História A Beautiful Mistake | Larry Stylinson - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Alternative Universe, Gravidez Masculina, Larry, Larrystylinson, Mpreg
Exibições 118
Palavras 2.269
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá gente!!

Eu queria muito agradecer pelo comentários no último cap, vcs não sabem como me fizeram feliz 😊

E agora vamos acompanhar a continuação da galerinha da pesada que vai aprontar altas confusões kkkk

Brincadeiras a parte, espero que gostem e boa leitura

xoxo

Capítulo 10 - Blame On Me


Fanfic / Fanfiction A Beautiful Mistake | Larry Stylinson - Capítulo 10 - Blame On Me

Cap 10 – Blame on Me


[POV Niall]

- ALGUEM ME AJUDA!? SOCORRO!

- Você ouviu isso Liam!? – Indaguei preocupado.

- Parece ser a voz do Harry! Que será que tá acontecendo? – Saímos em disparada até o 2º andar. Encontramos o cacheado chorando desesperado com Louis nos braços.

- Meu Deus, o que houve!? – Me aproximei dos dois e notei que Tommo estava com a calça manchada com um pouco de sangue. QUE PORRA ERA AQUELA?

- PELO AMOR DE DEUS, LIGA PRO HOSPITAL, AGORA! – Ele estava tremendo e vermelho, nunca tinha o visto daquele jeito.

- Calma, o que houve com ele? – Perguntou Liam, também se aproximando.

- Só liguem pro hospital! – Já estava discando para a emergência quando Harry gritou – Não! Liguem pro Dr. Rivera.

- Mas...

- Faz o que eu to mandando, isso é caso de vida ou morte!

Mesmo assustado e sem entender nada, fiz o que ele pediu. Afinal, para Harry estar naquele estado, só podia ser caso de vida ou morte mesmo.

x-LS-x 

Estávamos no hospital há quase 2 horas e ninguém, nem mesmo Harry queria dizer o que raios tinha acontecido com Louis. Antes de ir, falamos com o pessoal do estúdio que não deixasse vazar nada á imprensa, até porque não queríamos alarmar o publico.

- Harry, você pode, por favor, sentar e dizer o que aconteceu? – O observava andando pra lá e pra cá, passando nervosamente as mãos na cabeça. Algo me dizia que ele meio que tinha culpa pelo o que ocorreu.

- Vocês prometem que não vão contar pra ninguém? – Ele se sentou entre Liam e eu.

- E desde quando fazemos isso? Somos seus amigos Haz – Payne o confortou.

- Ok – Ele respirou fundo, encarando o chão – O que eu vou dizer não é fácil mas é a verdade. O Louis, ele tá grávido.

- Para de brincar numa hora dessas! – Me levantei injuriado.

- Porque você acha que eu estou brincando? – Disse o mais alto entre os dentes e com a fala carregada de ódio – Isso aqui é serio, o meu namorado tá numa sala de emergência, provavelmente lutando contra a morte e você acha que eu estou brincando? Vai se foder! – Ele levantou a voz um pouco, recebendo um “shiu” da recepcionista.

- Se acalma Harry e, Niall, deixa ele explicar. Que historia é essa?

- O Louis tem um transtorno que fez com ele nascesse com um útero e bom... Nós transamos sem proteção. Ele tá de 4 meses e é uma menina e... a gravidez é de risco.

Eu só podia estar vivendo numa fanfiction. Aquilo soava tão absurdo, tão irreal mas ao mesmo tempo fazia sentido.

- Então era por isso que ele passava mal direto e tinha engordado... E eu caçoava dele... Droga, me sinto um monstro – De repente, a culpa tinha batido em mim – quer dizer, espancado.

- E eu? Todo esse tempo e eu podia ter ajudado ele... Que merda de amigo eu sou.

- Gente, não fiquem assim, vocês não sabiam e nem podiam prever, vocês não têm culpa. Eu tenho... – Sentimos sua voz mudar de tom e o encaramos com interrogação – O Louis tá naquela sala por minha causa. Porque eu briguei com ele.

- Por quê?

- Eu descobri hoje que aquela garota que ele saia, Briana, está grávida também.

Tá, agora eu realmente estava vivendo numa fanfiction.

- Que? Como assim? – Disse Liam.

- Como ela pode estar grávida dele? O Louis é o maior viado que eu conheço, ele jamais comeria uma garota.

- Eles dormiram na época em que estávamos dando um tempo. Eu sabia que eles tinham alguma coisa, eu sentia, só não achava que tinha ido tão longe – A expressão dele era de dar dó, notava-se á distancia o sentimento de raiva e tristeza misturados – E eu acabei descontando nele, disse tudo que estava engasgado. Quando vi, ele já estava caído no chão. – Harry escondeu o rosto entre as mãos e desabou – Ele e a minha filha estão morrendo e a culpa é toda minha! Eu sou um idiota! – Nós três nos abraçamos.

