História A aposta $$$!!! - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Junghan "Jeonghan", Lee Jihun "Woozi", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN"
Exibições 28
Palavras 3.403
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos continuar.

Capítulo 24 - Nunca é tarde pra recomeçar ♥!!!


Fanfic / Fanfiction A aposta $$$!!! - Capítulo 24 - Nunca é tarde pra recomeçar ♥!!!

Continuando...

Jeonghan...

Naquela noite eu me despedi da Sana com um beijo em sua testa e fui pra casa com Laviny e vernon, pois o médico nos informou que não podíamos ficar lá e eu precisava ver meu filho, eu deixei Laviny em casa e Vernon ficou com ela, eu fui pra casa, chegando lá eu fui pro quarto, fiz minha higiene pessoal e fui buscar Yooshin no quarto da minha mãe, voltei pro meu quarto e deitei com meu filho do meu lado, eu não consegui dormir a noite toda, no outro dia eu deixei Yooshin na escola e fui pra empresa, eu conversei con meu pai e expliquei o que tinha acontecido e que precisava ficar com a Sana no hospital, meu pai como um bom homem que sempre era, me cedeu um tempo pra ficar com ela.

Antes de ir pro hospital, eu fui ao IML e resolvi toda a papelada pra dar um bom enterro pra Sun, eu sei que ela errou muito, mas me proporcionou momentos bons e me deu um filho lindo, não era justo que ela fosse enterrada como indigente, no enterro, enquanto seu caixão descia na cova, eu pedia pra Deus que tivesse piedade de sua alma e lhe lhe desse um bom lugar no paraíso. depois de tudo resolvido, eu fui pro hospital ver minha Sana.

Ao chegar no hospital eu fui direto pra UTI onde ela tava, eu não me cansava de olhar pra aquele lindo anjo, ela mesmo ali desacordada e machucada, continuava linda e sua feição sempre me transmitia paz e alegria. Uma semana depois eu fui chamado pelo médico que me informou que o estado da Sana vinha melhorando, o coágulo estava diminuindo, como ela tava parada e enfaixada pela costela, foi mas fácil de unir os ossos, eu senti minhas esperanças aumentarem.

Dois meses se passaram e eu precisei voltar a trabalhar, ou pelo menos tentar já que a preocupação com a Sana nao me deixava em paz.

Um dia eu tava na empresa e Laviny me ligou informando que a Sana foi liberada da UTI e foi pro leito, mas que ainda continuava sedada pra não sentir dor, ou seja, ela ainda dormia. Mesmo ela dormindo eu agora podia levar o Yooshin pra ve-la, ele chorava muito chamando pela mãe e pela Sana. Eu então fui pra casa, arrumei o Yooshin e segui pro hospital com ele, chegando lá eu encontrei Laviny toda sorridente, ela tava feliz pela melhora da prima.

Laviny: Olá Jeonghan, eu tô tão   feliz, a Sana tá melhorando, o médico falou que logo logo ela acorda e vai pra casa.

Jeonghan: É ótimo saber que ela tá bem, eu vou ve-lá tá.

Laviny: Tá bom. Quer que eu fique com o bebê?

Jeonghan: Não, obrigado, ele quer olhar ela também.

Laviny: Tá bom então. - eu sair de perto da Laviny e fui até o quarto que a Sana tava, chegando lá eu vi que ela já não tinha mas aquele monte de aparelhos, só um soro na mão, seu rosto já não tava mas inchado e sua imagem tava bem melhor, Yooshin olhou ela e quis sentar do seu lado.

Yooshin: Pai eu telo a tia. - ele levava as mãozinhas em direção a ela.

Jeonghan: Tá. Mas Fica quietinho pra não machucar ela tá.

Yooshin: Tá. - eu então o coloquei ao lado dela e ele deitou a cabeça encima da barriga dela.

Yooshin: Tia o Yooshin tá aqui, volta tia. - aquela cena do meu filho chorando debruçado na Sana, me fez chorar também. Enquanto admirava aquela cena, meu celular tocou, era uma mensagem do meu pai, eu precisei ler porque era sobre o trabalho, eu abaixei a cabeça pra ler a mensagem e mantinha uma mão segunrando Yooshin, eu tava concentrado olhando pro celular, quando ouvir Yooshin gritar.

Yooshin: Tiiiiaaaaa, você voltou pro shinshin. - eu levantei a cabeça e vi meu filho sendo abraçado por Sana que chorava envolvendo ele em seus braços. Eu fiquei tão feliz mas congelei, as lágrimas só rolavam em meu rosto.

