História A Capite Ad Calcem - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jang Doyoon, Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Shin Dongjin, Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8", Yao MingMing
Tags Jicheol, Meanie, Verkwan
Exibições 33
Palavras 969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oiiiiiiIIIIIII
primeiramente (fora temer) eu queria agradecer a todos os comentários, vocês são uns amores!
ei coisinhas vcs sao lindos viu!?
eu sei que demorei um pouco mas aqui está, o capitulo não esta muito longo até pq a fanfic em si não vai ser, masss os próximos seram beeem maiores

espero que gostem!

Capítulo 2 - Hey...I like u


Fanfic / Fanfiction A Capite Ad Calcem - Capítulo 2 - Hey...I like u

Já havia se passado uma semana desde que Jeonghan havia feito aquela pergunta e a uma semana Seungcheol não conseguia dormir direito. Na maior parte do dia tentava se concentrar em não pensar no assunto mas assim que deitava a cabeça no travesseiro era impossível não considerar a possibilidade de estar apaixonado pelo anão de jardim. Era tudo pior ainda porque aquele tampinha estava ali do seu lado dormindo, já que o dormitório era muito pequeno para dezessete meninos, decidiram dividir as camas e nunca se arrependeu TANTO de uma decisão como se arrependeu de ter escolhido dormir na mesma cama que Jihoon.

[2h36AM]

Os rostos estavam a 10 centímetros de distância e Cheol podia sentir a respiração leve do outro bater no seu rosto.
  - Isso é uma afronta a minha pessoa, uma injustiça, blasfêmia!!!! - Seungcheol sussurrava baixo (mas com muita raiva) para não acordar o outro menino ali deitado.  - Você é um bruxo Jihoon. Usurpador bastardo inválido amaldiçoado, cabra satânica!!!!!! - Enquanto despejava sua raiva contra o rosto do mergulhador de aquário, Jihoon estava acordado ouvindo tudo se perguntando o quê diabos estava acontecendo.
  - Ah, você me odeia mesmo, não é? Você é um falso Seungcheol, pensei que a nossa amizade fosse verdadeira.- Jihoon disse sem nem abrir os olhos.

Seungcheol jurou ter sentido o coração vir a boca e dar uma volta lá pelos seus rins no momento que o alpinista de poltrona abriu a boca.
 
- Jihoon! V-você não pode me dar um susto desses! Meu fígado! - Cheol usava um falso tom de drama.
- A culpa não é minha se tu fica chamando meu nome, me chamando de cabra satânica. Posso saber o que eu fiz pra receber todo esse ódio? - Indagou abrindo os olhos preguiçosos.

Seungcheol começava a ficar nervoso com a proximidade já que estava quase aceitando o fato de estar gostando do motorista de carrinho da hot wheels.

Eram esses momentos que o faziam pensar em como Jihoon era especial. Seja quando ele guiava suas mãos pelo teclado ensinando uma nova melodia, quando ele dividia o lanche ou até mesmo agora quando estava olhando pro menino a tempos sem responder nada. Jihoon sempre deixava Seungcheol nervoso, querendo mais toques, mais olhares, mais tudo. Ainda não sabia se ter descoberto isso seria algo bom, ótimo, maravilhoso ou se ia cagar toda sua vida e fazer-lo perder a cabeça.
  - Responde.- Jihoon tirou a mão de dentro do seu cobertor e cutucou Cheol na barriga fazendo ele rir. Seungcheol se sentia estranho, apenas não queria continuar aquilo. E com "aquilo" se referia a tudo, desde fingir que seus sentimentos não existiam à esconde los de Jihoon.
  - Jihoon...- Sabia que não tinha força nem coragem pra dizer as tais palavras então aproveitou e agiu por impulso. Algo que sempre quis fazer e esperava que com aquilo, conseguisse explicar pelo menos um pouquinho o que estava sentindo.
Seungcheol puxou Jihoon para um abraço, um abraço apertado, onde por graça também colocou as pernas em cima do pequeno demônio. Sabia que precisaria dar explicações mais tarde porém agora estava preocupado demais em sentir o cheirinho bom de shampoo que vinha dos cabelos de Jihoon.
O mais novo passou a mão em volta do corpo de Cheol apreciando o contato, estava confuso mas aqueles questionamentos que rondavam sua cabeça e a imagem os olhinhos do Cheol sempre voltando a mente aqueles dias pareciam ter encontrado a resposta ali naquele abraço.
Já era tarde, os dois estavam cansados daquela rotina pesada, o abraço confortável, e assim dormiram abraçadinhos num eugostomuitodevocê silencioso.

[3h17AM na cozinha]

De madrugada, enquanto todos os meninos já haviam dormido a tempos, 2 ainda continuavam acordados sentados de frente pro outro no chão da cozinha. Numa árdua batalha, os meninos tentavam atirar os salgadinhos na boca um do outro, falhando miseravelmente. Os dois patetas sujaram a cozinha toda, estavam com farelos nos cabelos, roupa, no corpo inteiro. Tentando abafar as risadas causadas por mais um desastre, Mingyu tinha acertado a cafeteira, muuuito longe da boca de seu hyung.
  - Mingyu! Como você consegue?- Wonwoo falava indignado e entrando numa nova crise de risos sobre a falta de senso do moreno.
Os dois estavam ali a horas e riam mais que tudo, decidiram se aproximar e terminar de comer direito um dos últimos pacotes. Vez ou outra as mãos se tocavam e causava como se fosse um choque elétrico em ambos. Mingyu gostava de Wonwoo a tempos e sempre teve consciência disso. Achava ele muito inteligente, os pequenos textos e poesias que ele escrevia eram incríveis.
Gostava de seus cabelos lisos que estavam sempre na frente dos olhos, dos olhos que o hipnotizavam, adorava quando seu hyung vestia alguma roupa escura e ela criava um contraste lindo com a sua pele clara, amava os óculos de Wonwoo! Mas Wonwoo? Mingyu nunca soube dos sentimentos dele, Wonwoo era discreto ou tímido? Wonwoo era emo. Tinha tirado essa conclusão a alguns meses e todos os sintomas foram confirmados.
  - Hyung isso foi muito divertido, deveríamos fazer mais vezes.
  - Pra você acertar na lâmpada de novo?- Riu lembrando de todas as tentativas fracassadas de Mingyu.
Os dois estavam sonolentos e o salgadinho já tinha acabado mas nenhum dos dois tinha vontade de levantar. Continuaram ali com os braços encostando de leve, contando os dilemas da vida.
Numa reflexão de Wonwoo sobre aqueles bebedouros que ficam nas praças sentiu o corpo de Mingyu amolecer e a cabeça encostando devagar em seu ombro. O mais novo tinha dormido e Wonwoo aproveitou para apreciar seus traços.
Achava Mingyu extremamente bonito, a pele acobreada era macia, os olhos pareciam gentis, Wonwoo gostava bastante de Mingyu, só não sabia o porque dele nunca ter tentado nada.

E foi olhando sua boca bonita de Mingyu que Wonwoo adormeceu.


Notas Finais


vcs vão aprender com Kim Mingyu a não tirar conclusões precipitadas hshshahshshshshs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...