História A ascensão do grifo e suas penas roxas - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathanaël, Personagens Originais
Tags Futebol!, Juleka, Ladybug, Ladybugoc, Miraculous
Visualizações 12
Palavras 5.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Escolar, Esporte, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei um dia para postar, mas a vida é desse jeito.
Esse capítulo era para ser um pouco maior, mas ai, eu ia precisar de mais tempo para completar este capítulo.
Essa semana foi meio corrida sabe.... auto-escola, estudos, universidade e etc.
Não deu para colocar a cabeça no lugar e preparar os dialogos, alias, a história eu já tenho ela toda montadinha, o complicado são os dialogos hehe.
Fiquem com mais este episódio.

Capítulo 5 - Os pontos vitais de um Griffon: As presas e o coração


Em plena tarde, Ezequiel e Juleka tinham destinos distintos, mas novamente eles se cruzaram novamente, mas com a diferença de que Ezequiel estava como Griffon King, e Juleka nunca pensava que o super-herói que a salvou de um maníaco era o seu vizinho. De uma forma ou de outra, ela estava sendo acompanhada por ele até chegar seu destino: A casa de Rose. No decorrer do caminho, os dois não trocaram palavras, apenas trocaram olhares. Perto de uma Juleka sem jeito e tímida, Ezequiel estava confiante como Griffon King, ele estava também sério, mas cada vez mais ciente de seus sentimentos.

''Chegamos...'' - Juleka

''É aqui?'' - Griffon King perguntava

''Uhum...'' - Juleka respondia meio timidamente.

''Bom, está entregue'' - Griffon King dizia aquilo com um bom humor e ficava fitando a garota com um sorriso.

''Muito obrigada.... '' - Juleka agradecia - ''....muito obrigada por ter me salvado.... se não fosse você, eu não sei o que teria acontecido comigo'' - ela dizia dando algumas pausas para falar - ''...e desculpa o incomodo''

''Incomodo?'' - Griffon King

''Você não ia se encontrar com a Ladybug e o Cat Noir?'' - Juleka perguntava

''Sim... mas, não há problema nenhum com isso, eu posso resolver com eles depois'' - Griffon King respondia - ''....bom, agora que você está aqui, eu devo me despedir. Ainda tenho que andar um pouco mais, he he''

Juleka achou estranho a última fala de Griffon King e logo questionou.

''Andar? Err... me desculpe a pergunta, mas... você não liga que as pessoas te abordem na rua? É que sabe... você é um super-herói assim como a Ladybug e o Cat Noir. Então, deve ter muita gente que gosta de você, e pode tomar seu tempo.'' - Juleka fazia a pergunta, mas logo depois, ela complementava - ''....ay me desculpa pela pergunta''

''Que nada Juleka....'' - Griffon King respondia, mas quando Juleka ouve seu nome sendo citado por ele, logo pergunta.

''Uê? Como você sabe meu nome? Eu nem me apresentei a você'' - Juleka

''Bom... err... ahhh...'' - Griffon King praticamente ficou numa 'saia justa' e não sabia o que dizer.

Ao ver o super-herói sem resposta e totalmente nervoso, Juleka ficou o observando, mas logo ele respondeu.

''Ahhh, um passarinho me contou.... err, eu sei o nome de todos os moradores daqui de Paris'' - Griffon King mentindo.

Juleka logo riu do comentário de Griffon King, mas logo ela complementou.

''Bom... se for assim... então agora sei porque Paris está tão bem protegida'' - Juleka dizia aquilo e terminava com um risinho.

Griffon King ficou meio sem graça e coçou a cabeça. Obvio que Juleka não acreditou no que ele disse, mas ela nem ligou.

''Hihihi... acho que de qualquer forma eu devo me apresentar mesmo assim né?'' - Juleka

''Com certeza.... he he'' - Griffon King - ''...é até bom, já que eu geralmente me esqueço de me apresentar, he he... eu me chamo Griffon King''

''Prazer em conhece-lo. Meu nome é Juleka. Juleka Couffaine'' - Juleka se apresentava

''Seu nome é muito bonito, diferente e bonito'' - Griffon King comentava e ao mesmo tempo elogiava.

Juleka ao ouvir aquilo, soltou um sorriso meio tímido, mas ela não esperava que ele completasse com algo mais.

