História A Casa do Lago - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bottom!jungkook, Bts, Jeon Jungkook, Jungkook, Kim Taehyung, Kookv, Kpop, Menção Baeksoo, Taehyung, Taekook, Top!taehyung, Vkook, Yaoi
Exibições 316
Palavras 5.455
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas!

Eu realmente não tinha um prazo para postar esse extra mas uma leitora me pediu para dar uma apressada nas coisas e bom... Eu demorei muito. Perdão, Ana. Nem eu sei porque a demora foi tanta.

Eu realmente me imaginava aqui nessas notas inicias com algo como "e um feliz natal bem adiantado para vocês, coisos!" mas o natal já está aí e só estou postando agora. Mais uma vez, perdão.

Agora sobre o capítulo. Ficou enorme, até pensei em dividir no meio mas é natal e vocês merecem um mimo. Outra coisa, quando tive essa ideia de extra natalino, não imaginei que fosse difícil escrever sobre, mas a verdade é que no natal as famílias se reunem (reuni taekook e baeksoo), jantam juntos (mencionei a ceia mas puts, não dava detalhar né "Kyungsoo cortou o peru" pelo amor...), fiz a troca dos presentes e a reação do Baek ao Baek. Espero que vocês gostem!

E é isso.

Perdoem os errinhos (PERDOEM COM FÉ, porque o cap tá gigante e com certeza algo fugiu) e boa leitura!

Capítulo 36 - Extra: Baek e... Baek


Fanfic / Fanfiction A Casa do Lago - Capítulo 36 - Extra: Baek e... Baek

- Você acha que está bom? - questionei Taehyung referente ao panetone caseiro que eu me arriscava a fazer. Eu já havia deixado alguns pedaços cortados e separados para testar, então peguei um com um garfo e o levei até sua boca para que ele pudesse experimentar. Permaneci aguardando sua resposta por alguns segundos, mas esta logo veio. 

 - Acho que você poderia acrescentar mais frutas cristalizadas. - respondeu simplório e eu assenti, me voltando ao alimento e fazendo o que eu podia para resolver o pequeno problema. 

 Estávamos eu e Taehyung na cozinha da nossa casa em mais uma tentativa de aprendermos receitas novas com Seokjin, só que dessa vez estávamos fazendo especiarias natalinas.

 Alguns meses já haviam se passado desde que inauguramos nosso cantinho do amor e as coisas vinham correndo bem, conseguimos dar um jeito nos móveis que estavam faltando e - com toda a sinceridade aqui - estávamos até que conseguindo nos virar na cozinha. 

 Fazíamos o básico do básico, mas já era o suficiente e Jin hyung sempre nos ajudava com as coisas mais complexas. Como agora por exemplo. 

 Ele nos dava algumas instruções enquanto eu me aventurava nesse panetone, o Taehyung cortava os vegetais que ele usaria nos acompanhamentos que pretende fazer e Jin além de revelar o peru, temperava algumas carnes que deixará para que fritemos quando ele for embora. Não pode ser tão difícil fritar alguns pedaços de bife, não é?

 Não é? 

 ...

 De qualquer forma, hoje estávamos fazendo diferente. Elaboraríamos toda aquela comida em uma quantidade maior porque esperávamos duas pessoinhas em especial. 

 Essas duas pessoinhas passariam o natal conosco e nossa pequena arvorezinha já estava montada e devidamente enfeitada, localizada ao lado do sofá. 

 Eu já ia pedir para o Kim mais novo experimentar novamente do meu doce quando ouvimos a campainha tocar. 

 Parei tudo que estava fazendo e voltei minha atenção ao acastanhado ao meu lado, que me fitava tão animado quanto eu sabia também estar. Lavamos nossas mãos e corremos até a entrada. 

 Eu abri a porta e lá estavam eles, quer dizer, eles estavam lá segundos atrás porque agora o Soo tinha vindo nos abraçar e Baekhyun havia se atirado em nossos corpos fazendo com que eu e Taehyung o segurássemos. 

 - Kookinho e Tae! - berrou afetadamente e começou a se balançar enquanto nos agarrava com uma força desnecessária, porém já fazia tanto tempo que almejávamos aquele reencontro que nem nos importamos com isso. Somente retribuímos aquele abraço deveras apertado e continuamos o segurando. 

 - Baekkie! - pronuncie seu apelido com a mesma animação que havia sido usada antes e ele finalmente parou de se pendurar em mim. - E Soo hyung! 

 - Que saudades que eu estava de vocês! - nos afastamos minimamente e após um tempo nos encarando, Baekhyun logo voltou abraçar Taehyung. - Amo o Kookinho mas senti mais saudade do Taehyung porque o Soo não me dá moral para irrita-lo e agora eu tenho um Taehyung inteirinho com quem implicar. 

