História A Caçada Yordle. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Gnar, Skarner
Tags Gnar, League Of Legends, Lol, Yordle
Exibições 13
Palavras 1.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - 1-2 Conhecendo o Absoluto


La estava eu... sentado, encostado na arvore que colidi, observando aquela criatura imensa, sobre as duas patas, a raposa havia sumido, pensei que.... aquele "Monstro" era algum tipo de Guardião, cujo eu nunca li ou ouvi falar antes, mas claro, eu não estava tão calmo assim...

-- Q-Quem é você??

Perguntei, mas mesmo assim, a criatura ficava la, parada, me observando com seus enormes olhos pretos e suas presas gigantescas, eu não sabia oque fazer, se eu corria, ficava parado ou atacava com minha besta de pulso.

A Fera ja estava se irritando com minha inativade, estava chegando mais perto, e rugindo cada vez mais alto, quando estava perto o suficiente, levantou seu grande punho, e estava pronto para um golpe decisivo.

Sem pensar duas vezes, recarreguei minha besta, e atirei no olho da fera, não atingiu exatamente o alvo, mas foi o suficiente para distrair e eu dar no pé, mas logo nao foi tão facil assim.

Correndo pela mata, desesperado, eu nem sabia direito para que lado ir, a Fera ja vinha correndo sobre suas quatro patas rapidamente, parei para começar a fazer a estrategia, e tive uma ideia.

Mais furiosa que antes, aquela "Criatura" estava cada vez mais rapida, quando estava prestes a chegar em mim pulei sobre o tronco de uma arvore e aguarrei deu galho, a Fera não entendo para aonde eu tinha ido, colidiu com uma pedra no caminho e caiu rolando sobre a descida da colina, Rapidamente, corri na direção oposta, finalmente, me livrei deste monstro.

Mas é claro, eu não podia cantar vitoria tão cedo, o lugar que eu estava... era totalmente desconhecido para mim, no meio de uma floresta, perdido, e com uma fera me caçando, com certeza, ja tive dias melhores, mas continuei correndo em linha reta, até achar.... um abismo.

Eu nunca tinha visto aquele lugar na vida, não sei o quanto corri do rio, que capturei a raposa, até aqui, mas eu não podia negar que a vista era linda, uma enorme fenda, que dentro dela, havia duas gigantes cachoeiras que caiam até um rio la em baixo, parecia que bem ali havia um rio subterraneo, e foi exposto, ou a cachoeira preencheu o vazio com agua, bom, fico com a primeira opção.

Mas, sem me deixar ficar destraido com a paisagem, começei a olhar para pocisão do Sol, talvez determinar aonde estaria minha vila, atraz da colina, cujo o montro caiu, era aonde o sol se ponha, quer dizer que vou ter que passar por aquela coisa de novo...

Andando calmamente até a colina, dei uma rapida olhada para baixo, e la estava... a Criatura que havia me peseguido, estava no chão, toda esticada, a queda foi feia, em passos leves e calmos, ando passando ao lado da Fera, mas ela se mecheu um pouco e parei no mesmo segundo, esperando que ela parace de se mecher, porem o tempo foi passando, e ela continuava se mechendo, mas, não era exatamente "Movimentos" e sim... como se a pele estivese se comprimindo, fiquei em uma posição melhor para observar.

A Fera começava a diminuir de tamanho, inesplicavelmente, ela mudava de cor, do Vermelho escuro, para o Laranja, mas, quando ela ficou em seu menor tamanho, fiquei espantado, aquela Fera... era ninguem mais que aquela "Raposa" que eu havia encontrado antes no rio... fiquei muito espantado

Começei a observar mais de perto, procurando respostas, novamente, notei suas manchas bejes pelo corpo parecidas com desenhos tribais, sera que ele pertencia a alguma tribo que ainda existia? Não sei dizer, seu braço direito estava com arranhoes, em sua cabeça havia um corte, saindo um pouco de sangue, e em seu joelho, mais arranhoes com mais sangue, notei que ele tinha um tipo de "Chapel" feito de Osso, parecia um cranio de alguma outra criatura extinta a muito tempo, sua cauda começava ladanja e terminava em azul escuro, e perto dele tinha algum tipo de "Ferramenta" ou algo que ele usava, tambem feito de osso, eu estava totalmente confuso, definitivamente, aquilo não era uma Raposa.