''Mais bonito que isso, só você....'' - Griffon King

''Ahn? Err... vo-você me acha bonita?'' - Juleka dizia surpresa

''Te falo com toda certeza deste mundo'' - Griffon King comentava sem pensar duas vezes, coisa que ele não teria coragem de falar para Juleka se estivesse em sua forma normal

Juleka ficou em choque por um momento, já que ela nunca ninguém demonstrou interesse pela garota. Apesar de ter o conhecido em poucos minutos, ela estranhou bastante, o herói a achar bonita. Ele por sinal parecia mais confiante em suas palavras como nunca esteve na vida, a ressonância com Griffo pós transformação poderia ser uma influência a isso.

''Com certeza, tem mais gente que te acha bonita... é bom ficar de olho...'' - Griffon King completava a fala com um sorriso no rosto.

Juleka apenas ouviu o que o herói tinha a dizer, e ela nem fazia ideia de que ele estava falando dele mesmo.

''Bom... infelizmente eu tenho que ir. Se cuide bem'' - Griffon King

''Err... vo-você também. Se cuide bem, e obrigada'' - Juleka

Griffon King enfim se despede de Juleka, a deixa ela na porta da casa de Rose. Após cumprimentos finais, ambos seguiram seu destino. Juleka logo bate na porta da casa de Rose, e ela é recebida pela mãe da garota.

...

/ Casa de Rose /

Após ser recebida, Juleka vai até o quarto de Rose para vê-la, era notável que o quarto de Rose era temático a coisas fofas, flores e o rosa sendo cor predominante, pudera, romântica do jeito que era. A garota estava de cama ainda, mas com o bom astral de sempre.

''Eu fico muito feliz que você veio me ver Jule!'' - Rose

''Hm... é apenas o máximo que eu poderia fazer.... afinal, somos amigas'' - Juleka dizia aquilo dando pausas para falar

''Mais do que amigas. Super amigas! ^^'' - Rose

Juleka deu um tímido sorriso, mas logo Rose comentou.

''Enfim... quais são as novidades Juleka?'' - Rose

''Novidades? Err, tá falando das aulas né?'' - Juleka

''Uhum'' - Rose

''Bom... pra ser sincera só chegou um aluno novo'' - Juleka

''Sério?! Aluno novo? Como ele é? Ele é legal? É bonito?'' - Rose perguntava curiosa e agitada

Juleka logo pensou em Ezequiel, e ela realmente achava ele um garoto legal e bonito, mas como ela era muito tímida, ela meio que tinha vergonha de dizer isso, até mesmo para Rose, mas ela acabaria soltando.

''Bom... ele é bem boni...'' - Juleka

Quando Juleka completaria a fala, Rose logo disse.

''Nyah!! Juleka! Ele é bonito?! Você acha esse novo aluno bonito? Que lindo! Até eu quero conhece-lo! Tu tá gostando dele né?'' - Rose

''Na-não... não é bem isso que eu quis dizer... ay Rose....'' - Juleka totalmente sem graça

''E qual o nome dele?'' - Rose

''Ele se chama Ezequiel... '' - Juleka

''E como ele é? Ele é alto? baixo? Ele é legal! Gosta de pôneis?'' - Rose fazia diversas perguntas.

''Err, bom... posso dizer que ele é alto'' - Juleka

''Alto igual o Kim e o Ivan?'' - Rose

''Err, eu não reparei muito bem não, mas é por aí...'' - Juleka

''Ahh sim!'' - Rose - ''...bom, amanhã eu já vou voltar, já me sinto bem melhor!''

''Isso é bom.... err, Rose você vai querer que eu te empreste meu caderno?... se quiser'' - Juleka

''Ahh, mas e você Jule? Não vou te prejudicar se eu ficar com teu caderno?'' - Rose

''Eu já estou resolvida com isso... não se preocupe. Você pode me devolver amanhã na aula'' - Juleka

''Muito obrigada! ^^'' - Rose toda sorridente

Juleka apenas sorriu timidamente.

''Err, Rose, eu vou ao banheiro'' - Juleka

''Sinta-se em casa ^^'' - Rose

...

Após ir ao banheiro, Juleka lavou o seu rosto e logo pensou por alguns minutos, e se lembrou de Griffon King.

