História A Bela e o Príncipe Kyuubi - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Kiba Inuzuka, Kurama (Kyuubi), Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shino Aburame, Shion, TenTen Mitsashi
Tags A Bela, A Fera, Abelaeafera, Hinata, Naruhina, Naruto
Visualizações 49
Palavras 1.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction A Bela e o Príncipe Kyuubi - Capítulo 4 - Capítulo IV

Após ter sua sentença decretada, Asuma subiu em seu cavalo ainda em estado de choque mas ainda sim foi em direção ao caminho certo para sua casa, pois o tempo havia melhorado e estava claro. Chegou dois dias depois, durante a noite, exausto e sem saber como explicar para os filhos do acontecido. Passando pela porta de entrada sentiu um cheiro bom vindo da pequena cozinha e se direcionou até lá encontrando Hinata concentrada na função, surpreendendo-a, com uma falsa tosse, fazendo a moça tirar a comida do forno improvisado e virar para vê-lo.

—Paai – diz mostrando um grande sorriso e se direcionando ao mesmo para abraça-lo.

—Olá, meu anjo– fala correspondendo ao abraço mas logo se soltando – e seus irmãos onde estão?

—Os rapazes estão tomando banho porque acabaram de voltar do trabalho e as meninas estão tendo seu “sono de beleza”, segundo elas –fazendo seu pai sorrir– vou chamá-los para o jantar, o senhor pode esperar? – expressa gentilmente, retirando-se

—Sim, eu espero, querida – fala Asuma sentando no chão, preparando-se para comer e pensando em como contaria o episódio assustador que aconteceu na sua viagem. Após alguns minutos tem seus pensamentos interrompidos por duas meninas saltitantes, fazendo-o se levantar novamente para cumprimentá-las

—Papai, papai – dizem Sakura e Ino alegres, indo abraçar o pai que corresponde

—O senhor comprou nossos presentes?- pergunta Sakura animada

—Primeiro vamos jantar, depois conversamos sobre isso – tenta desconversar deixando as duas intrigadas.

—Tudo bem... – fala Ino desconfiada

Depois os outros dois irmãos chegaram e cumprimentaram o pai, seguidos de Hinata, que arrumou o resto da refeição na pequena mesa, assim todos se reuniram em volta do “chabudai” e comendo em seguida. Após o jantar Asuma avisou que iriam ter uma conversa e pediu para os filhos irem para a sala, com todos reunidos, ele relatou o acontecido

—Meus filhos, aconteceram muitas coisas nessa viagem, infelizmente nossas mercadorias foram roubadas por piratas quando o navio estava aportando – diz entristecido – então não deu para comprar os seus presentes Ino e Sakura, eu sinto muito.

—AH NÃO, NÃO ACREDITO, ENTÃO DE QUE SERVIU ESSA VIAGEM SE NÃO TROUXE NOSSOS PRESENTES – expressa Ino exaltada

—Diminua o tom, não vê que o nosso pai está arrasado – fala Shikamaru se aproximando da irmã e perdendo a paciência.

—Acalmem-se por favor – pede o senhor – eu não trouxe presentes que valiam dinheiro mas...- indo em direção a pequena “bolsa” que levou e pegando a rosa que por incrível que pareça não murchou- eu trouxe a sua flor, Bela – levando para a menina que sorriu agradecida.

—Obrigada, meu querido pai – abraçando-o novamente – é a rosa mais linda que já vi, e é azul, minha cor favorita – diz contente

—Ninguém merece... – expressa Sakura entediada

—Mas ainda não acabaram as notícias -  expõe receoso deixando os filhos aflitos- essa rosa infelizmente me custou um preço muito caro.

—Co-como assim, papai? – fala Hinata assustada

—Eu no caminho para casa depois da decepção que foi em Konoha, acabei me perdendo no trajeto e parando em um grande castelo, como estava frio e meu cavalo estava ferido tive que pedir ajuda; não fui atendido mas também não fui expulso, apenas encontrei uma mesa repleta de comida e um bom lugar para dormir, no dia seguinte me despedi mas não obtive resposta, então me retirei do local e vi as mais belas rosas, então pensei em Hinata e peguei uma pra mim, mas depois disso fui rendido por uma fera enorme na forma de uma Kyuubi que me deixou ficar com a rosa mas em contrapartida fui sentenciado de morte por ele, por isso estou aqui – relata respirando fundo e dando uma pausa- para me despedir – diz com os olhos marejados e deixando seus filhos assustados e paralisados.

—TINHA QUE SER... ISSO É TUDO CULPA SUA, HINATA – grita Sakura, apontando para irmã e se aproximando da mesma mas é segurada por Shino – SE VOCÊ NÃO TIVESSE PEDIDO ESSA MALDITA ROSA NADA DISSO ESTARIA ACONTECENDO – completa tentando se desvencilhar do irmão

—E-Eu  sinto muito, não foi minha intenção – fala se encolhendo e começando a chorar – eu jamais podia imaginar que alguém morreria por pegar uma flor, ainda mais meu pai.

—Minha querida, não é culpa sua – Asuma expressa consolando a filha – foi culpa minha, eu devia ter pedido autorização mas eram tantas rosas que achei que tirar uma não ia fazer falta.

