História A beleza da monotonia - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Romance
Visualizações 7
Palavras 383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Seinen
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Inflexão


Após chegar em casa, ligo a TV de meu quarto e sou bombardeado com as mesmas notícias:

''Assassinato de embaixador dos Estados Unidos na China causa conflito e manifestações ao redor do mundo''

''Ameaças da Coreia do Norte aumentam juntamente com o caos no país vizinho; Coreia do Sul''

Eu fico deitado e ouvindo tudo aquilo. Eu não conseguia pensar em nada a não ser em Rachel. Pessoas morrendo ao redor do mundo, pessoas lutando por paz; e eu aqui, melancólico por causa de uma garota que nem mesmo faz questão que eu exista ou não. 

''Além de ingrato, você é amargo.'' — Rachel me disse no último dia de aula, no último dia em que nos vimos.

''Essa é a sua opinião. Não sou obrigado a sentir nada pelos outros.'' — eu respondi

''Realmente não. Você não é obrigado a agradecer as pessoas que fizeram parte da sua vida por todo esse tempo, porém, isso não muda o que você fez.''

Não me lembro ao certo o por que de ter brigado com ela, mas depois de pensar algum tempo, recordei-me de que tratei os meus colegas de classe de modo amargo e grosso quando estavam todos me convidando pra uma festa de despedidas. Eu não sou um homem de festas; nunca fui, e todo aquele ar de sorrisos falsos e ''quero ser seu amigo pra sempre'' me enojava por completo. Rachel não brigou comigo por eu ter recusado ir pra festa, ela brigou comigo por que desprezei meus colegas de classe como uma pessoa normal despreza insetos que cruzam seu caminho no dia a dia.

Aquela foi a última vez em que nos falamos. Ela deu as costas pra mim e foi embora do colégio em um início de tarde um tanto quanto quieta. 

Eu queria me desculpar. Eu realmente queria. Mas dentro de mim o orgulho e o ego gritavam. Rachel se foi assim como o perdão que estava preso dentro de mim, ele se dissipou. Malditos sentimentos...

-

Eu escuto meu telefone tocar. Atendo e converso com um homem que parecia impaciente no telefone; fim de conversa, desligo.

A fixa do que acabara de acontecer ainda não havia caído.

Uma ligação das Forças Armadas; convocação urgente. A guerra acabara de ser declarada e eu era um dos peões desse tabuleiro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...