POV Juleka

''Foi tudo tão de repente, aquele homem horrível tentando me molestar, quanto a aquele que veio me salvar.... Griffon King, esse é o nome.... o nome do meu herói. Além de ele ter me salvado, ele foi tão doce e terno comigo, ele parecia se preocupar muito comigo, mas o que eu não esperava era.... ele me achar bonita. Por um momento eu não acreditei, mas, ele realmente me achava bonita.... nunca alguém tinha me chamado de bonita. Ninguém....''

...

POV Griffon King

''Até poucos minutos minha visão de como ser um super-herói era bem diferente da que eu tenho agora. Ver Juleka sendo agarrada por aquele verme me deixou louco, meu coração disparou e minha vontade era de matar aquele homem de tanta porrada. Essa experiência já foi um baque para mim, e pelo visto aqui em Paris não é muito diferente de Buenos Aires. Minha família vai correr muitos perigos. Mas.... sobre a Juleka, caramba, eu não consigo parar de pensar nela... será que o Walter realmente tem razão? Ahhh... ela é uma garota tão terna, doce e... errr, linda. Mas... mas, eu só a conheço a poucos dias.... eu não posso começar a gostar dela assim dessa forma.... mas ela não sai da minha cabeça... seria.... Ahhh! Eu estou ficando maluco com isso.... ''

...

Alguns minutos depois, Griffon King chegava até a Torre Effiel, ele estava frente-a-frente com o ''cartão postal'' de Paris. Ele então chamava a atenção de muitas das pessoas que estavam pelas proximidades. Cat Noir e Ladybug estavam por lá, e o gatinho viu o griffo lá em baixo.

''Perai? Esse maluco veio a pé mesmo? Vai acabar chamando uma galera pra cá....'' - Cat Noir

''Esse é o preço de sermos super-heróis, gatinho'' - Ladybug

Os dois heróis descem a Torre, mas eles ainda ficavam por baixo da instalação, Griffon King enfim os viu e correu para perto deles.

''Me desculpem pela demora, mas eu tive que resolver um pequeno problema no meio do caminho'' - Griffon King

''Cara, você não podia ter vindo de forma mais sútil?'' - Cat Noir

''Desculpe. Realmente não dava...'' - Griffon King

''Segue a gente novato'' - Ladybug

Os três subiram a Torre Effiel, mas não ela por inteira. Os dois veteranos se sentaram com o novo herói para tal conversa, o novato Griffon King.

''Bom, aqui nós não iremos ser incomodados'' - Ladybug

''Foi mal aeh gente, é que sabe... eu não teria outra forma de chegar aqui, se não fosse andando'' - Griffon King

''Relaxa cara, essas coisas acontecem.... meu primeiro dia foi mais ou menos assim, né Milady?'' - Cat Noir respondia a Griffon King sem dar uma leve investida em Ladybug

''Tá-tá... ok, err, Griffon King, não me entenda como grossa nem nada, mas o seu kwami não falou alguma coisa? '' - Ladybug

''Hum? Como assim?'' - Griffon King

''Ele não te falou nada, como seus poderes ou do seu Miraculous?'' - Ladybug

''Bom, na verdade, ele viu a treta rolar no centro de Paris e tava doido pra ir pra porrada, ai eu fui...'' - Griffon King - ''....bom, ele falou dos meus poderes, e mais nada.''

''Nossa...'' - Ladybug

''Ai eu fui porque eu aceitei essa treta'' - Griffon King - ''....quando conheci o Gri..''

Antes de citar o kwami Griffo, Cat Noir e Ladybug atentamente prestavam atenção em Griffon King, mas logo ele continuou.

''Quero dizer... o meu kwami, eu achei isso aqui'' - Ezequiel apontando para Griffo para o seu Miraculous - ...''coloquei no braço e de repente tudo aconteceu, ai a gente se conheceu ele me contou que com ele poderíamos ter poderes e enfiar a porrada nos bandidos, e hoje eu sou o Griffon King''

''Wow....'' - Cat Noir - ''....bem direto né Milady?''

''Bom... err.... chega até ser estranho'' - Ladybug

''Que foi? Vocês esperavam que eu contasse alguma história doida? Tipo, um bicho me mordeu? Hehehe'' - Griffon King

Cat Noir riu do comentário de Griffon King.

