História A aventura de Akinobo Sugahara - Capítulo 3


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Original, Rpg, Sem Hentais
Exibições 10
Palavras 2.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Super Power, Violência
Avisos: Canibalismo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom, apreciem este pequeno capítulo.

Capítulo 3 - Um poder misterioso/Força imensurável (Capítulo Grande)


Depois de ler todo o contrato, Akinobo pega um dos velhos mapas que havia no balcão e vai á frente do "Guy Wakelay (local)" e monta em um cavalo um tanto que grande que estava á sua espera, por não saber andar muito a cavalo, Akinobo desce do animal, lhe põe uma sela e faz uma expressão de "agora sim", aos poucos vai tomando o controle do cavalo e dando umas "olhadas" em seu mapa e indo assim pelo caminho certo.
Após uma hora cavalgando (18:00), Akinobo chega a seu destino que no caso era um casarão de dois andares que tinha uma varanda e era abandonado feito de madeira em meio a floresta, logo adentra o local e procura seus inimigos que por terem ótima audição claramente escutaram alguém entrar na casa (Akinobo é descuidado e não pensou em fazer silêncio) e então quando Akinobo chega ao segundo andar por meio de uma escada, mas, na parte da sala e é pego de surpresa por um ser humanóide, alto, com pelos grandes e marrons, dentes afiados e que vestia apenas a parte de baixo por seu corpo ser grande em cima e é enforcado por este ser, em desespero Akinobo não desiste e se livra dos braços de seu inimigo mas um homem com um pouco mais de altura que Akinobo o chuta em direção ao chão e diz:
-Pobre ser, quer enfrentar um vampiro e um lobisomem? Até certa parte é aceitável, mas, á noite? É pedir para morrer!
O vampiro puxa de seu bolso um arco, com uma flecha um tanto intrigante e dispara em Akinobo que estava indefeso que por estar a curta distância não teve nem reação e tomou um tiro em sua cabeça e pensou "não quero morrer aqui...", eventualmente ficou inconsciente, após pouco tempo Akinobo foi salvo por seu modo insano que regenerou  sua ferida em tudo que dava, porém a flecha ainda estava em sua cabeça, Akinobo acalmou-se e pensou em tirar lentamente a flecha de sua cabeça, após certo tempo, conseguiu retirar aquilo de sua cabeça e viu seus dois inimigos na varanda da casa, mesmo estando consciente, Akinobo não conseguia lutar pois ainda estava regenerando o ferimento restante em sua cabeça, então quando Akinobo girou sua cabeça olhando para trás, viu um ser parecido com ele que tinha também uma espada igual subindo as escadas que fazia um gesto de silêncio com as mãos e na sequência um gesto parecido com "tenha paciência" que caminhou lentamente e silenciosamente em direção aos inimigos de Akinobo, tirou as espadas de sua costa bem devagar e atacou verticalmente o vampiro que havia disparado em Akinobo, cortando-lhe ao meio e em seguida juntando os dois lados do corpo do vampiro quase que perfeitamente e cortando seu pescoço, enquanto isso, o lobisomem olhava assustado e via ondas eletromagnéticas em formato de um fogo roxo saindo atrás de quem matou o vampiro, com medo o lobisomem tenta fugir mas ao pular da varanda da casa se depara com com Akinobo que estava recuperado e também tinha ondas eletromagnéticas mas desta vez vermelhas, com o susto, o lobisomem fica paralisado e sem hesitar, Akinobo o corta transversalmente e faz um gesto como "delicioso" com sua língua ao ver o sangue do lobisomem saindo do corpo.
Após isso Akinobo foi falar com o homem parecido com ele:
-Quem é você? Por quê está aqui?
-Uma pergunta de cada vez.
-Então diga, quem é você?
-Pode lhe parecer estranho, mas, eu sou você.
-COMO ASSIM?
-A resposta da segunda pergunta vai lhe dizer tudo, bom, nada mais sou que sua conjuração, ou seja, sua manifestação de poder, fui despertado por você estar á beira da morte mas mesmo assim não desistir de viver, traduzindo: sou você e estou aqui por você estar aqui.
