História A Boca suja e o Preguiçoso - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Kanato Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yui Komori
Exibições 136
Palavras 2.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeira fic sobre Shuu, bom espero que gostem.
Não tenho muito o que falar entao
Boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction A Boca suja e o Preguiçoso - Capítulo 1 - Capítulo 1

££ Hyuna On ££

- COMO ASSIM PAI? - eu derramo a tarça de vinho que antes eu estava bebendo, ele deve estar brincando, vou ser obrigada a ficar com alguém?

- Tenha modos na mesa Hyuna. - diz minha mãe, enquanto cortava seu filé.

- Ah claro, modos sou uma princesa, mas e o foda-se? Sou obrigada a me casar com alguém que não conheço? Se for assim eu caso com um mendigo. - falo já me levantando da mesa.

- Eu ainda não acabei.

- Mas eu sim majestade.- sorrio sarcasticamente e referencio ao meu pai.

Por que eu? Caraca tem minhas irmãs e eu que sou a escolhida? Eles estão de brincadeira?  Se eles acham que isso é para o bem do reino eles estão enganados, cometeram um grande erro me escolhendo.- Hyuna? - a voz da minha irmã me tirou dos pensamentos assassinos que eu estava tendo.

- Oi minha florzinha - vou até a Hayana, nossa caçula, ela tem a inocência nos seus olhos e sempre sorri quando me ver, mesmo sabendo o quão meus pais brigam comigo, ela é a única no reino que nao pega no meu pé. - já tomou o banho?

- Onee-chan é verdade que você vai se casar?  - ela corre até meus pés e os abraça - Voce não pode, se casar terá filhos e me esquecerá.

- Nunca te esqueceria minha flor, e eu vou fazer o possível pra não me casar ok? - pego ela no colo e a levo até o quarto principal, ou seja o quarto das majestades, ela so dorme  com a mãe,é como se fosse o ursinho dela. - Chegamos.

- Princesa! - a empregada bateu na porta correndo, sua voz esta ofegante e seu cabelo grudado no rosto por conta do suor, ela me olhava com desespero - Venha até seu quarto.

- To indo. - viro e dou um beijo na minha irmã , boto ela na cama e a fito por uns instantes, parecia que ela foi feita pra me dar suporte - dorme bem ok? A irmã te ama.

- Vamos logo alteza! - a empregada pegou meu braço me puxando ate meu quarto, eu parei por um tempo boquiaberta, depois engoli seco, meus pais querem fuder minha vida? Mas que merda onde estão as minhas coisas? - Viu? Onde estão as suas roupas?

- Vou resolver isso, agora! - Saio correndo indo em direção ao escritório, meu pai me deve explicações e eu as exigio agora, quem ele pensa que é? Só porque é a droga de um rei acha que pode mandar na minha vida? - CADÊ A DROGA DAS MINHAS COISAS?  - abro a porta já gritando, dou uns passos pra trás quando vejo seis meninos rindo junto ao meu pai, eles pararam pra me fitar, por mais que eu estivesse com um pouco de vergonha, não baixaria minha coragem nem um pouco, olhei pra minha mãe antes de tomar fôlego pra falar. - Quero saber onde estão minhas coisas. - repito.

- Na mansão.- minha mãe diz com leveza na voz, piscou os olhos algumas vezes, ela sempre faz isso quando pede pra mim me comportar e eu claro sempre faço o ao contrário.

- Mansão?  Ganhei alguma de presente?  Quero as minhas coisas nesse instante. - me viro pra porta, já estava de saída quando a voz do meu pai sobressaltou sobre o escritório.

- Sua casa a partir de agora, é com seu noivo, não quero saber se vai xingar ou fazer birras, devera cumprir o seu dever, já está crescida o bastante pra saber que o re - eu o cortei.

- Que o reino vem em primeiro lugar? Que vale mais que a minha vida? Isso já sei, voce sempre deixou bem claro, mas eu tenho 5 irmãs e todas mais velhas e nenhuma comprometida com ninguém, entao por que eu? - Suspiro e viro pra olhar meu pai nos olhos - Melhor voce saber, que partir do momento que eu for embora, farei de tudo pra destruir a vida de vocês, saiba que não me importo com você.- Olhei para um garoto loiro que estava dormindo perto da minha mãe, francamente que garoto patético.