Sana: Olá pequenino, quanta saudade.

Yooshin: Tia você dorme muito, vai ficar gorda. - ele falava olhando pra Sana que começou a sorrir daquelas palavras.

Sana: hahaha verdade nenem, a tia tá muito preguiçosa né. - ela fazia carinhos no cabelo do meu filho e o olhava com um lindo sorriso nos lábios.

Jeonghan: Sana. - eu a chamei em meio a um choro de felicidade.

Sana: Olá Jeonghan, você tá chorando porque? Eu tô aqui oh, vem cá me dar um abraço. - ela abriu os braços e eu a abracei, nós dois começamos a chorar enquanto envolviamos Yooshin em nosso Abraço.

Yooshin: Aaaaiiiii pai, tá petando.

Jeonghan: Opa desculpa meu filho. - falei me levantando de cima deles.

Yooshin: Arsh. - ele fazia carinha de bravo.

Sana: Ownt que fofinho, ei Jeonghan pega meu celular, preciso tirar umas selfs dessa carinha dele. - eu então peguei o celular dela e entreguei pra ela, Sana começou a tirar várias fotos com Yooshin, eu fiquei reparando que mesmo depois de tudo o que ela passou, ela continuava agindo como semore, alegre e sorridente, eu não conseguia entender o porquê daquelas atitudes dela e queria descobrir.

Jeonghan: Sana? - falei me sentando ao lado dela.

Sana: Sim. - ela respondeu enquanto brincava fazendo suas caretinhas pra Yooshin que retribuía fazendo caretas pra ela.

Jeonghan: Você se lembra de uso o que aconteceu?

Sana: Não, só algumas coisas.

Jeonghan: Então porque age como se nada tivesse acontecido?

Sana: Porque eu aprendi a simplesmente apagar todos os momentos ruins da minha vida, por isso tiro fotos sempre quando estou vivendo um momento bom, eu gosto de registrar sabe, eu revelo todas suas fotos e guardo no meu baú de tesouros, acho que não adianta se lamentar dos problemas, isso não resolve, eu caio, levanto, limpo a sujeira e sigo enfrente, eu mantenho o meu estoque de borrachas sempre cheio, pra que assim eu possa sempre apagar os problemas e momentos ruins, minha alegria e vontade de viver, são o meu maior remédio, eu passei por aquilo tudo,mas agora tô bem e quero aproveitar, quero levantar daqui e voltar a viver, Deus me deu mas uma chance e eu quero aproveitar. Quer aproveitar comigo?

Jeonghan: Quero sim meu lindo anjo. Com você, eu vou até o fim do mundo agora.

Yooshin: E eu pai? Não vou com vocês?

Sana: hahahaha vai sim pequenino. - ela falava abraçando o menino.

Passamos o dia conversando e brincando com Yooshin, Laviny e vernon logo chegaram no quarto e se juntaram a nós três, ver Sana bem me fazia bem também, ela era sempre iluminada e transmitia paz a todos a seu redor.

Alguns dias se passaram e Sana se viu livre dos gessos e recebeu alta. Eu fui buscar ela no hospital com Laviny, Vernon e Yooshin, o menino quando olhou ela, saiu correndo pros seus braços e eu me supreendi com o jeito que ele a chamou.

Yooshin: Mãe. - ele abraçou as pernas dela e eu me impressionei ainda mas com o jeito que ela o respondeu.

Sana: Olá filhao, vem cá meu lindo bebê. - ela carregou ele e o abraçou, Sana já tinha meu filho como se fosse dela sem nem ter nada comigo.

Jeonghan: Olá Sana, você tá bem? - falei me aproximando dela e lhe dando um beijo na testa.

Sana: Eu tô ótima. Bebê desce um pouco porque eu ainda não posso carregar peso e você tá muito gordinho. - ela falou botando o menino no chão. Ela deu um Abraço em Laviny e no Vernon, então nós saímos dali em direção à casa de Laviny, chegando lá, nós estarmos e Sana já foi tropeçando no tapete e quase cai, eu corri e a segurei.

Jeonghan: Opa, cara tô pensando em pagar alguem pra seguir você igual uma sombra e te segurar sempre que você tropeçar.

Sana: Isso aqui chama-se boa recepção meu querido, tudo nessa casa me ama, Olá querido tapete obrigado pelo Beijo. - ela falou com o tapete e nós começamos a sorrir, é, pra Sana não existe tristeza. Nós ficamos ali curtindo aquele momento maravilhoso, Sana mesmo não recuperada totalmente, nos fazia sorrir com suas palhaçadas, Yooshin se mantinha todo tempo grudado nela, Laviny pediu umas pizzas e quando chegou nós comemos e ficamos conversando, quando Yooshin dormiu no colo de Sana, eu resolvi que precisava levar ele pra casa, Laviny subiu pro quarto com Vernon e só ficou eu, Sana e Yooshin dormindo no colo dela.