 O Kim somente ignorou o que Baekhyun havia dito e o abraçou de volta. Só sei que fiquei comovido, emocionado, sei lá, e fui parar atrás do meu namorado, o abraçando também. 

 - O que você está fazendo, doido? - continuou abraçando o mais velho e somente virou levemente a cabeça de uma forma que pudesse me ver por cima de seu ombro. 

 - Te abraçando. - respondi retoricamente enquanto passava meus braços por seu pescoço e acomodava minha cabeça em sua nuca. 

 - Oh meu Deus. - Taehyung se virou e passou a me abraçar também. 

 - Por que vocês estão se abraçando? - Baekhyun perguntou esbugalhando os olhos. - O importante aqui sou eu. 

 - Só você? - Kyungsoo indagou em um tom debochado cruzando os braços. 

 - Eu e o Soo. - alterou simplório e não reprimi um revirar de olhos ao que o Byun espelhou os atos do Kyungsoo e cruzou os braços em desagrado. 

 - Então venham aqui. - eu e Taehyung abrimos nossos braços e bom, eles vieram. Era o momento que tínhamos para matar a saudade afinal. 

 Depois de algum tempo nessa, depois de os quatro idiotas terminarem de se abraçar, finalmente demos espaço para Soo e Baek entrarem na nossa casa.

 Estávamos ajudando os hyungs com suas pequenas malas quando Baekhyun avistou o Baek. O cachorro estava cheirando seus sapatos antes do Byun tirá-los e quando ele percebeu a presença do animal, um grito alto saiu de seus lábios. 

 - Meu Deus, tem um cachorro aqui! - Baekhyun berrou tão desesperadamente que por um instante eu pensei que ele estivesse amedrontado com o pequeno cão. 

 Eu e Taehyung não havíamos contado sobre o Baek para ele, apesar de termos feito inúmeras vídeo chamadas nos meses que haviam se passado. Ele e o Soo tinham prometido vir nos visitar então esperamos para apresentá-los pessoalmente. 

 - Você tem medo de cachorros, Baek? - perguntei preocupado e ele fez que não com a cabeça, se abaixando logo em seguida. 

 - Não, não. É que ele é muito fofo. - respondeu já pegando o cachorro e segurando-o na frente de seu rosto. - Olha para ele, Kyungsoo. Ele não é fofo? - indagou agora pondo o Baek em sua cabeça. Sim, ele colocou o cachorro na cabeça. 

 Se eu estava com medo do Baek pessoa derruba-lo e matá-lo? Talvez. Baekhyun é meio barra muito atrapalhado, comecei até a rir de nervoso. 

 - Sim, ele é super fofo mas o ponha no chão em nome de Jesus. - Kyungsoo proferiu já indo pegar o cachorro das mãos desastradas do mais velho, que relutou, porém o tirou de sua cabeça. Pelo menos isso. - Você vai derruba-lo.

 - Derruba-lo? - um riso soprado veio ao mundo e Baekhyun começou a gargalhar. - Imagina! Ele é o meu filho agora. 

 - Na verdade ele é o meu filho. - corrigi e Baekhyun negou com a cabeça. 

 - Nosso filho. Somos um quarteto amoroso, ele tem duas mães e dois pais. 

 - ...

 - Aliás, qual é o nome dele? - a tão esperada pergunta foi feita e um sorriso esquisito brotou nos lábios do Taehyung. 

 - O nome dele é Baek. - o castanho constatou divertido e passou a mão na cabeça do animal. 

 - O que? - uma feição confusa assumiu o rosto do Byun e ele ergueu as sobrancelhas. 

 - O nome dele é Baek. - repetiu calmamente e o mais velho entre nós o fitou incrédulo. 

 - Você está brincando, não é? - indagou ainda desacreditado e com o cenho franzido. 

 - Não! Estou falando sério. 

 - Ele está tentando me enganar, não é, Jungkook? - dirigiu seu olhar à mim e eu somente sorri e caminhei até para ao lado do meu namorado. 

 Sim, pessoas, agora eu falo meu namorado a todo momento. Já estava na hora, não é?

 - Coloque ele no chão e você verá que estamos falando sério. - ele fez o que eu havia pedido, Taehyung chamou pelo filhote que logo reconheceu seu nome e correu até nós. 

 Soo soltou risos baixos e Baekhyun permaneceu estático encostado no batente da porta. Um semblante sério repentinamente se apossou de seu rosto e ele passou a alternar seu olhar entre eu, Taehyung, Kyungsoo e Baek. 

