História A Bruxa Negra - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Lizzie" Saltzman, Enzo, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Josette "Josie" Saltzman, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore, Vincent Griffith
Tags Bruxas, Lobisomens, The Originals, The Vampire Diaries, Vampiros
Visualizações 25
Palavras 1.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey, guys!

Nesse capítulo vai rolar lutas, preparem-se.

Boa leitura!

Capítulo 15 - Capítulo XIV


Fanfic / Fanfiction A Bruxa Negra - Capítulo 15 - Capítulo XIV

Mystic Falls. 


Maya


 Era segunda-feira, o primeiro dia de Lucius na escola. Marcel tinha ido embora na sexta com a promessa de que um dia nos encontraríamos novamente, eu esperava que o encontro acontecesse em boas circunstâncias. Luke estava pronto, ele vestia um blusa de uma banda e calças jeans, além de um tênis all-star. Eu vestia uma calça jeans branca, uma blusa grande roxa e tênis pretos. 


 Na porta da escola eu dei um abraço apertado em Luke e falei que iria busca-lo no final das aulas. Eu fui para a casa dos Salvatore, tinha prometido tomar café com Stefan.


— Olá queridos. — Eu disse surgindo na cozinha, os dois irmãos tomavam sangue. Stefan me abraça e aponta para o balcão, onde tinha um prato com o meu café dá manhã. — Você sabe que eu te amo, certo Stefan? — Ri indo até o maravilhoso café da manhã que Stefan tinha feito.


 Durante esses três dias eu tinha me aproximado rapidamente de Stefan e de Damon, os dois me aceitaram como um membro da família. Sempre que eu vinha Caroline estava aqui, e sempre ela me olhava cheia de ciúmes.


 Fazia quatro dias desde que eu tinha brigado com Kim, durante esses quatro dias eu tentei me aproximar, sem sucesso. Jared e eu não estávamos nos falando, na verdade eu já não falava com mais ninguém. 


 Damon terminou o seu “café” e veio na minha direção. Nós dois íamos dar uma olhada em Elena. Como o resto dos bacon e agarro minha bolsa me encantando. Me despeço de Stefan e sigo Damon até o carro dele.


 O caixão da Elena estava intacto. Dentro dele ela parecia estar dormindo, estava linda. Toquei levemente o rosto de Elena me lembrando de Tamara.


— Sinto por não poder traze-la de volta. Acho que só Bonnie pode, já que as duas estão ligadas. — Eu esclareci olhando para Damon que admirava a namorada.


 Era difícil ver Damon triste, ele tentava mascarar seus sentimentos mas eu consegui ver. Fecho o caixão de Elena e sigo para o carro de Damon.


Damon me deixou em casa onde eu estudaria os grimórios. Foram duas horas e três grimórios, eu aprendia cada vez mais. Deitei na minha cama fechando o grimório, o sono estava chegando. Abro os olhos assim que ouço batidas na porta.


 Uma mulher morena e bonita, parecida com a Halle Berry, estava parada na porta. Ela usava luvas, cachecol, um casaco e calças grossas. Eu olhei para o céu, estava um calor dos infernos e a mulher estava toda agasalhada.


— O que deseja? — Perguntei educada. A mulher me olhou nos olhos e sorriu mostrando os dentes perfeitamente alinhados.


— Ajuda, Maya Hathaway. Simples ajuda. — Ela me conhecia, eu olhei para os lados em busca de alguém, não tinha ninguém na rua.


 Eu saí de casa fechando a porta. A mulher tirou uma das luvas me mostrando a mão dela totalmente preta, era algo incomum. 


— O que é isso? — Perguntei observando a mão dela. 


— Uma maldição. Alguém fez isso comigo e sinto que só você pode me ajudar. Você e a sua amiga Kim, com os conhecimentos dela.


 Além de me conhecer ela conhecia Kim. Eu agarrei o braço da mulher e puxei-a para casa de Kim. Eu entrei sem me importar com nada, na sala estava Kim e o resto do pessoal assistindo televisão. Todos se levantaram quando perceberam minha presença.


— O que você 'tá fazendo aqui, Maya? — Leo pergunto, ou melhor, rosnou. Ele se colocou na frente de Kim como se eu fosse ataca-la.


— Ajuda. Essa mulher precisa de sua ajuda, Kimberly. — Olhei diretamente para Kim que abaixou a cabeça envergonhada. — Eu não espero uma reconciliação, só quero sua ajuda para salvar essa mulher. 


 Kim concordou e se aproximou para ver a mão da mulher. Ela pareceu reconhecer a maldição já que arregalou os olhos.


— Essa maldição foi feita pela minha mãe. — Ela explicou ao ver meu rosto confuso. — Como você conseguiu isso? — Perguntou a mulher.


— Eu trombei com uma bruxa e uma vampira, entrei no caminho deles e por isso ganhei essa belezinha aqui. — A mulher subiu a manga dá blusa mostrando a maldição.


— É fácil tira-la. Eu vou arrumando os ingredientes e você purifica ela. — Kim se aproximou. — Purifique ela com água misturada com meu sangue e sal, vai ajudar a tirar a maldição. 


 Eu enchi a banheira do andar de cima joguei muito sal e um pouco do sangue de Kim. O sangue se misturou a água, tornando-a vermelha. Eu deixei a mulher se lavar, enquanto esperava ela no quarto. Ethan se sentou do meu lado e observou a parede junto comigo. 


— Ela só está magoada. Kim só está magoada, aparentemente o passado dela não é um assunto bom. — Ethan suspirou. — Uma hora ela vai te perdoar, é só ter paciência.