Sana: Ele é tão lindo. - ela falava passando a mão no rosto do bebê.

Jeonghan: É sim. Meu filho já sofreu tanto.

Sana: Eu imagino, mas o importante é que ele não vai sofrer mas. Jeonghan você deixa eu suprir a falta que ele sentir da mãe dele? - ela falava e me olhava com uma carinha tao linda.

Jeonghan: Eu deixo sim. E eu?

Sana: Eu quero te fazer feliz também, você merece,não prometo ser a melhor pessoa do mundo, mas vou me esforçar pra ser uma boa companheira pra você tá. 

Jeonghan: Sério? Sabe Sana, eu acho que te amo.

Sana: Wow,você...você me ama? - ela me olhava com os olhos arregalados e assustada.

Jeonghan: Sim e quero namorar com você. Ce aceita?

Sana: É...eu não sei...tô assutada ainda, tá tudo acontecendo muito rápido, eu pensava que seríamos só amigos. Eu posso pensar um pouco?

Jeonghan: Pode sim, eu te esperarei o tempo que precisar, agora eu preciso levar o Yooshin pra casa.

Sana: Tudo bem então. - ela tirou umas fotos dela com Yooshin dormindo e minhas com ela, dei um beijo em sua testa e sair de sua casa, entrei no carro e fui pra casa, lá eu subi com Yooshin, o acordei pra tomar banho e comer, depois ele dormiu de novo e eu fui fazer minha higiene pessoal, voltei pra quarto e me deitei abraçado com meu menino, eu me sentia tão bem e com tanta paz, que não demorei a dormir.

Foram passando os dias e eu esperava ansioso pela resposta de Sana, ela não mudava seu jeito mas me deixava naquela ansiedade dolorosa.

Uma certa noite, eu já tava deitado com Yooshin quando ouvi umas vozes conversando na parte de baixo da casa, eu entao me levantei, arrudiei Yooshin com os travesseiros e desci pra ver do que se tratava, chegando na parte de baixo da casa, eu vi Laviny com Sana e vernon conversando e fiquei sem entender o porquê delas estarem na casa dos meus pais naquela hora da noite.

Jeonghan: Laviny? Sana? O que aconteceu? Porque vocês estão aqui a essa hora?

Laviny: Faltou energia lá em casa, a doida aqui tropeçou em mim enquanto eu fazia uma vitamina no liquidificador, eu quase cair e me segurei no liquidificador o puxando de vez, menino isso gerou um pipoco louco, aí a energia da casa se foi, tá tudo escuro lá, o ar condicionado gongou e eu não vou dormir no calor por causa da minha prima destrambelhada hahahaha... - ela falava e sorria e a Sana se mantinha de cabeça baixa, Vernon sorria e eu também.

Sana: Eu já te pedir desculpas Laviny.

Laviny: Tá bom bobinha, amanhã resolvemos isso tá, agora com licença que que eu vou dormir com meu bebê, vamos amor eu tô caindo de sono. - Ela subiu com Vernon e nem ligou em saber onde a prima iria dormir, eu me mantinha em pé na sua frente de braços cruzados e usando apenas uma calça de moletom preta.

Sana: Olha a doida foi embora, e agora? onde eu vou dormir? - ela fazia um biquinho fofu.

Jeonghan: Você pode dormir no meu quarto se quiser, eu prometo que não vou fazer nada que você não queira.

Sana: Se é o único jeito né.

Jeonghan: Então vamos. - eu peguei ela pela mão e subi a escada indo pro meu quarto, chegando lá, eu peguei o Yooshin e deixei com a minha mãe e voltei pro quarto, Sana se mantinha sentada na cama e me olhava.

Jeonghan: O que foi? Porque não deita?

Sana: Eu não posso dormir com essa roupa né, e eu esqueci de trazer meu pijama.

Jeonghan: Ata, eu te empresto uma camisa, perae. - eu peguei uma camisa e entreguei pra ela, Sana foi pro banheiro se trocar e eu arrumei um cachonete no chão pra mim dormir e me deitei, ela voltou e sentou na cama.

Sana: Você vai dormir no chão? - ela falava me olhando.

Jeonghan: Anrham. - eu me aconchegava pra dormir.