 Ele ficou tanto tempo assim que cheguei a ponderar que ele ficou bravo, mas logo um sorriso apareceu em sua boca. 

 - Que lindo. Vocês fizeram uma homenagem para mim! - berrou contente e pegou o cachorro de novo, começando a balançá-lo em seus braços. - 'Tá vendo só, Soo? Sou muito amado mesmo. 

 - Eu que não queria que meu nome fosse dado a um cachorro e acho que não foi uma homenagem não, viu? - Kyungsoo respondeu com um sorriso provocante e Baekhyun o fitou indignado. 

 - Você está sugerindo que foi ofensivo, é isso mesmo, Kyungsoo? - o mais novo somente ergueu as sobrancelhas e abriu os braços afirmando. - Mas é claro que não! Você está com inveja porque o nome dele não é Soo e sim Baek. - se voltou a mim esperançoso. - É uma homenagem, certo? 

 - O Tae só escolheu esse nome porque a cama dele é um pepino. - Baekhyun manteve seu olhar em mim porém logo se voltou ao Soo. 

 - Uma homenagem, está vendo, Kyungsoo?! Eles lembraram de mim então é uma homenagem.

 - Foi só coincidênc-- Taehyung tentou interferir mas foi interrompido. 

 - Obrigado amigos lindos que me amam e fizeram essa lindíssima homenagem para mim! 

 - Mas nã-- e fui cortado. 

 - Estou sentindo cheiro de comida e assim, eu estou com fome. Além do que hoje é natal, Christmas, quero peru, salpicão, chocotone e rabanada. - deu um último beijo no cachorro e o pôs no chão. - Ah, e depois que vocês me alimentarem podem me apresentar o cafofo. 

 -  O cantinho do amor. - modifiquei e ganhei um aceno positivo do Byun. 

 - Nosso cantinho do amor já que agora eu moro aqui também. Temporariamente. 

 - ... O cheiro de comida está vindo da cozinha. É o Jin hyung nos ajudando.

 - Jin o irmão gato do Taehyung? Jin meu amigo dos memes? 

 - Sim. Vamos mostrar o quarto onde vocês vão ficar para guardarem as malas e depois te apresentamos a ele. - Taehyung disse simplório e seguimos até o segundo quarto do nosso apartamento. Agora tem uma cama lá, gente. 

 - Não acredito que vamos ficar em quartos separados, pensei que iríamos dormir todos abraçadinhos. - Baekhyun murmurou enquanto caminhávamos pelo corredor. 

 - Que abraçadinhos o que? O único que pode dormir abraçadinho com o Kookie sou eu. - o Kim advertiu pegando a minha mão e Baekhyun revirou os olhos. 

 - Começou. - paramos em frente à porta do cômodo e eu a abri. 

 - Bom, o quarto é esse, gente. Só que como vocês podem perceber, a cama é de casal. Acho que nunca conversamos sobre isso mas vocês dormem juntos, moram juntos ou algo do tipo? 

 - Eu e o Baek? - Kyungsoo perguntou ao que colocava sua mochila no chão e eu concordei. - Vou até sentar porque é uma longa história.

 - Eu e o Soo moramos juntos sim. - Baekhyun afirmou e foi se sentar ao lado do Kyungsoo na capa ma. 

 - O Baekhyun mora na minha casa. - explicou em um tom autoritário e o Byun negou.

 - Nossa casa. - ele corrigiu e recebeu um olhar feio vindo do mais novo. 

 - Ele tem a dele e eu tenho a minha, mas já deve fazer uns dois anos que ele não entra no apartamento dele.

 - Eu fui lá semana passada pegar um sapato velho e uma outra coisa. - tentou argumentar mas Kyungsoo deu de ombros. 

 - Acho que nós já contamos que nos conhecemos no colégio, certo?  - eu e Taehyung assentimos. - Então. Depois que eu me formei e já conseguia me sustentar, eu saí da casa dos meus pais e me mudei para o apartamento onde moro hoje. Aí o Baekhyun me seguiu. 

 - Eu já disse que não te segui, foi pura coincidência!

 - Impossível! O meu prédio tem 3 blocos e 25 andares e ele foi logo meu vizinho de porta? Foi perseguição mesmo. 

 - Não foi! Eu nem tinha crush em você na época do colégio. Eu tinha outro crush. Só que eu não lembro o nome dele. 

 - Enfim, depois que ele me seguiu e viramos vizinhos, ele batia na minha porta todo dia. O Baekhyun é uma negação na cozinha e pedia para eu cozinhar para ele.

 - E como o Soo me ama, sempre fez as comidas de bom grado para o meu ser faminto. 

