História A Belieber - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Visualizações 165
Palavras 4.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


MAISSSS UMMMM <33

QUERO AGRADECER IMENSAMENTE A GEOVANA PELA NOVA CAPA, EU AMEI BABY!!!! <3

NOTAS FINAIS!!!!

Capítulo 44 - XLII. Los Angeles


Fanfic / Fanfiction A Belieber - Capítulo 44 - XLII. Los Angeles

Los Angeles — 06/01/2017  09:53

 

Durante todo resto do nosso café da manhã depois que Geórgia foi embora, eu me senti tensa, como se um peso tivesse se instalado sob minhas costas.
Só pode ser coisa da minha cabeça que ela tenha direcionado este conselho a mim.
Justin permanecia extremamente relaxado como se não tivesse escondendo nada de mim — e provavelmente não está — e parecia não perceber que eu escondia.
Nesta altura do nosso relacionamento eu não posso simplesmente contar tudo e permitir que ele me deixe.
Eu não aguentaria perder o amor da minha vida por uma coisa tão idiota!
Uma coisa que eu reverti antes de se tornar grave e algo que não nos fez tanto mal.
Eu não vou contar, já está decidido!

— No que você está pensando, baby? — põem a mão na minha coxa embaixo da mesa e eu sorriu o olhando.

— Que teremos que correr muito para fazer estas três cerimônias — ri e beija minha testa.

— Geórgia parece muito competente, amor. Vai dar tudo certo — assinto lhe dando um selinho.

— Acabou seu café, querida? — Pergunta a Annie que assente.

— Acho que não vou comer até voltar para NY — gargalhamos e parece que toda tensão se dissipa.

— Não se preocupe que ainda tem o almoço — falo e ela ri.

— Lanche da tarde e jantar — Justin completa tirando mais risos dela.

Justin pede a conta e logo estamos no carro de novo com um pouco de dificuldade.
Os paparazzis gritavam todos juntos querendo saber sobre o noivado, quando seria o casamento, se eu estava grávida, como ficaria a turnê e eu posso até ver a quantidade estrondosa de matérias absolutamente mentirosas que saíram amanhã.

— Você vai fotografar para a vogue quando? — Justin pergunta absorto em seu celular.

— Amanhã — assente.

— Para onde estamos indo? — Pergunto e ele olha rindo para Annie.

— Isso não é justo — reclamo como uma garotinha e eles riem.

Eu passei o caminho inteiro fazendo perguntas que não eram respondidas, me deixando curiosa, mas quando Justin colocou uma venda nos meus olhos tudo piorou.

— Eu estou levando Kit Kat para uma surpresa, o que vocês acham que é? — Justin fala provavelmente com seu stories do instagram e eu mordo minha boca com ansiedade.

— A tata vai gostar, Annie? — Pergunta e ela ri.

— Ela vai amar! — fala fazendo meu coração acelerar.

— Vocês vão me matar do coração — reclamo e eles riem.

— Dê um oi para as garotas, amor — pede eu aceno ainda com os olhos tapados.

— Oi lindas! — sorriu.

Demora mais algum tempo e Justin me ajuda a sair do carro.
O vento está gelado pelo início do ano, mas o sol ainda está presente deixando as coisas melhores.
Sou parada e virada de frente para alguma coisa.

— Está preparada?! — Annie pergunta e eu assinto animada.

Uma contagem regressiva longa demais começa e quando a venda é tirada de mim meus olhos se arregalam.
Um palacete está a minha frente.
Um portão muito alto o cerca, cheio de verde para que os paparazzis não consigam fotografar.
Uma fonte está ao meio, do lado direito e, esquerdo tem grama verde e aparada. Flores cercam os caminhos e duas árvores lindas próximas a casa. Que tem janelas enormes e feita de tijolinhos cinza.

— Oh amor, sua casa é linda — elogio e ele riu com Annie.

Ele me vira de frente para ele e põem uma chave em minha mão com um laço me deixando confusa.

— É a nossa casa, baby! — fala sorrindo e eu fico ainda mais confusa.

— Para depois que nos casarmos? — ele nega rindo.

— Não amor, nós moramos aqui a partir de hoje — informa e eu arregalo meus olhos.

