História A Borboleta Azul Suga - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga
Tags 20 Sp, Abs Do Jimin, Agust D, Imagine Suga, Imagine Yoongi, Min Yoongi, Mixtape, Suga, Suga Loiro, Wings World Tour, Yoongi
Visualizações 24
Palavras 571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi minha gente, estou de volta, peço-lhes que me perdoe pela demora e pelo capitulo pequeno, estou me esforçando ao máximo para que isso saia da melhor forma possível e espero de coração que estejam gostando, obrigado por sempre acompanharem e por todas as mensagens de carinho. Se alguém estiver acompanhando a do Jaebum, eu não esqueci dela não viu haha, logo terá capitulo. É isso, espero que estejam bem. Beijus!

Boa Leitura :D

Capítulo 3 - Washington.


"Erguia-se para uma nova manhã, docemente viva. E sua felicidade era pura como o reflexo do sol na água." Já dizia Clarice Lispector. Eu abro meus olhos contemplando TripAdvisor. Seul era airoso, um verdadeiro espetáculos de cores estonteantes. Eu inalo o odor balsâmico das coloridas folhas, enquanto desfruto da canção "Hi Hello" que tocava maviosamente nos meus ouvidos.

Com um pouco de dificuldade eu seguro uma das minhas malas com a mão direita, e caminho até um Studebaker-Garford que esperava por mim em incumbência de Joseph, um senhorio íntegro da maior galeria de arte de Washington.

Tenho andado em exaustão durante todo esse tempo, minhas pinturas já não eram vivas como antes e ao pensar na possibilidade de fracassar, sinto-me oprimida.

(...)

Silencioso, acolhedor e satisfatório. Assim era o ambiente ao qual eu me encontrava. O mesmo era amplo e cheirava a aura matutina. As grandes paredes eram revestidas em tons suaves, iluminando o ambiente. Agradável e sublime o descrevia primorosamente. Sinto minhas pernas tremerem e suspiro melancólica enquanto encaro minhas pernas.

Me assusto ao ouvir o barulho de algo se chocando. Caminho rapidamente em direção a porta branca que deveria ser a cozinha e me assusto ao ver um rapaz pálido de cabelos claros, que segurava um grande pacote pardo nos braços, o mesmo quiescente também parece se assustar.

— Quem é você? — Pergunto-lhe assustada enquanto seguro a ponta do balcão que se encontrava ao lado da porta, ainda cabisbaixa.

— Peço-lhe que me perdoe — O mesmo sorri e caminha até a minha direção. Largando  o pacote em cima do balcão de mármore, estende-me  sua mão em gesto de cumprimento.

— Me chamo Yoongi, eu moro a duas quadras daqui. Na verdade o meu pai é dono de uma mercearia na rua Lake, o dono pediu para que os trouxesse — o mesmo agora parecia solícito.

— Me chamo Montserrat — respondo — agradeço-lhe.

O rapaz com estatura média e olhos levemente puxados , sorri brandamente e alisa seus cabelos que caiam um pouco em sua nuca.

— Eu tenho que ir agora se não se importa, foi um prazer Montserrat, aproveite. — O mesmo caminha até a porta a fechando em seguida, ao sair.

Eu realmente não sei se conseguiria voltar a fazer isso novamente. Um abundante rio de lembranças me invadiram sem intuito nenhum. Renascendo marcas que no fundo eu sei que nunca serão apagadas e jamais esquecidas. Eu encaro a grande tela enquanto brinco com um pincel entre os dedos. No aposento, o silêncio era notório. Nada, além da minha anelação, era possível se ouvir. Depois de um longo tempo, mantendo aquela mesma colocação, jogo o pincel de lado, soltando um longo suspiro, me jogando para trás, sentindo-me colidir com a macies da cama. Eu fecho meus olhos e então sinto a escuridão me invadir.

No dia seguinte, desperto-me com o som do Pager bip, ainda pairado em cima da escrivaninha. Uma mensagem de Sienna fora entregue.

"Bom dia querida, espero que tenhas chegado em segurança, já sentimos saudades, eu amo você, mamãe". Suspiro em lentidão e levanto-me ainda sonolenta. No espelho do banheiro, meu reflexo era desprezível, meu rosto era pálido e meu corpo delgado e ainda fragilizado, continham marcas desde a minha primeira visita com Elliot e me lembro, depois de tanto tempo as suas palavras em martírio.

"Se chama esclerose lateral amiotrófica, você perderá seus sentidos aos poucos e logo não será mais possível caminhar, gradativamente cairá com mais frequência, eu sinto muito."

 


Notas Finais


Ain, espero mesmo que tenham gostado, não esqueçam de votar e comentar, pois me motiva a continuar, até a próxima :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...