História A Batalha contra as trevas. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo
Personagens Annabeth Chase, Connor Stoll, Frank Zhang, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Gwendolyn "Gwen", Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Personagens Originais, Piper Mclean, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Thalia Grace, Travis Stoll, Tyson, Will Solace
Tags Annabeth, Isabel, Meio Sangues, Percy Jackson
Visualizações 13
Palavras 1.830
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


NÃO ME MATEM! POR FAVOR! (desvia de um bocado de objetos não identificados), gente me desculpa por ter sumido e… GI_LOTR, COLOCA A PEDRA NO CHÃO! Ótimo.

Voltando, eu prometo que não vou sumir de novo. Vou explicar tudo nas notas finais.

Sem ideia pra escrever mais.

Aproveitem meus amores e boa leitura.

Capítulo 5 - Capture a bandeira pt. 1


(Isabel Cooper)

Eu estava pensando se valeria a pena tentar escalar aquela parede de escalada quando uma flecha surgiu entre meus pés, dei um pulo de susto e olhei pra cima, vi Laila com o arco preparado sorrindo para mim.

—Você quer me matar?—perguntei

—Só queria ver se estava atenta—ela se sentou meu lado e perguntou—como passou a noite?—

—Foi um pouco desconfortável, porque primeiro descubro que sou filho de Hades e também por que tive um sonho que foi… bem ruim—

Ela ficou em completo silêncio enquanto eu contava o sonho, quando eu terminei ela fez uma cara que parecia que ainda estava sentindo dor.

—Ai olha a sua cara, eu não devia ter falado nada—falei já arrependida do que fiz

—Não fica assim, aquilo não foi culpa sua—

—Você só pode estar brincando? Foi eu que disse para dormimos naquele beco, foi eu que não lutei como devia ter lutado, foi eu que deixei aquele ciclope te machucar, tudo culpa minha!—

—Não fica assim, você cuidou de mim depois disso, você me protegeu milhares de vezes, foi você não eu—

Olhei pra ela.

—Você sabe mesmo como levantar minha moral—disse a ela

—Sou sua melhor amiga não sou?—

Sorri. 

—É, é sim—

Continuamos conversando até que Hazel apareceu.

—Aí estão vocês, o que estão fazendo aí?—disse ela

—Só conversando—respondi—o que foi?—

—Quíron me pedia para avisar que que a reunião do conselho de guerra foi cancelada, temos de planejar o capture a bandeira de hoje a noite—disse ela

—Que droga—disse mais estava aliviada de certo modo, não estava ansiosa para ver um monte de gente que decidiria minha estadia no acampamento—agora não temos nada pra fazer—completei

Hazel me olhou com curiosidade e perguntou:

—Vocês gostam de histórias de guerra?—

—Sim—respondemos em uníssono

—Bem, eu posso contar a vocês várias histórias, mais não sozinha—ela olhou ao redor e viu os amigos—Ei gente, venham aqui—logo Percy, Annabeth, Jason, Piper e Frank estavam ao noso redor—me ajudem a contar nosas aventuras para elas duas—

—Ótimo—disse Annabeth—vamos começar com Percy—

Percy, Annabeth e Grover (que chegou não sei de onde) nos contaram suas aventuras, foram eles que recuperaram o raio de Zeus; viajaram pelo mar de monstros; lutaram contra o titã Atlas; estiveram na missão pelo Labirinto e assim como eu, Percy tambem deve que lidar com uma profecia que decidiria se ele ia salvar ou destruir o Olimpo, sem nenhuma pressão.

—Peraí, então eu não sou a única semideusa ferrada por uma profecia?—perguntei

—Não, mais falando em profecia. É a minha vez de contar uma história—disse Jason

Ele e Piper contaram que junto com um cara chamado Leo Valdez viajaram para a Califórnia para salvar a deusa Hera (ou Juno, como preferir) que havia sido aprisionada para usarem sua força vital para reerguer um dos gigantes filhos de Gaia, nesse meio tempo, Jason lutava para recuperar a memória que fora completamente roubada por Hera, esse foi o motivo de ele se empenhar na missão.

—Mais… Percy não estava desaparecido nessa época?—perguntei

—Sim—respondeu Jason

—Então como ele…—apontei para Percy completamente confusa

—Bem, é ai que nós entramos—disse Frank

Ele, Hazel e Percy contaram sua aventura para o Alasca para deter outro gigante filho de Gaia que havia retornado das profundezas do Tártaro como um gigante feito inteiramente de petras preciosas (pode-se dizer que foi tudo culpa da Hazel mais não disse isso em voz alta, pois o namorado dela me da medo), assim como Jason, Percy também tinha perdido a memória, mais lembrava somente de um nome: Annabeth

Quando eles terminaram, todos se juntaram para contar sua viagem para Roma e a missão de Annabeth atrás da marca de Atena, em seguida falaram sobre sua viagem a casa de Hades para fechar as portas da morte e por fim, narraram sua luta contra os gigantas em Atenas e a luta contra Gaia na colina meio-sangue (Autora: essa pra mim é a melhor parte do livro), sendo que essas duas lutas aconteceram em um só dia.