''E então? Não tem problema de lutar com vocês não?'' - Griffon King

A própria Ladybug riu timidamente do comentário de Griffon King e logo comentou: ''Claro que não...''

''Alias meu camarada, é sempre bom ter gente como a gente'' - Cat Noir

Griffon King logo faz um gesto de positivo com o polegar.

''Mas uma coisa que eu achei estranha, quem era aquele maluco com as bombas lá no centro?'' - Griffon King

''Ahh, ele é apenas alguém controlado'' - Ladybug

''Controlado? Então tem alguém mais né?'' - Griffon King

''Nós estamos lutando contra o Hawk Moth, ele é que está por trás de todas as pessoas que estão sendo controladas'' - Ladybug

''Que desgraçado...'' - Griffon King

''E temos que impedi-lo'' - Ladybug

''Mas nós não sabemos onde está....'' - Cat Noir

''E até lá, muitas pessoas vão acabar sendo controladas por ele.... inclusive muitas crianças'' - Ladybug falava aquilo e relembrava um pouco de alguns alunos que foram controlados por Hawk Moth

O próprio Griffon King ele parou para imaginar em toda aquela situação, e ele se imaginou com a possibilidade de ele ser controlado pelo tal Hawk Moth, ou até mesmo, seus irmãos ou até....

''Juleka...'' - Griffon King acabou citando o nome da garota e falou em um tom que poderia ser audível para Ladybug e Cat Noir

''Ahn? Falou alguma coisa?'' - Ladybug

''Não nada... esquece...'' - Griffon King

''Ele por algum motivo quer os nossos Miraculous...'' - Ladybug

''Hum... entendo'' - Griffon King

''Eu sei, isso vai ser uma batalha difícil, mas não temos outra escolha.'' - Ladybug

Griffon King refletiu em relação a situação, mas logo ele tomou a sua decisão. Só o nome Hawk Moth e de saber de seus métodos doentios para conseguir suas ambições, afloraram o sentimento de justiça e também de desejo de acabar com a raça daquele 'grande mal'.

''Não se preocupem Ladybug.... Cat Noir, eu estou com vocês nessa. Farei de tudo o possível'' - Griffon King

''Esse é o espírito'' - Cat Noir

''Podem contar comigo. Alias, mesmo por mais difícil que seja, será divertido quebrar esse Hawk Moth na base da porrada!'' - Griffon King acabou se animando ao falar aquilo

''Opa opa.... parece que temos alguém animado, hihihi'' - Ladybug

...

Agora Paris ganhava um terceiro protetor, mesmo sem eles saberem de fato. Griffon King agora estava aliado a Ladybug e Cat Noir, restava ao tempo dizer se eles iriam conseguir trabalhar bem em equipe, acreditamos que sim.... Ezequiel como Griffon King era bem forte e valorizava muito o combate corpo-a-corpo, e sua ressonância com Griffo fazia ele ficar com maior vontade de combates e até mesmo estender os seus sentimentos, inclusive em relação a Juleka. Ele aos poucos estava gostando cada vez mais da garota, pelo seu jeito simples.

...

POV Griffon King

''Minha missão agora é maior do que eu imaginava. Nunca pensei que de um dia para o outro eu largaria minha vida antiga para combater esse tal de Hawk Moth; Esse maluco para ter o poder de controlar as pessoas, deve ser bastante perigoso. Eu nunca terei medo dele, e cortarei o mal do rosto dele com os dentes se for possível, mas eu estou preocupado.... será que... um dia eu terei que enfrentar até meus amigos? Papai, mamãe, Sarah, Walter.... Juleka. Não! Eu não posso recuar! Sem batalha, nós não iremos alcançar os nossos sonhos. Com minha força eu irei derrotar todo o mal! Eu ganhei a força dos dragões mitológicos, eu agora sou o mais forte de todos os dragões! Eu sou o rei de todos os dragões! EU SOU GRIFFON KING!

/ 17h30m /

Após uma longa caminhada, perto da esquina onde ficava a rua onde Ezequiel mora, ele tirou o seu Miraculous e logo ''destransformou'', assim liberando Griffo de seu corpo.

