História A Besta - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Fantasia, Romance, Romance Gay, Yaoi
Exibições 31
Palavras 2.978
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Volteiii espero que gostem do capitulo.

Capítulo 2 - Capitulo 1


Tristeza

     “Muitos se perguntam ta mais e agora o que acontece? Bom ai vai à resposta nada não aconteceu nada nos últimos mil anos eu vi Julian tentar se matar de varias formas mais nunca conseguiu, pois era imortal já não se olhava mais no espelho mandou os criados fazerem roupas maiores para ele continuar elegante mais porque de tudo isso se não poderia mais se demonstrar o homem que um dia foi pobre Julian mal sabia que seu sofrimento estava para acabar e a Tristeza se transformar em Alegria durante anos pesquisadores quiseram saber o que ouve com as terras do sul e seus grandes lideres mais nada acharam a não ser um antigo livro falando sobre Julian que se denominava como a fera que esperava pelo seu amor para liberta – ló então se criou um livro em sua homenagem, a Bela e a Fera que foi e é ate hoje um grande sucesso mais será que Julian terá um final feliz?”

1000 anos depois

                                Belo

     Bom 2016 anos em uma cidade de São Paulo na zona leste Cohab Juscelino um garoto simples de mãe solteira vivia uma vida simples e sem muitos luxos mais tinha muito amor por aqueles que o cercava o garoto era de uma beleza incomparável altura mediana de 1,60, pele branca como o leite, cabelos longos e bem castanhos como as avelãs e olhos castanhos claro como a amêndoa seu nome Belo simples como sue jeito, Belo sempre fora um garoto sonhador, que sempre fizera de tudo para ajudar a mãe, pois o pai os abandonara quando era criança por isso que quando não estava estudando estava ajudando a mãe para que nunca faltasse algo em sua casa, Belo tinha um robe único dentre os garotos, pois onde morava era um dos poucos garotos do Juscelino que lia e adorava o que fazia, quando lia vivia em mundos diferentes e conseguia ver um lado mais feliz em sua vida podia ir ao monte fugi no Japão, ou a torre Eiffel sem sair do conforto da sua casa, dentre todos os livros que belo adorava ler eram os contos da fada onde havia bruxas, castelos, grandes bailes e príncipes encantados o menino sonhador era gay assumido berrante a todos que o cercava, nosso garoto sonhador estava no auge da adolescência completando seus 17 anos de vida e pronto para se tornar um homem, e que belo homem, pois todos o queriam e disputavam sua atenção ou tentavam ter algo com ele mais ele nunca quis isso seu sonho sempre foi ter seu príncipe encantado vindo lhe buscar trazendo um sapatinho de cristal ou acordando com um beijo por estar amaldiçoado mais sabia que nada disso era real ou poderia um dia ser real, mesmo em seus sonhos mais profundos ele tinha certeza que isso nunca seria real será? Durante seus dias Belo somente lia e estudava às vezes trabalhava na biblioteca de seu tio onde sempre podia se esconder do mundo e de todo mal que o cercava, Belo lia o conto de fadas a bela e a fera um clássico escrito na literatura antiga Belo sabia que seu nome era parecido com o da princesa do livro o que o deixava ainda mais fascinado em ser Lido, quando terminaram suas tarefas diárias ele retornou para casa lá estava sua mãe fazendo seu jantar e perguntando como foi seu dia ele sempre respondendo a mesma coisa “ah normal mãe” e lhe dava um sorriso encantador.

         Durante a noite o céu estrelado fez se lembrar do livro da bela e a fera será que um dia teria a mesma chance que ela de tentar achar sua felicidade sem com que os outros o ficassem perturbando? Será que seria feliz? Tantas perguntas sem respostas, mais mesmo assim não perdia as esperanças no seu príncipe encantado então ele olhou para o céu e desejou que seu príncipe chegasse o mais rápido que pudesse.

-“Achamos”. - exclamou as guardiãs dos sentimentos.

