História A cunhada - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Taeyeon, Tiffany
Tags Girls'generation, Kimtaeyeon, Taeny, Taeyeon, Tiffany, Tiffanyhwang
Exibições 594
Palavras 3.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá,

Demorei para atualizar, né. Eu sei minha culpa, minha máxima culpa. Apesar de não ter sido intencional, demorou mais do que eu imaginei que demoraria. Como já perceberam a publicações estão mais demoradas, em função do meu trabalho que mudou a carga horária e também alterou os meus dias de folgas, além de duas semanas de treinamento intensivo em função da própria mudança. Ou seja, acabou com toda a minha criatividade durante o mês além de me deixar extremamente cansada. Sei que devem estar chateados com isso, por isso estou explicando o que acontece na minha vida pessoal por afetar diretamente a liberação dos capítulos. Nem sempre é possível fazer tudo que queremos, portanto novamente peço que sejam pacientes e compreensivos.

Perdoem os erros que encontrarem, não tive tempo para revisar.

Sem mais, capítulo liberado.

Capítulo 13 - Sua?


Fanfic / Fanfiction A cunhada - Capítulo 13 - Sua?

Tiffany P.O.V.

 

Eu não sabia o que estava falando, nem mesmo sabia por que havia dito aquilo. Taeyeon se afastou me olhando confusa, como se tentasse entender o que eu havia dito. Sentir meu rosto esquentar, provavelmente ele estava vermelho naquele momento. Se eu não tivesse tão constrangida pelo o que eu disse e pelo o que eu fiz, com certeza conseguiria inventar uma desculpa para as minhas atitudes. Sem conseguir pensar em qualquer justificativa, caminhei até a janela e a fechei. Taeyeon me acompanhou com os olhos, me deixando ao mais sem jeito pelo o que eu tinha feito.

 

- Sua? – Taeyeon perguntou parecendo confusa.

- Que? – Perguntei me fazendo de desentendida.

- Você disse que eu sou sua. Por que disse isso? – Perguntou ela me olhando intrigada.

- Por que você é minha cunhada. – Respondi como se fosse obvio.

- Ah. Entendi. – Falou ela parecendo pensativa.

- Em breve você terá alta, quer que lhe tragam alguma coisa? – Perguntei mudando de assunto.

- Outra roupa, não posso sair vestida com isso aqui. – Reclamou ela voltando a sacudir a vestimenta do hospital.

- Vou pedir a Bah que envie outra roupa para você. Quer alguma especifica? – Perguntei imaginando que ela não vestiria algo que eu escolhesse.

- Meu vestido preto, por favor. – Respondeu ela voltando a se deitar.

- Ok. – Falei apesar de ainda não concordar com o fato dela vestir aqueles vestidos horrorosos.

 

Peguei o celular e liguei para a Bah, informei que Taeyeon estava bem e que em breve teria alta. Pedi a ela que enviasse por meio do motorista a roupa que minha cunhada havia solicitado. Assim que encerrei a ligação, liguei para o motorista e pedi que fosse buscar o que eu havia solicitado. Leo apareceu alguns minutos depois, ainda estava preocupado com minha cunhada. Ele se sentia culpado por achar que era por causa dele que Taeyeon estava internada. Aproveitei que ele estava pronto para ajudar com qualquer coisa, cobrei dele uma explicação sobre a gravidez de Taeyeon. Meu irmão contou que ele e Yoona ouviram sem querer Anne contando a Bah sobre isso. Nenhum dos dois imaginou que ela pudesse estar enganada, já que as duas estavam muito preocupadas com a situação. Minha cunhada ouvia calada a explicação do meu irmão.

 

- E você acha certo espalhar uma informação que ouviu atrás da porta? – Perguntei irritada.

- Não foi bem assim, não tínhamos intenção de ouvir a conversa da Anne com a Bah. Além do mais, não espalhamos nada. – Respondeu ele defendendo a si mesmo.

- Vocês dois deveriam pensar antes de repetir algo que não sabem se é verdade. – Falei ainda irritada com a história.

- Fanny entenda uma coisa. Yoona estava realmente preocupada, achou que eu pudesse machucar a Tae de verdade. Nem mesmo contamos a Seohyun sobre o que ouvimos, as coisas acabaram saindo atrapalhas. – Explicou ele.

- Isso não justifica nada. Em nenhum momento vocês pensaram no que estavam dizendo. – Falei ainda não concordando com a atitude dos dois.

- Tiffany. – Taeyeon chamou meu nome sentando na cama.