Ela me perseguiu, tentou me esmagar e atropelar, eu deveria ficar furioso e acabar com aquilo de uma vez, porem, eu que começei essa briga capturando ele, então começei a me sentir culpado por ele estar no pé de uma colina, jogado no chão, todo machucado e ensanguentado, minha consciência não iria parar de me perturbar por anos, então resolvi ajudar aquela "Coisa"

Peguei ele calmamente, ergui em meus ombros e procurei algum lugar para descança-lo e trata-lo, bem, eu ja disse que sou muito ruim com armas, haha, eu acho que, graças a isso eu estudei varias coisas em minha vida, uma delas foi medicina, então eu estava tranquilo, pois eu sabia oque fazer sobre tal situação, sorte a minha...

Achei uma velha arvore cujo suas raizes tinhão saido do chão, formando um tipo de estrutura que era perfeita para passar um tempo, coloquei o a criatura em baixo das raizes da arvore, e fui procurar algumas plantas medicinais, me virei e começei a procurar, não era tão dificil, nesta região havia bastante dessas plantas, tambem procurei alguamas pedras para fazer uma fogueira.

Após algum tempo começava a anoitecer e pingos d'agua começavam cair do s céus, e com a força que vinha, com certeza era uma tempestade de curta duração, ao todo, consegui 8 Ervas Verdes e 5 Vermelhas. Ervas Verdes ja são otimas para curar ferimentos, mas quando junta estas duas ervas, o poder de cura delas é ainda maior, como se fosse tres vezes mais potente, e Ervas Amarelas, são bem raras de se achar, porem quando misturada com a Verde, dizem que você fica mais Forte e resistente, mas não era um simples efeito, era permanente.

Me ajeitei ao lado da Criatura ainda nocauteada, e preparei as ervas para aqueles arranhões, coloquei uma pilha da de Gravetos a minha frente, que eu havia coletado antes, peguei duas pedras e as choquei com força, de Primeira, foi faisca suficiente para ascender os gravetos e fazer a Fogueira, peguei duas Ervas Verdes e vermelhas, e as amacei uma com a outra, fazendo um tipo de "creme" e passei sobre os arranhões e ferimentos da Criatura, logo depois, a chuva começou. Eu corri muito, quase fui morto, e fiquei a tarde inteira procurando ervas, eu estava completamente exausto, enconstei minha cabeça no tronco da arvore e adormeci.

No dia Seguinte, assim que acordei, olhei para minha direita para verificar a criatura, e ela não estava mais la, fiquei confuso para onde ela teria ido com aqueles feriementos, assim que eu sai de baixo das raizes da arvore, fui acertado na cabeça por algo, cai no chão meio tonto, e olhei em volta para verificar de onde diabos teria saido aquele projetil, logo após disso, a Criatura pulou sobre uma pedra e caindo em cima de mim sobre as duas patas, e aquela "Ferramenta" que ele tinha, era na verdade um tipo de Bumerangue, com isso que ele me acertou, ele colocou os espinhos do bumerange sobre meu pescoço e começou a rosnar, olhando para mim, desesperado, gritei:

--CALMA! CALMA! Não sou seu inimigo, eu lhe ajudei, curei seus ferimentos.

A criatura pareceu duvidar de mim, mas quando deu uma olhada em seu corpo, persebeu que suas feridas tinhão sumido, eu disse que o poder daquelas ervas eram fortes, ele começou a me observar com um olhar menos ameaçador, depois de um tempo saiu de cima de mim, me levantei rapidamente fiquei cara a cara com a Criatura que eu ainda não sabia oque diabos era, ela me observou mais e apontou para mim, pensei que ele estivese perguntando mei nome:

--Quem sou eu? Meu nome é Soren, e o seu?

A criatura pareceu entender, fez um sinal de sim com a cabeça, e começou a correr para de baixo das raizes da arvore me chamando, fui em direção a ele, quando cheguei, ele pegou uma pedra do chão e começou a rabiscar o tronco da arvore, após terminar, ele apontou para os rabiscos e apontava para si mesmo, conclui que aquilo que ele rabiscou seria seu Nome, olher para o tronco vi o rabisco, estava escrito... "Gnar"


Notas Finais


Heya estou fazendo o melhor com a capacidade de minha criatividade, espero que gostem! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...