História A Boate - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Frozen - Uma Aventura Congelante
Personagens Anna, Elsa, Hans, Kristoff
Tags Anna, Elsa, Elsa/anna, Elsanna, Frozen
Exibições 67
Palavras 1.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heeey hoooou *--*

Desculpe a demora, final de ano é agitado sempre xD

Mas segue o cap. *3*

Capítulo 7 - Capitulo 6


Depois de um longo tempo, Elsa finalmente viu Anna cochilar na poltrona que estava sentada durante a noite, pensou que Anna nunca descansaria, mas ficou aliviada em ver seu rosto angelical enquanto dormia, nem parecia aquela menina que grita, ri e reclama dos seus sarcasmos. Ela poderia admitir que deu uma cochilada em algum momento daquela noite, estava cansada também, além de estar com fome, então logo levantou e abriu a porta do quarto para procurar algo comestível, assim que fecha e anda pelo corredor até a sala de espera, vê alguém que não queria ver e ao mesmo tempo queria, solta uma risada enquanto se aproximava.

– Seu bastardo, o que faz aqui? – Pergunta de um modo sério olhando Kristoff sentado na sala de espera

– Isso não tem nada haver com você, quero falar com Anna – Responde no mesmo tom, levantando na cadeira ficando na altura de Elsa

– Ela não quer ver você, mas eu queria muito te ver – Sem pensar Elsa o pega pela gola e da uma cabeçada na cabeça de Kristoff chamando a atenção de todas as enfermeiras que estava ali.

– Sua lésbica desgraçada – Tentou revidar, porém Elsa foi mais rápida e desviou do soco o socando na barriga, o empurrando contra a parede sentindo uma mão em seu braço no mesmo momento.

– Senhora, aqui não é lugar para isso – Escuta e logo vira para a enfermeira com olhar de ódio e logo tira seu braço dela e a empurra

– Não se meta! – Diz Elsa e virou para o Kristoff novamente, sendo tarde demais, o soco dele a atinge no rosto a fazendo tropeçar na poltrona atrás dela, mas ainda conseguindo ficar de pé, revida com força o socando no rosto da mesma forma, e antes que pudesse continuar foi presa pelos braços pelo segurança do ambiente – Mas oque? Que merda! Me solte! – Tentou se debater mais foi em vão, precisou de dois seguranças para segurar Elsa pelo braço a separando de Kristoff

– Sua loira de merda – Disse Kristoff enquanto também estava sendo separado dela

– Já chega, vocês dois, se não pararem com esse showzinho, os dois vão ser expulsos do hospital – Disse em tom alto o segurança que parou em frente aos dois com os braços cruzados, Elsa não deixaria Kristoff chegar perto de Anna, não agora que ela estava conseguindo descansar, não depois de tudo que ele fez, não depois de estarmos no hospital por culpa dele!

– Então nos deixe sair daqui! – Disse Elsa tirando seus braços dos seguranças – Vamos terminar lá fora – Simplesmente disse e saiu para fora do hospital sendo seguida do Kristoff, os seguranças queriam apartar, porém, como todo ‘’bom’’ país capitalista, só são pagados para proteger o hospital.

Assim que saem Kristoff pega a vassoura que estava na porta da servente do ambiente e acerta nas costas de Elsa, a fazendo tropeçar e quase cair de joelhos, logo virando de costas segurando o próximo golpe, vendo a brecha por baixo, e então chuta o joelho do mesmo, e o vê caindo pegando a vassoura a jogando longe.

– Não preciso disso para te bater – Responde secamente Elsa o olhando

– Você precisa me deixar falar com com Anna – Disse levantando olhando nos olhos de Elsa

– Qual parte do ‘’Você não chega perto da Anna’’ ta difícil de você entender? – Pergunta

– A parte que ‘’Você não é dona dela’’, não manda em suas ações, ela quer falar comigo, aposto, afinal eu sou seu ex-marido, dei tudo de bom para Anna, ela nunca precisou de nada, até chegar você. – Fala encarando Elsa com um olhar que a mesma juraria que nunca viu algo daquele voltado a ela, como resposta ficou simplesmente parada o observando, até que se pronuncia

– Tem razão, não sou nada de Anna, mas me preocupo com ela, e você não vai fazer Anna chorar de novo! – Disse Elsa apertando forte os punhos, fazendo as veias saltarem de raiva.

Elsa tinha um temperamento muito forte, considerado até mesmo congelado, quando algo era posto na sua cabeça, raramente alguém conseguia tirar. Era como o gelo, perigosa, mais as pessoas gostam dela mesmo assim, a acham divertida, porém sempre tomam cuidado, pois assim como o gelo em baixas temperaturas podem matar, ela não era diferente. Assim do mesmo jeito que a neve é considerada, perigosa mais divertida.