''Aarghh... caramba Ezequiel! Eu não sabia que tu gostava tanto assim de briga campeão'' - Griffo

''Hum... realmente eu estava com uma visão muito superficial de como é um super-herói, meu amigo.'' - Ezequiel

''Há! Quem diria! Se tu não tivesse ido ver a Ladybug e o Cat Noir, poderia ter acontecido algo com o amor de sua vida'' - Griffo

''Menos....'' - Ezequiel

''Ahh, para com isso, tu tá vidradão nela que eu sei, he he he'' - Griffo

''Bom... vamos pra casa, que eu quero deitar um pouco e ainda tenho que estudar'' - Ezequiel

''Caramba mano, você é um cara totalmente esquisito. Gosta de briga, mas perde seu tempo estudando? Qualé!'' - Griffo

''Deve ser porque eu não sou um desocupado igual você...'' - Ezequiel

''Ixi.. tá nervosinho'' - Griffo.

...

Chegando em casa, Ezequiel cumprimentou novamente o seu pai que estava na sala vendo televisão, e logo a televisão mostrava pelo noticiário a notícia de que um maníaco acabava de ser preso após ser encontrado todo machucado a algumas quadras perto dali. Justamente, era o mesmo cara que tentou abusar de Juleka.

''Caramba....'' - Sr. de Amores

A repórter Nadja Chamack informava pela TV que o tal maníaco já vinha sendo procurado pela polícia local a tempos, e que finalmente ele foi capturado, mesmo que de forma inesperada.

Ezequiel em seus pensamentos logo dizia: ''Miserável....'', e em seguida após ver a tal notícia pela TV ele seguiu para o seu quarto.

...

No quarto, Ezequiel chegava e encontrava sua irmã Sarah e seu irmão Walter, respectivamente deitada e jogando videogame. Chegando no quarto, Griffo pode sair da camisa do garoto e sobrevoar livremente.

''E então maninho? Como foi o encontro?'' - Sarah

''Uê? Tá saindo com a Juleka e eu não to sabendo maninho?'' - Walter

''Não cabeça de vento. Se liga no seu videogame....'' - Sarah

''Hum... foi de boa... '' - Ezequiel

''Só de boa? Caramba Zeke! Tu enfiou a porrada naquele maníaco e ainda salvou sua mina!'' - Griffo

''Ahh.. cala essa boca...'' - Ezequiel dizia sutilmente

''Perai? Que história é essa ai maninho?'' - Sarah

''Conta aeh'' - Walter logo pausou o seu jogo e ficou interessado em ouvir

''Tsc, tá bom... '' - Ezequiel logo começaria a contar os acontecimentos - ''...quando eu estava indo a caminho da Torre Effiel para me encontrar com a Ladybug e o Cat Noir, no caminho eu vi a Juleka sendo agarrada por um verme, e logo eu enfiei a porrada nele e ele não aguentou.''

''Caramba! Eu tinha que ter visto isso!'' - Walter

''E ai, ele levou o amorzinho dele pra casa de uma amiguinha, só pra ele chegar sã e salva, he he'' - Griffo

''Griffo...'' - Ezequiel citava o nome do kwami meio que com tom de que não estava gostando das brincadeiras.

''E ainda a chamou de bonita, olha que cara legal! He he he'' - Griffo

''Ah, cala essa boca....'' - Ezequiel dizia sutilmente

''Nossa.... então, o tal homem que foi preso que vi agora pouco na internet, foi você que enfiou o cacete mesmo. Caraca...'' - Sarah

''Perai, tem vídeo disso na internet?'' - Walter

''Pra mim tanto faz... eu só vou me deitar um pouquinho, e ainda preciso estudar um pouco'' - Ezequiel falava aquilo e logo se joga em sua cama.

Ezequiel se deitava em sua cama, e apesar do último comentário de ''tanto faz'', ele de fato estava pensando em Juleka, e de certo ponto ainda estava preocupado com ela. Ezequiel era bem mais responsável e se preocupava demais que Sarah e Walter, ele infelizmente tinha o defeito de ''sentir o peso das dores do mundo''.

...

/ 18h10m /

Ezequiel logo terminou seu cochilo e sendo assim, ele desceu do seu quarto e ficou no portão de sua casa, ele estava meio que sem vontade de fazer suas tarefas da escola, mas, ele preferiu pegar um ar no portão.

