História A Belieber - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Visualizações 57
Palavras 1.867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - X. Boston


Fanfic / Fanfiction A Belieber - Capítulo 11 - X. Boston

St. Louis — 19/04/2016

Louisville — 20/04/2016

Rosemont — 22-23/04/2016

Auburn Hills — 25/04/2016

Cleveland — 26/04/2016

Columbus — 28/04/2016

Washington D.C — 29/04/2016

Brooklyn — 04-05/05/2016

Philadelphia — 07-08/05/2016

 

Nossa vida está uma correria, as pessoas estão cada vez mais interessadas no nosso relacionamento, então onde pisamos um enorme número de paparazzis e fãs se encontram, deixando Justin nervoso e preocupado.
Ele aumentou ainda mais a segurança depois do incidente no banheiro, inclusive eu tenho uma segurança particular para me acompanhar em compromissos, fotos e até mesmo quando vou ao banheiro.
Por causa de Jasper eu tenho uma agenda organizada, tenho saído em capas de revistar e ganhado um bom dinheiro como modelo, não que Justin goste disso.
A web série vem sendo um sucesso absoluto e agora eu escolho duas garotas para verem o show comigo da coxia e depois conhecerem o Justin.
As garotas tem gostado de mim, mas sempre tem as que me criticam.
Por conta de todas as fofocas que vem sendo inventadas ao nosso respeito, Bella não recebe mais informações.
Justin parece feliz e paciente ainda, só não sei até quando.

 

Boston — 09/05/2016 06:00

 

Para a minha sorte, Jessie ­— minha segurança particular, gosta de correr também e mesmo que ela não troque uma palavra comigo, sei que apostamos corrida.

— Bom dia Jessie! — murmuro entrando no elevador e ela assente com a cabeça.

Vamos em direção ao Boston Common para nossa corrida matinal, não fica muito longe do hotel.
Justin acústico explode em meus ouvidos — Quem diria que a minha vida mudaria tanto que agora eu posso ouvi-lo cantar no chuveiro de alegria e saber que o motivo sou eu, e assim que pisamos no parque já começamos a correr em ritmo frenético.
Sinto que estão me fotografando, mas não me importo.

 

Assim que damos a primeira volta no parque a quantidade de paparazzis começa a ficar assustadora e eu seguro no braço de Jessie que me olha com calma.

— Aja naturalmente senhorita Chermont, eles procuram pelo seu medo e eu já pedi reforço. — acrescenta com calma e eu a obedeço voltando a correr.

Em pouco tempo quatro seguranças de Justin me cercam, dois na minha frente, Jessie ao meu lado e mais dois atrás.

— Eu não sabia que tinha tantos deles aqui. — comento correndo.

— Eles estão viajando junto com vocês, senhorita. — informa.

— Uau. — falo surpresa.

— Eles estão loucos atrás de um beijo do casal. — conta e eu me choco.

— Obrigada por me contar, Jessie! — agradeço e ela volta a sua pose durona.

Quando voltamos para o hotel eu me sinto esgotada, a corrida me dá a sensação de disposição e alegria, mas hoje, por conta de todos aqueles caras atrás de mim, me estressou e puxou todas as minhas energias positivas.
Piso no quarto às 08hrs e sei que Justin ainda dorme como uma pedra, ele acorda no mínimo às 10hrs.
Peço nosso café da manhã e vou tomar um bom banho.
Quando volto para o quarto Justin está deitado de bruços com as costas nuas a mostra e aquela nuca linda com asas, eu não resisto e a beijo.

— Bom dia! — sua voz rouca me faz sorrir.

Justin puxa meu corpo para a cama me assustando e eu riu.

— Bom dia! — fala escondido em meu pescoço.

— Como foi sua corrida? — pergunta limpando os olhos me fazendo sorrir.

— Teve muita adrenalina e cinco seguranças! — conto e ele me olha confuso.

— Pelo que parece, eles estão nos seguindo pelo país atrás de uma foto de um beijo nosso. — conto logo e ele ri.

— Bom... — dá de ombros.

— De qualquer forma não faríamos uma cena na frente de ninguém. — falo e ele assente.

— Vou tomar um banho. — fala e eu nego o trazendo para o meu peito.

— É cedo ainda, o café só chega mais tarde, vamos curtir a paz do nosso quarto mais um pouquinho. — ele ri.

