História A Balada da Vida - MITW - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Felipe "Febatista" Batista, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellbits, Lemon, Mike, Mikhael Linnyker, Mitw, Pac, Romance, Tarik Pacagnam, Tazercraft
Exibições 129
Palavras 556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Slash
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oula crianças

Capítulo 2 - Mãe do garoto?


"-O que houve?"

Ele me olhou assustado e imediatamente enxugou as lágrimas que escorriam de seu rosto pálido meio avermelhado devido ao choro.

-Nada- ele me respondeu e desceu rapidamente da pia e foi em direção á porta

-Calma, pode falar... eu... eu escuto...- falei meio morgado devido a bebida

-Eu não vou desabafar com um bêbado!- ele rebateu e tentou passar por mim para ir a porta mas eu impedi

-Posso estar bêbado, mas tenho sentimentos, e ótimos conselhos! Pode falar... se quiser... não vou insistir...- lembro-me de falado

-Ta... você venceu...- ele falou cabisbaixo- acontece, que minha mãe não me deixa sair de casa, falar com meus amigos, ir pras festas, ela não me deixa IR PARA ESCOLA! Eu sou o escravo particular dela! Faço tudo! Só que eu cansei! Eu fugi de casa! E não vou voltar! Mas n tenho pra onde ir... e... - ele voltou a chorar- eu não sei o que eu faço! Nem sei por que estou aqui! Aliás por que eu to falando com um desconhecido? A minha vida é uma merda!

-Hey cara!- falo meio confuso- sua mãe te ama... o melhor é voltar pra sua casa... e... QUANTOS ANOS VOCÊ TEM? POR QUE COMO VOCÊ TA BALADA SE AINDA TEM QUE IR PRA ESCOLA?

-Tenho dezessete, meu ultimo ano na escola, eu entrei com identidade falsa.

-Eu... olha, volta para casa, é o melhor, você não tem planos, não quer ser morador de rua não é mesmo? Você pode passar uns dias em um hotel qualquer e depois, quando sua mãe estiver com saudades você volta ou pede pra ir para um internato, você ainda é menor e ...

-Eu não vou voltar- ele me interrompeu- Não sou um escravo particular! Eu quero ter uma vida ahn... qual seu nome mesmo?

-Mikhael.

-Eu quero ter uma vida Mikhael!

-Eu... te entendo.

-NÃO VOCÊ NÃO ENTENDE! VOCÊ É ADULTO! TEM UM CARRO, APOSTO QUE NÃO MORA COM A MÃE E PODE SAIR SEMPRE QUE QUISER- ele gritou- E DUVIDO QUE É FEITO DE ESCRAVO!

Botei as mãos em seus ombros e começei a falar:

-Eu já tive sua idade- falei meio tonto- odiava quando não podia sair, já fugi de casa e era um empregadinho.

-Você voltou pra casa?-  ele me perguntou lacrimejando - voltou?

-Não, mas eu ainda amo ela, sinto sua falta...

-Mas o que aconteceu?- perguntou inocente

-Eu fiquei na casa de um amigo, arranjei um emprego, juntei dinheiro, fui promovido e comprei o apartamento e o carro...

-Eu não tenho... amigos- disse com uma expressão triste e voz embargada.

-Mais um motivo pra voltar pra...

-EU NÃO VOU DISCUTIR COM UM BÊBADO!- ele tentou passar pela porta mas eu o puxei.

-Olha, eu posso deixar você dormir no meu apartamento hoje, mas depois você se vira, eu já estava indo pra casa mesmo...

-Sério?

-Acho que sim.

Ele me abraçou e eu sorri

Durante o caminho ao apartamento não falamos uma única palavras.

Chegamos em casa e eu peguei uns travesseiros e um lençol e coloquei no sofá para ele, e ele dormiu imediatamente, eu simplesmente me joguei na cama

                          ***

Acordei morrendo de dor de cabeça e ao virar para o outro lado me deparei com um estranho no sofá do meu quarto.

-Ai meu deus, o que eu fiz naquela balada.



   


Notas Finais


Sim, demorou. Sim, foi pequeno. Mas é pq eu não tenho certeza se vou ou não continuar a fic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...