-Pode parecer que não, mas, eu entendi
-Mais uma coisa, eu só apareço se for invocado por você ou se você estiver em estado crítico, em outras palavras, se você estiver á beira da morte eu me manifesto por conta própria e faço o que quero, e como dependo de você para viver provavelmente tentarei te salvar.
Após este diálogo, o poder de Akinobo some com o vento e Akinobo caminha em direção ao "Guy Wakelay" e vê seu cavalo morto com uma flecha que em sua ponta estava escrito em um bilhete "saudações vampiro hahah"
Akinobo abre um leve sorriso e sussurra  "Mesmo depois de morto você me pertuba, aah o jeito é ir a pé".
"Vai demorar horas para voltar para o Guy Wakelay... Sério que eu vou andando mesmo? Deve ser 18:30 ou algo perto disso, demorei uma hora para chegar a cavalo então, quanto eu demoro se for a pé?"
Até que Akinobo tem uma idéias mirabolante, procurar um lago ou rio e ir nadando por ele (por ser um tritão, Akinobo nada rápido, respira embaixo d'água além de ver perfeitamente embaixo dela) por sorte Akinobo está em meio a floresta, logo, a chance de haver um rio por perto, Akinobo andava em direção a cidade mas ao mesmo, tempo procurando algo como um rio ou lago, após 15 minutos de procura, Akinobo pensa em desistir de procurar mas olha rapidamente para à direita e vê um rio muito grande indo em direção ao Guy Wakelay, descuidado e confiante, Akinobo segue para o rio e por ali mergulha e nada rápido como um tritão (ele é um tritão), após dois minutos em alta velocidade (uns 100 km),Akinobo encontra algo suspeito a sua frente e para de nadar abruptamente e espera esta coisa suspeita fazer algum movimento, até que há uma risada de desprezo que ecoa no rio sendo ouvida por Akinobo que estava assustado, então o objeto suspeito se mexe e aos poucos toma uma forma de um tritão:
-Hahahahah!
-O que tem de tão engraçado?
-Você hesitou em atacar um objeto que não sabia se lhe era uma ameaça ou não, ficou com uma cara de medo que "só vendo", AiAi, pelo menos você não foi idiota de dar as costas para mim.
-Vá ao ponto!
-Sou seu inimigo.
-Acha que pode me vencer?
Akinobo conjura seu poder.
-Aaaaaargh.
-Akinobo, quando me invocar, me chame de Sugahara mas, não grite como um paciente com dor.
E então o inimigo de Akinobo interrompe Sugahara e diz:
-O Sugahara deve saber a diferença de despertar o poder por dor e por força não é mesmo?
Sugahara fica cabisbaixo e calado.
-Bom, Akinobo, eu sei que você não sabe então vou explicar, ao liberar sua conjuração por dor, seu despertar depende do poder de sua conjuração, já por força própria, chega á um nível que seu poder se mostra entediado de ver apenas você tendo sucesso e vai a briga, ou seja, caso desperte seu poder pela dor, seu poder é mais forte que você, já por força própria, o inverso, meu poder é controlado por mim, logo tenho mais força que ele e posso eu mesmo aumentar sua força, meu poder se baseia em mudar a aparência das coisas e tornar coisas consideradas mitos em coisas reais, eu poderia mudar apenas minha própria aparência e modificar os mitos ao meu favor, mas, como tenho controle absoluto de meu poder, posso mudar a aparência, cheiro, e até parte da mentalidade de tudo, posso dar vida a pequenas coisas, mas, principalmente invocar seres MITOLÓGICOS OU LENDÁRIOS
em coisas reais e faze-los lutar por minha causa.
-Isso tudo não interessa, eu e meu poder vamos estraçalhar você!
Akinobo parte para cima de seu inimigo e o ataca verticalmente, Sugahara ataca seu inimigo por trás também verticalmente, mas, em uma velocidade além dos olhos, o inimigo dos dois saca duas pistolas .44 e atira em Akinobo e em Sugahara, guardando em seguida suas armas:
-O que foi isso?
-Diziam que futuramente existiria armas denominadas de "armas de fogo" que iriam atirar "munições", roubei isto do governo... E TORNEI REAL!
-Mas armas de fogo existem.
-Se estiver falando de canhões saiba que ele não contam para mim.