- Não fica assim, nem ele nem sua filha vão morrer, eles vão se sair dessa, vai dar tudo certo – Payne o consolou.

- Sim, fica calmo. Louis é um homem forte e aposto que sua filha também e vão lutar e vão vencer. Mantenha a fé Hazza.

Fiquei pensando que se a situação fosse comigo, não teria aguentado nem 1/3. Meus amigos sempre foram fortes e enfrentaram as piores merdas que aconteciam e tudo que fazia era apoiá-los. E agora não seria diferente.

Assim que vimos o Dr. Rivera se aproximar, nós saímos do abraço e levantamos esperançosos.

- Doutor, como está o Louis? – Perguntou Styles ansioso – E pode falar aqui, eles já sabem.

- Felizmente ele está bem – Respiramos aliviados – Ele teve uma pequena hemorragia mas conseguimos controlar, por muito pouco não sofreu um aborto espontâneo – Harry paralisou com a feição assustada – Harry, você sabe o que houve?

O castanho engoliu em seco e acho que o médico entendeu o recado, assentindo com um olhar de “conversamos mais tarde”.

- A gente pode ver ele? – Perguntei.

- Sim, mas ele está dormindo. Quarto 707.

Nós agradecemos e íamos em direção ao quarto, quando Harry nos parou.

x-LS-x

[POV Louis]

“EU TE ODEIO LOUIS, TE ODEIO!”. A frase ecoava no meu inconsciente, como se eu pudesse sentir Harry gritando na minha frente. Sentia a cabeça e meus olhos pesados, além de uma dor aguda na barriga, como uma facada. Tinha vontade de gritar, de chorar, de sair daquele pesadelo.

Acordei agitado e logo me arrependendo por conta de claridade – que embora pouca parecia me cegar. Fiquei por um momento tentando analisar onde estava.

As paredes claras; as pranchetas em cima da mesa; a cama esquisita; o fino lençol e avental que cobriam meu corpo, bem como os fios e tubos.

Aquilo não era um pesadelo.

Então como numa súbito lapso de consciência, passei a mão na barriga.

“Meu Deus, Olivia?”

Entrei em desespero só de pensar que ela não estava mais ali comigo. Eu não posso ter perdido ela, eu prometi que iria dar vida a ela, que iria protegê-la de qualquer coisa, custasse o que custasse.

“Não, minha filha não!”.

Ouvi a porta se abrir, revelando duas pessoas que eu conhecia bem. Mas justamente faltava aquela que eu mais esperava.

- Louis? – Liam perguntou baixinho, se aproximando da cama. – Como você está?

- Meninos, o que estão fazendo aqui? Cadê o Harry?

- Ele ficou na sala de visitas, disse que vai vir depois – Respondeu Niall, que pegou minha mão para acaricia-la – E não se preocupe, nós já sabemos da sua condição, o Harry nos explicou.

- E a gente não vai contar pra ninguém. Imaginamos o quão difícil deve ter sido pra vocês terem aguentado tudo isso. Nós estaremos do seu lado pro que der e vier.

- E a minha filha? Como ela está? – Estava com um nó na garganta ao pensar na resposta.

- O médico disse que você sofreu um pequena hemorragia mas que está tudo bem com vocês dois – Meus olhos se encheram de lágrimas, mas era de felicidade. Pelo menos eu iria cumprir minha promessa. – E não sei se esse é o momento mais apropriado mas... Parabéns pela neném, apesar de tudo.

- Obrigado Liam – Dei um abraço nele mas notei que o loiro estava meio triste – O que foi Niall?

- Desculpa por ter zoado você, falando do seu peso... Eu não sabia... Eu... – Ele começou a chorar e eu também o abracei.

- Não precisa se desculpar, eu entendo. Eu deveria ter contado pra vocês antes mas eu ainda estava aprendendo a lidar com tudo isso.

- Olha, eu juro que vou ser o melhor tio que ela já teve, vou mimá-la, comprar presentes e levar ela pros melhores pubs da Irlanda e...

- Nialler, você não vai levar a menina pras aqueles pugueiros que você chama de pub né? – Soltou Liam, me fazendo rir e em seguida sentir uma pontada por conta do esforço.

- Viu o que você fez? A sua presença negativa tá fazendo ela ficar mal – Resmungou Horan.

- Na verdade é a sua burrice que vai afetar ela assim como a tinta tá afetando seu cérebro. – Respondi divertido.

- Eu só não te respondo porque... É ótimo ter o bom e velho Tommo de volta. – Sorri agradecido.

- Então não é querendo ser o chato mas... Como você vai ter essa criança? Você sabe que se a gestão descobrir você tá fodido. E ainda tem essa questão da Briana...

- Liam, por favor, bancar o Daddy Direction agora não né?

- Tudo bem Ni, ele tá certo, eu ainda estou quebrando a cabeça pra resolver isso, e ainda tem essa mulher... Mas não quero pensar nessas coisas agora.

