História A Cliente (Emison) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Emily Fields, Hanna Marin, Spencer Hastings
Tags Emison, Pll, Pretty Little Liars
Visualizações 325
Palavras 3.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente que isso, atualizando a essa hora é um tiro certeiro no pé kkkk.
Mas vamos lá. Quero pedir desculpa pela hora, a razão disso é que meu off hoje foi bem agitado e cheio de emoções! Mesmo assim eu fiz um compromisso e pretendo cumpri-lo!

Sem esticar as notas, boa leitura!

Capítulo 3 - De Bom à Melhor


Fanfic / Fanfiction A Cliente (Emison) - Capítulo 3 - De Bom à Melhor

Alison voltava para sua casa depois de um longo dia de trabalho, embora a chuva esteja forte e só piorando, a loira chegou em sua casa com segurança. Esta, é uma das raras noites que Noel está com Leonard, jogando pluzzes. Parece ter adivinhado tal coisa, pois no caminho do trabalho à sua casa, Alison havia parado na velha mercearia do senhor Chester, velho amigo de seu pai.

Contente, a mulher vai para a cozinha e divide o sorvete de flocos em três taças e mesmo com as roupas de trabalho, a loira senda ao lado do filho no chão e dá as taças para eles comerem enquanto se divertem. Essa também é uma das raras vezes que Alison lembra-se dos motivos que se casou com Noel e aceitou ter um filho com ele.

Apesar dos caminhos errados que seu marido passou a seguir e o ambiente criminoso que ele se mantém, o homem e pai de Leonard cuida e preserva seu filho, desde o dia que Alison lhe presenteou com o teste de gravidez positivo. Já sendo naquela época, considero o maior fornecedor de cocaína, Noel também carregava a fama de ser um criminoso cruel. Porém, depois da chegada do pequeno Leonard na vida do casal, Noel tomou outros caminhos para que num futuro próximo, nenhum mafioso ou bandido queira descontar seu ódio sobre o Leonard.

As conversas entre o casal já foram divertidas e românticas, mas depois foi se tornando tudo uma discussão e violência entre eles. Qualquer momento que significasse paz, era bem aproveitado, assim como os três sentados no centro da sala terminando o quebra-cabeça do Superman. Animada, Alison foi até a sua cozinha, arregaçou as mangas do seu vestido e abriu a geladeira, tirando algumas bifanas e legumes para preparar um jantar rápido para os dois.

Depois de ligar o som ambiente da casa, pediu para eles fossem tomar banho até o jantar ficar pronto. Noel tirou foto do quebra-cabeça pronto e postou em sua rede social juntamente com a foto dele e Leo, comemorando que eles conseguiram finalmente. Leonard foi até Alison, abraçando a perna da loira e proferindo várias frases cheias de amor e doçura, carisma que o pequeno sempre esbanja para a sua mãe.

Noel veio até ele, colocando o pequeno em sua cacunda e tentou roubar um selinho da loira que no susto, impulsionou seu corpo para trás. Sem jeito, o clima pesou entre eles, Noel cerrou seus olhos e estranhando a atitude da Alison, tentou mais uma vez, tendo hesito em sua tentativa.

Leonard começou a puxar a barba do pai, dando risadas longas ao ponto de ficar completamente vermelho por isso. Por um lado Alison achou fofo e por outro, agradeceu ao pequeno por ter dado o fim no beijo entre os dois.

Alison esperou que eles terminassem o banho e subiu para tomar o dela, pedindo que o Noel arrume os talheres na mesa. Foi arrancando a sua roupa lentamente quando viu por baixo do seu seio um chupão deixado pela Emily que só percebeu agora. Ficou encarando aquele chupão, seu lado ordinário permitiu que a loira sorrisse e lembrasse dos bicos de seus seios na boca da Emily, o que lhe faz suspirar ofegante e seu clítoris palpitar de prazer.

A loira volta para o banheiro de sua casa e vai para o duche, fechando o box, aumentando a água deixando que a água lhe molhe da cabeça aos pés. Encostando contra a parede, nem mesmo a água fria ajudava o corpo dela aliviar o tesão que se encontra, e por mais perigoso que isso seja, claro, Noel pode flagra-la no ato pela demora. Mesmo sabendo o quão perigoso seja, essa Alison que implora para sair desce sua mão até seu clítoris.

A loira começou a se masturbar, iniciando movimentos lentos até os mais rápidos, de olhos fechados lembrando da morena e sua língua que parece mais a coisa mais prazerosa que a própria Alison já sentiu entre suas pernas. Ela foi se entregando e mesmo debaixo da água, seus dedos começaram a ficar completamente melados e o gozo da loira estava se aproximando, estava. Logo que ouviu um agito no quarto parou e deu as costas.