Em algum lugar no tempo

                              

                                  Tristeza

         “Três belas moças dentro de um suntuoso palácio, uma de cabelos ruivos, olhos verdes um dócil sorriso nos lábios, outra de cabelos negros, olhos mais negros ainda e um olhar severo e a outra de cabelos loiros e olhos azuis com um rosto triste, em cada uma delas os sentimentos habitavam e faziam suas moradas as irmãs e grandes guardiãs dos sentimentos nasceram com o inicio do mundo, desde o seu desenvolvimento elas estiveram presentes em grandes batalhas e historias desde o castigo de Julian elas pro mil anos procuraram a pessoa certa para mandar para tentar salva -ló mais nunca achara uma pessoa boa de coração até que elas viram um garoto simples de bom coração e inteligência inigualável viram nele então uma chance de mudar a escuridão na vida da fera dando a ele um belo então estava decidido agora só faltava encontrar a maneira de junta- lós”.

         Durante a noite belo teve um sonho muito estranho “estava em um salão de festas grande como os de um palácio janelas com detalhes em dourado, cortinas brancas de seda enormes penduradas às janelas, o piso de mármore branco com desenhos no chão e um grande lustre com diamantes pendurado no teto fora uma grande escadaria de via dupla dando a imagem de duas portas de carvalho com gravuras e acima da escadaria um vitral com o desenho de uma rosa feito em mosaico, belo percebeu que trajava um terno branco com detalhes em dourado, havia pessoas a sua volta mais ninguém se movia todos esperavam algo ou alguém, até que ele chegou com um terno azul marinho com seus cabelos organizados como se tivesse ficado horas no espelho, mais seu rosto não via, pois estava de mascara mais seu sorriso era a coisa mais encantadora que havia visto em toda a minha vida, ele continua caminhando em minha direção então ele para a minha frente e se curva como se estivesse num convite mudo me convidando para dançar então me curvei de volta e ele sorriu de novo podia olhar para o sorriso dele minha vida toda e não cansaria dele, ele agarrou minha cintura, e eu coloquei minhas mãos em seus ombros largos e fortes então começamos a dançar e todos que estavam ao nosso redor desapareceram como num passe de mágica não sei por que mais não ligo, pois estava tão concentrado no homem a minha frente que nem liguei e dançamos como se o mundo fosse acabar fechei os olhos e dancei com aquele homem misterioso, mas então quando abri de novo os olhos percebi eu estava sozinho e o belo salão de bailes estava destruído o chão com folhas secas as janelas empoeiradas e o lustre cheio de teias de aranha mais algo lhe chamou a atenção o vitral da rosa continuava intacto mais agora ele brilhava mais não havia luz vinda de lugar nenhum, e o belo príncipe aonde teria ido tantas perguntas mais todas sem resposta a luz do vitral ficava cada vez mais forte se tornando um foco de luz e quando parecia que algo ia Acontecer...”., acordei com a janela aberta e a luz do sol iluminava anunciando o inicio de mais um dia na vida de belo “mais que merda” pensou o garoto “logo agora que ia ver o que ia acontecer”, belo se levantou e seguiu sentido ao banheiro para tomar o banho, depois de pronto e com uniforme vestido desceu para tomar café mais percebeu que sua mãe ainda dormia então resolveu comer somente uma maça e ir para a escola, pegou a mochila o celular e os fones de ouvido, pois não vivia sem musica saiu de casa e logo foi cantarolando a musica da Lucy Hale, A Make You Belive “ I'll make you believe in me, I can be what you want me to be, Tonight is the night, Where I make you see, That I can be anything Anything, anything” enquanto cantava percebeu que as pessoas paravam para observa-lo cantar, não era para menos por que com uma voz linda quem não para o que esta fazendo para ouvir, pois então belo era portador de uma das mais belas vozes existentes só que tinha vergonha de cantar em publico  então quando as pessoas paravam para velo cantar ele travava, enquanto ia caminhando viu preso entre os galhos um passarinho lindo de penas azuis e peito branco logo então foi a seu socorro o tirando da arvore enquanto lhe fazia um carinho, quando soltou viu algo o atingir e quando foi ao encontro do passarinho ele estava morto o motivo de sua morte uma pedrinha belo sabia quem do Juscelino tinha uma mira tão perfeita a ponto de acertar um passarinho em pleno vou antes de terminar seu raciocínio o culpado apareceu na sua frente :

- Belo! – o culpado Bernard o garoto mais insuportável, mesquinho e cheio de si existente na face da terra, Bernard era o tipo de garoto que todas as garotas suspiravam, branco, dos olhos verdes e cabelos pretos o corpo perfeito o típico galã de novela eu não via nada demais nele, porém eu era minoria.