- Mas você tem certeza que o filho é seu? – O castanho questionou.

- Certeza certeza não tenho mas tem uma grande probabilidade, já que as contas batem. E é isso que eu tenho mais medo.

- Mas como você disse, sem problemas por enquanto. Teve um dia horrível, tem que descansar. – O loiro aconselhou.

- Obrigado meninos, eu não sei o que seria de mim sem vocês – Agradeci emocionado.

- Nós te amamos e vamos estar com você sempre. Somos uma família, nunca iremos te abandonar. – Liam finalizou e a dupla voltou a me abraçar.

x-LS-x

Depois de uma meia hora de conversa, os garotos foram embora mas antes disseram que iam avisar ao Harry para subir. Esperei 10 minutos, 40, 1 hora e nada dele aparecer. Então resolvi dormir de novo pois ainda me sentia muito fraco.

Quando acordei novamente já era manhã. Olhei pro lado e vi Harry dormindo em uma cadeira que devia ser desconfortável já que era bem menor que ele.

- Haz... – Tentei chamar pelo nome mas minha voz soou tão fina que acabou saindo o apelido. Merda.

O cacheado se moveu de leve e tentei chamá-lo um pouco mais alto, foi quando ele despertou.

- Lou, você... – Disse ainda com a voz embargada pelo sono, pigarreando ao notar que também me chamou pelo apelido – Louis, você está bem? Sente alguma coisa?

- Não, eu estou bem sim.

- Nossa, que horas são? Acho que deve está com fome, eu vou chamar a enfermei...

- Por que você não subiu ontem á noite? – Encurralei.

- Que?...

- Quero a verdade. Por que você não subiu ontem á noite?

- Acho que é meio obvio né? Quer dizer, o motivo de você estar aqui sou eu.

- E por que está agora?

- Você precisava de alguém pra cuidar de você... Não, espera, eu quis dizer te acompanhar, você precisava de um acompanhante e eu me sinto no dever de fazer isso.

- Você não tem que se sentir no dever de nada Harry.

- Não Louis eu...

- Escuta. Eu também errei, eu também te magoei e eu não te julgo por nada que você falou, na verdade tem razão quando disse tudo aquilo. Eu fui e sou um canalha e nem sei mais se sou capaz de cuidar dessa criança, quanto mais duas. Não mereço perdão ou misericórdia e sou maduro o bastante pra reconhecer quando estou errado.

- Por favor não fala isso, eu não devia ter te tratado daquela forma, eu fui cruel, você tá passando por uma gravidez de risco e eu quase matei você e a bebê.

- Ok, digamos que nós dois estamos errados mas me diz Harry: você não sente raiva de mim? Não tem vontade de socar minha cara até passar vontade, nem que seja só um pouquinho? Seja sincero.

- Sim. Eu senti. Mas não agora. Olha, não vou mentir e dizer que toda essa história está me doendo, porque está. Não vou que dizer que isso vai passar ou que as coisas vão voltar a serem como eram mas não vou ser babaca de te largar com a Olivia. Isso nunca. Ela ainda tem um 2º pai, querendo ou não. E continuarei a amando.

- E eu? Você ainda me ama Harry?

Neste momento o Dr. Rivera entrouno quarto e nunca o amaldiçoei tanto.

- Bom dia meninos e que bom que acordou Louis. Então, como se sente?

- Bem – Disse sarcasticamente.

- Ok, eu vou fazer alguns exames rápidos para saber se pode assinar a alta.

- Alta? – Nós dois falamos.

- Sim, infelizmente sua equipe ligou ontem e perguntou o que tinha acontecido e falaram que tinha que te liberar logo porque você tinha uma extensa agenda pra cumprir. Imbecis – Falou baixinho, mas nós ouvimos – Oh me desculpe, esqueço que tenho que manter o decoro.

- Sem problemas, eles são mesmo. – Disse.

- Eu disse a eles que você foi internado por crise de estafa e que até poderia te liberar, desde que você repousasse por, no mínimo, 5 dias.

- E eles aceitaram?

- Tinham que aceitar Harry, afinal é a saúde do cliente deles que está em jogo e isso é negligencia. Na verdade ele deveria ficar 1 ou 2 semanas de repouso mas sendo estafa 5 dias é o máximo que eu pude conseguir.

- Não tem problema Dr., é melhor do que nada. – Disse agradecido.

- E aqui vai um comentário de amigo que morre aqui: Vocês precisam trocar de gestão, urgente. Eles ainda vão acabar com a vida de vocês. – Nos encaramos, meio assustados – Enfim, vamos aos exames?

- Eu... Vou tomar um café, com licença – Harry se retirou, sem nem ao menos olhar para mim, me deixando com aquela duvida mortal.

 


Notas Finais


Podem respirar aliviados, o Louis não vai perder a bebê mas nem por isso as coisas vão melhorar...

Até semana que vem com um dos melhores caps que já escrevi

Twitter: @Krla_Barbosa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...