 Paciência era um virtude, e eu tinha de sobra. Ethan se retirou e no exato instante que ele saiu do quarto, a mulher saiu do banheiro vestida com um roupão branco. A pele dela estava preta, as pernas e os braços já tinham sido afetados pela maldição. 


 Levei a mulher para o andar de baixo onde seria feito o feitiço. Kim estava em volta de um círculo de sal e velas, a coreana tinha um recipiente cheio de ervas. 


— Entre dentro do círculo, e tire o roupão. — Kim ordenou para a mulher. 


 A mulher fez o que lhe foi mandado. Estávamos apenas nós três dentro da sala, as janelas estavam todas fechadas e o ambiente só era iluminado pelas velas. A mulher jogou o roupão para fora do círculo e fechou os olhos, aguardando. 


— O que eu faço? — Perguntei a Kim.


— Enquanto eu jogo as ervas na... — Kim percebeu que não sabia o nome da mulher.


— Aliane. — A mulher respondeu e fechou os olhos.


— Na Aliane, você recita esse feitiço. — Kim me passou um papel com as palavras para o feitiço. 


 Eu decorei o feitiço e Kim acenou começando o ritual. Ela jogou as ervas na cabeça de Aliane e depois pegou uma jarra e despejou sobre a cabeça da mulher, aquilo era o sangue da Kim.


— Phasmatos subaius exlerictions abixs maiadinis. — Eu repeti diversas vezes até ver as manchas pretas da pele de Aliane começarem a sumir.


 A mulher riu insana, ela foi até o roupão e o pegou, cobrindo-se. Um estrondo vindo da sala atraiu minha atenção fazendo-me correr até a sala, sendo seguida por Kim. Na sala Leo, Ethan e Brian estavam no chão, enquanto uma mulher coreana sorria para eles. A mulher coreana era a mãe de Kim, Ganda.


 Brian se levantou e atacou a vampira que o jogou longe com a maior facilidade. Ela se virou na direção de Kim e abriu um imenso sorriso.


— Eu finalmente te encontrei, minha flor. — Disse com uma falsa gentileza.


 Ao meu lado Kim estava paralisada, todos tinham sido noucauteados. Eu tomei a frente avançando contra Ganda.


— Não! — Kim me interrompeu com um grito. — Ela é minha. — Rosnou antes de se jogar em direção a mãe.


 Aliane recitava um feitiço, eu sabia que ela era encrenca. Corri na direção da bruxa e a prendi contra a parede. Encostei meu dedo indicador na área onde o coração fica, fazendo a maldição que tinha sido eliminada, voltar com força total. Aliane caiu ajoelhado e gritou, a maldição estava chegando ao coração dela, em poucos minutos a bruxa estaria morta.


 Kim lutava ferozmente contra sua mãe. Ganda mantinha o sorriso falso no rosto enquanto Kim tinha uma expressão raivosa. Kim encarou intensamente Ganda, a vampira colocou as mãos na cabeça e gritou. Kim ia matar a própria mãe quando Brian a impediu.


— Deixe-me fazer isso. — Ele falou, Ganda ainda gritava de dor. Kim olhou confusa para Brian, devo admitir que eu também estava bastante confusa. — Quando eu tinha oito anos alguma coisa matou meus pais, uma vampira que me olhou nos olhos e sorriu perversamente. A mulher parada a sua frente é a vampira que matou meus pais.


 A revelação de Brian chocou Kim e me chocou também. Ethan se levantou e colocou-se perto do irmão encarando Ganda. Kim abaixou a cabeça e se distanciou, dando a vingança tão desejada dos irmãos. Enquanto Ethan segurava Ganda mantendo-a imóvel, Brian se aproximou com um sorriso imenso no rosto.


— Isso é pelos nossos pais, vadia. — Ethan sussurrou no ouvido de Ganda que riu. Em um único movimento Brian arrancou o coração dá vampira e o segurou perto do rosto, admirando-o.


(...)


 No final de toda aquela emoção, Leo foi o encarregado de queimar os corpos e se livrar do resto. Brian e Ethan saíram para comemorar a sua vingança, enquanto Kim ficou na casa de culpando. 


— Kim, me desculpe por hoj... 


— Maya eu não te desculpei. — Ela me interrompeu se afastando de mim. — O que aconteceu hoje não muda o que você fez. Agora você pode sair.


 Eu não tentei argumentar, apenas abaixei a cabeça e segui para a porta. Já era a noite, com tudo o que tinha acontecido eu tinha me esquecido completamente de Luke. Corro para a minha casa e para a minha felicidade Luke estava na sala vendo TV. 


— Onde você estava Maya? Eu fiquei muito tempo te esperando. — O vampiro me perguntou sem desviar os olhos do desenho que passava. 


— Me desculpe querido, ocorreu uns imprevistos, eu tive que ajudar uma amiga. — Não queria que Luke soubesse o que aconteceu então omiti a verdade. — Prometo que vou te recompensar. Que tal maratonarmos séries? — Luke me olhou animado, o garoto não esperou a resposta e correu para a escadas.


 Olhei para a TV, refletindo sobre hoje. A mãe de Kim tinha sido morta na frente dela, mesmo sendo uma megera sem coração ainda era a mãe dela. Por um instante eu me lembrei de minha família, dá sensacao que foi perde-los. Eu ainda iria traze-los de volta, e também iria cuidar para que Luke voltasse a ser um humano, para que ele crescesse, se casasse e tivesse filhos. Era uma promessa. 


Notas Finais


Yeah, leitora(o) que está comentando muito (labonair) tu acertou! Que orgulho.

Espero que tenham gostado dessa revelação. Vejo vocês no próximo capítulo.

xx Beijos da Banshee

Bye Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...