História A Busca pela Honra - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Elsword, Grand Chase
Personagens Ara Haan, Elesis, Elsword, Mari, Rena, Ronan, Sieghart
Exibições 51
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Iai pessoal, Tudo bom?
Mais um capitulo ai espero que se divirtam até.

Capítulo 7 - CounterFeit (01)


 

 

 

 

Interlúdio 3-1

001

-Hum!?- ele acordou um tanto desesperado parecia aflito e estava em guarda máxima, porém se deparou com um ambiente completamente diferente, o pequeno restaurante nos subúrbios da cidade havia se tornado um quarto relativamente pequeno.

Quarto? Bom não era exatamente isso, parecia mais com uma sala de operações, quando tentou se levantar viu que estava preso à maca, não podia nem mexer a cabeça o que o deixou desconfortável.

-Oh? Eu estava começando a ficar um pouco preocupada com você sabia? Achei que nunca mais poderíamos nos ver de novo...- a voz o aterrorizou completamente, ele conhecia bem aquela voz, seu ser estava em choque, sua boca tremia, Ronan demonstrava terror somente ao ouvir o som proferido pela mulher.

A cada passo que ela dava, o seu corpo reagia de maneira diferente, fechava os olhos freneticamente, abria e fechava as mãos, contraia os dedos, tantas e tantas outras demonstrações de nervosismo.

-Darling- apesar de a voz ser doce apenas trazia calafrios e arrependimentos ao jovem cavaleiro, a bela mulher de longos cabelos negros finalmente revelou seu rosto, olhos castanhos, nariz fino pele sedosa.

Seus longos cabelos caiam sobre ele, enquanto ela acariciava sua testa.

-Zenmetsu... Quantas? Quantas vezes eu vou ter que te matar?- ao olhar o rosto dela o medo dele havia sumido dando lugar a uma extrema tristeza, talvez arrependimento? Talvez insatisfação ou simplesmente solidão?

Ela sorriu se aproximou e o beijou carinhosamente, ele, porém não retribui apenas manteve seus lábios imóveis.

-Darling... Quando vai me chamar novamente pelo nome que me deu?- Ele a olhava diretamente, a jovem mantinha a pequena distancia entre ambos, a respiração pesada do azulado a afligia.

-Aquele nome não mais a te pertence, ele se foi junto com aquele corpo, afinal eu te matei lembra?

002

Naquela noite de junho o grande templo budista era banhado pela fraca luz de uma lua de sangue, vários e vários corpos estavam espalhados por ele, o sangue parecia ter se tornado parte do templo.

No centro estavam dois jovens, esses eram Zenmetsu e Ronan.

A espada a perfurava fundo, mesmo assim ela não parecia triste, mesmo com um corte tão profundo a jovem de longos cabelos negros estava apática, seu corpo ia perdendo as forças, sua mente ia se perdendo vagarosamente.

O seu agressor, porém estava aflito, lagrimas desciam pelo seu rosto, suas mãos tremiam, era como se ele que estivesse sentido a dor, o jovem de longos cabelos azuis não podia conter os seus sentimentos.

Enquanto ela não entendia o motivo do homem que tanto amou, tê-la traído.

-Darling? Qual o motivo de ter me traído?- Ela falava com certa dificuldade o peso dessas palavras, porém atingiram o garoto fundo.

Ela não cogitou a possibilidade dele ter mentido, ela tinha certeza que seu amor era reciproco.

-Eu... Eu...- lhe faltavam palavras parecia estar com dificuldade para respirar, a jovem porem continuou as suas perguntas.

-Eu não fui boa o suficiente para você? Diga-me onde eu errei- a sua força vital ia se extinguindo, mas ela se negava a morrer enquanto não soubesse a resposta que tanto almejava.

Ele forçou a gladio a entrar mais fundo no peito de sua amada, o sangue começava a sair pelos olhos dela, eram lagrimas de sangue, tossia sangue.

-Me desculpe... No fim não posso desistir do mundo por você, sendo uma apostolo corrompida se eu te deixar à solta, se eu me aliar a você tantas pessoas sofreram, tantas vidas serão perdidas, eu acredito que no final das contas herdei isso da minha mãe... Não pedirei que me perdoe A-.

