História À Caça Do Predador - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Bad Boy, Good Girls, Romance
Visualizações 7
Palavras 720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá leitores.
Desde já peço desculpas, se encontrar erros.
Aqui está o prólogo desta história que promete tudo e mais um pouco.

Alguma pergunta que tenha (ou se quiser apenas conversar) sinta-se livre para me mandar mensagem privada ou para o meu Twitter (@Babydakk) .

Desde já, obrigada por ler.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction À Caça Do Predador - Capítulo 1 - Prólogo

Por Mike Royce

-Então Taylor, boas notícias? - pergunto ao ver um dos membros mais leais do meu Gang, a entrar no meu escritório.

-Sim. Deu tudo certo no assalto à joalheria.

-Ahhhh! Perfeito! - Digo pegando num cigarro, acendendo-o logo de seguida.

-O dinheiro está contado, Sr.Royce. O que faremos às jóias?

-Simples meu caro Taylor, vamos esperar a poeira assentar e depois vou vende-las para fora do país. Ou achas que vou ficar com elas? Não uso acessórios de mulher. - disse indignado.

-Desculpe. - ele disse, enquanto eu revirei os olhos.

-O Jones? - Perguntei pelo panasca do meu braço direito, também meu melhor amigo.

-Está a colocar as mercadorias do assalto à galeria, da semana passada, no camião rumo à Itália.

-Ótimo!-  Exclamei enquanto coloquei os pés encima da mesa do meu escritório. - Saí logo! - digo e ele sai.

Após terminar de fumar, apago o cigarro no meu cinzeiro de prata. Acho que, não, tenho a certeza que, o roubei da casa daquela mulher gostosa que peguei à uns anos atrás. Ela não prestava para nada na cama, por isso, tive que trazer alguma recordação daquele momento de merda.

O meu celular toca, na tela tem escrito Brown.

-David Brown! Meu amigo. - digo para ver se o meu infiltrado na polícia local tem notícias, espero que sim, não quero que ele tenha interrompido o meu dia por um assunto de bosta.

-Ei Mike - Odeio que me tratem pelo primeiro nome, quando arranjar alguém dentro da polícia sem ser esse idiota, corto-lhe a garganta -Tenho novidades.

-Oh, diz-me.

-Vão começar a investigar -te. A tua oficina mecânica já não é uma boa fachada.

- Já sabia que isso ia acontecer, mas não vão encontrar provas, eu elimino todos as pontas soltas - digo dando ênfase para ver se ele entende o caralho da indireta.

-Mas tens um problema.

-Nunca tive um problema, tenho contratempos. - rebato.

-Quem vai te investigar é a Agente Kleber.

-A?

-Sim, é uma mulher. - ele diz, sinto medo na voz desse idiota com pernas ? Começo a gargalhar.

-Uma mulher?

-Sim e estou com receio que ela me descubra.

-Estás doido? É uma mulher! Polícias nunca me meteram medo, e agora muito menos se é uma mulher a investigar!

-Estás a subestima-la. Ela é extremamente boa, em todos os sentidos. - ele diz com uma voz de velho tarado.

-Tá, ok. Obrigado pelo aviso. Adeus.

Por Rose Kleber

Quem mora nesta cidade, sabe que pode viver em paz, é a cidade com menos criminalidade no país, me orgulho plenamente em fazer parte da polícia local.

Já recebi montes de medalhinhas douradas pela polícia e recebo diariamente postais no correio de pessoas com quem lidei durante os meus casos na polícia.

Até hoje, nenhum caso meu, ficou por resolver, se já antes era assim, muito menos agora que estou focada apenas no trabalho. O meu noivo me traiu com a chefe dele, não acham repugnante?

-Miga, estas a acabar o relatório? - me pergunta Taiga. Taiga Thompson é a minha melhor amiga, que vive no apartamento à frente do meu e que trabalha no laboratório da polícia.

-Porquê? - pergunto olhando-a com a sua bata branca.

-Ah... Quero ir para a balada, sem te ter a passar à porta a fazer a vigia noturna.

-Kleber? - Me chama Richard Dawkins

-Diz.

-O chef quer falar contigo.

-Tô indo. - digo um pouco alto -Vá, falamos depois Taiga. - digo me levantando da minha secretária.

-Pensa no que te disse. - ela diz enquanto me afasto.

Bato três vezes na porta do Otávio Silva, meu chefe, antes de ele me mandar entrar.

-Chamou? - pergunto, ele assente e depois estica a mão para me sentar na cadeira azul almofadada à sua frente.

-Kleber, sem rodeios, somos amigos por isso vou ser direto. Certamente já ouvis-te falar do Gang M.

-Infelizmente, têm andado a provocar muitos desacatos.

-Quero que fiques com o caso.

-Mas, achei que era um caso do Teles. - digo.

-Ele mesmo me disse, que era melhor tomares conta do caso. Ele anda em torno disto à seis meses e nada! Ele disse que prefere acatar as tuas ordens. Esse Gang hoje assaltou uma joalheria, quero que vás lá ver o local, leva alguém do laboratório pode ser que encontres impressões digitais ou assim. Aviso que são profissionais! Aqui está, a pasta que contém tudo o que sabemos sobre eles. - ele me diz, entregando-me uma pasta verde e eu, pego nela e  levanto-me -Conto contigo Kleber, caça o chefe desse Gang!


Notas Finais


Espero sinceramente que tenham gostado.

Deixe o seu favorito, para não perder o próximo capitulo e, ficaria muito feliz que pudesse me deixar a sua opinião.

O capítulo 1 não tem data para lançamento, visto tenho outras histórias pendentes.

Obrigada pela compreensão.

Beijos ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...