— Você está assustada não é?! — olha em meus olhos e eu assinto.

— Por isso precisamos dos seguranças, agora você entende? — pergunta e eu confirmo.

— Mas também não é bom ficar andando com um monte de caras atrás de você. — me explico.

— Seus pais não tem seguranças? — pergunta curioso.

— Tem sim. — ele faz uma cara de eu sempre tenho razão e eu riu.

— Não reclamarei mais deles. — faz uma dança da vitória ridícula me fazendo gargalhar.

— O que faremos hoje? — pergunta fazendo carinho em meus cabelos.

— Eu tenho algumas fotos hoje, pensei que poderia ir comigo... — ofereço e ele faz cara de poucos amigos.

— Eu não reclamo dos seguranças e você não reclama das minhas fotos?! — ofereço e ele nega.

— Não quero você exposta em lugar nenhum! — fala pela milionésima vez e eu reviro meus olhos cobrindo a cabeça com um travesseiro.

 

 

CHEGAMOS AO LOCAL das fotos extremamente atrasados por conta do corpo mole que Justin fez, eu estava a ponto de mata-lo, só não tinha brigado ainda porque agora andamos sempre com um segurança dirigindo para nós e não queria expor a nossa vida.

— Isso não se faz, Justin! — falo irritada assim que descemos do carro e vamos em direção a entrada.

Nem fiquei para ouvir o que ele tinha a dizer, simplesmente entrei.

— Bom dia! — saúdo a todos que me cumprimentam de volta com muito calor.

— Desculpem o meu atraso. — peço.

— Tudo bem, querida. — o maquiador me direciona para uma cadeira e começa o seu trabalho.

Justin entra e todos param olhando para ele, o que me faz rir.

— Gente, esse é o Justin e ele vai me acompanhar hoje, tudo bem? — pergunto e todos assentem perplexos.

Uma garota se encarrega dele que nem se digna a tirar os óculos, ele se senta em um dos sofás e fica me olhando ser maquiada.
Meu celular vibra e vejo seu nome na tela.

"Justin Bieber

Essas fotos não são peladas, né?!
                                    12:37"

Olho para ele pelo espelho e faço um sinal negativo com a cabeça que assente.
Uma revista de moda me contratou para fazer um editorial de primavera para eles, assim que Justin viu que nada mostrava meu corpo demais seu humor melhorou, ele ria das caras que fazia, me imitava e ficava ligado em cada foto que saía na tela do computador.

— Você está linda! — sussurra no meu ouvido em uma pausa me abraçando.

— Viu como não é tão ruim? Você precisa se acostumar, eu quero ser atriz, Justin. — ele assente me apertando mais.

Assim que termino nós vamos em direção ao carro de mãos dadas com ele rindo das minhas caras e bocas.

— Eu sou uma boa modelo, admita! — brinco e ele ri.

— Você é linda! — me surpreende me puxando para ele e abraçando minha cintura.

Olhos azuis nos olhos mel, meu coração dispara e ele põem seu nariz no meu.

— Eu estou muito apaixonado por você! — admite me deixando sem palavras.

— Justin, quantas vezes eu preciso dizer que sinto exatamente o mesmo? — pergunto e ele fecha os olhos dando de ombros.

— Só esperava não ter que esperar tanto! — admite partindo o meu coração.

— Eu só quero que tenha certeza de que você me quer, quero que você conheça cada parte de mim antes de entrar nisso, como quero conhecer todas as suas partes. Hoje faz dois meses que estamos viajando juntos, é muito pouco tempo, nós atropelamos tudo, por conta do que sentimos um pelo outro, eu sei, mas não é saudável. Eu tenho medo! — confesso.

— Medo de quê? O que eu preciso fazer para que isso suma? — aperta minha cintura mais.

Eu fu...

— Senhor, a não ser que queira ser fotografado em um momento íntimo, aconselho que entre no carro. — Jessie avisa cortando nosso momento.

Justin assente e me puxa pela mão para dentro do SUV Audi.

— Você foi, o quê? — pergunta quando já estamos acomodados.

— Eu fui, o quê? — finjo ignorância e ele revira os olhos pegando seu celular.

— O que faremos hoje? — mudo de assunto.

— Podemos conhecer a cidade e jantar em uma das melhores cantinas italianas de Boston. — sugere e eu concordo.