— Está tudo bem, Ali? — Noel pergunta, estranhando a demora de sua esposa.

— Está… — Alison vira apenas sua cabeça sorridente. — Eu já estou descendo… a água está maravilhosa e eu estou tão cansada, nem me dei conta da demora.

— Ah… — Ele pega a toalha para ela e abre. — Vem, já chega.

— Ai, por favor… só mais um minuto eu prometo!

Alison só consegue pensar no chupão em seu seio e claro que, se o Noel ver isso vai trazer à tona seu lado violento. Ele está calmo, obviamente está de cara limpa, e essa visão seria o fim para a paz dos dois. Noel cedeu a sua insistência e pendurou a toalha rosa de Alison novamente, saindo do chuveiro, foi quando a loira também respirou aliviada.

A loira vestiu um pijama discreto e desceu, para finalmente eles jantarem. Depois da sobremesa, Noel colocou o pequeno Leo na cama e convidou a mulher para ir dormir. Ele tirou a camisa e puxou a loira pela cintura, não demorou para a loira gelar e entender que seu marido está em busca de sexo, não é de se estranhar já que ele está prestativo.

A monotonia do casamento talvez cause isso na vida de qualquer casal, tudo é uma droga até que exija sexo. Noel acabara por encostar seu corpo contra o de Alison que percebe o volume do membro de seu marido, que já se encontra endurecido. Ele a beijou com intensidade, deslizando seus dedos pelo braço de Alison que pausou devagarinho o beijo e abaixou a cabeça.

— Eu sei… você ainda está chateada com aquele dia. — Noel precipita o pensamento da esposa, vendo-a afirmar suas suspeitas. — Tudo bem Alison, sei que vacilei.

Ele fez menção de sair e deixá-la ir para cama, mas foi impedido por ela, que apagou a luz e deixou o quarto completamente escuro. Ela pula no colo do marido que a põe na cama, descendo a calça do pijama da loira e depois, arranca sua blusa, intercalando seus beijos ásperos por conta da barba entre seu pescoço e ombro. Como sempre, o homem não se preocupa em excitá-la antes da penetração e acaba tornando a entrada de seu membro indesejável.

Ele começa a estocá-la e a loira vira a sua cabeça, com as mãos paradas nas costas do marido e que acelera o vai e vem dentro dela. Noel não colabora com a imaginação da Alison, torna-a apenas um corpo que lhe dar prazer quando ele está necessitado e mesmo sentindo o vazio durante o sexo, Alison sente-se na obrigação. Todo seu corpo vai rejeitando o marido, e ela, bom, ela só quer terminar logo e ir dormir.

— Está gostando? — Pergunta eufórico.

Alison mente dizendo que sim, mente para ele, mente para ela, mas não para a Diaba que odeia os toques do Noel. Ela fecha os olhos e vai até o gosto da morena, o cheiro, a delicadeza e do nada o vai e vem vai se tornando mais lubrificado. Aprendeu ela a como fugir da insatisfação. Noel sentindo sua esposa molhada gozou logo em seguida, acreditando que a razão disso é a brutalidade entre o sexo, sem sonhar que sua esposa estava com os pensamentos na fisionomia de uma mulher.

Noel sorriu satisfeito e virou para o lado, dormindo rapidamente. Alison ficou olhando para a escuridão, e claro, vendo o que ela realmente sente por dentro. Noel começou a roncar um pouco mais alto que o costume, incomodando a loira que prefere levantar e ir descalça, embrulhada no lençol, passando pelo banheiro para se lavar e depois até a cozinha.

Pega uma taça de vinho e vai para o exterior da casa, deitar na rede perto da piscina e por fim, pega seu celular na mão. Mais uma vez a loira abre uma aba discreta, só que dessa vez ela sabe exatamente de qual casa de stripper se trata. Da última vez que foi lá, fez questão de gravar cada detalhe do local, para que sua próxima tentativa fosse válida e sem erros. Alison virou de uma vez o vinho e foi para a galeria das strippers, não demorou até encontrar o perfil de Catherine, ou como ela prefere, Emily.

Stalkeando o perfil da morena, pode reviver momentos intensos, novamente o que Emily causa no corpo de Alison é forte e a loira muda até mesmo sua feição quando olha para o ensaio nu de Emily.

Alison enfia sua mão por dentro da calcinha e começa a se masturbar dando zoom em cada detalhe da morena, na ponta do seu dedo consegue sentir seu clítoris pulsar e seus olhos fecham, pondo o celular encima da sua barriga.

Os delírios de Alison sobre a nova proporção de desejos afloraram a imaginação da loira, que ao fechar seus imaginou a morena esfregando-se em seu corpo sem puder. Até mesmo a respiração quente e seu hálito de morango. Seu perfume de rosas doce, sua maciez e olhar picante. Os seus dedos pressionados, levando a loira ao paraíso logo a fez gozar. Impressionada como, até seus dedos e sua imaginação lhe dar mais prazer que o membro de seu marido.

