos.

- Ah, que fofinhoo! - Cristina exclamou

- Verdade, hehe... - meu pai disse

- Eles podem se chamar... Bolinha e Cristal! 

- AH, NÃO! - Nathalia meteu-se

- Oi, filhota! Achamos dois gatinhos adoráveis... Já até pensei em nomes!

- Acontece, querida mãe, que eles são MEUS, EU vou dar um nome para eles... 

Ela tomou os gatos do colo dela

- Tudo bem, querida - ela sorriu e fez um leve biquinho

Ela me puxou e quase deixou cair do seu colo os dois gatinhos. O gatinho laranja continuava em meu colo.

- TUDO ERRADO!! TUDO!! TUDO!!

Ela gritou desesperadamente.

- Eu... Eu já sei! - disse


Notas Finais


Eu sei que ficou curto, mas é por etapas, como eu disse no início. Obg pelos favoritos & comentários >*<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...