—Mais se vocês são sete—falei quando terminaram de contar—onde esta o sétimo, o tal de Leo Valdez?—

Ouve um silêncio desconfortavel quando terminei de falar, percebi que algo tinha acontecido com Leo, um verso da profecia que eles tinham me ditado veio a mente e suspirei.

Um juramento a manter com um alento final— faleiele se sacrificou para comprir uma promessa, seja lá qual for—

Eu senti ele morrer—disse Hazel—mais ainda sim é uma coisa muito estranha, era como se algo de novo tivesse acontecido com alma dele—

—Ele está vivo—disse antes que pudesse me controlar, as palavras simplesmente jorraram da minha boca—não sei como explicar, mais é como se ao invés de sentir a morte eu sinto a vida, posso sentir a vida dele fluindo nesse momento—

Todos me olharam incrédulos, mais apesar de acharem que enlouqueci pude ver uma faísca de esperança. Eles esperavam mesmo que Leo estivesse vivo.

—Mais… isso é impossível—disse Piper, ela parecia fazer força pra não chorar—Nico disse que ele está morto, Hazel também, como ele pode estar vivo?—

—Eu não sei, mais disseram que ele tinha a cura do médico, talvez ele a tenha usado para voltar a vida e poder…—

—Reencontrar Calipso—completou Percy—talvez ele tenha de fato morrido, mais Festus pode ter engetado a cura nele e salvado sua vida. Ele é muito inteligente—

—Deve ser isso—disse Laila—mais quero saber uma coisa, como você sabe que ele está vivo? Achei que os filhos de Hades só sentiam a morte—

—Nós, de fato, só sentimos a morte—disse Hazel—mais a algo a mais nos poderes da Bel, Nico e eu só sentimos quando as pessoas morrem, já você pode sentir a vida delas fluindo, é impressionante—

—Verdade—disse Percy—bem, temos que voltar para o treino, antes percebam que sumimos—e lá se foram Percy e seus amigos

Antes de ir embora, Annabeth perguntou:

—Ei, querem ficar na minha equipe no capture a bandeira esse noite?—

—Claro, porquê não?—respondeu Laila

—Ótimo, vejo vocês hoje a noite—com isso, Annabeth se foi atras do namorado

—Eu vou voltar pro treino, e você?—perguntei

—Vou ao lago de canoagem ver se encontro o Travis—

—Tá bom, mais quando se casar com ele, me chama pra ser a madrinha—meu comentário fez com que Laila ficasse vermelha, mais foi o suficiente para levantar meu astral

Levantei e fui para a arena de combates, mais estava tão distraida pensando em como sabia que Leo Valdez estava vivo que acabei esbarrando em um garoto grandalhão e teria caído no chão se ele não tivesse me segurado.

—Você está bem?—perguntou ele

—Sim, aí deuses que vergonha—respondi cobrindo o rosto

—Não se preocupe, não precisa ter vergonha—ele me olhou atentamente e disse—ei, você não é aquela tal de Isabel, a filha de Hades?—

—Sim, pode me chamar de Bel, e você é…—

—Lamer, filho de Ares—(Autora: se vocês lerem o livro “O Herói Perdido” na parte em que o Jason estava no anfiteatro vão ver um tal de Lemer)—aonde está indo?—

—Para a arena de combates, e você?—

—Vou pra lá também, que tal treinarmos juntos?—

—Claro, vamos nessa—

Enquanto lutavamos descobri algumas coisas sobre Lamer: ele tem quinze anos; estuda na Academia Yancy em New Jersey; pretende entrar para o exercíto americano e chegou ao acampamento aos doze anos.

—Então você é praticamente um veterano—comentei depois que desviei de um rasteira dele

—Sim—ele puxou o calar de couro e mostrou as várias contas que tinha—sobrevivi a muitos verões, e você é só uma novata—

Ele baixou a espada para atacar, mais eu por instinto ergui a minha e aparei seu golpe.

—Acho que está subestimando minha força, eu lutei por anos nas ruas de Manhattan—empurrei sua espada com força—não a melhor treinamento—

Dei uma rasteira e ele desabou no chão.

