História A Colmeia - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~HenriqueRose

Exibições 15
Palavras 2.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Lemon, Luta, Romance e Novela, Saga, Slash, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Muito obrigado a quem começou a acompanhar, favoritou e ainda comentaram, eu não esperava isso no primeiro dia, obrigado mesmo e boa leitura ♥

Capítulo 2 - Do que é feito um integrante da Matilha da Lua


Fanfic / Fanfiction A Colmeia - Capítulo 2 - Do que é feito um integrante da Matilha da Lua

*Alá Oeste*

Halle e seu novo companheiro de viagem, Tyler, andaram floresta afora até chegar á estrada de asfalto. O sol estava escaldante sem a vegetação, era apenas chão tanto de um lado quanto do outro, o mais novo não tinha a menor ideia do que estava fazendo, mas o moreno parecia ter um pouco mais de noção então Halle apenas o seguia em silêncio. Enquanto caminhava ele notava as cicatrizes nos punhos do mais velho, sua pele queimada pelo sol, a calça jeans country, talvez ele seja do Texas, suas botas pretas e feitas de um material resistente, com algumas costuras de couro, Tyler percebe que o garoto o analisava e pergunta quebrando o clima:

- O que foi?

- Hã? – O garoto diz despertando de seu subconsciente.

- Estava me medindo de cima abaixo. – O moreno arqueia a sobrancelha explicando sua pergunta.

- Eu? D-d-desculpa, não foi minha intenção. – Halle fala sem jeito desviando o olhar, o homem de gangue faz o mesmo gesto e questiona o garoto:

- Hunf, então, sabe fazer algo?

- Como assim? – O menor pergunta mediante ao indago do maior, Tyler tenta ser mais especifico:

- Sua irmã tinha uma mira perfeita, você?

- Eu não, a Kamy sempre teve uma ótima mira seja ela com seu arco e flecha ou com armas de fogo. – O garoto lembra-se da irmã enquanto fala.

- Ela fazia tudo? – Tyler novamente arqueia a sobrancelha enquanto os dois ainda andavam na estrada de concreto em linha reta.

- Ela tentou me ensinar uma época, mas não tenho coordenação motora. – Halle conta ao homem se lembrando da experiência; começa a rir só por um tempo, o moreno então conclui:

- Então você nem a ajudava.

- Se jogar pedras é ajudar, sim, ajudava. – O irmão mais novo de Kamy termina Tyler então fala com certeza:

- Então tem sim uma boa mira.

- Para arremessos sim hahaha – Halle ri mais uma vez naquela estrada. Tyler não entendia como aquele garoto podia ser tão despreocupado e feliz na realidade em que vive, mesmo assim apenas responde a ele:

- Já é alguma coisa.

- Os dois continuam a caminhar por algum tempo, a estrada parecia não ter fim, a vegetação nas laterais ficava cada vez mais escassa até não ter nada, apenas areia, o sol continuava a castigar os rapazes. Com toda esta situação, Wolves é obrigado a tirar sua jaqueta de couro e leva-la na mão, sua camiseta era cinza, simples e sem estampa, seu suor marcava as axilas, uma leve linha nas costas e ainda formava uma curva em seu pescoço no tecido, ele arregaça as mangas na tentativa de refrescar os braços, seus bíceps e deltoides ficavam a mostra, era bem definido, a ponto de chamar atenção do garoto, Tyler percebe que Halle encara seu corpo novamente, mas o menor desta vez é mais rápido e vira o rosto mudando o assunto:

- Onde fica a colmeia?

- Você não sabe? – O homem de barba indaga o mais novo que balança a cabeça em negação soltando um leve:

- Não.

- Tyler o encara por alguns segundos e vê que ele falava sério, Halle com certeza era um criança e a culpa era de Rapina. O maior aponta para frente e começa:

- Bom, se tivéssemos de carro levaria de oito a doze horas, como estamos a pé- Faz uma face de pensativo, conta alguns números nos dedos e termina - Uns 15 dias naquela direção.

- Tudo isso? – O mais novo pergunta assustado e ele confirma:

- Sim garoto.

- E como eles vêm e vão tão depressa? – Halle continua suas intermináveis contestações.