Sinto as lagrimas invadirem meus olhos e pulo em seu colo sendo abraçada apertado.

— Você está me chamando para morar junto com você? — Pergunto o olhando rapidamente e ele ri.

—Não amor! Essa casa está no nosso nome, não estou te convidando, nós moramos juntos — fala mandão e eu riu.

— Você é maluco! Eu amo você, obrigada, eu amei! — Lhe dou um beijo e ele ri.

— Você ainda nem olhou por dentro, só me agradeça depois disso — assinto.

Caminhamos juntos até a entrada da casa e Justin pede para que eu abra com a minha chave.
Assim que escancaro as portas duplas meus olhos se arregalam.
Uma linda madeira forra o chão com uma decoração em branco surpreendente.

— Ela está decorada? — Ponho as mãos na boca e ele ri.

— Você me ajudou a escolher tudo — assinto e ele ri.

— Você só escolheu outra casa — falo batendo nele que ri.

— Vamos ter muitos filhos — assinto e rimos.

Demoramos no mínimo uma hora para conhecer a casa toda que em cada oportunidade revelava uma foto nossa.
No escritório de Justin atrás de sua cadeira existiam todas as minhas capas de revista, uma foto minha de seu editorial preferido em sua mesa, todos os seus prêmios expostos em estantes, junto com seus discos de ouro expostos na parede.
No meu escritório, sim, eu tenho um para mim, tinham diversas fotos nossas e todas as capas de revista de Justin atrás da minha cadeira.
Existia uma parede em frente a lareira repleta de quadrinhos com fotos nossas por todos os lugares em que visitamos. Como conversamos que faríamos.
Em frente à mesa de jantar existiam mais. Em cada mesinha pela casa, sob seu piano.
Fotos só nossas, fotos nossas com pessoas que amamos, mas sempre nós dois juntos.
A nossa casa oferece 1.010 metros quadrados, sete banheiros, seis quartos, closets individuais para ambos — o que foi um alivio porque minhas roupas mal cabiam no que estava ali, imagina dividindo com Justin —, escritórios para ambos, sala de cinema, mini bar, sala de jogos, academia, adega, quadra de tênis, quadra de basquete, um incrível mini estúdio para Justin, uma área de lazer gigante com uma bela churrasqueira.
Observo três cachorros correndo em nossa direção e eu arregalo meus olhos.

— Chanel! — Grito e ele corre em minha direção me fazendo rolar na grama com ele arrancando risos dos meus dois amores.

Dou carinho para os dois outros cachorros que são tão fofos.

— Amor, esta é Esther e esse é Jatie — mostra Esther uma Yorkshire Terrier e Jatie um Golden Retriever.

— Nós teremos três cachorros? — Ponho minhas mãos na boca e ele ri assentindo.

— Caralho! — Solto muito feliz e Annie ri.

— Como você conseguiu fazer tudo isso em tão pouco tempo? O que eu fiz para merecer um homem tão perfeito? — Pergunto largando os cachorros e o beijando.

— O que faremos com eles quando voltarmos para a turnê? — Pergunto chateada e ele ri.

— Não se preocupe, eu contratei alguém que cuidará deles e nós sempre que pudermos estaremos aqui — beija minha testa.

— E Madison nos deu Chanel de bom grado? — Pergunto e ele ri.

— Será uma espécie de guarda compartilhada, ela ficará com ele enquanto estivermos na turnê e com os outros dois também — conta e eu gargalho.

— Um Bulldog francês, uma Yorkshire e um Golden, imagina se eles cruzarem, Justin — falo desesperada e ele ri.

— Assim que for possível castraremos os três — assinto.

— Agora só falta a apresentação dos empregados — encolho meus ombros com medo e ele ri.

— Quem os escolheu, sabe do que você gosta, foi ela também que escolheu nosso enxoval todo de casamento, eu estava me esquecendo completamente de toalhas, pratos e etc — riu seguindo para dentro com os cachorros nos seguindo.

— Como minhas roupas vieram parar aqui? — Pergunto e ele ri.

Annie está super animada correndo pela casa e brincando com meus filhos cachorros.