—Novata um, veterano zero—falei sorrindo

—Tudo bem, eu mereço isso—respondeu Lemer gemendo—me ajuda a levantar?—

Ajudei Lamer a levantar e perguntei:

—Vai ficar do lado de Clarisse no capture a bandeira essa noite?—

—Sim, imagino que vá ficar do lado da Annabeth, estou certo?—

—Ela tem o melhor argumento—disse dando de ombros

—Temos os melhores soldados e as melhores armas—argumentou ele enquanto investia contra mim

—A equipe azul tem as melhores estratégias e os semideuses mais poderosos—disse me defendendo 

Nossas espadas novamente se cruzaram e ficamos cara a cara.

—Temos “Multiladora”, a lança elétrica de Clarisse—sussurrou ele

—Temos  as melhores chances de vencer—sussurrei de volta

O resto da luta passou quase em completo silêncio, trocavamos palavras e investimos um contra o outro várias vezes. Anoiteceu e uma trombeta soou de concha soou ao longe, era hora do jantar.

—Vejo você no capture a bandeira—falei

—Vai ter se arrependido de ter ficado na equipe azul—respondeu Lemer

—É o que veremos—falei

Voltei para o chalé, tomei banho e me arrumei, depois fui com Hazel para o pavilhão/refeitório. Na hora da oferenda, despertei parte do meu churrasco na fogueira.

—Para Hades—disse, o aroma que veio da fogueira era de gente morta, mais resolvi iguinorar. Voltei para meu lugar e terminei de jantar

No final do jantar os pratos foram levados e trombeta soou de novo, nos postamos perto de nossas mesas, todos ansiosos. Era hora de capture a bandeira.

Muitos dos campistas aplaudiram e gritaram quando Annabeth entrou correndo no pavilhão seguida por dois caras que deviam ser seus irmãos, ela carregava um estandarte de prata com uma coruja desenhada. Clarisse logo entrou também, ela trazia um estandarte vermelho com a cabeça de um javali desenhada, provavelmente os estandartes deveriam ser as bandeiras que deviamos pegar.

—Heróis!—anúncio Quíron—vocês conhecem as regras, o riacho é o limite. A floresta inteira está valendo, todos os itens mágicos são permitidos. A bandeira deve ser ostentada de modo destacado e não deve ter mais de dois guardas, os prisioneiros podem ser desarmados, mais não amarrados ou amordaçados. Não vale matar ou aleijar, servirei de médico e juiz no campo de batalha. Armem-se!—

Ele estendeu a mão e as mesas subitamente se encheram de todos os tipos de armas que um meio-sangue precisa: capacetes, espadas, lanças e escudos de bronze suficientes para um exército.

—Uau, pelo que vejo hoje será uma grande noite—disse enquanto colocava um capacete com penacho azul

—É, pena que Frank tenha que ficar na equipe vermelha, você sabe, Marte é a forma romana de Ares—respondeu Hazel

—Concordo—mais eu torço para que não precisa-se enfrentar Frank, ele é enorme, literalmente—a muito tempo não luto por puro prazer—

—Acredite, jogar capture a bandeira é a melhor parte de estar no no acampamento—

Peguei um escudo com um desenho de um fantasma e uma espada que é a única que fica equilibrada na minha mão, fiquei um pouco amuada por não poder usar minha adaga, mais trouxe ela como um plano B, nunca se sabe.

—Equipe azul, a frente!—gritou Annabeth

Eu a muitos outros semideuses a seguimos para o lado sul do bosque, iguinorando os insultos do chalé de Ares. No caminho, Annabeth gritou: 

—Hazel! determine três heróis para a patrulha de fronteira, faça isso logo—

—Certo—respondeu Hazel—Elisa, venha com Laila até aqui—

Logo as duas estavam perto de nós.

—O que foi?—perguntou Laila

—Vocês duas vão ficar com Bel na patrulha de fronteira—

Elisa bufou.

—Da última vez que estive na patrulha de fronteira levei uma surra, literalmente. Será que não posso ficar protegendo a bandeira como na última vez?—

—Não, eles vão saber vencê-la, leve a Bel e a Laila para a fronteira e a vigie com elas, e não precisa se preocupe com reforços, vou estar na floresta. Qualquer coisa vou lá ajudar—

—Certo—disse Elisa de mal humor, olhou para Laila e eu e sorriu—venham meninas, hora da diversão!—


Notas Finais


Bem, aqui termina nosso capítulo, desculpa por ter demorado mais pelo menos saiu. Agora posso explicar tudo.

É que eu resolvi fazer outra fic, a fic se chama “Vidas cruzadas: Os dias que se passaram”, ela é sobre miraculous (se conhecem o desenho, por favor, leiam a fic. Eu não tenho muitos leitores), eu postei dois capítulos nela e agora eu vou postar dois capítulos aqui, depois vou postar um capítulo lá e assim por diante.

Obrigada por não me abandonarem e desculpa por sumir.

Tchau amores 😘.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...