001

Ele estava em outro ambiente dessa vez se mantinha sentado em uma cadeira negra, suas mãos estavam presas, a frente só conseguia enxergar um fundo branco.

-Entendo... Esse é um dos meus devaneios por isso que nesse lugar você vive, por isso pode andar tranquilamente, talvez meu subconsciente nunca aceite aquele fardo- após dizer isso ele foi envolto pelos braços da mesma mulher, ela o abraçou por de trás da cadeira, apoiando seu rosto no ombro dele.

-Ora? Admitiu que não queria ter me matado Darling?- após dizer isso ela o beijou na bochecha.

-Realmente, talvez essa tivesse sido a grande escolha da minha vida não é? Aquilo fui eu colocando as pessoas à frente de mim mesmo, naquele momento eu perfurei o que eu mais amava, acredito que te amei mais do que qualquer outra coisa- ele confessou e acabou deixando um sorriso de canto escapar.

-Mas eu não me arrependo do que fiz naquele momento, ainda acredito ter feito à coisa certa.

Ela parou de sorrir o largou e parou na frente de Ronan.

-Counterfeit.

Parte Única

-Hum, será que realmente está tudo bem?- Ronan estava zonzo, não conseguia ouvir muito bem sua visão estava turva, enquanto seus sentidos pareciam adormecidos.

A voz doce da jovem de cabelos azuis o aliviava.

Seus membros estavam dormentes, enquanto abria seus olhos devagar a ouviu dessa vez em alto e bom som.

-Ara!?, vejo que está acordado, perfeito isso facilita bastante- vestida com roupas casuais, um short azul curto e uma blusa branca com um desenho infantil de um coelho, Mari se atentava a todos os detalhes, analisava o cavaleiro de cima a baixo.

Sim, eles estavam no quarto dela, onde mais ela poderia estar vestida tão casualmente?

O pequeno cômodo provia apenas de uma cama grande de casal, essa coberta com lençóis de cor azul, completamente desarrumado, para falar a verdade aquele quarto era uma desordem generalizada.

-Bom... Por onde devemos começar?- Perguntava a mulher enquanto ajeitava seus óculos.

-Que tal pelo inicio? O que aconteceu depois que eu desmaiei?- forcando um sorriso, Ronan responde a pergunta.

-Antes disso quero que me responda algumas perguntas Ronan, por enquanto vamos deixar essa sua pergunta de lado- Ela parecia seria e por algum motivo não parava de olhar para o rapaz.

-Tudo bem, pergunte.

-Sente algum desconforto? Consegue sentir e mexer os membros do seu corpo?- Ronan não entendeu o motivo da pergunta, porém fez o teste.

Não pode mover nenhum dos membros, mas pode senti-los, com exceção do braço esquerdo, não sentia nenhum enjoou ou algo do tipo.

-Não sinto nenhum tipo de desconforto, apesar de não ter conseguido mexer os membros do meu corpo consigo senti-los, apesar de não sentir meu braço esquerdo, provavelmente está tudo bem comigo- ele disse calmamente.

-Ótimo, agora vou responder a sua pergunta, depois que você desmaiou seu braço esquerdo começou a curar seu corpo, mesmo que a sua mente estivesse inconsciente, porém eram processos mágicos intensos demais se isso continuasse sua mente não ia aguentar, seu corpo estaria curado, porem sua mente teria sido destruída, Então eu o amputei- Ela disse a ultima frase com um pouco de pesar.

-Não se preocupe, eu o coloquei de volta depois que terminei de cura-lo, mas os efeitos que seu braço tem sobre seu corpo aumentaram drasticamente, se eu o deixasse livre, ele destruiria a sua mente, é como se seu braço fosse ativado por um gatilho que estava dentro de sua mente, porém esse gatilho parece não mais existir.

O garoto se lembrou da luta no restaurante.

“Entendo como eu desmaiei e já tinha usado um grande poder no mesmo dia isso fez com que o meu gatilho fosse suprimido pelo meu braço...”