 - ... Com o tempo o Baekhyun foi se instalando lá e agora as roupas e quase todas as coisas dele estão na minha casa.

 - Do jeito que ele fala, parece que nem gosta. Mas o apartamento tem três quartos. Três camas e um sofá e o Kyungsoo faz questão que eu durma com ele. Até me abraçar na madrugada ele abraça. 

 - Faço questão não, só me acostumei. Quando eu aceitei que não tinha mais jeito, que ele ficaria lá na minha casa mesmo, eu até forrava a cama do outro quarto para ele. Só que o Baekhyun sempre me esperava dormir e vinha para o meu. 

 - Okay, Kyungsoo. Respondendo a pergunta do Kookinho, sim, nós moramos juntos e não vai ser um problema dividir a cama.  

 - Que bom então. Bom, eu e o Tae precisamos terminar as comidas que começamos a fazer. Seokjin ainda está lá na cozinha. Vocês podem ajudar se quiserem.

 - O Soo ajuda já que ele gosta de cozinhar, mas eu vou ficar só olhando mesmo. Admito que sou uma negação na cozinha. - bufou tristonho porém se levantou e nos acompanhou até o cômodo citado anteriormente. 

 - Aqui não tem essa de negação na cozinha, se eu e o Jungkook estamos conseguindo, você também consegue. - Taehyung falou tentando ser otimista. 

 - Acho que não. Nem pensamento positivo funciona nessas horas. 

 - Tadinho, Soo. - Baekhyun não podia ser tão ruim, não é?

 - Jungkook, eu já tentei ajudá-lo de todas as formas possíveis e impossíveis. Baekhyun é totalmente desprovido de habilidades culinárias. 

 - Vamos dar uma chance a ele. - vi um sorriso surgindo no rosto do mais velho e senti ele passando seu braços pelos meus ombros.

 - Tu não 'tá entendendo a gravidade da situação, Kookie! - exclamou enquanto abanava as mãos em um gesto negativo. 

 - Ele não pode ser tão ruim assim.

 - Acredite, ele é.

 

 Após mais um tempo conversando, seguimos até a cozinha e lá permanecemos. 

 Baekhyun, Soo e Seokjin foram apresentados e estávamos todos cozinhando em sincronia. 

 Ou nem tanta sincronia assim.

 Eu estava finalizando a panetone, Soo e Jin estavam tendo um super papo culinário enquanto davam encerramento ao peru e o colocava no forno. Taehyung continuava nos acompanhamentos, estava agora cortando alguns vegetais e  Baekhyun estava o "ajudando". 

 O Kim mais novo havia dado a ele uma cebola e esta deveria ser fatiada em pedacinhos. Só sei que eu observava e... Cortar uma cebola nunca pareceu tão difícil até eu ver o Baekhyun tentando fazer. 

 Não dava para entender realmente o que ele estava fazendo, eu só via os pedacinhos sendo atirados no chão. Era como se suas mãos estivessem escorregadias ou algo do tipo porque Jesus Cristo, que desastre que ele estava fazendo. 

 Quando Kyungsoo viu aquilo, correu para tirar a faca de sua mão e passou a catar os restos caídos no piso. 

 - Eu disse, até cortar uma cebola é difícil para ele! - praguejou indignado.

 - Essa cebola que está me afrontando! - confesso que eu estava perdendo as minhas esperanças em relação ao Byun. - Quero tentar outra coisa. Algo mais fácil.

 - Como o que? - Taehyung questionou erguendo as sobrancelhas em contradição, contudo, o mais velho não se deixou abalar. 

 - Como... - Baek começou a analisar a cozinha até que algo no armário chamou sua atenção. Segundos depois ele voltou com um pacote de café. - Como fazer um café! 

 - E você tem certeza que sabe fazer isso? 

 - Pelo amor né, Kyungsoo! Eu não sou tão terrível assim. 

 - Não sei. 

 - Fé em mim! 

 - ... 

 - Fé no Baek! - Jin hyung se pronunciou erguendo as mãos em uma pequena torcida e o Byun deu um sorriso vitorioso.

 - Por isso que eu amo o Jin! Agora me da uma panela, Jungkook. 

 - Uma panela?

 - Sim, aquela panela de ferver a água. - mesmo que aflito em deixá-lo mexer com fogo, entreguei-lhe o que ele havia . - Obrigada, Kookinho. 

 Ele colocou água no recipiente, foi até o fogão e ficou esperando. Pensei que as coisas estivessem dando certo até ele vir com uma pergunta bizarra:

 - Como que eu sei que a água já ferveu?  

 ...

 Eu fiquei estático, Taehyung não esboçou reação, Seokjin parou o que estava fazendo e Kyungsoo o olhou incrédulo. 