- O que foi? – Perguntei preocupada ao vê-la com os olhos arregalados.

- Ele já explicou o que aconteceu, não precisa ficar irritada. Foi apenas um mal entendido. – Falou ela me olhando esquisito.

- Obrigado por entender, Tae. – Falou Leo agradecido.

- Espera um pouco, você está defendendo ele? – Perguntei ainda irritada.

- Defendendo? Estou apenas sendo racional, ele já explicou o que aconteceu. Não é culpa dele que Anne tenha dito algo desse tipo. – Explicou ela. Arregalei os olhos vendo a falar com tanta calma.

- Você não está brava com isso? – Perguntei surpresa. O que mais me impressionava naquele momento era como ela estava lidando com a situação.

- Eu estava, mas depois que ele explicou o que aconteceu não estou mais irritada com isso. – Falou ela lentamente enquanto me olhava.

- Uau. – Respondi confusa. Eu ainda não conseguia entender como ela havia mudado tão rapidamente.

- E outra coisa, você deveria se lembrar de que não pode ficar irritada desse jeito. Vai fazer mal a você e ao bebê. – Falou ela claramente me repreendendo.

- Espera, você está me repreendendo? – Perguntei chocada.

- Você está grávida? – Perguntou Leo surpreso.

- Sim, estou. – Respondi enquanto ainda tentava processar o fato de que Taeyeon estava agindo como se eu não soubesse das coisas a ponto de precisar ser repreendida.

- Que legal! Eu vou ser tio. – Falou Leo animado me abraçando. Meus olhos estavam focados em Taeyeon que não respondeu a minha pergunta.

- Eu não estou te repreendendo. Só estou preocupada com você. – Respondeu ela abaixando a cabeça olhando para as próprias mãos.

 

De repente o clima entre a gente estava estranho novamente. Eu já não estava conseguindo lidar com as mudanças. Em um momento ela estava conversando sem se importar com nada e no outro estava calada visivelmente assustada ou incomodada com alguma coisa. Leo falava sem parar na minha cabeça, a notícia da minha gravidez o deixara eufórico. Eu não conseguia me concentrar em nada do que ele dizia, ainda tentando entender o que se passava com Taeyeon. Ainda tentava compreender quais eram as ações que a fazia se sentir confortável. Desvencilhei-me de Leo e sentei na cama ao lado dela. Ela virou o rosto lentamente e me olhou por apenas dois segundos, voltando a me ignorar em seguida.

 

- Leo, você pode me fazer um favor? – Perguntei interrompendo o que ele falava. Eu precisava conversar a sós com minha cunhada.

- Claro. O que quer que eu faça? – Perguntou ele animado.

- Por favor, vá ao posto de enfermagem e pergunte quando Taeyeon terá alta. – Pedi e ele concordou saindo do quarto sem nem mesmo me responder.

- Taeyeon. – Falei seu nome lentamente. Ela levantou os olhos e me olhou sem dizer nada. Peguei em uma de suas mãos e a coloquei entre as minhas, segurando-a firmemente.

- Sabe... eu não estava brigando por você me repreender. – Falei lentamente na esperança que ela não se esquivasse da nossa conversa.

- Eu sei, mas eu não estava te repreendendo. Eu realmente me preocupo com você e com bebê. – Falou ela sem me olhar.

- Eu sei disso. Apenas fiquei surpresa com sua reação. – Respondi vendo-a apertar o lençol da cama com a mão estava livre. Isso me deixou confusa, não fazia ideia do que aquilo significava.

- Às vezes eu não sei como lidar com você, não sei quando você ficará magoada com o que eu disser ou com algo que fizer. Jamais tive intenção de te magoar. – Falei lentamente na esperança que ela compreendesse o que eu estava dizendo.

- Eu sei. – Respondeu ela ainda evitando me olhar.

- Por mais difícil que seja eu preciso que você me diga como se sente quando algo estiver te incomodando. Você não precisa ter medo de me dizer as coisas. – Falei apertando levemente a sua mão. Ela olhou para as nossas mãos e depois me olhou sem dizer nada.

- E se você ficar brava? – Perguntou ela parecendo uma criança que tem medo de dizer o que quer por imaginar que será repreendido.

- Brava? – Perguntei confusa.

- Sim, como acabou de agir com seu irmão. – Explicou ela assustada.

- Taeyeon, entenda uma coisa. Não vou negar que eu fiquei bastante irritada com essa história, talvez você não entenda a gravidade do problema, mas... – Ela me interrompeu antes que eu continuasse.