Eu me sentia fora do corpo de tanta felicidade.
Como alguém consegue me surpreender tanto? Se esforçar tanto para que tenhamos o melhor? Esta casa é muito mais do que eu jamais poderia pensar. É o nosso canto, tem a nossa cara, nem se nós dois estivéssemos perto o tempo todo para escolher tudo ficaria tão perfeito, tão harmonioso.
Tudo está exatamente como Justin...Perfeito!

Imaginei que me sentiria estranha em morar em um local tão grande, mas se formos ter tantos filhos como Justin quer, este lugar é para nós.
Eu me senti bem assim que pisei aqui.
O verde, as flores, as cores leves, é tudo exatamente como eu gostaria, mas não conseguiria expressar.

Começo a chorar e, Justin ri me abraçando, mas eu não consigo controlar.
Minha vida está exatamente onde eu gostaria que estivesse.
Eu passei por tanto no ano passado, sofri tanto, mas estou sendo altamente recompensada agora.
Isso faz com uma culpa enorme se instale em mim.
Não é justo que ele esteja com alguém como eu, que o prejudicou, o feri com as coisas que permiti que Bella postasse.
Ele não pode se enganar tanto com alguém como eu, fazer coisas tão maravilhosas e eu não mereço nada disso.

— Eu não mereço tudo isso — soluço e ele me olha confuso enrugando a testa.

— Ei, nunca mais diga isso e nem pense isso nem por um segundo! — Ordena me olhando nos olhos e eu apenas choro.

— Katherine você me devolveu a vida, você me transformou em tudo de melhor que eu nem cogitei ser um dia. Eu nunca fui tão feliz — segura meu queixo me fazendo olha-lo nos olhos.

— Você merecia um castelo, na verdade uma cidade só com o seu nome — fala me arrancando uma risada.

— Nós somos perfeitos juntos, amor. Nunca mais ouse falar uma bobagem destas, se não iremos brigar — avisa e eu assinto o abraçando forte.

As palavras de Justin não tiram completamente o peso das minhas costas, mas eu preciso admitir que o faço bem.
Paro com toda a choradeira a força e ele me enche de beijos até me acalmar.

— Eu te amo, minha Kit Kat — sussurra perto de mim e eu assinto.

— Eu te amo, meu amor — lhe dou um selinho.

Ficamos abraçados por mais algum tempo até que ele me faça tão bem que todo sentimento ruim se esvaia.
Me afasto olhando em seus olhos cor de ouro que me transmitem mais paz que qualquer coisa neste mundo.
Ele sorri me fazendo rir levemente e beija a minha testa.

— Se não fossem as atuais circunstancias eu poderia jurar que você está grávida, Kit kat — brincou e eu ri negando.

— Não é o caso, baby — assente.

Voltamos a andar em direção a cozinha e assim que vejo Donatella abraço Justin chorando novamente. Meus soluços saem sem permissão deixando Justin preocupado.
 

Donatella me abraça apertado e eu fungo em seu colo tão maternal para mim. A conheço desde a barriga da minha mãe, ela sempre foi parte da nossa família, parte fundamental na minha vida e de meus irmãos, eu a amo e saber que ela vai cuidar do meu lar, não tem preço.

— Se acalme, minha menina — fala em seu perfeito francês me fazendo chorar mais.

— Isso é tudo saudade da infância? — Pergunta rindo levemente e eu assinto como uma garotinha.

— Não se preocupe, a criança que existe dentro de nós nunca vai embora, sei que até agora não tem sido fácil crescer, mas as coisas só vão melhorar a partir de agora, eu estou aqui para cuidar de você e da casa de vocês — sussurra em meu ouvido e eu assinto.

— Eu te amo, Tella — sussurro e ela ri.

— Eu também, meu macaron — riu por meu apelido desde criança e ela me acompanha.

Nos afastamos e ela seca minhas lagrimas sorrindo para mim logo assumindo uma pose diferente.

— Eu serei a governanta por aqui — informa usando inglês e eu assinto.

Observei sete empregados muito bem vestidos ao comando de Tella que piscou para mim.

— Se lembra do Chef Claude, do iate? — Assinto e sorriu para ele que retribui.

— Ele cuidará das nossas refeições — Justin avisa e eu assinto.

— Esta é Aria, ela ajudará Claude com a cozinha, as compras, a louça — informa Donatella e eu concordo indo cumprimentá-la.