 Depois de um silêncio incômodo ter se instalando no ambiente, o Do finamente respondeu. 

 - Você pode descobrir pondo sua mão dentro. 

 - Soo! 

 ______________________

  Após muitas catástrofes e vacilos do Baekhyun, a saída de Seokjin é uma ceia bem viajada, as horas haviam se passado e daríamos continuidade à comemoração do nosso natal.

 Estávamos esperando Baekhyun sair do banho porque como o bom desastrado que ele era, conseguiu se sujar em meio ao nosso jantar natalino. 

 Estávamos sentados no sofá aguardando e em poucos minutos ele saiu do banheiro. 

 Baekhyun veio caminhando até nós e apesar de ter espaço de sobra no sofá e na poltrona, ele se sentou no colo do Kyungsoo. 

 - Oi, Soo! "Rawr" significa "eu te amo" na língua dos dinossauros. 

 - E "vaza" significa "sai de cima de mim" na língua do Kyungsoo. 

 - Você é tão grosso. Não está dando mais. 

 - Não, é brincadeira. - e deu um abraço no Byun. 

 - É nada. Ele só está dizendo que é brincadeira porque vocês estão aqui, Tae e Kookinho. 

 - Eu sou bonzinho. 

 - Eu estava pensando, e suas famílias não vão vir aqui? - o mais velho questionou se voltando para nós. 

 - Jin hyung foi embora e nós já comemos, você não acha que é meio tarde para perguntar isso? - Taehyung respondeu sucinto. 

 - Ah, sei lá. Mas cadê a família de vocês? 

 - Elas estão viajando. 

 - E vocês não foram junto? 

 - Não, doido. Nós combinamos de passar o natal com vocês.

 - Oh meu Deus, você sabe o que isso significa, Soo?

 - Não. 

 - Não vai nem perguntar "o que"? 

 - O que significa, Baek? - perguntou cansado. 

 - O natal deve ser comemorado com a família, e se está sendo comemorando com a gente, essa é a forma do Taehyung dizer indiretamente que somos a família dele. 

 - ... Acho que já podemos trocar os presentes. - disse baixinho. 

 - Claro, começa você, Kookinho. 

 - 'Tá, para você, eu comprei u--

 - O que você está fazendo?! - Baekhyun exclamou aparentemente confuso e se levantou do sofá, me puxando para que eu ficasse de pé também. 

 - Como assim? 

 - Levanta, separa os presentes e entrega bonitinho. 

 - Por que? 

 - Nosso natal tem que ser bonitinho, faz direito, Jungkook. - bufei me posicionando na frente de todos e separei os presentes.

 - Para você, Baek, eu comprei isso aqui. - entreguei o presente embrulhado com um papel vermelho e esperei que ele abrisse. 

 - Um avental de cozinha? - perguntou intrigado e eu fiz que sim com a cabeça. 

 - Pois é. O Tae e eu combinamos os presentes e quando dermos o do Soo talvez faça sentindo para você. Caso contrário, era só um incentivo para você cozinhar mas com o que vimos hoje, acho que você pode usar para outras coisas...

 - Hm, okay, obrigado. - a reação dele foi engraçada, eu ri internamente. - Próximo.

 - Para o Soo, eu comprei isso. - e entreguei o embrulho dessa vez verde ao mais velho que não hesitou em abrir.

 - Um Kit de cozinha! Obrigado, Kookie. - e o Do me agradeceu com um pequeno abraço. 

 - Estou vendo que você e o Taehyung são bastante criativos no quesito presentes. - o mais velho murmurou ironicamente e Taehyung sorriu. 

 - Isso porque eu nem entreguei os meus ainda. - o Kim cantarolou. 

 - Próximo. - Baekhyun ditou mais uma vez. 

 - Bom, eu e o Tae já trocamos nossos presentes. 

 - E eu posso saber o que são esses presentes que vocês nem esperaram para entregar? - olhei para o Kim, que sorriu, se levantou parando ao meu lado e entrelaçou as nossas mãos. 

 Taehyung ergueu nossas mãos juntas e apontou para o anel que usávamos em resposta à pergunta feita por Baekhyun. 

 - Meu Deus, agora vocês usam alianças?! - perguntou animado e nós assentimos. - Que fofos! 

 - É, gente, eu amo o Jungkook. - Taehyung dirigiu seu olhar para mim e permanecemos nos fitando por alguns segundos. Ficamos sorrindo um para o outro até que o hyung puxou minha mão e deixou um beijo nesta. Como eu amo esse ser... - Agora é a minha vez, não? 

 - Sim, pode entregar os seus presentes. - Baekhyun contestou ansioso e eu fui me sentar. 