- Eu entendo, Tiffany. Entendo muito mais do que você acha que eu entendo, mas seu irmão já explicou o que aconteceu. – Respondeu ela lentamente me deixando surpresa e chocada ao mesmo tempo, fiquei sem palavras.

- É verdade que há coisas que eu não sei como acontecem, mas eu não sou mais uma criança. Sou capaz de entender a situação como qualquer outra pessoa. – Explicou ela me fazendo arregalar os olhos.

- Eu... – Parei de falar sem saber o que responder à afirmação dela. Taeyeon esperou pacientemente até que eu completasse o que eu estava dizendo.

- Eu não sei o que te dizer. – Conclui ao perceber que eu realmente não sabia nada sobre ela e tudo que eu achava que sabia era apenas algo que eu acreditei que fosse verdade.

- Não diga nada. Vamos apenas deixar esse assunto no esquecimento, não quero mais falar sobre isso. – Falou ela me olhando como se esperasse que eu concordasse com ela.

- Eu vou respeitar sua vontade de não querer falar no assunto, mas não posso deixar esse assunto no esquecimento. Não posso deixar que coisas como essas aconteçam dentro da minha casa, eu preciso saber o que aconteceu. – Expliquei sem concordar com o que ela podia.

- Por que você é tão teimosa? – Perguntou ela irritada. E novamente eu estava surpresa com a reação dela.

- Não é teimosia. Apenas não posso deixar que meus empregados inventem histórias que afetam as nossas vidas e nos causem mais problemas. – Expliquei esperando que ela entendesse.

- Tudo o que precisa saber é o porquê que elas disseram que eu estava grávida? – Perguntou Taeyeon lentamente como se planejasse algo.

- Mais do que isso, preciso fazer com que todos entendam a gravidade do que fizeram. – Respondi ainda irritada com a história inventada.

- Eu vou conversar com elas e descobrir o porquê de tudo isso. – Respondeu ela calmamente.

- Vai conversar com elas? – Perguntei imaginando que essa ideia não iria dar certo.

- Vou. Não quero que faça nada, o problema é meu e vou resolver sozinha. – Afirmou ela.

- Vai resolver sozinha? – Perguntei duvidando que ela fosse realmente resolver o problema, parecia que ela queria apenas proteger a Bah e Anne ao invés de resolvê-lo.

- Vou. Já está decidido. – Afirmou ela séria.

- Mas... – Ela me interrompeu antes que eu continuasse.

- Sem mas, Tiffany. Você disse que eu preciso te dizer o que eu quero, portando eu te dizendo que quero resolver esse problema sozinha. – Falou ela irritada. Arregalei os olhos ao ouvir sua resposta, em um só dia Taeyeon conseguira me deixar confusa e surpresa com suas reações.

- Ok. Vou deixar você resolver isso sozinha, mas se eu achar necessário não hesitarei em resolver isso por mim mesma. Certo? – Avisei sem dar-lhe chance de reclamar.

- Certo. Obrigada. – Falou ela suspirando como se estivesse aliviada por permitir que ela fizesse o que estava pedindo.

 

Ficamos em silêncio até Leo retornar com a informação de que minha cunhada já estava de alta. As coisas ainda martelava na minha cabeça, não entendia como Taeyeon havia amadurecido tão rápido. Depois de pensar em todas as possibilidades, cheguei a uma conclusão obvia. Apesar do trauma, Taeyeon sabia muito bem o que queria, apenas não sabia como demonstrar isso. Essa conclusão só me deixava ainda mais intrigada e preocupada, como eu saberia quando ela estava de acordo com algo se ela não me dissesse. Eu tinha certeza de que as coisas voltariam a ficar estranhas depois do que aconteceu. O estresse do dia a obrigara a agir e a falar sobre o que sente, mas quando voltássemos para a tranquilidade ela voltaria a agir como fazia nos dias anteriores.

 

Preparei tudo para irmos embora, Taeyeon parecia feliz ao sair do hospital. Foi só então que percebi que estava extremamente exausta com o que havia acontecido. Por outro lado estava extremamente aliviada por saber que Taeyeon não estava se relacionando com ninguém. Já era noite quando voltamos para casa, todos ainda estavam preocupados com ela. Cumprindo com a minha palavra, fui para o meu quarto deixando que ela resolvesse o problema por si mesma. Eu não fazia ideia do que aconteceria, mas fiquei atenta para o caso dela precisar de alguma coisa. Depois de esperar por quase meia hora, decidi tomar um banho e me deitar. Acabei cochilando, acordei assustada com Taeyeon entrando no quarto. Ela sorria, tentei imaginar qual era o motivo que a deixava tão feliz.