''Hum... realmente essa parada de ser super-herói é um pouco mais difícil que eu pensava...'' - Ezequiel dizia aquilo olhando para o céu

''Que nada cara. Você tá se complicando a toa. É só você enfiar a porrada nos bandidos que tá tudo certo'' - Griffo sobrevoando ao lado dele.

''Ay Griffo.... como queria pensar assim, igual a você....'' - Ezequiel

Naquele instante, Juleka estava chegando, ela viu Ezequiel na porta de sua casa, Griffo se escondeu rapidamente na camisa do garoto, mas ele logo deu um sinal dizendo apenas para ele ouvir algo do tipo: ''Olha lá a Juleka cara''. Ouvindo isso, Ezequiel instantaneamente virou o rosto e viu a garota chegar.

''Ju-Juleka?'' - Ezequiel

''Ezequiel... err, boa noite'' - Juleka

Ezequiel ficou quieto por alguns segundos, o que ele mais queria era saber se ela estava bem, mesmo ciente de que ele a salvou horas atrás.

''Boa noite.... err, vo-você está bem?'' - Ezequiel

''To-to... eu estou bem'' - Juleka respondia, mas ela logo pensava: ''Será que ele sabe do que aconteceu?''

''Ufa, ainda bem.... '' - Ezequiel

''Err, aconteceu alguma coisa com você?'' - Juleka

''Na-não, comigo nada. Ma-mas eu fiquei sabendo...'' - Ezequiel

''Sabendo de que?'' - Juleka

''Eu fiquei sabendo que um maniaco atacou aqui por perto.... ai vi você chegar e sabe...'' - Ezequiel comentava e logo coçava a cabeça.

''Ahhm bom.... eu estou bem'' - Juleka omitiu o que aconteceu.

''Tudo bem mesmo?'' - Ezequiel perguntava novamente

''Bom... sim...'' - Juleka respondia com um pouco de insegurança

Ezequiel sabia que ela não queria falar sobre o incidente relacionamento a Griffon King e o maniaco, mas ele não insistiu em perguntas, ele preferiu se calar. Segundos depois, ele olhou para a garota e logo sorriu para ela.

''Entendo... bom, tem algumas novidades?'' - Ezequiel logo puxando assunto para cortar aquele clima

''Nenhuma, pra falar a verdade'' - Juleka

''Poxa que pena....'' - Ezequiel

''Ahhh, Jule, eu já ia me esquecendo....'' - Ezequiel se lembrava de algo que ia dizer

Ao ouvir o garoto a chama-la apenas de ''Jule'', ela logo estranhou, porque apenas Rose a chamava daquele jeito.

''....você me viu de sunga né. Err, me desculpa, foi um vacilo meu. Isso não vai acontecer'' - Ezequiel

''Ahn? O que?'' - Juleka

''Hoje mais cedo sabe, você me viu de sunga da sua janela. Desrespeito de minha parte, mas realmente não foi minha intenção'' - Ezequiel

Ezequiel ao mencionar o episódio da sunga, Juleka ficou muito vermelha, porque ela logo se lembrou do fato e também lembrou de ver o garoto apenas de sunga.

''Ahhh isso... tu-tudo bem Ezequiel'' - Juleka

''Me desculpa mesmo, tá legal?'' - Ezequiel

''Tudo bem. Apesar de que você nem precisava me pedir desculpas'' - Juleka

Enquanto os dois estavam lá fora, o irmão de Ezequiel, Walter gritava lá do quarto enquanto jogava, ele soltou lá do quarto um: ''STORM OWL SEU FILHO DA P***!''

''Ay Jesus... ele está jogando Megaman X4 de novo....'' - Ezequiel

''Seu irmão né?'' - Juleka

''É... ele fica uma pilha de nervos quando ele fica jogando alguns jogos.'' - Ezequiel - ''...esse jogo mesmo que ele tá jogando, eu que ensinei tudo a ele, e ele ainda tem pequenas dificuldades sabe''

''MEGAMAN X! VOCÊ É UM LIXO! POR ISSO QUE EU PREFIRO JOGAR COM O ZERO!'' - Walter todo pistola lá do quarto.

''Liga não, achamos ele num zoológico'' - Ezequiel

Juleka ri levemente do comentário de Ezequiel, e o garoto logo olhou a garota rindo.