Sana: Mas porque?

Jeonghan: PorQue mesmo, fica tranquila, aqui tá bom, boa noite. - eu fechei os olhos e fiquei quieto.

Sana: Jeonghan? - ela me chamou com voz manhosa.

Jeonghan: Sim. - eu respondi sem abrir os olhos e me mexer.

Sana: Posso te pedir uma coisa?

Jeonghan: Pode, se tiver ao meu Alcance eu farei.

Sana: Você pode tirar umas selfs comigo pra registrar esse momento?

Jeonghan: Posso sim. - eu achei estranho aquele pedido dela, mas fui tirar as selfs com ela. Eu levantei e fui pra cama, nós sentamos encostados no espelho da cama, ela se encostou em mim e quando foi tirar a primeira foto, ela se assustou com os gemidos de Laviny e vernon vindo do quarto ao lado, ela ficou vermelha e me olhou com os olhos arregalados e boquiaberta.

Sana: Meu Deus o que é isso? - ela perguntava olhando pra mim, eu achei engraçado.

Jeonghan: Eles estão brincando.

Sana: Brincando? Só se for de luta né, porque com esse barulho todo e esses gemidos, o mínimo que ele tá fazendo é batendo nela. - eu não aguentei e sorrir alto.

Jeonghan: Hahahaha, cara ce é uma graça. - eu sorria com a mão na barriga.

Sana: Não ri, eles vão ouvir.

Jeonghan: Com esse barulho todo e concentrados do jeito que estão, te garanto que não vão parar por causa das minhas gargalhadas, vamos tirar nossas fotos e depois vamos dormir.

Sana: Tá bom então. - ela tirava as fotos e ficava mas vermelha ao ouvir os gemidos e xingamentos dos outros dois no quarto ao lado, um tempo depois eles pararam e nós dois ficamos olhando as fotos que tiramos, ela se mantinha com a cabeça escostada em meu peito e eu fazia carinho em sua cabeça.

Jeonghan: Sana?

Sana: Oi...

Jeonghan: Você me falou lá no hospital, que sempre tira fotos dos momentos que são especiais pra você.

Sana: Sim e guardo todos como tesouros.

Jeonghan: Você tirou fotos nossas agora. Esse momento aqui, tá sendo especial pra você?

Sana: Sim, eu gosto de estar com você, cada momento nosso é especial pra mim.

Jeonghan: Então eu posso registrar algo especial pra mim?

Sana: Você deve sempre registrar seus movimentos bons Jeonghan.

Jeonghan: Então tá. - eu peguei o meu celular, liguei a câmera, posicionei virada pros nossos rostos, segurei o queixo da Sana fazendo com que ela olhace pra mim e selei nossos lábios, eu a beijei e bati uma foto, ela ficou um pouco assustada mas depois se entregou ao Beijo, ela colocou suas mãos levemente na minha nuca e aprofundou nosso Beijo, eu soltei o celular devagar no chão mas sem separar meus lábios dos dela, devagar eu fui a deitando na cama e fiquei por cima dela, ela então separou nossos lábios pra respirar.

Sana: Wow, calma aí, eu tenho que falar uma coisa pra você. - ela falou meio que sem jeito.

Jeonghan: Diga. - eu já imaginava o que ela iria falar.

Sana: É...É que...É que eu sou virgem. - ela colocou as mãos no rosto com vergonha e eu achei fofinho.

Jeonghan: hahahaha ownt, tudo bem,não fique com vergonha. Sana?

Sana: Oi...

Jeonghan: Você quer se entregar pra mim? Se não quiser, não tem problema, eu vou entender tá. - eu falei tirando as mãos dela do rosto.

Sana: Eu quero.

Jeonghan: Então tá, fica calma tá, eu não vou te machucar e se quiser parar é só dizer que eu paro tá bom.

Sana: Tá bom. - quando ela me deu o sinal verde, eu selei nossos lábios de novo e comecei a rebolar devagar no meio de suas pernas esfregando nossas intimidades, ela mantinha suas mãos em minha nuca e fazia leves carinhos, eu comecei a tirar a roupa dela e quando terminei, eu tirei as minhas e voltei à mesma posição, eu sentia ela tremer um pouco, então parei e comecei a fazer carinho em seu rosto e olhava fixamente em seus olhos.

Jeonghan: Você tá com medo né?

Sana: Anrham.

Jeonghan: Se quiser parar, tudo bem, nós tentamos outro dia.

Sana: Não. Tudo bem, eu só tô um pouco nervosa. Me ajuda a relaxar.

