História A carta - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens I'M, Joo Heon
Tags Changheon, Joo Heon, Jookyun, Monsta X
Exibições 31
Palavras 1.089
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello people... ^-^
Nisso que dá juntar bad com uma tediosa de domingo. :p
Eu acho que é só...
Boa leitura!!!

Capítulo 1 - Capítulo Único


  “Às vezes eu desejo nunca ter te conhecido, nunca ter olhado em seus olhos, nunca ter me apaixonado por você. Sinceramente, você não imagina o quanto me dói ter que ver suas lagrimas derramadas por pessoas insignificantes que passaram por sua vida apenas para te fazer mal, ou, escutar suas aventuras amorosas de uma noite qualquer com alguém que certamente nunca mais verá em sua vida.

  Mas então, eu lembro dos poucos momentos em que passamos juntos, dividindo o sofá em um dia frio enquanto assistíamos a mais um dos inúmeros filmes da sua lista de favoritos, ou quando compartilhamos sorrisos e muitas risadas no chão da sala, momentos em que ajudamos um ao outro, passando por cima de nossos medos e inseguranças.

  Você me faz tão bem ao mesmo tempo que me faz tão mal.

  Já tentei esquecer o que sinto por você, quase todas as vezes em que você sumia e voltava dois ou três dias depois para o apartamento que dividíamos, todo marcado e cheirando a um perfume diferente. Mas era só você sorrir para mim e dizer um simples “Sentiu minha falta?” que meu coração já disparava em meu peito de modo que me fazia acreditar que ele sairia pela minha boca a qualquer momento.

  O fato de eu ser mais velho sempre contribuiu para disfarçar a minha preocupação desnecessária e os surtos de ciúmes, sempre com a desculpa de que “eu devo cuidar de você, sou seu hyung e por isso tenho que saber com quem e por onde você anda”, você apenas ri e responde que estava por ai com alguém que conhecerá em meio as festas e baladas que frequentava.

  Mas naquele dia você chegou cedo, acho que umas oito horas da noite, o que eu estranhei, você entrou em casa meio aéreo, pensativo, te perguntei o motivo de ter voltado tão cedo e sem ao menos me responder subiu as escadas praticamente correndo, sem atender aos meus chamados. Eu estava preocupado, você não é assim, nunca teve esse tipo de comportamento.

   Subi até o seu quarto, a porta estava fechada e eu fiquei com receio de abri-la, foi quando o barulho de algo se chocando contra ela e se quebrando ao cair no chão me chamou atenção, me deixando mais preocupado. Adentrei o seu quarto sem nem sequer pensar duas vezes, você estava irreconhecível.

  A cama revirada, roupas e livros jogados ao chão, juntamente das coisas despedaçadas que certamente você jogou contra as paredes do quarto. Seu rosto banhado em lágrimas e vermelho como seus olhos de tanto chorar, sua respiração estava pesada. Você gritou para que eu sumisse do seu quarto, gritou para que eu sumisse da sua vida. Nunca havia te visto naquele estado, meu coração se apertou ao ver o como você estava, ignorei o seu pedido e tentei me aproximar de você, queria que você se acalmasse, queria cuidar de você. Mas você explodiu, começou a dizer coisas horríveis para mim, coisas que doeram muito, que me machucaram demais.

  Não parecia você, não queria acreditar que era você ali, gritando comigo, falando que nunca mais queria me ver, que minha presença nunca o agradou, dizendo que eu deveria esquecer de sua existência e nunca mais o procurar.

  Eu não entendi porque disse aquelas coisas pra mim, eu estava perdido, não queria acreditar no que eu ouvi. Aquilo doía, doía muito e ainda dói.

  Changkyun, você me disse que a pior coisa que aconteceu em sua vida foi um dia me conhecer. Você tem noção de como isso acabou comigo? Me diz, você tem noção de como eu fiquei?

  Me responda, como você ficaria se a pessoa que você ama, te dissesse que você foi a pior coisa que aconteceu na vida dela, sem ao menos saber o que você fez de errado, como você ficaria?

  Depois de dizer tudo o que queria, você simplesmente saiu, deixando tudo para trás.

  Naquela noite eu chorei muito, suas palavras ecoavam em minha cabeça, as lágrimas banhavam meu rosto e os meus soluços preenchiam o quarto, você não imagina como me machucou tudo aquilo que me disse. Jurei para mim mesmo que te esqueceria, que não te amaria mais.

   Como fui tolo.

   Os dias se passaram e você não voltou, hoje fazem cinco meses desde que você sumiu.

  No começo fingi não me importar, fingi não estar nem ai pra você, mas a quem eu queria enganar? Eu estava desesperado por notícias suas, qualquer mensagem, ligação ou qualquer sinal de vida, mas nada, acho que você realmente estava cumprindo o que disse.

  Meu mundo aos poucos perdeu as cores, comecei a beber e chorar todas as noites, sentado em frente a porta do nosso apartamento esperando você voltar, mas você nunca voltou. Me afastei de tudo e de todos, meus dias se resumem a dormir, trabalhar, beber e chorar.

 Eu nunca havia me confessado para você, nunca lhe contei sobre os meus sentimentos, foram dois longos anos escondendo o meu amor por você. Mas agora, depois de você ter saído da minha vida, eu resolvi te contar, resolvi que deve saber que mesmo depois das coisas horríveis que você me disse, eu ainda te amo, e o que eu sinto por você é muito maior do que você pode imaginar.

  Eu amo cada parte sua, seu jeito, seu cheiro, seus olhos, seu sorriso. Durante maravilhosos dois anos, eu tive o prazer de passar boa parte do meu tempo junto a ti. Meu coração acelerava a cada sorriso seu, era uma sensação tão boa, uma sensação fantástica. Eu vivia para você e ainda vivo, ou pelo menos tento.

  Me dói só de lembrar, das vezes em que dormiu em meus braços, por ser uma criança manhosa e mimada, dos fios macios do seu cabelo entre os meus dedos em meio a um cafuné, do brilho nos seus olhos quando contava entusiasmado os seus sonhos e aquele sorriso encantador quando acordava para ir à escola e me encontrava na cozinha com o seu café preferido.

  Saiba que você foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida! Changkyun foi um imenso prazer amar você!

   Sei que dificilmente irá ler isso, mas creio que assim posso me sentir mais aliviado, sabendo que não escondo mais nada de ti.

   Peço perdão se te fiz algo de errado ou se te magoei, saiba que esta nunca foi minha intenção, eu só queria o seu bem. Espero que me perdoe por te amar.

    Obrigado por ter me feito feliz durante esses anos.

     Adeus Im Changkyun.

     Lee Jooheon.”


Notas Finais


Bom, é isso aí, espero que tenham gostado ^.^
Obrigada por ler, beijos e até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...