— Seja muito bem-vinda a nossa família, Aria — aperto sua mão e ela sorri.

— Obrigada senhora — sorriu.

— Me chame de Katie ou Katherine — assente.

— Estas são Isabelita e Dulce, elas arrumarão a casa e cuidarão da limpeza de tudo — Apresenta e eu as cumprimento como Aria.

— Estes são Carlo e Raul, farão todo o trabalho com o jardim — informa.

— Victor cuidará da piscina.

— E Eron cuidará dos cachorros, quando estiverem aqui ou na casa da Maddie — finaliza e eu assinto.

— Sejam bem-vindos a nossa casa, espero que gostem muito de trabalhar aqui, sejam felizes aqui, Donatella é meu braço direito, tudo que precisaram podem falar com ela ou comigo, sintam-se muito à vontade — assentem e eu sorriu.

— Faço das palavras da minha mulher as minhas — Justin sorri e segura minha mão.

— Querida, podemos ver o cardápio para os próximos dias que passarão aqui e eu preciso lhe informar algumas coisas — Donatella fala e eu assinto.

 

[...]

 

— Eu estou atrasada! — Falo correndo para me arrumar e Justin ri me observando em meu closet.

— Eu não sei onde está nada aqui ainda — bufo abrindo centenas de portas.

— Eu te disse que não daria tempo de transarmos, mas você insistiu tanto — fala divertido por ter feito com que eu me atrasasse e eu lanço um olhar mortal para ele que ergue as mãos e sai do closet.

— Tata — Annie grita animada entrando com os três cachorros atrás me fazendo rir.

— Acho que alguém gostou dos filhos da Tata — falo e ponho minhas roupas correndo.

Abro a gaveta com as minhas jóias e ponho os acessórios a jato.
Me sento no pequeno sofá que há ali e calço minhas sandálias.
Jogo meus cabelos para frente os bagunçando e depois levanto fazendo Annie rir.

— O tio Justin me atrasou muito — reclamo saindo do closet com eles atrás de mim.

— Não brigue com o meu tio Justin — Annie fala e eu gargalho.

— Eu não briguei com ele, pequena advogada — rimos.

— Não quero ser advogada, quero ser como você quando crescer — informa e eu riu.

— Bom, teremos um longo caminho e muitas burradas a serem cometidas se quiser ser como eu, por que não começamos com algo como melhor que eu? — ela nega e eu riu beijando a testa dela.

Chegamos a sala encontrando Justin com Scooter conversando.
Os dois olham para mim e Justin sorri carinhoso me fazendo rir tímida.

— Como vai Scooter? — Pergunto receosa por saber que ele não vai muito com a minha cara.

— Vou bem, obrigado — fala e eu assinto.

— Parabéns pelo noivado, desejo toda felicidade do mundo — usa gentiliza e eu sorriu.

— Muito importante ouvir isso vindo de alguém que Justin ama tanto — falo sincera e ele sorri.

— Preciso dar meu braço a torcer e admitir que você faz muito bem ao meu garoto — sorriu.

— Katie, a senhora Wintour está aqui para vê-la — Tella avisa e eu assinto.

— Vamos para a cozinha com a Tella fazer um bolo de chocolate? — Tella pergunta e Annie assente animada correndo para ela.

— Boa sorte! — Justin me dá um beijo rápido e eu sorriu nervosa.

— Vamos para o escritório, Scoot — fala e eles saem.

Caminho até a entrada onde Emily Wintour me espera em toda sua classe e tailleur da Chanel.
Sorriu para ela que retribui tirando seus óculos de sol.

— Como vai? — Pergunta quando me abraça e eu sorriu.

— Muito bem e você? — Pergunto e ela ri.

— Com uma matéria como essa em mãos, eu estou caminhando em nuvens de algodão — gargalhamos.

— Espero não decepcionar — falo e a encaminho para a sala com vista para a piscina.

— Com este look, você com certeza não me decepcionará — riu tímida.

Nos acomodamos no sofá cinza de frente uma para outra e ela observa todas as minhas fotos com Justin na parede atrás de nós.

— Belas fotos — elogia e eu sorriu.

— Temos uma para cada local que visitamos no ano passado — conto.

— Isso é muito especial — sorri e eu assinto.