- A tecnologia turbo deles é diferente da nossa... Bem diferente. – Tyler começa a falar, mas então cerra os olhos tentando ver mais adiante, para sua preocupação, havia algo mais a frente e já tinha visto os garotos. Na época de guerra a ultima coisa que as pessoas se preocupavam eram os animais, sejam eles de rua, domésticos ou de zoológicos, alguns sortudos sobreviveram, alguns não tão sortudos sobreviveram com exposição à radiação, e esse era o caso de um bando de cachorros de rua que estavam vindos em sua direção.

- Garoto, tem algo de bom na sua bolsa. – O moreno olha a mochila nas costas do garoto, Halle a abre e começa a listar:

- Bom eu tenho água, maças, sementes, álcool e... Mas antes de continuar, Tyler ao ver os monstros modificados aumentarem a velocidade exclama ao garoto:

- Não! Armas.

- Tem uma faca de caça, umas faquinhas finas sem cabo eu não sei o nome disso, uma pistola com duas balas e um sinalizador. – O menor vasculha sua bolsa, rápido e assustado com a reação do moreno que pede estendendo a mão:

- Me da o sinalizador e o álcool.

- Tá, mas por quê? – Halle tira os dois itens da bolsa, Tyler grita com o garoto irritado:

- Anda logo Halle!

- Finalmente o pequeno percebe a aproximação de animais asquerosos, com a boca salivante, corpos desfigurados com presas de tamanho descomunal,

- Aqui, aqui! – Ele entrega na mão do moreno que abre o liquido e o joga por inteiro no chão e por fim o seu recipiente, puxa o garoto pelo colarinho o empurrando para trás enquanto dá passos reversos olhando os animais que estão a menos de 2 km de distancia, quando ele e o menor já estão longe do liquido e o primeiro animal pisa no álcool ele atira com o sinalizador no chão próximo a pata do monstro, eram quatro cães, com essa técnica ateou fogo em três deles, o ultimo apenas desvia das labaredas em que seu bando sofria e corre para o ataque, Tyler solta o sinalizador vazio no chão e enfia a mão na bolsa de Halle, retirando a faca de caçador.

- Tyler! – O garoto exclama no momento exato em que o cão pula no moreno que cai com o peso da criatura colocando a lamina contra a garganta do animal geneticamente modificado, com o braço esquerdo puxa a cabeça dele para trás, expondo seu pescoço, sem dó ele passa a faca da esquerda para direita, rápido, em linha reta, um corte profundo que faz o cão uivar com tal dor enquanto seu sangue banhava o rosto de Tyler que o chuta no ventre e te tira de cima de si, em revira volta ele finca a arma branca no peito do animal, retira sua afiada e repete o movimento mais duas vezes até o cão parar de soltar qualquer som. Ele então, vitorioso, se senta no chão ofegante, limpando o excesso de plasma de seu rosto, Halle corre até ele e por impulso retira uma toalha de sua bolsa transversal azul e começa a limpar a face do barbudo que tira o pano da mão do garoto e continua a fazê-lo só.

- Desculpa, é reflexo. – Halle diz corado e sem graça de ter agido daquela forma. O moreno ofegante fala sem dar muita importância com o que ocorreu:

- Relaxa, não foi nada.

- Obrigado Tyler. – O menor agradece um pouco sem jeito, o maior arqueia a sobrancelha e questiona:

- Pelo que?

- Por me salvar. – Halle fala apontando os animais que carbonizavam e o outro esquartejado pelas mãos de Tyler que diz a realidade ao terminar de se limpar com a toalha de rosto do garoto:

- Eu nos salvei. – Ele limpa as mãos e oferece o pano ao garoto e pergunta sério - Ainda quer ela?

- Não – Halle faz uma cara de nojo - Pode jogar fora Tyler.

- Tá – Ele balança a cabeça e joga a toalha em cima do cão morto, faz um sinal de positivo com o dedo – Valeu Halle.

- Ele te machucou? – O garoto pergunta ao mais velho que diz com sinceridade ao companheiro de viagem:

- Não, já matei animais menores com meu canivete, só que quatro ia ser dureza tendo que te manter vivo também.

- Ah tá, sinto muito. – Halle novamente se sente um estorvo, como era com Kamy, isso o deixa desconfortável de verdade. Tyler ao ver a face do adolescente de decepcionado novamente perde a paciência com estas pequenas frescuras e fala:

- Para de pedir desculpas por tudo moleque, me deixa ver o que tem na sua bolsa.

