História A Caçadora - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Chichi, Goku, Vegeta
Tags Caçada, Dragon Ball, Romance
Exibições 78
Palavras 1.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo 08


Estou no meu lugar, tão inclinada para trás quanto é possível, observando quando Vegeta caminha em direção a um grande edifício de apartamentos. Eu tenho o acompanhado pelos últimos dois dias. Usando os recursos fornecidos pela empresa, consegui encontrar a sua localização. Eu tive que seguir ele desde uma cafeteria, e ao redor da quadra algumas vezes, mas finalmente chegamos a um apartamento agora. Eu não acho que é dele, mas ainda assim. É óbvio que é a casa de alguém que ele conhece.
             Eu estou no meu carro, sentada do lado de fora do grande complexo. Ele não reparou em mim, graças a Kami. Felizmente eu sou melhor na arte da espionagem que da sedução. Ainda assim, isso não é exatamente divertido. Espio através do para-brisa, observando enquanto ele dá um telefonema. Ele para antes de entrar pela porta, e eu posso ver que seja lá com quem ele está falando, está lhe deixando com raiva, porque todo seu corpo está rígido e, droga, sua mandíbula está apertada. Além disso, ele está acenando com a mão para todos os lados, como um maestro que não consegue controlar sua orquestra.
             Meu telefone vibra e eu pulo. Eu o encontro e pressiono no meu ouvido, sussurrando -- Alô?
             -- Bulma? -- é Goku.
             -- Goku.
             -- Por que você está sussurrando? -- ele sussurra de volta para mim.
             -- Eu estou espionando.
             Ele ri. -- Espionando?
             -- Sim, Goku, espionando. Eu estou tentando descobrir onde Vegeta costuma ir para colocar o meu plano em ação.
             -- Você sabe que eu poderia apenas ir aí e pegar ele, certo?
             Eu franzo a testa -- Sim, mas se isso não funcionar, ele foge e eu explodo a minha única chance. Esse é o meu caso, e eu tenho algum tempo para conseguir pegar ele. Eu vou fazer isso direito. Não estrague a minha grande chance.....
             Ele suspira -- Você sabe que eu não faria isso, Bulma. Mas espionagem....
             -- O que é?
             -- Você não é policial.
             Faço uma careta -- e daí?
             -- Eu pensei que você fosse seduzir ele.
             Eu não sei como fazer Goku entender o que eu já descobri. Que um homem como Vegeta não vai me deixar seduzi-lo. ele gosta de jogar comigo. E eu preciso saber os seus movimentos. Preciso saber tudo para poder seguir ele, e só assim aparecer nos lugares que ele frequenta. Então, quando a oportunidade aparecer e ele não estiver suspeitando de nada, eu vou pegar ele.
              -- Por que ele é um homem inteligente, e eu talvez tenha dito a ele que garotas como eu não gostavam de caras como ele.
              Goku ri -- Você deixou o seu próprio jogo muito mais difícil.
              Eu bufo, ainda mantendo meu olhar em Vegeta, que ainda está acenando com as mãos no ar, gritando com alguém no telefone -- Eu usaria minhas pernas, mas parece que Vegeta não está interessado. Eu vou ter que mudar minhas táticas.
              Goku fica em silêncio. Em seguida, ele adverte -- Tenha cuidado com ele, Bulma.
              -- Eu posso fazer isso, Goku.
              Ele solta um suspiro longo e profundo -- Tudo bem, enfim, eu só estava ligando para saber como você está. Você vai vir ao trabalho amanhã?
              -- Sim, vejo você lá.
              -- Até depois.
              Ele desliga e eu continuo observando Vegeta por um tempo. Ele finalmente desaparece dentro do edifício, mas eu ainda estou supondo que o apartamento não é dele. Ele não alugaria um, porque isso faria ele um alvo fácil de ser localizado. Eu quero saber quem mora lá. Anoto o endereço e, em seguida, decido esperar um pouco mais. Se eu puder pegar ele indo a um bar ou algum lugar público, será mais fácil.
               Eu realmente não posso ir lá e bater na porta.
               Eu espero por três horas. Kami. Como policiais fazem isso? É chato como o inferno. Eu decido que vou lhe dar mais uma hora, mas estou desesperada por um café. Olho com desejo para a cafeteria da esquina. Eu poderia correr lá e comprar um, ceto? Ele não notaria, ele está dentro do edifício. Decidindo que é exatamente o que vou fazer, saio do carro e atravesso a rua, indo em direção à cafeteria.
               Eu rapidamente peço um latte e um cupcake de chocolate, então volto em direção ao carro. Acabei de sair da loja quando vejo Vegeta saindo do edifício. Puta merda. Ele está vindo na minha direção. Sem pensar, me lanço nos arbustos ao lado da loja de café. Eu aterriso com um baque, e meu café se espalha para todos os lugares -- Filho da puta, -- eu rosno, batendo desesperadamente na minha saia para tirar o líquido quente das minhas pernas.
              Eu ma arrasto para trás quando passos se aproximam. Ouço a voz de Vegeta; ele está ao telefone outra vez -- Sim -- ele murmura -- Eu estou te ouvindo, mas ele não estava lá. Eu esperei. Nada. Você me deu informações falsas. Eu pensei que você era bom nisso.
              Há silêncio agora, e Vegeta para ao lado do arbusto em que estou me escondendo pateticamente atrás. Eu prendo a respiração e tento não me mexer. Realmente não pegaria nada bem ele me encontrar assim. Eu fecho meus olhos. Espero que meu cupcake esteja bem. Droga, eu realmente o queria.
              -- Sim, bem, você tem vinte e quatro horas para me dar um novo local.
              Então ele obviamente encerra a ligação, porque seus passos se apressam e ele desaparece. Conversa interessante. Eu espero uns instantes, e então me levanto, me arrastando para fora dos arbustos.
              -- Você está bem?
              Eu grito e me giro para ver um senhor idoso me olhando.
              -- O que você está fazendo nos arbustos?
              -- Ah, eu tive uma emergência.... de natureza pessoal.
              Ele estreita os olhos.
              -- Problemas de bexiga acontecem com os melhores de nós!
              Então eu lhe dou um aceno fraco e atravesso a rua para o meu carro. Quando entro, deixo minha cabeça cair contra o volante e expiro audivelmente.
              Isso não está indo bem.


Notas Finais


É, não está nada fácil para a Bulma essa missão!
É isso. Beijos e até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...