Depois que Tella nos traz bebidas, ela arruma seu gravador e realmente começamos com a entrevista.

— O que está vestindo? — Pergunta e eu sorriu alisando minha saia.

— Acredito que o cropped tenha custado vinte dólares — conto e rimos.

— A saia é Erdem Teresa, as sandálias Stuart Weitzman e jóias foram todas produzidas por mim — assente sorrindo.

— Sabemos que você é Francesa, o que te fez sair de Paris? — Pergunta.

— Eu sempre sonhei em ser atriz, Los Angeles sempre me pareceu o local certo para isso, meus irmãos eram muito infames nesta época colocando muitos holofotes sobre a vida de uma adolescente de quinze anos que ainda não entendia o corpo, a vida e que não queria ser exposta em capas de revista, eu uni tudo isso e me mudei com a minha prima para cá — conto e ela assente.

— O ponto alto foi quando os paparazzis fotografaram você fazendo topless? — Pergunta e eu riu levemente.

— Acredito que tenha sido mais uma gotinha para que meu copo transbordasse, mas antes dos meus irmãos serem assim, meus pais eram famosos por suas joias, meus avós por suas lojas, eu deveria ter protegido melhor a minha imagem, mas uma garota de quinze anos não entende este tipo de coisas — concorda.

— Foi importante sair de casa cedo, criar responsabilidades cedo. Eu terminei meus estudos sozinha, eu cursei designe de joias, eu comprei a minha casa, eu aprendi como gerir uma casa, como me manter sozinha, foi muito importante para o meu amadurecimento — conto sendo absolutamente honesta.

— Você é a designe principal da Chemont Joias, como você consegue dar conta de ser tão presente na turnê de Justin, em todas as campanhas, desfiles e ao mesmo tempo ainda gerar tanto material para a joalheria de seus pais? — riu.

— É bem complicado para uma pessoa perfeccionista como eu. Às vezes é quase impossível fazer tudo, mas eu respiro, conto até dez e finalizo todas as minhas funções com o maior amor que puder colocar nelas.

— Você desistiu de ser atriz ou está apenas esperando a turnê acabar para se aventurar em algo novo? — riu.

— Honestamente, eu não sei mais. Ano passado eu fiz muitos testes em que tive resultado absolutamente positivos, mas eu não consegui largar Justin na turnê e gravar. Eu assumi um compromisso com os Beliebers e, não posso simplesmente abandona-los para viver um sonho pessoal, outras pessoas depositam coisas em mim, então talvez, quando esta fase incrível acabar, de tanto contato com pessoas maravilhosas e especiais, eu possa pensar em estrelar algum filme que realmente tenha algo a ver com o que eu acredito e represento — concorda dando um gole em seu suco.

— Você acredita que por conta dessa quantidade de deposito das pessoas em sua vida, você ficou doente? — Pergunta e eu nego.

— Eu jamais poderia culpar qualquer pessoa por algo que aconteceu dentro de mim. Eu posso culpar a pressão, a moda que exige um corpo que as vezes não podemos ter e a mim mesma por procurar por coisas que não me faziam bem — assente.

— Meu assessor me diz desde o princípio: “Você não deve se importar com o que escrevem de você em redes sociais e nem procurar por isso”. Mas eu me importo, eu me importo muito com qual imagem eu passo para crianças e adolescentes, eu sou o espelho de muitas delas, eu não quero passar uma imagem errada, eu gostaria que todos me vissem como eu realmente sou, mesmo isso sendo impossível. Acredito que este tenha sido um grande motivo do meu descontrole emocional, juntando com o meu peso que deveria ser um, mas eu jamais poderia o ter sendo saudável, acredito que a forma como eu me cobrava perfeição e todo medo de passar uma imagem errada me deixarou tão vulnerável que eu simplesmente adoeci — aperta minha mão e eu sorriu por seu apoio limpando as lagrimas.

— É absolutamente sufocante sair na rua e encontrar dezenas de homens fotografando você comprar um shampoo em uma farmácia. Eu me perguntava: Quem gostaria de me ver comprando shampoo? Mas aí eu entendo que antes quando era apenas uma fã de Justin eu queria ter informações constantes sobre ele, mesmo isso sendo extremamente sufocante, eu precisei entender que isso é importante para as pessoas que me admiram, que gostam de mim, mas essa jornada não foi fácil — admito.