– Anna está chorando por sua culpa – Kristoff diz a encarando

– Porque seria minha culpa?! – Pergunta se exaltando

– Primeiro, se você não tivesse aparecido para início de conversa, ela estaria comigo, não estaria nesse hospital, não teria ter que viver com esse sofrimento, não sente vergonha por corromper uma pobre garota? – Diz finalmente colocando um sorriso no rosto e Elsa odiou aquilo profundamente

– Foi graças ao meu capricho naquele dia na boate, que Anna percebeu que você é um merda – Elsa retribui com o mesmo sorriso irônico sendo a vez dele de olha-la com raiva

– Então – ele vira as costas indo em direção ao seu carro – Brigar com você é perda de tempo, e além do mais... só quero dê uma mensagem a Anna, diga a ela para me perdoar e voltar comigo

Aquelas palavras ultrapassaram o peito de Elsa como se fosse uma bala, nunca ficou com tanta raiva, como ele podia ser tão cara de pau e tão idiota, naquele momento, ela confirmou que tinha nojo daquele homem, e que realmente era uma perda de tempo brigar com ele. Era um maluco.

Andou calmamente para dentro novamente, ignorando todos os olharem que tinham sido postos encima dela, e entrou novamente no quarto vendo que Anna ainda dormia, tentou sentar na poltrona do lado sem acorda-la, porem a ruiva parece que adivinhou o porquê Elsa tinha saído.

– Porque saiu daqui? – Disse Anna segurando forte a mão de Elsa que estava sobre o braço da poltrona

– Só estava retirando o lixo – Cochichou e acariciou o rosto de Anna, onde os olhos abriam calmamente e sorriu largamente quando seus olhos se encontraram

– Você é uma droga mentindo sabia ? – Pergunta Anna de um jeito irônico

– Não menti totalmente vai – Disse a loira sorrindo para a mesma retribuindo o mesmo olhar – Aquele babaca teve a coragem de vir aqui, e então mandei ele embora – Logo inflou as bochechas cruzando os braços – Aquele bastardo

– Ele veio aqui?! – Anna pergunta assustada e logo percebe a posição de Elsa – Você está tão fofa assim... – Cochicha sorrindo

– Não sou fofa! – Disse Elsa indignada levantando

– É sim – Retrucou Anna levantou também e abraçou fortemente arfando seus cabelos – Oque ele queria?...

– Queria dar o recado para você voltar com ele – Assim que Anna escutou olhou assustada para Elsa, que olhava com um olhar de sério lembrando daquela cena

– O que ele tem na cabeça? – Pergunta olhando para o lado 

– Merda, lixo, tralha, tudo menos cérebro – Responde de forma firme

– Quem sabe seja – Anna não deixa de sorrir, mesmo naquela situação Elsa ainda a fazia rir, e aquilo encantava Anna, seu coração não estava nervoso, pelo contrário, estava calmo, parecia que ele dizia ‘’Fique calma, Elsa está aqui’’, e quem sabe era realmente o que ele estava dizendo. Com a Elsa ao seu lado, ela sente que não precisa mais chorar ou sentir medo.

– E ainda nem sinal dela acordar – Pergunta Elsa virando seu olhar para Anny

– Pelo visto sim... Mas é até bom – Responde Anna fazendo Elsa voltar o olhar para ela rapidamente – Ela se estressaria, e iria querer levantar para dar umas boas surras em Kristoff, acho que ninguém a seguraria nessa cama – Elsa se surpreende com a resposta e por fim solta uma risada

– Pois é, ninguém segura essa durona – Disse Elsa – Os hematomas das surras dela porque eu entrava escondido dói até hoje – Faz um rosto de dor quando coloca as mãos nas costas

– Sua sínica – Anna corresponde com um tapa na nuca de Elsa fazendo a loira sorrir

– Eu? Sínica? Nunca – Responde Elsa com um rosto de surpresa – Como pode dizer isso de mim? – Elsa tenta fazer um rosto de choro mais foi completamente falho

– Esse seu rosto de pessoa carente não engana ninguém – Anna ri colocando sua mão nas bochechas de Elsa

– Mas eu estou carente... – Diz Elsa colocando as mãos na cintura de Anna – ... Por você – Por fim Elsa sela os lábios das duas em um misto de carinho e conforto

– E-Espera – Anna tenta se afastar quando Elsa começa a depositar selinhos ao longo do pescoço da ruiva – Não vamos transar aqui

– Oque?! Porque?! – Elsa pergunta inocentemente com um bico

– Ainda pergunta! – Anna puxa o bico de Elsa como resposta, e por fim o morde, terminando com um selinho – Pode deixar, que em casa, eu possa pensar no seu caso – Elsa solta um sorriso com aquela resposta, mal podendo esperar para ver a tia dela bem e estar na casa de Anna novamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...