- Filha e.. - meu pai ia dizer algo até que eu o cortei.

- Minha carona já chegou? Ótimo Adeus pra vocês. - Bato a porta com força e saio em direção a porta principal, vejo alguns empregados comentando e ignorei apenas, olho para o mordomo que na verdade era um grande amigo meu - E ai como vai? - brinco com ele, meu melhor amigo, tinha mesma idade do que eu e já era mordomo.

- É verdade? - ele diz com palavras baixas, quase impossíveis de escutar, seu olhar estava cabisbaixo  e seu cabelo cobria seu rosto.

- O que? É sim verdade, eu sou linda. - batendo de leve no ombro do moreno, tentando cortar o clima, que eu sabia que estava por vim.

- Não quero brincadeiras agora Hyuna, eu tenho que saber, é verdade? - ele me olhou nos olhos, eu senti uma dor enorme de ver seus olhos perolados com lágrimas, suas mãos tremiam, eu desabei totalmente o vendo daquele jeito.

- s..im. - digo segurando o choro que agora insista em cair, o abracei forte, tentando achar um abrigo, com o Yato poderia ser eu mesma, ele sempre me conheceu bem, sabe o quão difícil estava sendo pra mim - N..ão quero te deixar.

- Hyuna - ele me abraçou mais forte, me dando proteção, minhas lágrimas caíram sobre seu paletó, ele afogou as mãos no meu cabelo, eu sentia o perfume amadeirado dele, seu coração que batia acelerado e sua respiração alta - não to pronto pra te deixar.

- O QUE É ISSO?  - a voz do meu pai nos deu um susto, fazendo o abraço confortante de Yato parar nesse instante.

¥¥ Shuu On ¥¥

Pude ver o desespero no olhar do garoto que abraça a princesa, ou devo dizer a mal educada?  O Rei parece estar zangado, suas bochechas estavam com cores ferventes, uma veia se sobressaltou na sua testa, a rainha a reprovava com os olhos. - Perdoe a nossa filha, ela deve estar se despedindo. - disse a rainha.

- Se despendido com abraços? Nossa quero uma despedida assim também. - comentou Laito.

- Que eu saiba despedidas tambem usam abraços, e sim eu estava me despedindo, não devo explicações sobre minha vida, entao por favor não se intrometa. - a garota que a pouco tempo atras parecia estar chorando, agora estava firme e suas palavras soam como navalhas de tão afiadas que são.

- Seu noivo vai ficar com ciúmes Hyuna. - a rainha novamente veio ao meu favor, no começo pensei que essa ideia de casamento me daria dores de cabeças, mas eu estou me divertindo com isso tudo, por mais barulhento que seja, é divertido.

- Aposto que ele não é ciumento. - comentou Hyuna.

- Ah..- olhei pra ela, vi que a Hyuna me fuzilava com os olhos. - sou ciumento, não gosto de ver o que é meu com outras pessoas, ainda mais se tratando de uma noiva, por favor Hyuna gostaria de respeito. - a olho por um instante, suas mãos se fechavam com uma frequência rápida, aposto que ela gostaria de me bater.

- Entao voce é ciumento? - ela botou as mãos no queixo, como se estivesse analisando algo, depois sorriu de lado, como se tivesse achado a reposta. - Desculpa meu querido marido, juro que não foi minha intenção te aborrecer. - Sua voz soou como deboche, seus olhos percorram  os meus, ela parecia estar satisfeita.

- Hyuna o que-  ela o cortou, o garoto que um momento atras parecia ter perdido as palavras do seu vocabulário.

- Meu querido futuro marido, aposto que a viagem será longa, se importa se irmos agora? - ela jogou se cabelo para trás e fez reverência aos seus pais - Até.

Eu até pensaria numa resposta, mas é cansativo, entao dei meus primeiros  passos  em direção a porta de saída, meus irmãos que se mantinham em silêncio me acompanharam, saímos lentamente até a limusine.  - Aonde está a boca suja? - pergunto ao Subaru ao perceber que, Hyuna não tinha saído ainda.

- Não sei.