Mari o desamarrou, quando livre, ele não pode deixar de olhar o seu braço esquerdo, estava coberto por um manto azul.

 -Mas o que é isso?- Ele a perguntou, nunca tinha visto nada desse tipo antes, era fino estava cobrindo desde o ombro esquerdo até próximos aos dedos, porém o que mais incomodava era o fato de não conseguir mover um dedo.

-Esse pano que cobre o seu braço é uma das minhas invenções, eu o chamo de Manto do Sudário, originalmente eu o desenvolvi para selar a mana de tudo que ele envolve, bom no seu caso a função dele é de impedir que os circuitos mágicos de seu braço esquerdo entre em contato direto com o seu cérebro, mas entenda ele por si só não consegue conte-lo por completo então não baixe sua guarda- Mari falava serio, apesar de não demonstrar nenhum tipo de reação enquanto falava, sua voz passava o seu descontentamento.

-Outra coisa, você pode retirar o Manto quando quiser, mas saiba que quando retira-lo será seu fim, tirar esse Manto significa assinar a própria sentença, você vai morrer não é questão de si é quando, se esse retirar esse manto a bomba relógio ativa.

-E por fim, não espere conseguir mexer esse braço nos próximos dias, logo vai poder movimenta-lo, porém usar magia antes de aumentar as suas capacidades é suicídio, retire esse manto apenas quando atingir sua segunda classe.

-Entendo, obrigado você salvou a minha vida, tem alguma coisa que eu ainda preciso saber?- ele se levantou do sofá, se sentiu um pouco tonto quando se levantou, mas nada muito forte.

 -Quero dizer que não fiz isso de graça, você vai ficar me devendo essa Ronan- Quando Mari disse isso, Ronan assentiu e se despediu.

Ainda era de madrugada quando saiu do dormitório feminino, as estrelas e a lua eram única luz que iluminava o campus deserto, quando mais se afastava do quarto de Mari sua mente parecia ficar cada vez mais fraca.

-Hnh, que droga... Esse braço resolveu dizer que ainda tá vivo agora?- A dor estava invadindo seu ser, era como se fosse ele estivesse congelando, sentia seu corpo todo esfriar.

-Ela falou sobre isso... tsc, tenho que me manter concentrado se não meu corpo vai congelar- o cavaleiro fechou os olhos.

“Imagine uma barreira, algo que faça com que esse meu braço não continue invadindo o meu corpo, se acalme, você precisa se acalmar”.

Após manter o foco, o seu corpo foi esquentando novamente.

Ofegante, quando abriu seus olhos novamente pode ver a sua frente estava uma presença um tanto perturbadora.

Uma mulher de longos cabelos negros, roupas negras, usava uma lança e seu rosto estava escondido sob uma mascara, a mascara lembrava muito o rosto de um gato, era branca, com alguns traços vermelhos próximos aos olhos e boca.

Ronan conhecia aquela lança, porém estava paralisado na mera possibilidade daquilo ser verdade, porém.

-Counterfeit.


Notas Finais


Apesar do final com suspenso, a historia principal vai dar uma esfriada, sobre o passado do Ronan não se preocupe vai sair um capitulo especial relativamente grande explicando tudo passo a passo então se você não entendeu, ou não se ligou nas características da nova personagem e não sabe quem é relaxe e espere pelo especial.

Bom o nível de “apelação ” do Ronan diminui drasticamente nos próximos capítulos que serão mais de treinamento, amizades... enfim vocês já entenderam...

Uma coisa que me deixou curioso, vocês shipam algum casal nessa fic? Meu amigo quando leu disse que tava shipando Ronan e Elesis que achou fofo os dois juntos, isso é realmente verdade ou só coisa dele mesmo?
Sobre a última discussão que tivemos a cerca da censura eu optei por não censurar nada, acho que não vai haver problema... acho.

Qualquer erro de português que provavelmente terá, reporte nos comentários e me ajude a crescer como escritor, apesar desse capitulo não estar revisado.

Ah ia me esquecendo, curtiram a nova capa?

CounterFeit significa Falsário, Golpista, Enganador, alguém que se aproveita dos outros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...