—Ainda vai defende-la- reclama Ino

—Parem as duas com isso – repreende Shikamaru- Hinata não teve culpa, culpado é essa fera que por uma flor condena alguém a morte, ainda mais uma pessoa de idade avançada. O que me deixa intrigado é que as Kyuubis já haviam sido extintas a séculos, e agora aparece mais uma em um castelo.. isso é muito estranho – expressa pensativo

—Estranho ou não, precisamos matar essa fera, é o único jeito – fala Shino convicto

—Nada disso, eu vou cumprir minha sentença – expõe decidido – uma Kyuubi é muito poderosa e os mataria sem pestanejar – eu já estou velho e doente, minha vida já não vale tanta coisa e vocês já estão grandes o suficiente para se cuidarem

—Mas pai...- rebate Shikamaru

—Mas nada, está decidido.... amanhã irei embora, outra hora nos despedimos – fala cabisbaixo e indo em direção ao seu quarto- boa noite e vamos dormir.

—Tá vendo, é tudo culpa sua – expressa Ino, apontando para Bela e indo dormir, levando Sakura que estava aos prantos e deixando a jovem perolada entristecida.

—Não liga para ela, a culpa não é sua, akane – diz Shino acariciando a cabeça da irmã.

—Tu-tudo bem – responde entristecida – vocês podem me dar um abraço? – fala receptiva e os irmãos acolhem a moça- agora eu vou dormir, boa noite, meninos – pronuncia tempos depois saindo dos braços dos rapazes e indo para seus aposentos.

Mas a jovem não foi para o seu quarto e sim para o pequeno jardim atrás da casa, onde também havia um pequeno lago; sentou-se em uma cadeira e ficou pensando como botar seu plano em ação, estava decidida a ir no lugar de seu pai pois se sentia culpada e não era justo que ele pagasse por um capricho seu. Após muito raciocinar e derramar algumas lágrimas já sabia como fazer, direcionou-se a cozinha e preparou algo para comer no percurso, em seguida foi ao seu quarto e aproveitou a luz da vela que ainda estava acesa mais o sono pesado das irmãs para escrever uma carta ao pai, explicando sua decisão, depois disso escolheu apenas um vestido para levar pois em sua cabeça, provavelmente seria morta pela fera e não necessitaria mais roupas, arrumou sua “trouxinha” e então foi tirar um cochilo já que partiria ainda de madrugada antes da família acordar.

No dia seguinte, antes do dia amanhecer a perolada pegou suas coisas, foi ao quarto do pai sorrateiramente e deixou a carta ao lado da cama, soltando algumas lágrimas saiu do local e foi em direção a saída, olhando mais uma vez para sua casa e se despedindo mentalmente, depois subiu em cima do cavalo para ir embora, não sabia o caminho mas provavelmente o animal sim, então resolveu arriscar...

—Leve-me ao castelo – disse para o animal que depois de ouvir as palavras saiu em disparada, assustando a jovem, fazendo-a se segurar mais fortemente, enfim dando início a saga da moça.

Horas depois – Casa dos Sarutobi

Asuma acordou pensativo sobre a decisão que havia tomado, levantou-se e se deparou com um papel em sua mesinha de cabeceira, abriu a folha e começou a ler o que estava escrito

“Querido pai, sei que estou o magoando mas é o único jeito, precisei ir em seu lugar para receber a punição da fera, não seria justo com o senhor e com meus irmãos. Sinto muito mesmo por colocar toda a família em risco por um pedido bobo, quero que saiba que o amo muito e agradeço por ter cuidado de mim todo esse tempo com carinho  mesmo sem saber minha origem, diga aos meus irmãos que também os amo e apesar das meninas não gostarem muito de mim, eu as quero muito bem. Não vou me estender muito, se não vou acabar desistindo, enfim, eu só tenho a agradecer e desejar que todos vocês sejam muito felizes e nos veremos quem sabe na próxima vida. Adeus...

                                                                                De sua filha, Hinata Sarutobi”

—NÃAAAAOOOOOOO – grita o homem em prantos, deixando a carta e saindo de seu quarto, indo em direção a saída da casa, não avistando seu cavalo- E-ela foi embora – diz se ajoelhando na terra e chorando.

—O que foi, pai? – fala Shikamaru, levantando o senhor, acompanhado do resto dos irmãos que acordaram com o susto.

—Ela foi em meu lugar, ela será morta- pronuncia chorando e sendo acalentado pelos filhos....que o levaram para dentro em seguida.

No castelo Uzumaki – Início da noite

—Dobe.... tem certeza que é a melhor coisa a se fazer? – expressa Sasuke – Matar um inocente?

—Inocente? – diz Naruto estressado – ele simplesmente matou um de nossos habitantes, eu sou responsável por eles se você esqueceu....uma vida por outra vida essa é a nossa lei.

—Eu sei, mas ele desconhece nossas leis e o fato de que as rosas eram seres vivos... – expõe entediado.

—Não quero saber ele será punido e ...- é interrompido por uma voz feminina e suave, fazendo os amigos interromperem a conversa e escutar a moça

—O-olá, tem alguém aí ? E-eu  vim no lugar de meu pai – pronuncia em voz alta receosa

—Você ouviu isso, teme? – diz Naruto assustado e esperançoso – é uma moça, ela veio no lugar do pai

—Siim, acho que a rosa era pra ela....- Sasuke responde indiferente, mas logo depois se empolga – UMA MOÇA, é sua chance de tentar reverter o feitiço.

—Não sei, nada me garante que ela vá se apaixonar por mim sendo esse monstro e eu por ela – expressa desanimado e andando de um lado para o outro sem saber o que fazer

—Mas você precisa tentar, mostrar a ela quem realmente é....

—Nada disso, não vou obrigar alguém a me amar- expõe decidido – está definido se ela veio no lugar dele, então ela que será morta – fala se dirigindo ao encontro da jovem, saindo de seus aposentos e sendo seguido da águia falante.

—Espero que você saiba o que está fazendo – diz Sasuke inseguro.


Notas Finais


Chabudai = mesa de baixa altura utilizada pelos japoneses (sem cadeiras em volta)
Akane = doce flor


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...