Alison voltou a levantar a tela do seu celular, vendo um pop-up do site, convidando-a a contratar os serviços à domicílio da casa de Stripper. Alison não clicou para entrar, no entanto salvou o link numa pasta invisível de seu telefone. Vida dupla pode ser arriscado, mas diante de toda monotonia que a loira veio sentindo desde saiu do colegial, é divertido.

//

Às oito e meia, Alison já fazia sua rotina normalmente, deixando o Noel na cama e indo com seu pequeno Leonard para a creche. Um beijo e um abraço apertado, Alison deixou seu pequeno com a Aria Montgomery. Caminha-se para o trabalho, deixando o vidro da janela aberto, o que provoca uma sensação de liberdade a loira que liga o som do seu carro, e dá de cara com Bad Liar da Selena Gomez.

Ela sorriu, um sorriso livre pensando no que fará mais tarde, cujo seus planos são audaciosos, mesmo que exija uma mentira. Questionando a si mesma, todas as vias de pensamento tomadas, acabam em seguir adiante seus planos pra noite.

Ela chegou na empresa, vendo Spencer babando encima de sua mesa, dormindo. Ela rir, sabe que a noite da amiga foi agitada.

— Bom dia, Spencer! — Grita perto do ouvido da amiga, fazendo ela saltar.

— Porra, vai se fuder.

A amiga gritou vendo a loira cair na gargalhada com a expressão de susto e choque que a amiga se encontra. Spencer começou a falar da garota que arrancou suas energias e Alison se diverte ouvindo as loucuras da amiga. De algum jeito, as coisas que Spencer descreve o sexo com as mulheres passou a ser interessante para a mente fértil da loira, que ouve tudo imaginando tudo com a morena.

— Ai Alison, vou pra casa, ainda sou dona dessa merda ainda.

— Já? — Alison arregala os olhos divertida. — Esqueceu da reunião com os fornecedores das malhas?

— Ah não. — Spencer começou a bater na testa. — PORRA. PORRA. PORRA.

— Pois é.

Wren entrou na sala de Alison observando a Spencer estapeando-se e rir, achando que a Vodka está corroendo o cérebro da amiga. Ignorando a crise da Spencer, Wren sentou ao lado da loira e começou a falar sobre o lado jurídico da empresa, que está tentando à todo custo fechar negócios com couros de Paris – França. Embora os planos da A.D seja alcançar o grande reconhecimento de Paris, Alison ainda precisa convencer Mona Vanderwall a ceder o material.

Embora seja difícil, Mona cedeu a uma reunião e é isso que Wren fez questão de conversar com Spencer e Alison, sobre a oportunidade.

//

Anoiteceu, todos foram embora, até mesmo o Wren. Alison aproveitou o momento sozinha e foi até o telefone da empresa para ligar para o número que salvou. Uma mulher atendeu seu telefonema e Alison foi dando detalhes de quem ela queria e o hotel que aconteceria o domicílio. Como já havia feito a reserva, foi fácil para a equipe da casa de stripper ver que os dados são verdadeiros. Como foi obrigada, Alison deu seu nome.

Do outro lado da linha estava Hanna, que logo mandou chamar a Emily da áera bar. Ela veio e viu Hanna no telefone, revirando seus olhos quase arrancando seu salto para bater na Hanna, uma vez que a amiga sabe muito bom o quanto Emily odeia fazer domicílios, entretanto, assim que desligou a chamada, Hanna entregou os detalhes para Emily que permitiu um sorriso maldoso e vencedor no rosto, dobrando o papel e pondo entre seus seios.

— O que eu disse? — Gargalha com ironia, indo se arrumar.

— Arrasa. — Hanna solta e ela pisca.

Alison liga para o seu marido e avisa que terá um jantar de negócios, o que a faria chegar tarde. Depois de inventar a sua primeira mentira, a loira seguiu para o hotel, uma hora antes do combinado, o que daria tempo o suficiente para um banho. Alison chegou no hotel, pagando a reserva em dinheiro e ao pegar a chave, subiu. Abrindo sua bolsa, pegou a lingerie que separou para usar junto com o vestido e a seguir de um banho demorado, sentiu-se pronta para o que vinha em seguida.

A campainha tocou e ela foi até a porta, respirando com calma para não parecer afobada com a presença de Emily. Confirma que é mesmo a morena do outro lado e abre a porta, vendo Emily entrar já lhe beijando, batendo a porta com o pé enquanto arranca seu sobretudo, revelando uma sexy lingerie, que modela seu corpo completamente. A loira arrepia-se facilmente com toda essa atitude da morena que a joga na cama, fazendo-a sentar.