 - Bom, como o Kookie havia dito antes, nós combinamos os presente e personalizamos alguns. Agora eu não vou fazer suspense então... Soo, para você eu comprei esse avental aqui. Está escrito "o cozinheiro mais top" nele. - entregou o objeto ao Kyungsoo que o riu baixinho e o pegou. 

 - Obrigado, Taehyung. 

 - De nada. Agora Baek. Para você eu comprei essa camiseta. Tenho certeza que tu vai adorar. - o Byun se levantou animado para receber o presente e ao abrir a embalagem, se deparou com uma camiseta preta com algumas rodelas e pepinos estampadas nela e detalhes em verde escrito "cool as a cucumber".

 - Sério, Taehyung? - questionou em desânimo com um quase bico nos lábios. 

 - Seríssimo. 

 - Mereço... Agora eu vou ser o próximo. 

 - Calma! Eu não queria passar batido então comprei um
chocolate para o Kookie. 

 - Vá receber seu chocolate, Kookinho. - me levantei do sofá e peguei o doce. 

 - Obrigado, hyung. - sorri e já recebi o doce abrindo-o. Se ganhamos um chocolate, não esperamos, abrimos e comemos de uma vez. 

 - Engraçado que o meu presente combina com o do Tae, assim, o Kookinho come muito doce, acho que será bem útil. - Baekhyun proferiu e me entregou o que identifiquei como uma escova de dentes. - É esse o seu presente, Kookie, feliz natal! - neguei com a cabeça e ri soprado, indo agradecer e pegar o objeto com o Byun. - E para você, Tae, eu comprei esse gilete para tu fazer a barba. 

 - Que barba? - o Kim questionou colocando seu presente no braço do sofá. 

 - Sei lá, acho que um dia vão crescer pelos nessa tua fuça. 

 - Okay, obrigado, Baek. - riu nasalado e se sentou do meu lado. 

 - Kyungsoo, com os presentes do Tae e do Kookinho eu fiz uma brincadeira, mas com o seu não. - fez uma pausa e parou na frente do mais novo. - Eu sei que estou sempre nessa de "o Soo me ama" e faço piada com tudo, mas agora estou falando bem sério. - ele estava sério mesmo, nem parecia o Baekhyun falando. - Não é como se você não soubesse disso, mas acho que eu deveria dizer que te amo mais vezes e fazer coisinhas assim. - estendeu sua mão ao Do e entregou um objeto que eu não consegui identificar. Só sei que o Soo arregalou os olhos e se levantou. - Feliz natal! 

 - Você vai me dar o relógio da sua mãe?! - questionou surpreso e... Eu não entendi nada. 

 - Vou. - sorriu e estendeu sua mão mais uma vez, só que agora Kyungsoo pegou o presente. 

 - Awn, vem aqui. - o mais novo abriu os braços e Baekhyun foi de encontro ao seu abraço. Eles ficaram se abraçando e eu continuei sem entender nada. 

 - Eu não queria estragar esse momento, mas não entendi nada. A mãe do Baek morreu ou algo assim? - perguntei confuso e Baek saiu do abraço me olhando assustado. 

 - Não, pelo amor de Deus, Jungkook, vira essa boca para lá. Bate na madeira. - continuei o olhando confuso e Baekhyun gritou novamente. - Bate na madeira, Jeon Jungkook! - corri até o móvel mais próximo e dei três batidinhas. - Esse relógio era da minha mãe e ela me deu alguns anos atrás. Ele é batizado, 'tá ligado? É como meu amuleto, aí eu deixo ele na gaveta das minhas cuecas para dar sorte. Não vai fazer muita diferença já que moramos juntos, só que agora vai ficar na gaveta junto às cuecas pretas do Soo. Ele conhece as minhas frescuras e sabe que é uma coisa importante para mim então está valendo, certo? - e lançou um sorriso para o Soo.

 - Mas... Por que, Baek? Por que você vai me dar? - Kyungsoo perguntou com um semblante calmo e guardou o relógio. 

 - Já disse que é porque eu te amo. - eles estavam bem pertinho e assim, eu esperava um beijo. Todavia, este não aconteceu porque o Kyungsoo se afastou. 

 - É... Acho que agora é a minha vez de entregar os presentes. - Ah não, ele simplesmente mudou de assunto e eu vi o Baek sorrindo triste. Sério que o Soo não vai dizer que também ama ele? 

 - Kyungsoo! Você não vai dizer que tamb-- e ele não permitiu que eu terminasse a minha frase. 