''Eu acho muito engraçado o jeito que você fala do seu irmão'' - Juleka

''Ahhh, isso tudo é brincadeira minha, não tenho culpa de que ele se comporta como um chimpanzé na maioria das vezes. Mas, eu não o trocaria por nada nesse mundo'' - Ezequiel

Juleka fitou Ezequiel com um tímido sorriso, o garoto logo abriu um sorriso e continuou a falar.

''As vezes é meio complicado, quando você tem uma irmã mestra de karatê, um irmãozinho agitado e ainda um bebezinho de colo. Mas, eu já estou acostumado com....'' - Antes de completar a frase, Ezequiel acabaria sendo interrompido.

~ O celular de Ezequiel começa a tocar, e o celular tocava o hino do Ferro Carril Oeste, era o despertador ~

''Arriba gente! Arriba verdolagas! Luchemos con pujante decisión!... '' - ecoava o hino do Ferro Carril pelo celular do garoto.

''Ay caramba! Meu celular....'' - Ezequiel rapidamente pega o celular e desliga o despertador.

Juleka ao ouvir um pouco do hino do Ferro Carril que vinha do celular de Ezequiel, ela logo comentou.

''Err, isso é uma marcha?'' - Juleka

''Ahh esse é o hino do Ferro Carril... hino do meu time, sabe'' - Ezequiel respondia meio sem jeito

''Ah sim. Pelo visto você gosta mesmo desse time'' - Juleka

''Acho que nem precisa de resposta né? He he!'' - Ezequiel

''Não, hihihi'' - Juleka

''La alegría de este barrio, nunca la voy a olvidar, Cruzamos la Cordillera y copamos el Maracanã!'' - Ezequiel completava com um trecho de um dos cantos do Ferro. - ''Desculpa, eu sou um péssimo cantor, he he''

Juleka apenas riu timidamente

''Você não canta mal, mas é um pouco engraçado'' - Juleka

''Então preciso melhorar, he he'' - Ezequiel

''Se você acha que precisa melhorar, então...'' - Juleka

''Peraí? O que está insinuando?'' - Ezequiel perguntava, mas meio que com tom de brincadeira

''Eu não estou insinuando nada. Mas se a carapuça serviu, hihihi'' - Juleka - ...''estou brincando, ok?''

''Eu sei disso, eu não sou 'un amargo' a este ponto, un chicagon!'' - Ezequiel respondia insinuando que ele não é um amargo igual aos rivais de Ferro Carril

O próprio Ezequiel percebeu que estava falando besteira e coisas 'internas' e logo voltou a compostura, alias, ele estava conversando com uma garota.

''Chicagon?'' - Juleka

''Ay caramba.... me desculpa... eu to pensando que to falando com meus amigos, você deve tá me achando um idiota'' - Ezequiel

''Que nada. Só to achando um pouco engraçado, hihi'' - Juleka

''As vezes eu me esqueço que não estou mais na Argentina. Me desculpe'' - Ezequiel

''Ahhh, tudo bem'' - Juleka

Rapidamente, Ezequiel mudava de assunto e logo tocou em algo mais para a realidade dela.

''Juleka, err, você gosta de fazer o que?'' - Ezequiel

''Eu gosto de desenhar, mas... eu não sou tão boa'' - Juleka

''Que nada, tu deve desenhar pra caramba. Quem não sabe desenhar sou eu, só sei desenhar palitinhos, he he'' - Ezequiel

Juleka se sentia muito confortável em conversar com Ezequiel, e ela meio que se soltava para falar, em decorrer disso ela estava gostando muito de passar um tempo com o garoto.

''Eu acho que se eu perguntar o que você gosta de fazer, eu já tenho até ideia da resposta'' - Juleka

''Se tu tá pensando no que eu to pensando. É isso mesmo, mas eu também pratico karatê, eu aprendi com minha irmã sabe...'' - Ezequiel

''Eu imaginava isso também, hihi'' - Juleka

''Eu acho que no dia que eu te conheci, meio que algumas coisas ficaram bem obvias em relação a meus gostos, he he he'' - Ezequiel

''Hihihi, sua irmã parece que quer que eu pratique karatê com ela né?'' - Juleka

''Se você tiver interesse, ela vai te aceitar na hora'' - Ezequiel

''Err, ela é sua irmã mais velha né?'' - Juleka

''Sim... ela tem 19 anos e tá pensando em arrumar uma universidade, mas ela tá meio enrolada.'' - Ezequiel

