História A aposta - Clexa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Clarke Griffin, Lexa
Tags Alycia, Clarke, Clexa, Eliza, Griffin, Lexa, Taylor, The100, Woods
Visualizações 406
Palavras 742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Quem é Clarke Griffin?


Fanfic / Fanfiction A aposta - Clexa - Capítulo 2 - Quem é Clarke Griffin?

Clarke é a garota nova do Colégio Polis. Foi transferida no mês de agosto, para concluir o último ano do ensino médio. Mas essa não foi uma transferência corriqueira e tranquila. Isso porque Clarke foi expulsa do colégio onde estudava após um surto de agressividade mal controlada.

Com notas que variavam do nove e meio ao dez, Clarke ficou possessa ao receber a prova de História que gritava, em vermelho vivo, um sonoro cinco. Cinco? Como esse professor teve a coragem?

Mas a garota sabia o porquê da nota tão baixa. Estava óbvio que tinha tudo a ver com a festa de duas semanas atrás. Clarke, dotada de um cinismo peculiar, deu o fora mais fenomenal de todos os tempos no filho do tal professor, tanto que o garoto chorou a noite toda, como um bebezinho.

É provável que a atitude dela, sem qualquer tato ou delicadeza, tenha gerado um trauma profundo no rapaz, a ponto do mesmo precisar de terapia por toda uma vida. Nunca saberemos.

Quando Clarke confrontou o professor de História, o mesmo foi irredutível com relação à nota. A garota poderia ter se conformado, virado as costas e continuado com sua vida, afinal, essa avaliação em nada alteraria sua performance no quadro geral. Mas não, ela não é do tipo que leva desaforos para casa.

Munida de uma chave tetra, dessas com os quatro cantos serrilhados, Clarke nem piscou ao riscar toda a lateral do Peugeot preto reluzente, estacionado na vaga reservada aos professores. A paixão por esse carro era tanta, que o catedrático vivia com uma flanela em mãos, sempre pronto para cuspir e deixar a lataria mais brilhante ainda. Um nojo.

Após detonar com a pintura do automóvel, a adolescente não teve tempo para

comemorar o feito. No susto, o molho de chaves caiu no chão quando seus olhos se encontraram com os do diretor do colégio.

Ela havia sido pega em flagrante. A expulsão foi consumada no mês de junho,

uma semana antes das férias escolares. Os pais de Clarke não ficaram nada satisfeitos com a notícia e ela acabou sem mesada, sem férias e sem sair de casa por um mês.

Após camelar em busca de um novo colégio para a filha, Abby, a mãe da garota, decidiu-se pelo Colégio Polis. Bem, decidiu-se não é o termo, afinal, foi a única escola que aceitou matricular Clarke após Abby contar sobre os motivos da expulsão.

Quando as aulas iniciaram no mês de agosto, a jovem pensou que enlouqueceria nas primeiras semanas. Como toda garota nova, ela era a atração do colégio e isso gerou ciúmes e inveja por parte das três mais populares do pedaço. Estamos falando de Costia, Suzana e Ana Paula, hoje mais conhecidas como Kibis. Mas o assunto “Kibis” fica para depois.

Vamos tentar entender o porquê dessas três meninas desejarem tanto o sangue de Clarke, logo nos primeiros dias de aula: No alto dos seus um metro e sessenta e dois, Clarke Griffin é o tipo de garota que não passa despercebida. Com um rosto de uma beleza precisa, seus grandes olhos azuis como o céu captam todos os detalhes de um ambiente em segundos. Os cílios longos e curvilíneos não precisam de máscara ou qualquer artifício para chamar atenção. As sobrancelhas bem desenhadas por pinça, sofrem retoques a cada quinze dias. A boca não muito volumosa mas bem desenhada com uma pinta sexy. As bochechas, sempre rosadas pelo efeito do sol, são resultado das corridas matinais e dos jogos de tênis ao ar livre, durante as tardes enfadonhas. O cabelo de Clarke sempre foi curto, no máximo chegando à altura do queixo. Mas depois que seu último e terrível namorado disse que achava sexy o tal corte, ela deixou as madeixas crescerem, só para contrariar. São de um loiro médio levemente cacheado e bem estruturado, que ultrapassam a linha do sutiã.

Falemos agora das curvas, adquiridas com muito suor e sorvete. Sim, a moça é capaz de matar um pote de Kibom numa sentada. Mas como é raro ter paciência para ficar quieta, o corpo de Clarke não retém as calorias extras dos momentos de gulodice. Enfim, essa é Clarke Griffin, a pessoa com uma tremenda direita que fez o cérebro de Lexa quase sair pelo ouvido.

E foi essa garota que ao saber da Grande Aposta, fincou as unhas em sua própria carne e gritou no banheiro feminino do colégio: “Quem esse tal de Lexa Woods pensa que é?”

 

 


Notas Finais


Eis que surge Costia e ai???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...