 - Taehyung, para você eu comprei um gorrinho e um cachecol. Não tem um motivo aparente, eu só estava na loja e lembrei de tu. - jogou o embrulho colorido para o maior. - Jungkook, para você eu comprei um porta-retrato. Pode abrir mais tarde, espero que goste. - entregou-me o presente e se voltou ao mais velho de nós. - E Baek... - um sorrisinho escapou de seus lábios e ele pegou uma das mãos do Byun. - Milagres acontecem e eu te comprei um presente bem legal.

 Baekhyun ergueu as sobrancelhas em expectativa e Kyungsoo tirou uma pequena embalagem do bolço. Ele mesmo abriu o pacote e o conteúdo deste se travava de duas pulseirinhas. 

 - Comprei duas porque assim... Podemos usá-las juntos. - coçou a nuca e parecia meio desconfortável com a situação. Um sorriso, dessa vez feliz, rasgou no rosto do Byun e ele se aproximou do Kyungsoo mais uma vez. 

 - Não creio que agora temos pulseiras de namorados! - berrou contente ao que se abraçavam. 

 - Pois é. - Kyungsoo pegou uma das mãos do Baek e amarrou a pulseira nesta, logo depois amarrando na sua própria. - Hoje você está aí todo bonitinho e amanhã provavelmente vai ficar o dia inteiro dizendo que eu te amo, mas nem ligo. Vou falar mesmo. Eu também amo você, Baek.

 Sorriram mais uma vez e teve o tão famoso e esperado beijo. Baekhyun uniu os lábios e eles ficaram naquele selar, presos no próprio mundinho.

 Olhei de relance para Taehyung e ele riu erguendo as sobrancelhas voltando seu olhar para os dois mais velhos. 

 - Acho que é uma boa hora para nos retiramos, não? - perguntou baixo, já se levantando e eu concordei espelhando seus movimentos. - É... Boa noite, gente. 

 Kyungsoo nem parou o beijo para nos desejar boa noite, ele somente tirou uma de suas mãos do corpo do Baek e acenou. Já o Byun parou um instantinho e olhou para nós. 

 - Boa noite, gente. Feliz natal mais uma vez. - ele pronunciou tudo meio ofegante e o Soo começou a beijar o pescoço dele.

 Essa é a hora perfeita para correr até o quarto. Recolhi os presentes que estavam no sofá, peguei o Baek cachorro - que havia ficado mal acostumando e passou a dormir toda noite com a gente. Ele só usava a cama de pepino quando saíamos para trabalhar ou quando estávamos na sala e ele tinha preguiça de subir no sofá... - e arrastei o hyung até o nosso quarto. 

 Já cheguei tirando a roupa porque eu estava louco para por meu pijama. Ansiava vestir aquela roupa confortável depois de horas em uma calça jeans apertada. E o meu pijama era tão fofinho, queria colocá-lo logo. Tirei a camisa que usava e joguei na cama. Quando vi, Taehyung estava segurando o Baek e me olhando engraçado. 

 - Olha a barriguinha lisa dele, Baek. - se aproximou da orelhinha peluda e murmurou para o filhote.

 - O que é que você está falando, doido? - questionei agora removendo a calça. 

 - Eu quero dar um beijo no Josefino, e você, filho? - falou no ouvido do cachorro mais uma vez e começou a se aproximar de mim. 

 - Para de chamar o meu umbigo de Josefino, hyung. 

 - Vou dar um beijinho. - comentou se ajoelhando e agarrando o meu tronco. Quando eu percebi, ele já havia feito. - O Baek pode dar uma lambida no seu umbigo? 

 - Não! 

  - É, tem razão, só eu que posso. 

 - Pelo amor de Deus, vai por o seu pijama, vai. - ele pôs o cachorro na cama e fez o que eu pedi.

 Eu já tinha escovado os meus dentes, fui sentar na cama, junto ao Baek que já dormia, e fui abrindo o presente do Soo enquanto esperava o Kim escovar seus dentes também. 

 E lá estava o porta-retrato. Tinh a borda preta com um pequeno martelo na lateral e estava escrito "em caso de saudade quebre o vidro". Adorável. Pelo menos um de nós quatro tem jeito para escolher presentes. 

 Minutos depois o hyung apareceu do meu lado e deixou um beijo na minha bochecha. 

 - Já quer domir, Kookie? 

 - Na verdade não. 

 - O que você quer fazer? - passei alguns minutos pensando mas logo algo me veio à mente. 

 - Vamos assistir um filme de natal! - sim, um filme de natal. 

 - Filme de natal? 

 - É. Vou procurar algum. - o maior assentiu e foi deitar ao que me aguardava. De tantos filmes natalinos que existiam, escolhi logo o primeiro que achei. O quarto estava frio e eu queria correr para o Tae e para o edredom. 