££ Hyuna On ££

- Filha, qualquer coisa me avisa. - diz minha mãe beijando minha testa. - desculpa por não ter sido uma boa mãe.

- Meio tarde pra isso.- sou sincera, por mais que eles estejam fazendo despedidas dramáticas, eu estava preocupada com a Hayana, ela ficará bem quando souber que partir? Ela sentirá falta dos meus bom dias? - cuida da Hayana por mim, diga  que eu a amo.

- Sempre preocupada com sua irmã. - meu pai bagunçou meu cabelo e depois beijou minha testa - Por mais que voce me ameace, diga que me odeia, eu sei que não é verdade, por isso eu não desisti de te amar, vou sentir falta das suas brigas e confusões pirralha.

- Eu sei que vai, cuide bem da sua saúde. - me viro pra porta, para eles não verem minhas lágrimas e vou em diraçao ao meu destino.
Dou uma última olhada nos meus pais e suspiro fundo, fechando a porta comigo.

Está nevando, igual o dia que meu irmão saiu do castelo, ele até se tornou um cantor famoso, sinto falta dele, talvez por esses motivos eu nunca tenha perdoado meus pais, por esse motivo eu seja assim. - Vai pegar resfriado. - a voz de um garoto com o cabelo quase da cor dos meus, me chamaram atenção, ele é assustadoramente fofo.

- Obrigada pela preocupação - digo indo até a limusine - por que nao esta dentro do carro?

- Estava esperando voce e tambem gosto de neve. - ele sorri e apertando um ursinho - O nome dele é Teddy.

- Hum - aperto a mão do urso e sorrio - prazer Teddy.

- O meu é Kanato. - ele tenta sorri e eu acabo rindo, meu deus ele ficou assustador desse jeito .

- Prazer Kanato, vamos entrar? Não quero que o teddy e voce fique resfriado - ele abriu a porta e logo em seguida eu entrei, os garotos que antes estavam calados, pareciam agora estar animados, tinha uma garota com cabelos loiros sentada entre eles, ótimo vou ter que bancar a amiguinha agora também?

- Oi?- diz a menina ao notar minha presença, chamando atenção de todos, eu apenas ignorei e sentei longe deles, perto da janela. - Você é muito bonita. - diz ela tentando puxar novamente um assunto comigo.

- Eu sei. - eu olho para ela e sorrio - não posso falar o mesmo de voce.- em seguida boto meu fone, deixando a música no último volume.

¥¥ Shuu ¥¥

Uau, ela é realmente grossa, pensei que seria mais gentil com a Yui, mas ela apenas a ignorou, quem essa garota pensa que é?

- Fiquei excitado com essa garota - diz Laito, me forçando a dar uma resposta.

- Ela é minha noiva, não seja tao nojento. - me levanto e sento ao lado da boca suja.

- Sua noiva? - pergunta Yui com os olhos arregalados - Mais uma?

- Não, ela tem uma diferença, não poderá ser mordida, é nobre. - Reiji fala enquanto encara as pernas de Hyuna, automaticamente eu deitei minha cabeça sobre suas pernas, a deixando a assustada...ou enfurecida?

- O que pensa que esta fazendo? - ela pergunta tirando o fone, seu olhar demonstrava raiva e eu ri baixo com isso. - Anda sai.

- to com sono, vou dormir, não me importo com sua resposta.- me aconcheguei melhor no seu colo - não faça movimentos desagradáveis.

- Ora, seu desg.. - ela parece ter olhado a Yui, antes e depois completou a frase - pode ficar amor, eu não me importo, quer cafune?

- O q..ue? - me levanto rápido demais, me fazendo cair, e a puxando junto, um encima do outro, por sorte foi no banco e não no chão, mas estávamos numa posição desagradável, sua perna estava entre as minhas, sua boca com uma distância mínima.
Por um segundo eu a vi corar.

   


Notas Finais


Shuu : ta fazendo barulho, desliga o som.
Hyuna : Quero ouvir música.
Shuu : escute em outro lugar.
Hyuna : Não, se ta incomodado durma no seu quarto e não na sala.
Shuu : ORA.
Hyuna : Pode se estressar, estou pouco me fudendo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...