 

PASSAMOS NO HOTEL, apenas para que eu colocasse uma roupa mais confortável e fomos conhecer a cidade de Boston como dois turistas. Nós criamos o habito de fazer fotos em todas essas cidades que estamos visitando e Justin criou um Instagram especificamente para isso, onde os fãs acompanham a nossa viagem e os lugares especiais que conhecemos, para que eles tenham notícias nossas, sem que sejam deturpadas e estejam sempre próximos de nós.
Nos acomodamos em um local super charmoso e discreto, pedimos sobremesas e dois cafés.

— Eu não sei porque eu peço esses bolos, deveria pedir sempre o de chocolate. — reclamo pegando um pedaço enorme do dele.

— Assim eu posso comer o seu de morango e você come o meu de chocolate. — pisca e eu sorriu.

Enquanto ele termina de comer eu o observo, suas feições são extremamente delicadas, ele é um homem lindo por dentro e por fora, que sorte a minha.

— O quê? — pergunta tímido e eu nego com a cabeça.

Percebo uma movimentação estranha dos seguranças ao lado de fora com os paparazzis que estão cada vez mais incontroláveis e Justin decide que é hora de ir embora.
As perguntas sobre o nosso relacionamento são cada vez mais constantes e frustrantes, porque mesmo que pudéssemos já assumir um status, eu gostaria que as pessoas soubessem? Eu gostaria que elas ficassem dando opiniões sobre o meu relacionamento? Mesmo a gente negando um compromisso, quase nunca termos demonstrações de afeto em público, eles já especulam muito, imagina se nos assumirmos como um casal. Tenho medo de uma invasão domiciliar ou até de acabar como a princesa Diana, perseguida e morta em túnel por conta de um paparazzi. Eu gosto de Justin, mas não gosto desta fama, nunca gostei nem da dos meus pais e venho repensando até sobre minha carreira de atriz.

— O que você está pensando? — Justin passa a mão em meus cabelos e eu o olho nervosa.

— Não deixe que eles te assustem, o que eu aprendi em todos esses anos de fama e depois de sofrer muito, simplesmente deixe que eles tirem as fotos que querem tirar e vão embora, assim você não fará mal a ninguém e ninguém te fará mal. Talvez você deva ver um psicólogo, isso anda te afetando muito. — fala acariciando os meus cabelos e eu sorriu para ele.

— Não acho que seja necessário ainda. — ele assente.

— Entenda que terá que viver com essa exposição pelo resto da vida. — informa e meu sorriso se amplia.

— O quê? — pergunta rindo.

— Pelo resto da minha vida? — falo risonha apertando sua barriga e ele gargalha.

— Se você quiser... Com certeza! — beija a minha testa com muito amor e eu lhe abraço apertado.

— Eu te amo! — falo e em seguida olho em seus olhos.

— O-O quê? — pergunta com um sorriso nos lábios.

— Eu amo você Justin Bieber! Por cada gesto de carinho, cuidado, preocupação e a cima de tudo, pela paciência que tem comigo. — ele me abraça forte e apertado, retribuo na mesma intensidade.

— Katherine, eu te amo muito mais, não quero você fora do meu alcance nunca mais, só de te olhar eu já me sinto mais feliz todos os dias. — ele se aproxima de mim para me beijar.

O carro sofre um impacto abrupto nos jogando contra o banco da frente.

Droga Katie! — exclama assustado.

Continua... 


Notas Finais


Look Corrida Boston: https://www.polyvore.com/corrida_em_boston/set?id=220334292
Look Boston para ir fazer as fotos: https://www.polyvore.com/look_para_ir_fazer_fotos/set?id=220335510
Look conhecer Boston: https://www.polyvore.com/passeio_por_boston/set?id=221717699


Guns of Love Sinopse:
Será que vou sobreviver a toda dor e escuridão?
Um passado marcado por dor.
Um presente doloroso.
Ele revive todas as brigas, dores e a escuridão como se fosse ontem.
Ela sente como se tudo ainda estivesse acontecendo.
Não é como se existisse uma maneira de esquecer.
É como se as lembranças fossem fantasmas que atormentam.
Mas o amor com todas as suas armas deixa tudo melhor.
Afinal...
O amor é o sentimento mais puro que existe.
Ou não?!

Link Guns of Love:
https://spiritfanfics.com/historia/guns-of-love-10349889


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...