— Imagino que tenha sido muito difícil — fala e eu concordo.

— Eu só não fui internada em um clínica de reabilitação pelas pessoas que me cercam repararem tanto em mim. Minha equipe, meu namorado, todos sabiam que existia algo de errado com a minha saúde. Graças ao apoio deles eu consegui melhorar. Graças a minha equipe de médicos, a minha reeducação alimentar, pela terapia e graças a Rich, Carl e Chad que faziam estudos bíblicos comigo, oravam comigo quando eu só sabia chorar, estas pessoas me levantaram, o apoio das pessoas que me admiram e me mandam energias tão positivas. Eu não sei como estaria hoje se minha família, meus amigos e o homem que eu amo não estivessem ao meu lado — fungo e ela sorri.

— Você parece muito ligada aos seus irmãos, pais, avós, mas principalmente a sua sobrinha e Madison — fala e eu sorriu com carinho.

— As duas são minhas melhores amigas, eu não conseguiria viver em um mundo onde elas não existissem. Annie-Marie está passando alguns dias comigo antes de voltar as aulas e é como se a casa se enchesse de luz — falo animada secando as lagrimas e ela ri.

— Ela é filha do seu irmão mais velho, certo?! — Assinto.

— E seu irmão do meio está esperando o primeiro filho com Selena Gomez — riu e ela me acompanha.

— Não posso negar e nem afirmar sobre esta informação, mas digo que eles estão bem, muito felizes e o que tiver de ser revelado, será na hora certa — assente rindo.

— Como é a relação de vocês duas? — pergunta e eu sorriu com carinho.

— Ela é uma da mulheres mais doces, fortes e especiais que eu já conheci em toda a minha vida. Sou muito grata por tê-la em minha vida, por sermos uma família e eu a amo mais que tudo —falo pondo minhas mãos no coração e ela sorri com carinho.

— Ficamos sabendo que vocês duas estão em uma parceria para uma coleção de Joias para a Chermont, como isso está sendo? — Pergunta.

— Passamos o ano novo em Turks and Caicos e decidimos embarcar nesta aventura. Eu sou apaixonada pelo estilo dela e nossa parceria está indo melhor impossível — rimos.

— Quando poderemos ver essa parceria bombástica? — Pergunta animada e eu riu mais.

— Provavelmente no outono — conto como um segredo e ela ri.

— Esperarei ansiosa — sorriu.

— Você parece ter uma ligação com a moda muito forte — comenta e eu assinto.

— Desde criança eu invado os closets da minha mãe, avó, tia, eu corria pela casa com suas peças da Chanel, óculos e saltos — rimos.

— Meus avós tinham espaços com vendas das minhas marcas prediletas, então sempre esteve ao alcance da mão toda moda possível — conto e ela assente.

— Eu posso ser desde a esportista a red carpet — rimos.

— Você quer ir dar uma olhada no meu closet? — Pergunto e ela assente animada.

A levo até o local e no caminho vamos conversando mais.
Ela me contou algumas de suas marcas favoritas e, eu a presenteei com um conjunto de colar e brincos da Chermont.
Entramos em meu closet e ela arregala os olhos me fazendo rir.

— Eu descobri que tem algumas coisas no closet do Justin ainda — rimos.

— O que você mais ama aqui? — Pergunta e eu vou mostrando algumas peças e ela fica encantada.

Demoramos algum tempo ali e, depois voltamos ao sofá com ela completamente deslumbrada pelo closet e ainda mais pela casa.
Realmente meu cantinho é um local muito especial.

— Eu recebi em cima da hora sobre a troca de endereços e fiquei um pouco confusa. Afinal esta casa é mais afastada que a outra, o que houve? — Pergunta curiosa e eu gargalho.

— Bom, Justin Bieber e eu ficamos noivos em nossa viagem para Saint Barth no fim do ano passado, nós iremos nos casar em dezembro deste ano e ele me surpreendeu com esta casa hoje, assim que chegamos de nossa viagem em Turks and Caicos — conto a bomba.

— Oh, vocês vão mesmo se casar? — Pergunta e eu assinto animada mostrando minha mão esquerda.

