História A BRIDGE OF FRIENDSHIP - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Rap Monster, V
Tags Bangtan, Bts, Fluffy, Imagine, Jungkook, Romance, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 83
Palavras 1.820
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 6 - Carona


Fanfic / Fanfiction A BRIDGE OF FRIENDSHIP - Capítulo 6 - Carona

Após o lanche, levantei-me e decidi organizar minhas coisas e esperar por Luke.

Alguns minutos depois:

- Ahh, você ainda está aqui! Como se sente? Melhor? - Luke havia chegado, com um sorriso em seu rosto

- Sim, melhor. Obrigada. - O recebi de forma gentil

Mas só estava disfarçando meu nervosismo, ele era meu professor, isso é completamente constrangedor, pelo menos para mim.

- Não fique nervosa (S/N), quero apenas o seu bem, a levarei com segurança. Podemos ir? - Ele disse a mim com tranquilidade

 Como sabia disso? Eu sou tão fácil de se decifrar assim? 

- Sim, podemos. - De forma mais animadora, sorri

Não podia fazer uma desfeita à ele, que nesses primeiros dias me ajudou sem ao menos saber. Talvez eu o deva um voto de confiança..

Peguei minhas coisas, agradeci aos enfermeiros e me retirei. ( O clínico não estava no momento, também queria o agradecer )

Enquanto andávamos no corredor, em direção à saída, as pessoas me olhavam cada vez mais, me sentia incomodada, então encolhi os ombros e suspirei, por um momento esqueci-me de que havia alguém ao meu lado, e então:

- O que foi? Não se sente bem? - Luke me perguntou

- E-Estou bem, apenas com um desconforto, mas logo passará. - O respondi enquanto sorria

Enquanto ia aos armários, para calçar meus sapatos, ele me esperava à porta, olhando para outros alunos que o cumprimentavam.

Estava calor, sentia o clima abafado. Dessa forma, fiz um coque em meu cabelo, de forma rápida e bagunçada. Apressei-me e saí, ao lado do professor, que me surpreendeu quando disse:

- Não levarei apenas você, espero que não se importe (S/N).

- Ah.. Sim.. Tudo bem para mim. - Desviei o olhar, sem graça

ERA SÓ ESSA QUE ME FALTAVA! JÁ ESTAVA SENDO CONSTRANGEDOR COM ELE APENAS, IMAGINA COM OUTRA PESSOA NOS ACOMPANHANDO, NÃO QUERO CONVERSAR COM NINGUÉM! PARECE QUE A SORTE NUNCA ME BATE A PORTA! 

- Mas não se preocupe - Ele respondeu - Ela é de sua classe, ja vi vocês duas conversando.

NÃO ME DIGA QUE É QUEM ESTOU PENSANDO! POR FAVOR!!

Quando finalmente chegamos ao estacionamento, em meio a algumas árvores, havia uma garota, escorada em uma delas, de costas, e tinha em suas mãos sacolas. Quando virou-se ao sentir nossa presença, pude ver que realmente não existe sorte em minha vida: Era Kim. Ela nos recepcionou com aquele seu tradicional sorriso, e eu de forma tímida retribuí com um sorriso de canto.

- Está aqui há muito tempo? - Luke a perguntou

- Não, faz uns 5 minutos. - Ela respondeu, sorrindo mais e mais

Não é que eu ache sorrisos estranhos, e nem que eu a odeie, mas a forma como ela sorri, parece ser uma mania insana, e quando tais assuntos se tornam empolgantes, seu sorriso se torna assustador 

Querendo me afastar dela e de toda sua felicidade :

- Posso ir atrás? Não me sinto confortável em sentar a frente, se não for incomodar. - Disse de forma tímida

- Claro! - Ele respondeu num tom animador - Sinta- se a vontade.

Entrei e me ajeitei no banco de trás, enquanto Kim e Luke entravam.