 Dei o play e por fim me deitei. Me aconcheguei como podia já que um certo cachorro roubou o meu travesseiro, porém estava bem confortável lá deitado. 

 Os primeiros minutos do filme se passaram e seguíamos bem, assistindo concentrados até o Taehyung se pronunciar. 

 - Kookie, pausa o filme! - o controle já estava na minha mão, portanto fiz facilmente o que ele queria e fiquei esperando que ele falasse algo. - Queria aproveitar a ocasião para dizer que você é o meu milagre natalino. - o fitei por alguns segundos e neguei com a cabeça. 

 - Você é tão brega...

 - Mas você me ama mesmo eu sendo assim, não é? 

 - Amo. 

 - Então ótimo. Pode despausar. - assenti e mais uma vez teclei o controle. 

 Exatos 10 minutos se passaram e novamente Kim Taehyung se pronunciou. 

 - Jungkook! Pausa mais uma vez. - e aquilo se seguiu de novo... Olhei para o mais velho e franzi o cenho em um pedido mudo de fazê-lo continuar. - Eu estava pensando e acho que no natal do ano que vem nós devíamos viajar. 

 - Viajar? 

 - É. Sabe, só nós dois. Eu amo a minha família, amo o Baek e o Soo mas acho que seria bem legal.

 - E onde você gostaria de ir? 

 - Eu particularmente gostaria de um lugar bem frio porque assim ficamos agarradinhos, mas pode ser qualquer lugar. Desde que eu esteja com você, desde que estejamos juntos, tenho certeza que vai ser um natal maravilhoso. - senti um sorriso surgindo em meu rosto e o coração acelerando. Era sempre assim. 

 - Sobre a viagem, super apoio. E... eu achei que com o tempo o meu coração fosse parar de bater mais rápido quando você me dissesse coisas assim, só que ele continua apertando na batida e... Na verdade parece que ele bate até mais forte que antes. - eu continuava o mesmo bobo apaixonado por Kim Taehyung e ele continuava sendo o mesmo ser sorridente. Não economizava um sorriso sequer, e agora não foi diferente. 

 - Eu te amo tanto, meu coelhinho. 

 - Eu também, hyung. - me abraçou carinhosamente e deixou um beijo na minha testa. 

 - Amo o bafinho de quando você acorda, as remelinhas, o cabelo bagunçado e a cara amassada. 

 - Não ia dizer nada mas é recíproco. - ri.

 - Pode despausar agora. - fiz aquilo mais uma vez e esperava terminar o filme agora, todavia, tive minhas esperanças quebradas... - Aliás, despausa de novo! 

 - Três vezes, Taehyung, o qu-- e o hyung me calou com um beijo que... Parecia não querer terminar muito cedo. Nossas línguas se encontraram com urgência, fomos nos perdendo com os toques e quando vi ele já estava em cima de mim. 

 Talvez nós não tenhamos assistido o filme, talvez o Baek tenha dormido no banheiro já que a cozinha estava meio fora de cogitação, talvez eu tenha tirado meu pijama e talvez Soo e Baek estivessem fazendo a mesma coisa agora. Mas apesar de todos esses "talvez"s, o meu natal foi incrível, porque é como o Tae havia dito, desde que estivéssemos juntos tudo seria maravilhoso. 

 

 
 


Notas Finais


Falei do Josefino, Ana! Eu não esqueci.

Eu queria dizer que fico com saudade de vocês e queria agradecer os 400 favoritos.

Só vou falar obrigado mesmo porque já não sei mais o que dizerkkkj. Só sei que amo vocês e que fico mais feliz a cada dia. Obrigado <3

Bom, o porta-retrato que o D.O deu para o Jungkook existe mesmo. Ele é originalmente vermelho e vende na imaginarium, é um presente bem fofo. Não tenho certeza se são aquelas palavras que estão escritas respectivamente, mas é algo parecido.

Antes de ir embora, vou deixar alguns links e uma pergunta para vocês.

Baekhyun sendo uma negação na cozinha: http://weheartit.com/entry/180329380

Cuecas pretas do Kyungsoo: https://youtu.be/FblwJl73EbM

E nesse tempo que a fic foi terminada eu postei uma oneshot e comecei uma nova fic. Se tiverem interesse...

https://spiritfanfics.com/historia/roda-gigante-do-amor-7113754

https://spiritfanfics.com/historia/daddys-little-boy-7250318

Agora a pergunta. Eu devia ter feito no último capítulo mas esqueci totalmente, então vou fazer aqui.

Qual é o capítulo favoritos de vocês?


E foi isso pessoinhas, espero que tenham gostado!

Feliz natal, eu te amo vocês! <3

Beijobeijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...