História A Confused Love (Jariana) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Justin Bieber
Personagens Ariana Grande, Justin Bieber
Tags Arianagrande, Jariana, Justinbieber
Visualizações 52
Palavras 966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei babys. Caraca, eu tô indo tão longe com essa fic que tô me sentindo a escritora. Beijos sociedade 😂😂❤❤

Capítulo 3 - 3


Fanfic / Fanfiction A Confused Love (Jariana) - Capítulo 3 - 3

BIEBER P.O.V

16:47 da tarde

Los Angeles


Porra, a noite passada tinha sido uma grande loucura mesmo, a verdade é que eu não estava com tanta cabeça pra transar com algumas putas ou coisa do tipo. Ultimamente minha cabeça andava a mil, quase explodindo.

Estava sentado bebendo com duas garotas ao meu lado, não aguentava mais aquelas garotas me acariciando ou fazendo coisas do tipo, eu só queria ficar sozinho fumando meu baseado e bebendo meu whisky. Bufei revirando os olhos, até que Zayn aparece.

- Tá bom meninas, que tal deixarem esse pobre "Santo" em paz? --Ele faz aspas no ar e gargalha zombando de mim. Filho de uma puta. -- E aí Bieber? Como anda a vida Jus? 

Depois que as garotas se retiraram da mesa dou mais uma tragada em meu baseado e logo o apago jogando-o em uma lixeira bem próxima dali. Ouço o que ele dizia e fico com um sorriso discreto nos lábios olhando para o nada, mas mesmo assim dava pra ver que ele estava tomando do meu Whisky. Esse filho da puta só pode tá me testando.

- Vida? Que vida? -- Zayn gargalha dando um razoável gole em MEU whisky olhando para ao redor da boate. -- Procurando alguém Malik?

- Perrie. Sabe onde ela tá? -- Encaro Zayn arqueando minhas sobrancelhas logo volto a olhar para o nada. -- O que? Eu só quero conversar, nada demais, Bieber.

-- Não Zayn. Não mesmo. Deixa essa garota em paz, vai viver sua vida com a Gigi, cara.

Me levantei, aquele assunto me enchia os nervos, Zayn sempre sendo um idiota. Zayn, o papel de babaca já é meu, meu caro.

-- Justin, cara, você sabe que eu não sinto mais nada pela Gigi...

-- E por que ainda tá com ela? -- Disse me virando imediatamente pra ele. -- Você é meu mano Zayn, mas na moral, não vou deixar você machucar novamente mais uma de minhas garotas, Gigi tá com você ainda não sei nem porque.

Peguei meu terno pela gola, dei as costas para ele e fui saindo dali com o copo de whisky também em minhas mãos. Entrei no elevador e apertei os botões indicando para qual andar iria, fazendo logo o elevador se mover.


17:37 da tarde


Ao chegar no andar de minha sala, passei pelos seguranças, abri a porta devagar e finalmente entrei em minha sala. 

Respirei fundo jogando meu terno sobre a poltrona, pego meu celular que se encontrava em meu bolso, enquanto tirava minha gravata totalmente e desabotoava os primeiros botões de minha camisa social.

Abro o chat de da Camila e mando uma mensagem pra ela.


Chat On


> Camz?

Hey Bieber <

O que houve <

> Nada demais...

> Só queria saber se a nanica tá por aí...

Nanica Bieber? Sério? <

Você é um idiota mesmo hein  <

> O que? KKKKKJ

Sim, ela tá aqui no bar <

> Manda ela subir aqui...

Iiiiiiih <

Já vi que a pobre garota tá encrencada <

> Nada tão sério Latina, nada tão sério...

Chat Off 


Depois que terminei a conversa com Camila, bloqueei o celular, peguei um cigarro e fiquei em frente às enormes janelas enquanto pegava meu isqueiro que estava no bolso traseiro de minha calça, acendi o cigarro e fiquei a fumar admirando a bela vista de Los Angeles.

Ouço o som da porta se abrir, me virei um pouco pra tràs, vendo Ariana passar pelos dois brutamontes, eram meus seguranças, mas estavam mais para brutamontes perto de Ariana. 

Após ela entrar, fica parada no centro da sala, com os braços cruzados, os olhos fixados em mim e seu semblante completamente sério.

- Por que me chamou aqui?

- Queria falar sobre o que houve ontem.

Digo apagando o cigarro e o jogando junto de cinzas em um cinzeiro que estava sobre minha mesa. Meus olhos aos poucos foram indo de encontro com o olhar dela.

- Pode dizer, estou inteiramente ao seu dispor para o ouvir.

Respirei fundo vendo que o olhar dela não ficará muito tempo fixado ao meu.

- Eu sei que ontem a noite pra você passou dos limites, me desculpe. Mas saiba que a qualquer momento que precisar, é só chamar um dos seguranças, eles não irão te deixar e a nenhuma das outras na mão... -- Digo com a expressão facial séria. Coloco minha mão direita no peito e me aproximo em passos lentos. -- Eu prometo.

Ela franzi o cenho e dá dois passos para trás quando vê que fiquei próximo a ela.

- Por que você tá com toda essa meiguice? Eu ouvi tantas coisas horríveis de você desde que cheguei aqui.

- Coisas horríveis? O que te contaram sobre mim? Seja direta e clara, Butera.

Digo me aproximando novamente, ela se afastava com dois passos para trás, era engraçado, mas mesmo assim permanecia sério.

- Soube que você matou traficantes de outras cidades e até mesmo de outros países. Conseguiu os dados do sistema da Rússia e quase começou uma terceira guerra mundial. Incendiou uma casa onde morava uma família completa.

Respiro fundo negando com a cabeça e fechando os olhos com força. Queria que as imagens do que o velho Justin fez saísse de minha cabeça, aquele maldito passado me perseguia e me corroía me enchendo de irritação por mim mesmo. 

Abri os olhos lentamente, Ariana estava me encarando, mas seu olhar novamente foi para outro canto da sala.

- É Butera, admito que naquela época era um completo babaca, um lixo de pessoa. Me arrependo verdadeiramente de ter sido tão delinquente daquela maneira, mas pelo menos com aquele Justin aprendi a ser o que sou hoje.

Levei uma de minhas mãos até seu queixo, ela já não tinha pra onde ir, estava contra a parede, sua expressão facial continuava séria, o jeito que ela suportava as coisas era interessante. 

Segurei sua cintura com minha outra mão e puxei sutilmente seu corpo. Virei um pouco seu rosto e beijei com delicadeza sua bochecha, vendo seus olhos se fecharem vagarosamente.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...