História A Anja e o Demônio - Capítulo 7


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Demonios, Originais, Romance
Visualizações 13
Palavras 1.555
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Íamos postar amanhã mas vamos postar hj pq sim aproveitem :3

Capítulo 7 - Segredos Revelados


Fanfic / Fanfiction A Anja e o Demônio - Capítulo 7 - Segredos Revelados

POV.KANE

Libertei a anja, mas ela se recusou a ir, e mesmo eu expulsando-a ela teve que voltar por causa de suas asas que ainda não tinha forças para poder ir embora, pelo menos tenho mais motivos para vê-la.

Levo a Reven em meu colo ate uma sala que ajeitei para eu descansar se não quisesse voltar para o internato.

Reven – Você sabe que não precisa continuar me carregando, são minhas asas que não estão funcionando e não minhas pernas.

Kane – Mas prefiro ficar assim te levando. – Ela da uma leve revirada de olhos.

Levo-a para a sala e deixo-a sentada em uma pequena almofada enquanto pegava umas coisas em outra sala lá próxima.

Quando volto vejo Reven olhando ao redor meio desconfiada, não vou culpa-la somos meio que inimigos.

Entro no quarto com dois pratos, dou um deles para a ela e me sento de frente pra mesma e fico comendo. Ela parecia um animal desconfiado, olhava a comida pensando se aquilo iria mata-la ou não.

Kane – Vamos, coma, não coloquei nada não se preocupe. – A mesma olhou a comida e depois me olhou.

Reven – Contanto que você não me beije de novo irei conseguir comer. – Dou uma risada abafada.

Kane – Nos demônios não somos muito bons com promessas, mas irei tentar me segurar. – Ela da um pequeno sorriso e começa a comer.

Olhei para trás dela e percebi uma coisa que não tinha parado para reparar, as asas dela, elas são cinza... Estranho, normalmente são bem branquinhas.

Kane – Me diz uma coisa... Por que suas asas são cinza? Anjos têm asas brancas normalmente. – Ela para de comer como se minha pergunta a incomodasse.

Reven – Bem... É por que... Eu era... – Ela hesita.

Kane – Vamos, me diga, não falo para ninguém. – Ela olhou para as próprias asas com uma expressão bem triste.

Reven – Minhas asas são assim, pois... Um dia já fui como você... Uma demônia. – Me espanto um pouco.

Kane – Você? Uma demônia? Haha! Não me faça rir! – Ela olhou para outro lado ignorando minha diversão com o que ela tinha dito – Olha... Você não tem cara de quem fazia ou faz coisas ruins, você tem uma carinha de garotinha inocente, como se nunca tivesse feito nada de ruim na vida.

Reven – Fale isso para minhas asas e para os anjos que assassinei... – Bem, dizem que se um demônio fez tantas coisas ruins e ele renasce como anjo ou anjo caído suas asas ficam cinza claro. – Eu não me lembro de quem eu matei... Só sei que carrego a culpa sobre meus ombros... Eu me pergunto por que Deus me deu o perdão... Matei milhares sem dó... Eu era um monstro... – Lágrimas se formavam em seus olhos ameaçando sair.

Aproximo-me devagar dela e a envolvo em meus braços formando um abraço que reconfortou ela, mas fez também suas lágrimas escorrerem pelo seu rosto.

Reven – Eu não tinha pedido para ser demônia... Eu não pedi para ser perdoada... Queria ter continuado no purgatório... – Acariciava levemente seus cabelos para tentar faze-la se sentir melhor.

Kane – Pera... Se você era demônia... Como era conhecida? – Ela sai do meu abraço e me fitou por alguns segundos.

Reven – Acho que era... Sins. – Me espanto por um instante, não acredito que ela foi à grandiosa e poderosa Sins! Ela foi a demônia mais respeitada e que torturou, matou e fez diversas outras terríveis atrocidades contra o céu quando estava viva, ela tinha sido capturada por anjos vingativos que a mataram ela muito lentamente. Eu era apaixonado por ela...

Kane – Nossa... Era por isso que te achei familiar... Você me treinou quando eu era criança, tudo que sou você me ensinou. – Ela ficou me olhando de boquiaberto.

Reven – Não acredito... Eu treinei um demônio...

Kane – Eu lembro que quando estávamos treinando, você me venceu ai eu fiquei te olhando depois do treino e disse “Um dia quero ser tão forte quanto você!” ai você me deu uma risada e olhou para mim e disse “Provavelmente você será tão forte quanto eu fique feliz com isso” então... Eu perguntei se quando eu ficasse mais velho eu poderia te torna a próxima rainha do inferno e você riu e disse sim... Lembro-me disso muito bem... Você não se lembra? – Reven apenas balançou a cabeça em negativo.

Reven – Quem diria não é mesmo? Depois de eu me tornar anja à gente se encontrar, e de um jeito meio desagradável. – Damos umas risadas abafadas e então fico olhando em seus olhos.

Lentamente me aproximo dela e a mesma não recua só ficou parada me fitando intensamente com seus olhos azulados que pareciam duas safiras reluzentes.