- S-s-sim. – Halle dá a bolsa na mão do moreno que começa a revira-la sem cuidado algum:

- Ok, comida e água, isso é importante – Diz olhando o menor nos olhos - essa armas você disse ter apenas duas balas, a faca vai ficar no meu bolso – Ele pega a faca de caça e guarda dentro da jaqueta - E... Isso é o que você disse ser é... – Tyler tenta se lembrar do termo engraçado que o mais jovem usará agora pouco, o garoto de cabelos castanhos diz dando risada de si mesmo para o maior:

- Faquinhas sem cabo, não sei o nome disso hahaha

- São adagas de arremesso. – Tyler fala mostrando uma delas olhando dentro das orbitas cintilantes do garoto que escuta tudo com muita atenção e responde:

- Ah sim, que legal.

- Pra mim isso é inútil, mas deveria tentar. – O moreno lhe da o coldre cheio de adagas em sua mão, Halle acha um pouco cômico e contesta o barbudo:

- Eu? Não eu não tenho mira com armas.

- Mas essa aqui é de arremesso, é quase como uma pedra. – Tyler responde atirando uma na pata do cão, a adaga finca na pele do morto mesmo sem esforço, Halle retira do corpo e limpa com a toalha que estava no chão com cuidado e recoloca a adaga no coldre com cuidado dizendo:

- Tudo bem então.

- O garoto guarda na bolsa, Tyler revira os olhos e fala ao garoto que parece não entender de nada:

- Amarra na sua perna.

- Sim, sim, desculpa. – Ele retira da bolsa novamente, o moreno mais uma vez fala, dessa vez sem agressividade:

- Pare de se desculpar por tudo baixinho.

- Tyler fica alguns segundos observando o menor, resolvendo o quebra-cabeça que era prender aquilo na sua perna, podia até dizer que achou aquilo engraçado apesar de sua personalidade séria. Depois de ver o garoto realizar três tentativas, toma a frente, retirando o objeto da mão de Halle e colocando ele mesmo:

- Assim garoto.

- Ao terminar de apertar olha para o garoto e percebe que Halle estava com o rosto vermelho, desviando o olhar e gaguejando como de costume:

- O- o- Obrigado.

- Tyler começa a entender o porquê Kamy cuidava do garoto, ele transparecia essa necessidade de ter alguém o ajudando o tempo todo, o moreno o coloca de pé e explica fazendo os movimentos:

- Veja, você puxa uma com a palma da mão, e arremessa.

- Ele então observa o menor por um tempo, o esperando repetir o que ele fez, mas nada foi feito, o barbudo então pergunta:

- Não entendeu?

- Entendi sim Tyler. – Halle balança a cabeça, Tyler então levanta as duas sobrancelhas arregalando os olhos, e pergunta sério:

- Então o que está esperando?

- É... Eu sou canhoto, você amarrou na minha perna direita. – O mais novo fala sem jeito apontando o coldre, o moreno aperta o espaço entre o nariz e os olhos com os dedos e explode:

- Porque não me avisou antes!?

- Me desculpa. – Halle faz mais uma vez sua face de estar arrependido e decepcionado, o homem exclama irritado:

- Para de pedir desculpas por tudo!... – Percebe então que os olhos do garoto enchem de água - Ah, vamos inverter isso ai então.

- O mais velho se abaixa e retira o coldre da perna direita e prende na perna esquerda do adolescente que tentava não olhar para o mais velho, parecia constrangido, mas Tyler aperta o objeto na perna dele mais uma vez e pergunta:

- Pronto?

- Sim, obrigado. – Halle fala sem olhar o moreno que se levanta e aponta para o horizonte, onde já era possível ver alguns prédios velhos e quebrados numa distancia de aproximadamente doze km:

- Então vamos seguir em linha reta, já estamos chegando à primeira cidade abandonada, lá achamos um lugar pra descansar.

- Tudo bem, vamos então. – Halle concorda e os dois se põem a caminhar até a cidade, novamente, nenhum deles fala uma palavra sequer quando começam a dar seus passos largos, o menor só conseguia pensar se sua irmã estava bem naquele momento.


Notas Finais


Que começou a ler agora e viu até aqui, acompanhe a fanfic, se puder favorita aqui e diz o que achou dos personagens, até a próxima :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...