Akinobo pensa "que poder extraordinário, odeio admitir, mas, talvez eu vá perder."
-Sem palavras? Vou te finalizar com isso.
Então o inimigo de Akinobo invoca mjorir, martelo de deus Thor e esmaga os ossos de Akinobo e com outro ataque, os ossos de Sugahara.
-Vou levar ele para o Guy, meu serviço terminou.
Horas depois.
-Acorda! ACORDA AKINOBO!
-Hmm...
-Guy, ele abriu o olho!
-Nanase, se estiver me enganando ficarei chateado com você.
-É sério!
Akinobo com os olhos levemente abertos vendo que está em uma cama de lençol branco e um travesseiro também branco que estava atrás dele, pensa "por que tem uma mulher cuidando de mim? estou machucado?
Ah sim... Agora lembro, mas, eu sinto como se estivesse bem...
Com ossos quebrados, mas, em que lugar estou? Esse teto, essas vozes, esse quadro de miss... Será possível?
Akinobo se levanta rapidamente para ver onde está e percebe que está em Guy Wakelay, se olha três vezes em cada braço, perna, em sua costela vê que seu ossos estão normais e que está sem hematomas ou machucado algum.
-Por que estou aqui?
-Akinobo, desculpa te dizer, mas, não dá para você ser meu mercenário...
-Por que? Sou fraco?
-Não, você não é mais meu mercenário porém, pode ser meu amigo?
-Como assim?
-Você é tão forte que não merece uma vida de lixo.
-Você sabe o que aconteceu comigo, não sabe?
-Tudo, eu armei tudo!
-Por que?
-Queria ver seu potencial e despertar seu poder.
-Não era mais fácil me treinar para eu controlar meu poder em 100%? Eu seria ainda mais forte.
-Você saberá por que fiz isso e desse jeito. Então, o que acha de ser meu amigo?
-C-claro...
-Por onde começo? Sabe o vampiro e o lobisomem que você derrotou?
-Sim.
-Eles realmente existem, mas naquele momento eram apenas clones perfeitos feitos por Yoshitsugo Endou.
-Yotsugo endo?
-Ah sim, eu não me apresentei, meu nome é Yoshitsugo Endou, e sou um tritão atirador, meu poder é de criar, modificar,invocar coisas que não existem ou não ainda.
-Entendo... Então essa mulher, o vampiro, o lobisomem, Yoshitsugo Endou e Guy Wakelay são meus amigos?
-Sim com exceção do vampiro e do lobisomem, que eram inimigos do Yoshitsugo e hoje em dia não se sabe o que fazem, por que e onde.
-Hm... Presumo que o poder desta mulher seja algo parecido com cura.
-Acertou, ah, deixe-me  me apresentar, meu nome é Nanase Takisawa, é um prazer.
-Prazer. Ah, Guy, sei que é falta de educação, mas, poderia dizer qual é seu poder, você deve ser o mais forte de nós.
-E sou... Meu poder nada mais é que posso me transformar em 100% dragão, 100% humano,50% humano 50% dragão, e meu modo insano é 200% dragão e 200% humano, resumindo, sou um homem dragão e mu modo insano me confere poderes duplos de um dragão em dupla força e de um humano com poderes duplos com dupla força, sobre meu estilo de luta, sou um lutador de um karatê especial que foi desenvolvido no lugar em que nasci pelos guerreiros de lá, não uso soqueiras por ter orgulho de minha força e não comprar armas pois caso eu estiver querendo "descer o soco", tenho que sentir em minha pele e não por uma arma, sinto como
se as armas me impedissem de ter contato com meu inimigos pois acho ruim sentir algo em minha mão e não o impacto de meus socos, por último, não utilizo armaduras pois se recebo um golpe é porque não fui ágil para desviar, e acho que meu adversário tem que ter o mérito de sentir o impacto de seus golpes em meu pescoço e não em uma armadura.
-Entendo, emfim, obrigado por me ajudarem e me dar força gente, aceito ser amigo de vocês.
Akinobo abre um sorriso, levanta da cama, caminha em direção a porta e abre a mesma, olha para o sol e pensa "eu achava ser o centro das coisas, mas vi que preciso treinar mais, pensar mais e ser mais forte. O que me pergunto é: por que os jeitos que eu aprendo e vivo as coisas são tão bizarros? Bom, por enquanto isso não importa..."
-----------------¿Continua?-----------------


Notas Finais


Espero que tenham gostado, falou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...