— Eu posso publicar isso? — Pergunta e eu assinto animada.

— Por favor, eu gostaria muito que vocês dessem esta informação em primeira mão, são uma revista séria e que eu confio — elogio e ela sorri.

— Muito obrigada — sorri.

— Mas como tudo isso aconteceu? Como ele parou de ser o ídolo e se tornou o noivo? Vocês estiveram na Ellen e negaram um romance — fala e eu assinto.

— Naquela época ainda éramos apenas amigos, amigos como irmãos, tínhamos uma ligação muito forte e por ele ser o meu ídolo eu meio que negava para mim mesma este sentimento, eu achava um pouco errado, mas depois da Ellen as coisas começaram a mudar, quando ele se envolveu com outra mulher foi ainda pior, então eu tive trazê-lo para mim — rimos.

— Desde Mônaco, aquele foi nosso primeiro beijo mesmo, nós nunca mais nos desgrudamos — falo sorrindo apaixonada.

— Ele me pediu em namoro na frente de nossas famílias e amigos em Londres no encerramento da turnê, mas não poderíamos mais esperar, o sentimento estava muito forte. Eu não consigo nem explicar em palavras o quanto o amo, é como se ele me completasse em tudo, estou aqui com você, mas estou com uma saudade enorme, mesmo sabendo que ele está em seu escritório aqui do lado — rimos.

— Desejo que sejam imensamente felizes — aperta minhas mãos e eu sorriu.

— Amém! — Peço e ela ri.

— Como foi lidar com a fama que veio junto com este relacionamento? As pessoas querendo saber ainda mais sobre você por ser a namorada dele, mesmo você ainda não sendo — dei de ombros.

— Sabe Emily, não é muito fácil carregar a fama nos ombros, mas com Justin tudo se torna leve. Não vou dizer que é fácil, mas ele torna toda situação melhor por apenas estar ao meu lado, então posso enfrentar o que for com ele e por ele — falo e ela sorri com amor.

— Fico muito feliz por tudo ter melhorado para você, por você estar forte e construindo sua família — fala apertando minhas mãos e eu sorriu.

— Muito obrigada — ela assente.

— Como estão os preparativos? — Pergunta e eu riu.

— Uma loucura, já contratamos profissionais completamente maravilhosas e vamos correr contra o tempo para fazer este casamento ser perfeito — conto.

— Vai ser onde? — Riu sem saber se contava.

— Paris, no quintal da minha avózinha — conto animada e rimos.

— Oh, isso vai ser lindo — assinto.

— O casamento de quintal mais lindo do mundo — sorriu sonhadora.

— Já sabe quem vai fazer seu vestido? — Pergunta e eu nego.

— Estou entre Alberta, Carolina, Vera ou Oscar — falo e ela ri.

— Difícil decisão — rimos.

— Provavelmente uma das mais difíceis do casamento — assente.

— Mas com o seu bom gosto, escolherá o melhor — sorriu agradecida.

— Espero que a Vogue possa cobrir o casamento de vocês com uma matéria super especial sobre vocês e quem sabe fazer fotos incríveis aqui — fala sonhadora e eu sorriu assentindo.

— Eu adoraria! — Falo animada e apertamos as mãos.

— Desejo tudo de melhor que este mundo possa oferecer para você e Justin, Katie! Que este ano possa ser repleto de coisas boas e vocês tenham um matrimonio muito feliz — deseja e eu sorri a abraçando.

 

Continua...


Notas Finais


Look entrevista Vogue: https://www.polyvore.com/los_angeles/set?id=230157444
Babyssssssss, o que acharam?
Comentem, por favor!

Estou planejando uma parada muito SENSACIONAL para vocês, aguardem, mozis!
Até terça <3

Twitter: @Aphrodit3s
Instagram pessoal: @fernandesmariana_
Instagram da fic: @fanficsmari (O QUE VOCÊS GOSTARIAM DE VER LÁ? DEEM DICAS! Tipo ficha técnica dos personagens? Interação? Spoiler? Falarmos sobre a fic?)
Facebook: https://www.facebook.com/mariana.monteirofernandes.5
Grupo da fic no facebook: https://www.facebook.com/groups/424346807724932/
Grupo da fic no WhatsApp: 11#99522-9194#


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...