-Bernard. – o respondi seco.                                                                    

- O que foi fiz algo que lhe desagradei? – perguntou confuso.

“nasceu queridinho” pensei em responder mais.

- O que fez? Matou o passarinho. – respondi furioso.

- Ora belo era só um animal. – Respondeu Bernard com desdém.

- Então você só mata animais? – Perguntei com segundas intenções.

- E claro. – Respondeu Bernard.

- Então por que ainda não se matou, pois se ainda não percebeu querido você é da família do burro!  – Falei soltando fogo pelas ventas e sai dali antes que me estressasse.

         Para quem não sabe Bernard e bissexual o famoso indeciso já o vi ficar com meninas e meninos, mas desde que botou o olho em mim não tirou mais só que por mais que ele fosse desejado por todos, eu não era todos o que fazia ele me desejar mais, pois me via como um desafio é não ia parar ate conseguir me ganhar coisa que nunca ia acontecer.

         Chegando a escola vi os mesmos rostos de sempre meus colegas e conhecidos professores, estávamos na aula de historia minha matéria favorita, pois conseguia viajar para tempos de batalhas guerras e todos os tipos de lugares o que mais me fascina na historia e que sempre há romance envolvido por trás das grandes guerras vejamos a guerra de troia, por exemplo, um massacre por causa da belíssima Helena, sai dos meus pensamentos quando o sinal do intervalo tocou, estava sentado comendo a minha maçã quando as três sonsas chegaram para quem não as conhece elas são a diversão do Bernard nas horas que ele não esta me enchendo a paciência, o nome delas são Maria Julia, Maria Lucia e Maria Eduarda as famosas maju, madu e malu como são conhecidas, nas para mim são as três sonsas termino meu raciocínio e vejo elas pararem a minha frente e perguntarem pela milésima vez:

- Belo o Bernard falou para você sentar na nossa mesa. – disse a Maria Julia – não tem por que você ficar aqui sozinho.

- Bem majuuu. – disse arrastado para irrita-la – Não tem por que eu querer ficar na mesma mesa que o Bernard sabendo que ele vai tentar pela milésima vez tentar me paquerar na frente de todos ou fazer suas insinuações.

- Mas... – tentou falar Maria Julia

-Mas nada digam a Bernard que fico lisonjeado pelo convite mais minha palavra ainda é não. - termino voltando a atenção para o livro da bela e a fera que estava na minha mão quase havia me esquecido dele.

- Garoto eu não te entendo sabe você podia ter tudo você e bonito, esperto, inteligente, todos te querem por perto até o Bernard, porque então não da uma chance para ele, ele é um cara legal e só quer te provar isso. – disse Maria Eduarda.

- Maria Eduarda eu sei que todos queriam que eu me sentasse lá com vocês mais me deixa pensar um pouco ok se der depois eu passo lá. – disse me levantando e indo para a árvore que tem no pátio da escola.