 Apesar de assustadora, ela tinha uma bela postura, lembrava uma princesa, era realmente bonita 

Ao passar de algumas ruas, estávamos ainda em silêncio, e para minha maior tristeza:

- Ei, (S/N). A vi hoje com Jungkook e Kim Taehyung do último ano, no intervalo, pensei que não quisesse amigos. - Kim havia me intimado de forma cruel, virando-se para trás e abrindo um sorriso

Aquela atitude havia sido um golpe sujo, ainda mais na frente de Luke, estava me sentindo totalmente constrangida, e antes que pudesse responder:

- Mas isso é verdade (S/N)? Estou surpreso! - Luke havia se interessado pelo assunto

Me via em um beco sem saída, abaixei a cabeça e Kim se virou para frente, eu estava corada, mas tentei responder de forma séria:

- S-sim, estávamos juntos no intervalo,  os dois apareceram quando eu estava precisando de alguém para me ajudar com minhas coisas, estavam pesa-

- Não precisa dar detalhes, está tudo bem em ter amigos, não é mesmo?  - Kim mais uma vez, complicava minha situação - Mas não quero perder para eles.

- Ouviu, (S/N) ? Kim também deseja ser sua amiga, assim como os outros. Por que não lhes dá uma chance?  - Luke acrescentou

Naquele momento, não sabia como desviar da situação, tudo estava dando errado para mim. Por que eles não podiam simplesmente entender que não quero ter amigos? Não é esse o meu foco no colégio. 

Tratei de dar uma resposta, e fazer com que ambos me ouvissem :

- Ei, entendam. Eles não são meus amigos, e eu não tenho e nem quero relação com ninguém. O problema é que sempre quando estou em apuros eles estão por perto. Mas não quero isso, entendem? - Disse de forma calma

Os dois se calaram e eu decidi colocar um ponto final nisso :

- Pessoas não são confiáveis. É assim que realmente me sinto.

Mas eis que ganho um presente:

- E o que te fez chegar a essa conclusão? Como pode saber que a solidão é o melhor pra você? Mesmo quando queremos, nunca estamos sozinhos, mas te respeito, acima de qualquer coisa. - Luke disse me olhando pelo retrovisor

 Por que ele estava se incomodando com isso? Ele parece se importar, mas por que? Eu me sinto bem sozinha, Luke.

Kim, como sempre quebrando o clima :

- Bom, quero que pense na minha proposta, te darei um tempo para se decidir, se quer ser minha amiga ou não. Sabe, eu sou confiável, e te achei diferente das outras garotas, mas não vou te obrigar a nada. Só pense com carinho, ok? -  E abriu um sorriso, dessa vez estava corada, com vergonha talvez

Se despediu de forma tímida, após perceber o que tinha acabado de me dizer, Luke parou o carro e ela desceu. Sua casa era enorme, possuía inúmeros vidros, carros na garagem, parecia um palácio comparado ao meu humilde lar. E então, pensei : por que diabos uma menina como ela, bonita, educada, popular, rica, necessitava me ter como amiga? Nao a falta nada.

Mas por enquanto, vou esquecer essa história, pois um obstáculo ( ou não ), estava a minha frente: continuar o trajeto até minha casa.

 Por incrível que pareça, quando Kim ainda estava, me sentia mais segura 

Apertei minhas mãos em minhas pernas, e olhando para fora, fazendo parecer que estava admirando as paisagens que por meus olhos passavam, mas para dizer a verdade, não via nada, não pensava em nada. Me questionava por dentro sobre o que minha vida tinha sido até agora, as decepções que vivi, os traumas que sofri, e por que, ao longo de tudo isso, as coisas mudariam logo agora? Por que não se pode haver uma vida pacífica e sozinha?

Fui interrompida quando :

- (S/N), não deveria te perguntar isso, pois não interfiro em assuntos particulares dos alunos, mas sempre que posso, ajudo a todos, e isso é uma característica minha. Então me desculpe, se eu for muito direto ou esteja enganado. Voce gosta de Jungkook? - Ele questionou-me

O que ele tem na cabeça em pensar isso? 

