História A Conselheira Amorosa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Conselheira, Drama, Romance
Exibições 91
Palavras 596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


❖ Olá, como vão?
❖ Não tolero plágios, todos nós temos capacidade para criar uma estória maravilhosa!
❖ Justin só aparecerá nos capítulos seguintes, no previsto, segundo ou terceiro.
❖ Amber sofrerá de Autofobia; temor patológico da solidão.
❖ Créditos ao DS a Arabella do RED, obrigada.
❖ Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 1 - 01; Ele não teve a coragem de se despedir...


Fanfic / Fanfiction A Conselheira Amorosa - Capítulo 1 - 01; Ele não teve a coragem de se despedir...

 

❖ E se eu dizer que estou aqui por sua causa? — Desconhecido.

 

Passado.

Nova York, NY.

17 de Março de 2009 — 21:49 P.M

 

 

Era uma tarde de outono. Durante horas, havia caído uma chuva humilde, que não se fazia notar muito, mas que deixava marcas. Quando Amber voltava para casa, começavam a se acender as luzes da rua. Seus passos salpicavam  de chuva as poças. Tinha vontade de chegar, a impaciência para juntar-se a Scotter, o rapaz que amava. Ele sempre era capaz de surpreendê-la. Descobria-lhe todos os matizes da emoção.

Quantas vezes havia sentido aquele corpo que vibrava a seu lado, o pensamento ágil? Queria dizer-lhe que, no jornal, havia um clima tenso, que todos queriam impor seu critérios, que vivia em um mundo de loucos.

Esperava ouvir sua risada quando lhe contasse as últimas anedotas. Imaginava o rosto interrogativo, o sorriso cúmplice. Teria querido lhe dizer que os dias tinham sentindo porque podia voltar, retornar a seu lado, refugiar-se em seu corpo. Quem disse que ela era forte? Nunca acreditou nisso. Talvez tivesse contado de onde nascia seu força: dos olhos de Scotter, quando o olhava.

Subiu a escada depressa. Não perdeu tempo acendendo a luz, porque o trecho que tinha que percorrer era breve. Três andares sobem-se em um suspiro que a impaciência toma. Abriu a porta e entrou em casa.

Estava escuro. Um raio de luz avermelhado filtrava-se pela janela da cozinha. Esquivo, impertinente. Pertencia a um anúncio da Coca-Cola que acendia e apagava em uma fachada próxima. Entrou na sala, no banheiro, no dormitório. Ele não estava lá, mas o ar flutuava seu cheiro; percebia-o sem se esforçar. O aroma de alguém é uma sombra de sua presença. A roupa também estava nos armários, o livro no criado-mudo, as fileiras de sapatos. Encontrou uma xícara com resto de café na mesa.

Acendeu as luzes. Pronunciou seu nome como quisesse reclamá-lo. Ligou para os amigos, para os parentes conhecidos. Repetiam que não precisavam se preocupar: a qualquer momento o veria novamente. Juntos ririam daquele medo absurdo. Dominava-a um pressentimento de perda, quando a ausência ainda era uma possibilidade remota, um pensamento que vai e vem.

Respirou fundo.

Foi até a escada, disposta a percorrer as ruas até encontra-ló. No patamar, viu um pedaço de papel vermelho. O mesmo que Scotter havia comprado naquele dia. Preste a voar, apanhou o raso pedaço de papel.

 

Querida Amber,

Deve estar me procurando por todos os cantos, ligando para milhares de pessoas, mas pare de fazer isso. Eu fui embora, talvez para sempre, sim eu te deixei. Me desculpe por todos os erros que cometi, todas as brigas ou até mesmo palavras inúteis. A alguns meses eu te amava, admito. Mas em tão pouco tempo tudo se foi como o vento. Conheci outras bocas; até outras garotas. Sem você saber, me desculpe por cometer adultério, mas não aguentava tudo isso. Eu errei tantas vezes que tinha medo de confessar o que fiz á você, Amber.
 

Não chore porque te deixei, não adiantará nada. Nesse momento estou a milhas de distância, talvez nunca me encontre mais. Só não ache que tudo que falei aqui é brincadeira, pois não é, nunca será.

Eu te deixei, três meses antes do nosso casamento. Viva sua vida, curta, porque Amber. Você tem dezenove anos, é nova nessa vida. Me prometa e ache alguém descente. Porque no final seu destino já está traçado, com outro alguém, que não sou eu.

Só coloque em sua mente que não ama alguém, mesmo a amando. Leve esse conselho para sempre.

Com amor,

Seu ex-noivo, Scotter.


Notas Finais


❖ Comentários não são obrigatórios, mas me incentivam demais.
❖ Espero que gostem, até mais.

❖ XoXo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...