         Estava perdido em meus pensamentos quando percebo que ainda estou com o livro da bela e a fera na mão mais me pergunto como eu o consegui não me lembro de ter pegado ele emprestado será que peguei com o bibliotecário bom deixa pra lá depois resolvo isso, meu dia segue normamente e as gracinhas do Bernard também mais consegui sobreviver chegando a minha casa minha mãe não estava devia estar trabalhando deixei o livro em cima da mesa e fui almoçar, terminando meu almoço fiz o dever de casa e fui para meu quarto entrando lá sentei em minha cama quando olhei para o lado me dei conta de que o livro estava lá mais como ele havia subido eu deixado ele na mesa que estranho senti um frio percorrer o meu corpo mais logo passou, deixei esse fato de lado e fui para o banho quando terminei me peguei pensando no meu sonho estranho quem seria aquele homem? Porque eu estava naquele lugar? Porque tudo se destruiu tantas perguntas e poucas respostas minha cabeça doía então resolvi fazer o melhor que podia para aquela dor parar descansar e me perder mais uma vez no mundo dos sonhos “me pego outra vez no mesmo local onde havia dançado com aquele homem misterioso só de pensar nele me sinto flutuar mais o salão majestoso que havia visto aquela vez havia desaparecido mais o que teria acontecido percebo que uma das portas de carvalho esta aberta e um barulho saia dela resolvi seguir o barulho só para ver aonde isso ia dar subo a escadaria e entro rumo ao desconhecido olho antes de entrar na sala que se está a minha frente, mas não vejo nada fico com medo de seguir, mas crio um pouco de coragem e entro na escuridão com um pouco de costume no escuro meu olho começa a enxergar na escuridão e vejo que estou em um corredor que da para varias salas e outros corredores que dão para mais salas que droga estou em labirinto e não sei como sair que merda só o que me faltava estava perdendo as esperanças quando de repente um foco de luz do tamanho de uma bolha começou a brilhar na minha frente e foi seguindo rumo a escuridão não sabia o que era mais brilhava como um vagalume como não tinha nada a perder o segui estava andando por mais ou menos 10 minutos vejo as obras e as estatuas e grandes coisas que tem naquele lugar, só que percebi que quanto mais andava mais o lugar ia ficando tenebroso e horrendo ate que chego a um corredor destruído parecia que um furacão havia passado naquele local estava com medo mais queria saber aonde aquilo iria dar segui o brilho até uma tapeçaria bordada a mão era a gravura de um cavaleiro mais estava rasgada parecia que um animal havia passado a pata como um leão ou um lobo viu que atrás da tapeçaria havia uma passagem como um quarto secreto atrás dela havia uma escada e o brilho seguiu escada a cima flutuando ate o quarto mais a cima , quando entro num corredor percebo que o lugar ainda esta bem cuidado e limpo pois não há nada mais Destruído durante o percurso percebo que só há uma porta que dava para um quarto, porta do quarto era de mogno antigo com desenho de um rosto leão, abro a porta cuidadosamente e entro no quarto ele é totalmente branco com cortinas de seda como o do salão de danças só que não era tão grande, mas o que me impressionava era o que estava no chão uma espécie de espelho fui chegando mais perto e vi que a sala era mais ampla do que eu imaginava parecia que uma espécie de mágica a cobria fazendo parecer menor percebi que em volta desse grande espelho havia estatuas feita de uma espécie de rocha que não reconhecia como um granito ou algo parecido as estatuas eram 3 cervos  cada um deles com uma expressão um triste um alegre e o outro parecia se lamentar, parei o de observar os cervos e fui ao centro da sala para ver o que havia naquele espelho quando me aproximei do espelho e vi uma luz bem fraca sair dele junto com uma neblina quando me olhei nele algo que eu não esperava aconteceu uma voz me chamou pelo nome “Belo” fiquei imóvel ainda me olhando para o espelho quando a mesma voz repetiu “Belo” só que agora com um pouco mais de força percebia que a voz era cheia de dor e lamentações então a voz terminou dizendo “tudo está para mudar Belo se prepare” quando parou de olhar para o espelho viu a sua frente uma mulher branca de cabelos negros lisos e um rosto imponente e severo como se o peso do mundo estivesse apenas em seu olhar em um momento senti como se tudo fosse tragédia em minha vida quando me dei conta a mulher havia desaparecido”.

Acordei com o barulho da minha mãe batendo a porta de casa foi tudo um sonho de novo mais porque tudo na minha vida estava prestes a mudar sou só um garoto normal mais o que esta acontecendo comigo porque essas coisas estão em minha cabeça, me deparo com o livro da bela e a fera ao meu lado, percebo que a capa tem o desenho de uma rosa como um vitral me deparo pegando no sonho onde estava no salão e vi o vitral da rosa que brilhava na escuridão tão parecidas, mas como pode ser acho  que estou louco só pode mais de um coisa tenho certeza tudo está para mudar. 

  


Notas Finais


Bom espero que tenham gostado do capitulo comentem bastante


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...