Jeonghan: Tá certo, fica calma, confia em mim, eu nao vou te machucar tá, vou fazer bem devagar e se você começar a sentir muita dor,me avisa pra mim parar tá bom.

Sana: Tá bom. - eu então continuei, eu posicionei meu pênis em sua intimidade e enquanto a beijava, eu fui a penetrando devagar, ela separou nossos lábios, me apertou em seus braços e gemia baixinho e suave em meu ouvido, depois que eu já me sentia todo dentro dela, eu fiquei parado até ela se acostumar com o tamanho do meu membro dentro dela.

Jeonghan: Tá doendo muito? Quer parar?

Sana: Tá doendo um pouco,mas tudo bem. - ela falava me apertando e cravando suas unhas levemente em minhas costas.

Jeonghan: Entao ta. - eu comecei com meus movimentos de entra e sai bem devagar, ela gemia e me deixava ainda mas apaixonado, Sana não se alterava, não falava palavras de baixo galão, ela gemia levemente e seus gemidos eram como uma canção ao mesmo tempo, seus braços me envolvendo eram como asas de um anjo e eu me sentia protegido, Sana não era virgem só de sexo, mas sim de alma e coração, ela ainda era muito inocente, entao eu decidi não fazer com ela o que era acostumado a fazer com a Sun, ela não merecia ser tratada como uma puta, assim como a Sun gostava de ser tratada desde a primeira vez que transamos. Os toques de Sana em meu corpo, não me deixavam igual um leão no cio que só queria sexo, seus toques me faziam sentir amado e valorizado como nunca fui antes, eu me sentia como se se estivesse flutuando carregado por um lindo anjo, enquanto eu a penetrava, ela me fazia carinhos e eu acariciava seu corpo levemente, eu acelerei só um pouco minhas penetrações e depois de um tempo por incrível que pareça, apesar de ser acostumado a transar sempre com brutalidade, eu gozei com aqueles movimentos leves e como nunca tinha acontecido antes, eu sair se cima dela,me deitei ao seu lado e virei de frente pra ela, e a mesma ficou de frente pra mim, nós nos olhavamos com olhares apaixonados.

Jeonghan: Foi bom pra você?

Sana: Foi sim, foi como eu sempre sonhei, obrigado pela paciência.

Jeonghan: De nada, eu que agradeço por confiar em mim. - eu dei um beijo nela e nós fomos tomar banho, depois voltamos pro quarto, vestimos uma roupa  e nos deitamos, Sana deitou de barriga pra cima e me puxou deitando minha cabeça em seu peito.

Sana: Jeonghan?

Jeonghan: Sim...

Sana: Me deixa te fazer feliz. - Ela falava fazendo carinho nos meus cabelos.

Jeonghan: Você já me faz feliz desde quando te conheci.

Sana: Eu quero te fazer mas feliz Jeonghan, do jeito que você merece, não preciso que diga e nem faça nada pra provar que me ama, deixa eu fazer tudo por você e pelo Yooshin, deixa eu cuidar e amar vocês e provar o meu amor todos os dias.

Jeonghan: Você quer mesmo fazer isso? - eu levantei a cabeça e olhei pra ela.

Sana: É o que eu mas quero desde que te conheci e percebi o quanto você é bom e generoso e soube por tudo que já passou, você merece ter tudo em troca Jeonghan e eu quero que me deixe fazer isso por você.

Jeonghan: Tudo bem, mas so se você me der uma coisa.

Sana: O que?

Jeonghan: A honra de ter você como esposa e construir uma vida ao teu lado com meu filho.

Sana: Eu aceito. E o Yooshin agora é nosso, eu quero ser pra ele a mãe que ele nunca teve e fazer tudo o que ela não fez, eu amo o Yooshin e você também.

Jeonghan: Você me ama?

Sana: Sim Jeonghan, eu te amo. - aquelas palavras da Sana, me fizeram tão bem, eu me sentia um homem valorizado e amado.

Jeonghan: Eu também te amo Sana.

Sana: Agora vamos dormir tá.

Jeonghan: Tá bom, boa noite meu amor. - falei dando um beijo nela e deitei minha cabeça em seu peito de novo.

Sana: Boa noite, durma be, eu te amo. - ela deu um beijo na minha cabeça e ficou fazendo carinho até nós dois dormirmos.

"Obrigado meu Deus por me dar de presente esse lindo anjo chamado Sana", agora minha vida está completa.


Notas Finais


Own que lindo gente, agora sim eu tô feliz vendo o anjinho bem.
Até o próximo episódio.
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...