 

- Desculpa, não sabia que estava dormindo. – Justificou ela ao me ver assustada com sua entrada repentina.

- Não tem problema. O que faz aqui? – Perguntei curiosa.

- Bah pediu para avisar que fez um lanche para nós duas. – Informou ela.

- Ah. Por falar em Bah conseguiu resolver o problema? – Perguntei lentamente sem querer pressioná-la.

- Já conversei com Bah, mas ainda falta falar com a Anne. – Informou ela sem me dar muitos detalhes.

- Ok. Quando conseguir todas as informações, por favor, me avise. – Falei ainda preocupada por ela tentar resolver o problema por si mesma.

- Eu avisarei. Vou pedir a Bah que traga a bandeja para o seu quarto. – Avisou ela caminhando em direção a porta.

- Não precisa, vou descer e comer lá embaixo. – Informei e vi Taeyeon arregalar os olhos.

- O que foi? – Perguntei confusa com sua reação.

- É melhor ficar aqui e descansar. Já volto com o seu lanche. – Avisou ela saindo do quarto apressada.

 

Cinco minutos depois Taeyeon apareceu sozinha carregando a bandeja. Achei bem estranha sua atitude, mas não questionei. Quando decidi ajuda-la, ela recusou a minha ajuda colocando a bandeja sobre a mesa. Puxei uma cadeira e sentei pegando uma torrada. Taeyeon pegou um prato e me serviu algo que me pareceu ser uma sopa. O cheiro estava delicioso, percebi que estava faminta. Ela puxou uma cadeira e sentou ao meu lado enquanto servia um pouco de sopa para ela. Comecei a achar que eu estava sonhando ou tendo alguma alucinação. Ela estava tranquila, agindo calmamente como se fosse normal ela se juntar a mim para jantar. De tempo em tempo ela me olhava, quando percebia que eu a observava desviava o olhar.

 

- Tem alguma coisa que queira me dizer? – Perguntei ainda confusa com sua atitude.

- Não. Por quê? – Perguntou ela olhando para o prato a sua frente.

- Por nada. Apenas achei que quisesse. – Respondi sem querer pressioná-la.

 

Depois que terminamos de comer, Taeyeon fez questão de levar pessoalmente a bandeja de volta para a cozinha. Eu não fazia ideia do que estava acontecendo, mas decidi não pressiona-la sobre isso. Deitei na cama, fechei os olhos tentando dormir. Tantas coisas haviam acontecido em um só dia que me deixava pensativa. Fiquei imaginando o que Taeyeon pensava sobre mim, principalmente sobre o que aconteceu naquele quarto do hospital. De repente um grito me tirou dos meus pensamentos, levantei da cama depressa ao perceber que era o grito da Taeyeon. Sai do quarto e desci as escadas correndo por imaginar que ela estava na cozinha.

 

Encontrei Yoona ajudando Taeyeon a recolher a bandeja que ela derrubara no chão. E Seohyun recolhia com cuidado os cacos de vidros espalhados pelo chão. Percebi que as três estavam esquisitas, o que me deixou curiosa sobre o que aconteceu naquela cozinha. Minha cunhada estava vermelha e parecia assustada com alguma coisa evitando olhar para as garotas. Seohyun foi a primeira pessoa a perceber a minha chegada, me olhou por alguns momentos e voltou a se concentrar no que fazia sem me dizer o que havia acontecido. Yoona me olhou assustada quando levantou para por a bandeja sobre a mesa. Taeyeon foi à última a perceber a minha presença, me olhou rapidamente desviando o olhar em seguida.

 

- O que aconteceu aqui? – Perguntei ao vê-la tão estranhas.

- Nada demais. Tae sem querer derrubou a bandeja no chão. – Explicou Seohyun. Percebi que Yoona e Taeyeon olhavam assustadas para Seohyun.

- Isso, apenas derrubei a bandeja. – Explicou Taeyeon concordando com a outra.

- E por que gritou? – Perguntei ao perceber que ela evitava a me olhar.

- Me assustei quando a bandeja atingiu o chão e quebrou os copos. – Explicou ela olhando para o chão.

- Foi só isso que aconteceu, Yoona? – Perguntei vendo-a olhar para Taeyeon como se estivesse aliviada com a resposta.

- Que? Ah, foi só isso. A Tae derrubou a bandeja e se assustou com o barulho. – Explicou ela me olhando fixamente.