- Não, eu não gosto dele, ele é apenas um conhecido, colega de classe. - Respondi imediatamente

- Sei que não deveria ter lhe perguntado, me desculpe. Mas é que Kim é apaixonada por ele desde o ensino fundamental, então pensei que-

- Professor.. - Interrompi -  Eu entendo perfeitamente, e tenho certeza do que estou dizendo. Eu só não quero causar problemas pra ninguém. - Retruquei de forma séria

KIM É O QUE????? ESTOU SURPRESA! SERÁ QUE ELA  APENAS ESTÁ PUXANDO ASSUNTO COMIGO, COM MEDO DE QUE EU ESTEJA GOSTANDO DO MESMO GAROTO QUE ELA? FORA DE COGITAÇÃO.

Ele suspirou, e após alguns segundos retomou a conversa:

- Mas não digo apenas por isso, não só por ela. Ele ajudou você, não foi? E ainda existe o outro garoto, Kim Taehyung. Nunca pensou em se tornarem amigos? Por mais que isso nunca tenha passado por sua mente, pense no quanto isso te ajudou até aqui. Eles poderiam estar fazendo qualquer outra coisa, mas estavam ali, e sem reclamarem te livraram de problemas. - E então olhou para o lado - Eu tive vários problemas quando tinha a sua idade, mas esses problemas não seriam maiores que minha vontade de ser feliz ou de ser uma pessoa normal, com sentimentos, e eu sei que existe isso em você, (S/N). - Concluiu

Naquele momento, lágrimas caíam de meus olhos, meu corpo havia arrepiado com as palavras do professor, que involuntariamente, dizia coisas que me faziam lembrar de papai, e quando ele percebeu que eu estava chorando:

- Ei, você está chorando? Disse alguma coisa indevida? O que houve? - Falava em voz alta, com os olhos arregalados, olhando para mim

- N-Não, não foi nada. - disse enxugando as lágrimas - Apenas lembrei-me de algumas coisas, mas não deixo de concordar com o que disse, só que meu jeito não é este, desculpe por te preocupar.

(S/N), estamos chegando, acalme-se, tudo ficará bem, ele não disse nada para o seu mal, apenas seja forte. 

Ele sorriu, sem jeito, parecia constrangido e disse :

- Estamos chegando, sua casa está a duas quadras, certo?

- Sim, vire à esquerda e siga direto, já estamos perto. - Respondi

Estava um pouco mais aliviada, de ter me desviado desse assunto, mas mal por Luke ter entendido de forma errada.

Então, chegamos à porta de minha casa, desci do carro rapidamente, e parei-me em frente à sua janela, e disse:

- Muito obrigada por hoje. - Com um sorriso de agradecimento

- Pelo que? - Respondeu com espanto

- Por achar que tenho sentimentos, e eu já os tive, mas hoje estão congelados. Mas isso não me impede de te admirar. - Disse num tom tímido

NÃO SABIA O POR QUE DE ESTAR DIZENDO TAIS PALAVRAS, SÓ SAÍRAM, FORAM NATURAIS. POR QUE ISSO? 

Ele apenas sorriu e respondeu:

- Fique bem, e não esqueça de mostrar os papéis à sua mãe. Nele deixei também um bilhete meu, para ela. Se estiver se sentindo mal, avise à coordenação da escola por telefone. Aqui em Seul, faltas são tratadas de forma rígida. Então, se cuide, e até mais.

Fiz uma reverência e me virei, enquanto seu carro se distanciava. Quando entrei em casa, estava sozinha, mamãe ainda não havia chegado. Acho que farei o jantar, para economizar os esforços que ela vem fazendo.

Talvez isso me faça esquecer tudo o que me aconteceu no colégio hoje. Jungkook, Taehyung, Kim, Luke, o doutor e até mesmo o tarado do terceiro ano. Eu só quero descansar a minha mente, e procurar minha paz interior novamente.

Papai, por que o senhor não está aqui?
 


Notas Finais


Se não for incômodo, dêem opiniões, seria de grande ajuda, aceito qualquer tipo de críticas e etc.

Obrigada por ler <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...