— É aqui que pediram por prazer?

Alison feito boba, na verdade, em transe pelos encantos de Emily, apenas assenti com a cabeça enquanto observa o corpo da morena. Emily solta seu cabelo e vai até o som ambiente do quarto, conectando seu pen-driver. Sua música favorita, foi dando vida a sua dança sensual; Fetish – Selena Gomez. Emily foi arrancando lentamente sua lingerie e pediu para a loira ficar em pé, pois queria testar uma coisa nova. A total inexperiente Alison, aceitou que Emily vestisse um acessório parecido com um membro masculino.

— O que é is…

— Shiuu — Emily põe seu dedo sobre os lábios rosados da loira e sorrir. — Quero apenas te dar domínio.

Emily puxa a cadeira e faz Alison sentar nela, já nua ela segura o cabelo da loira e implora que ela passe sua boca em seu clítoris. Alison fez o que a morena pediu e ela logo começou a melar a boca no íntimo de Emily, enquanto arranha suas pernas de baixo para cima, até parar em sua bunda e puxá-la mais contra sua boca. Emily pode está querendo que a loira fique louca por ela, mas não nega o quão quente e deliciosa Alison consegue ser.

Depois de ser chupada, Emily rasgou uma camisinha e pôs no brinquedo que comprou para dar a Alison de presente. Ela sabe bem do que ela precisa e controle está no topo de tudo. Depois de por a camisinha, Emily enfiou dois dedos dentro da boca de Alison e foi escorregando-os pelo queixo e pescoço, fazendo Alison puxá-la pela cintura, exigindo que a morena sente.

— Amo quando você se solta. — A morena sussurra sensualmente no ouvido de Alison, sentando no colo e claro, no acessório. — Eu tenho um tesão por você!

Emily segura o rosto de Alison pelo queixo e a faz olhar bem para seus olhos. Alison sente-se consumida por aquela eletricidade que Emily causa em seu corpo, o prazer avassalador juntamente com a química. As horas viraram minutos diante de todo sexo entre elas, que acabou em um 69 que fez ambas gozarem. Alison perdeu o medo, mesmo sabendo que isso é excesso de confiança.

Emily já estava pronta para ver o desespero de Alison para ir embora, até porque isso não seria diferente das transas anteriores. No entanto, para surpresa, Alison estava sedenta de desejo, lançando aquele acessório para longe e indo para cima da Emily que adora a atividade da Alison, como se toda a vida a loira fizesse isso. Alison começou a suar encima da morena, os corpos deslizando um no outro, misturando o prazer com intensidade. Alison apenas esqueceu-se de tudo e abriu as pernas da Emily, pondo sua intimidade encima da dela, e o contato a fez tremer em gemidos, aquilo estava ficando de bom à melhor.

As duas coladas com seus clítoris um no outro, foi tornando o prazer ainda melhor e Emily gozou. O controle estava realmente nas mãos da Emily naquela segunda transa e isso acabara por ser divertido para a garota, já que viu nos olhos azuis de Alison que ela adorou vê-la todinha dela.

Alison logo terminou se masturbando enquanto a garota lhe beijava e falava coisas quentes em seu ouvido, claro que, Emily calcula cada palavrinha dita, o que torna Alison útil, pelo menos, a faz sentir assim. A loira gozou intensamente e ficou espessa na cama, de olhos fechados. Emily fez menção de sair da cama, porém Alison segurou seu braço e a puxou de volta, fazendo com que a garota deite ao seu lado. As duas ficam de lado, uma de frente para outra, nuas e suadas em silêncio.

Alison vê na Emily uma coisa que a preenche, enquanto Emily vê na Alison, o cedro do poder.

A surpresa só aumentou quando a morena foi para o chuveiro e Alison entrou em seguida, ajudando a garota a ensaboar suas costas. Alison cuidadosa, passando o sabonete com cuidado pelas laterais de Emily e a própria pediu que Emily fizesse o mesmo. A noite termina com algumas perguntas de Alison e que Emily respondeu, induzindo sua imagem a uma garota coitada, escondendo o seu lado sombrio. Entre o jantar, Alison criou algumas ideias dentro de sua cabeça, na verdade o que Emily disse foi o bastante para despertar na loira uma vontade forte de ajudá-la, financeiramente. 


Notas Finais


Antes que vocês fiquem putos com a transa entre Noel e Alison, peço que vocês ressaltem a ideia que, na fanfic, errado é ELA IR PRA CAMA COM EMILY. Por isso, eu só peço com humildade que respeitem a estrutura que estou construindo na estória.

Agora tirando isso, quero saber o que estão achando... espero vocês nos comentários, mesmo já sendo tarde.
Não desistam de mim, essa coisa de data e horas é culpa do meu signo kkk.
Até o próximo♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...