- Vocês precisam de ajuda? – Perguntei ainda desconfiada de que algo mais havia acontecido.

- Não, está tudo sobre controle. – Respondeu Yoona respirando fundo.

- Ok, vou voltar para o meu qua... – Parei de falar ao pensar em uma possibilidade.

- Espera um pouco. Não me diga que... – Parei de falar sem acreditar no que eu imaginava que tivesse acontecido.

- O que? – Taeyeon perguntou me olhando assustada.

- Não me diga que Taeyeon viu vocês duas juntas? – Perguntei olhando de Seohyun para Yoona. Yoona negou olhando para Seohyun que começara a falar sem perceber a resposta da outra.

- Juro que não aconteceu nada demais. – Respondeu Seohyun confessando que minha cunhada vira alguma coisa.

- Eu não acredito nisso. – Falei irritada olhando para Taeyeon que estava mais vermelha.

- Fany, não fique brava. Ela não viu nada demais. – Falou Yoona defendendo Seohyun.

- Se ela não viu nada demais, me expliquem por Taeyeon está vermelha desse jeito? – Perguntei apontando para Taeyeon.

- Tiffany. – Taeyeon falou meu nome atraindo minha atenção.

- Sim. – Respondi olhando para ela.

- Fala baixo, por favor, daqui a pouco seu irmão vai ouvir você. – Falou ela quase sussurrando.

O que tem eu? – Perguntou Leo entrando na cozinha. Nós quatro ficamos caladas olhando umas para as outras.

- Aposto que estávamos falando de mim pelas minhas costas, não é? – Perguntou ele olhando para cada uma de nós.

- Não estávamos fazendo isso, não. – Falou Taeyeon defendendo a todas nós. E novamente eu estava surpresa com a reação dela diante da situação.

- Que bom, Tae. Do que estavam falando então? – Perguntou ele colocando o braço no pescoço dela. Taeyeon me lançou um olhar como se pedisse ajuda.

- Que já está na hora de irmos dormir. Foi um dia longo para todos nós. Boa noite para todos. – Falei retirando o braço dele do pescoço da minha cunhada.

- Ok. Boa noite. – Falou ele concordando sem questionar.

 

Peguei Taeyeon pela mão e subi as escadas indo em direção aos nossos quartos. Ela me olhava intrigada, mas fiquei calada enquanto caminhávamos pelo corredor do segundo andar. Não fazia ideia do que responderia se ela me perguntasse alguma coisa. Não conseguia imaginar qual seria sua reação se eu resolvesse lhe contar a verdade. Eu sabia muito bem que devido às suas crenças e sua vivência religiosa ela poderia não aceitar a situação. Isso me fez pensar sobre como eu me sentia em relação a ela, talvez ela jamais me aceitasse. Eu mesma estava confusa sobre isso, não conseguia aceitar os meus próprios sentimentos. Soltei a mão dela ao perceber que eu ainda a segurava, olhei-a por dois segundos vendo sua expressão confusa.

 

- Boa noite. – Falei parando na porta do meu quarto.

 

Taeyeon não respondeu ao que eu disse, ela ainda me olhava como se quisesse perguntar algo. Percebi que além disso, ela me analisava me olhando fixamente. Fiquei incomodada com seus olhos fixos nos meus, dessa vez fui eu que desviei o olhar. Ela se aproximou lentamente me assustando com sua atitude repentina. Dei um passo para trás e a olhei confusa. Taeyeon não disse nada, apenas continuou se aproximando. Parou somente quando os nossos rostos estavam apenas alguns centímetros distante um do outro. Sorriu e ficou nas pontas dos pés beijando a minha bochecha. Coloquei a mão sobre o local que ela havia beijado arregalando os olhos.

 

- Boa noite. – Disse ela me dando as costas.

 

Taeyeon caminhou rapidamente em direção ao quarto dela, abriu e fechou a porta desaparecendo lá dentro. Fiquei olhando para a porta fechada sem entender o que havia acontecido. Sem saber o que fazer, abri a porta do quarto e entrei. Aproximei da cama e me deitei ciente que aquela noite eu não conseguiria dormir.


Notas Finais


Tentarei não demorar para publicar o próximo capítulo, mas como sabem nem tudo está sobre o nosso controle. Sei que ficam ansiosos, e eu também fico por não conseguir publicar um capítulo por por não ter tempo para escrever. Levei um mês para conseguir completar este, quase fiquei louca, mas sobrevivi. Por isso peço que não morram de ansiedade e espere por mim.

Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...