Quando nossos lábios se selam sinto um fervor subir pelo meu corpo. Os lábios dela são bem macios e deliciosos e essa é uma das muitas coisas que adora nessa anja que tanto amo, mesmo eu sendo um demônio.

Assim como fizemos na cela, eu a deito no chão sem desgrudar meus lábios do dela, ficando por cima da mesma eu vou estudando o corpo dela com minhas mãos ate que coloco minhas mãos dentro de sua blusa e fico acariciando sua pele macia e quente e a mesma dava leves gemidos com os toques que eu dou nela.

Sinto duas mãozinhas quentes se agarrarem em minha blusa e ficaram descendo ate que entram por baixo da minha blusa e ficaram passando levemente os dedos em meu abdômen e subiu ate meu peitoral onde terminaram seu destino.

Paro de beija-la e passo para seu pescoço que dei algumas cheiradas antes de da leves beijos e algumas chupadas provocativas que estavam fazendo-a pirar, conseguia sentir só pela respiração que ela estava enlouquecendo com aquele contato.

Então do nada a mesma me empurra e se levanta rapidamente.

Reven – Ai Meu Deus! Eu tinha que fazer o relatório da missão para o céu! – Olho para a mesma achando graça.

Kane – Não se preocupe, não vai acontecer nada se você não mandar o relatório.

Reven - Vai acontecer sim! Vão pensar que estou em perigo! Vão mandar dois arcanjos para fazer vistoria! – Reviro os olhos e pego a mochila dela que no dia que a capturei tinha trazido.

Kane – Pega sua mochila, deve ter algo ai que faça você falar com os anjos ou com Deus ou sei lá o que. – Ela pega a mochila e me da um sorriso.

Reven retirou da bolsa uma espécie de pergaminho que tinha as bordas douradas e tinha um pequenino brilho.

A anja escreveu algo no papel e uma janela de ligação de anjo se abriu na frente dela e quem atendeu foi um rapaz de olhos escuros, pele morena e cabelos negros, já sabia quem era O Arcanjo Miguel.

Miguel – Meu Deus Reven! Onde você estava esse tempo todo?! Eu e o Gabriel estávamos preocupados! E que lugar é esse que você esta? – Reven fez um pequeno sinal com a mão para eu me esconder e isso que eu fiz.

Reven – Eu estou investigando um lugar que provavelmente o demônio ira atacar, e não fiz relatório nenhum e nem me comuniquei por que estava muito ocupada. – Miguel da um longo suspiro.

Miguel – De qualquer forma, eu e o Gabriel vamos ai te vê e certificar de que esta realmente tudo bem.

Reven – Eu já disse que não precisa, se eu disse que esta tudo bem é porque está tudo bem! – Estava sentindo que não importava o quanto ela falasse os dois arcanjos iriam vim de qualquer jeito.

Miguel – Vamos chegar ai pela manhã, onde podemos te encontrar?

Reven – Ah... Está bem, a gente se encontra no parque aqui da cidade e eu procuro um lugar para vocês dois ficar.

Miguel – Beleza até amanhã. – Ele desliga e a mesma guarda o pergaminho e fica com uma expressão preocupada e parecia murmurar algo que não dava para entender.

Vou ate ela e boto minhas mãos em seus ombros e fico acariciando e fazendo uma leve massagem.

Reven – Tenho que pensar em o que fazer com você ou qual desculpa eu dou para eles sobre tudo! – Ela ficava apertando o meio de suas sobrancelhas tentando pensar.

Kane – É só eu me esconder ou ficar no internato ou sei lá, é só inventar uma desculpa.

Reven – Mas eles sabem quando estou mentindo ou escondendo algo! – Franzo o cenho e mordo meu lábio inferior e percebo a mesma me olhando com desejo. – Enquanto eles não chegam... Vamos continuar de onde paramos... – Reven fica muito vermelha.

Deito-a no chão que tinha almofadas macias como uma cama e sinto-a novamente pondo suas mãos de baixo de minha blusa e ficando estudando meu corpo, deste meu abdômen ate meu peitoral. Começo a beija-la de um jeito calmo, mas provocativo.

Desço minhas mãos ate suas coxas onde as ponho por baixo de suas coxas e faço-a se erguer um pouco, faço sem parar de beija-la.

Sinto-a enroscar suas pernas em volta de mim e me puxando fazendo nosso beijo ficar mais selvagem e meio desesperado, como se ela nunca tivesse sentido aquilo, e provavelmente ela nunca sentiu, apenas comigo.

Subo minhas mãos ate suas costas fazendo ela se levantar, fazendo-a se sentar no meu colo para eu poder retirar sua blusa com um pouco de presa e ela retira a minha.

Depois de um tempo retiramos toda a nossa roupa e aproveitamos muito bem aquele tempo ficamos nos divertindo e sentindo aquela coisa deliciosa.


Notas Finais


SECSU ANAU ASHUASHUASHUA
Espero que tenham gostado :3
Só isso por hj
UM BEIJO E UM QUEIJO DO MICK
E BJS DA REVENGER <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...