História "A Aposta" - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Aposta, Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Personagens Originais, Ramiro, Rey, Simón, Yam
Tags Aaposta, Michaelronda, Michaentina, Mike, Soyluna, Valentinazenere, Valu
Visualizações 48
Palavras 642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie, Trouxe Essa Adaptação Desse Livro Que EU AMEI!

Espero Que Também Gostem!

...

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

...

Capítulo 1 - "- Prólogo"


Fanfic / Fanfiction "A Aposta" - Capítulo 1 - "- Prólogo"

1997, Portland, Oregan.

—Valentina, espera! — Mike corria atrás dela, com lágrimas escorrendo pelo rosto de tanto rir. Valentina era sua melhor amiga, mas só no coração dele. Na vida real, ela o odiava, e ele não sabia por quê. Aos 8 anos, fazia o possível para mostrar que gostava dela, mas Valu sempre terminava magoada. As meninas eram bobas. Seu irmão mais novo, Sebastian, finalmente os alcançou.

 — Por que você fez isso, Mike? — E o empurrou para o lado. A língua de Micha de repente pareceu grossa na boca. Queria explicar os motivos para fazer Valu tropeçar, queria mesmo, mas as palavras não saíam. Ele odiava gaguejar. Era tão difícil falar assim, e isso só acontecia quando ele estava se esforçando demais ou na frente de Kacey.— Argh! — Sebastian chutou a terra. — Agora ela nem vai me beijar!

— Beijar você? — exclamou Michael, horrorizado só em ouvir o irmão falar a palavra beijar, quanto mais pensar em fazer uma coisa dessas com Valentina. Além do mais, por que o irmão de 6 anos de idade beijaria antes dele? — Ela nem gosta de você desse jeito. — E cruzou os braços. Mike pelo menos sabia disso  meninas não gostam de meninos. Elas gostam de homens, e ele estava perto de se tornar um homem. Na verdade, tinha acabado de encontrar um pelo no queixo. Provavelmente começaria a se barbear até o fim da semana. Inflou o peito e olhou de cara feia para o irmão.

— Ah, é? Bem, ela te odeia. — Sebastian mostrou a língua. — Ela me disse isso, e... — Colocou as mãos nos bolsos e respirou fundo. — Eu vou casar com ela. 

— Vai nada! 

— Vou, sim! 

— Vai nada! — Mike empurrou o irmão, que caiu no chão. — Eu sou maior. Ela vai casar comigo.

Sebastian mostrou a língua e limpou a sujeira da calça. — Quer apostar?

— Quero! — zombou Michael. — Aposto. Um milhão de dólares!

— Ótimo! — Sebastian cuspiu na mão e a estendeu. — Aperta aqui. Juramento de sangue. 

— Mas não tem sangue — observou Mike.

— Dã! A mamãe mataria a gente se tivesse sangue. Vale do mesmo jeito. A Valu que disse.

 — Ótimo. — Mike cuspiu na mão e bateu na mão do irmão.

Sebastian fez uma careta. — Que nojo.

— Vê se cresce. — Mike revirou os olhos e procurou Valu no quintal. Não queria ter feito com que ela tropeçasse. Bem, na verdade, queria, mas tinha um bom motivo para isso.

Ele sabia que Valu adorava histórias de princesas. Ela falava de como as meninas devem ser tratadas como princesas e os meninos devem ser príncipes.

Mas como ele poderia ser um príncipe se não havia dragões para matar? Como poderia provar seu valor se não havia monstros?

O bom é que ele era o garoto mais esperto da turma. Sabia exatamente o que fazer. Tudo que precisava era causar o problema e depois salvá-la.

Primeiro, ateou fogo na boneca dela, mas isso não funcionou conforme o planejado. Na verdade, a boneca agora estava na lata de lixo. Como ele poderia adivinhar que o extintor de incêndio não estava funcionando?

Depois, colocou uma cobra no saco de dormir de Valu. Quando ela acordou gritando, ele correu para agarrar a cobra, mas não conseguiu encontrar o bicho. Sebastian o entregou, e Valu ficou com tanta raiva que chorou.

Na última tentativa de impressioná-la, amarrou os cadarços dela para ela cair, depois se ajoelhou para ajudá-la.

Mas ela estava tão irritada que deu um tapa nas mãos dele para afastá-las, arrancou os sapatos e saiu correndo chorando. Meninas.

Ele nunca as entenderia.

Afinal, ele estava tentando ajudá-la o tempo todo. E o tempo todo ela o afastava mais.

Isso só significava uma coisa. Para ganhar a aposta, ele teria que se esforçar mais. E sabia exatamente o que fazer.

— Ei, Sebastian? Sabe onde tem pedras?


{...}


Notas Finais


Bem, Esse Foi O Prologo Bem Pequenino Mais Foi, Rsrs...
Bjos... Até O Próximo Cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...