''E você já tem ideia do que pretende fazer?'' - Juleka

''Eu to pensando em seguir o mesmo rumo que ela quando sair do colégio. Já que ser jogador de futebol se tornou fora de cogitação para mim'' Ezequiel

''Porque? Mas, porque você não quer ser mais jogador de futebol?'' - Juleka

''Tsc. Eu não sou um bom jogador'' - Ezequiel

''Sério? Não parece....'' - Juleka

''Eu não me considero bom jogador, fora que se eu fosse tentar eu não ia conseguir.'' - Ezequiel

Ezequiel ficou calado após seu último comentário, Juleka deu uma fitada no garoto por alguns segundos. Ela sentiu um pouco pelo garoto.

''Ezequiel....'' - Juleka o chamava

''Sim....'' - Ezequiel

''Vo-vo... err... você ao menos tentou?'' - Juleka

''Sim... mas, é muito mais do que você pensa....'' - Ezequiel

Aquele assunto trazia más lembranças a Ezequiel, ele não contou toda a história, ele estava omitindo coisas, e tudo aquilo fazia ele se lembrar de muitas recordações ruins. Juleka nitidamente viu o garoto mudar de astral, e ela se preocupou com ele.

''Está tudo bem?'' - Juleka

''Eu estou Juleka, mas só que sabe... isso não me traz boas recordações. E, me perdoe, eu disse que eu não era tão bom, mas não foi por isso....'' - Ezequiel - ''...e sim por uma outra situação a parte''

''Hum.... eu entendo'' - Juleka

Juleka realmente estava meio mal ao ver o garoto daquele jeito.

''Na-não se preocupe comigo Juleka, isso já passou...'' - Ezequiel a fitava com um sorriso tímido - ''...mesmo que isso me assombre, eu já aprendi a conviver com isso''

O garoto logo deu uma piscada de olho pra garota, ela soltou um tímido sorriso, e o silêncio predominou por alguns segundos, mas, o pai de Ezequiel, estava chamando o garoto de dentro da casa.

''Ezequiel! Ezequiel? Cadê você meu filho? Preciso de uma ajuda aqui'' - Sr. de Amores dentro da casa.

''Putz... bom, eu vou ter que entrar. Pai precisando de ajuda'' - Ezequiel

''Ahh, não se preocupe...'' - Juleka

''Bom, acho que se dependesse de mim, eu ia ficar te alugando por horas.'' - Ezequiel

Juleka apenas deu uma leve risada e sorriu docemente, mas o kwami de Ezequiel resmungou escondido na camisa do garoto.

''Claro, tagarela pra caralho...'' - Griffo dizia por dentro da camisa do garoto

''Hum? O que?'' - Juleka

''Nada. Enfim... err, de qualquer forma, eu vejo você outra hora, tá legal Jule? Err, digo, Juleka'' - Ezequiel

''Tu-tudo bem... '' - Juleka

''Tenha uma boa noite'' - Ezequiel

''E-eer, você também'' - Juleka

Os dois se despediam e seguiam para suas casas, mas antes, Ezequiel pensava em algo, e pensou em chamar novamente a garota, mas ele seguiu para dentro de casa. Juleka entrou para dentro de casa, mas ela ficou observando o garoto entrar em casa, os dois perto das portas de entrada de suas respectivas casas, eles se fitaram de lá e apenas sorriam timidamente antes de entrarem em suas respectivas instalações.

POV Ezequiel

''Ver aquele sorriso dela toda vez me fascinava mais, eu nunca tinha visto uma garota tão linda como a Juleka. Espero que ela não pense que eu sou um idiota.... Ahhh Ezequiel pare de falar idiotices perto dela!...'''

POV Juleka

''O Ezequiel é um garoto muito simpático e aparentemente muito confiável, ele fala algumas coisas que eu realmente não entendo, mas chega a ser até divertido, que bom que ele não tem problema nenhum de falar comigo. Mas, pode parecer inocência minha, mas eu reparei um lado dele que ainda não tinha visto. No meio de tantos sorrisos, eu vi também uma sensibilidade nele.... deu pra entender que algo ainda está o ferindo, não uma ferida externa, mas algo interno, que ainda não cicatrizou....''

CONTINUA


Notas Finais


Saludos! °/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...