História A Senhora das Trevas Surge - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Cedrico Diggory, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Fenrir Greyback, Gina Weasley, Gregory Goyle, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Rita Skeeter, Rodolfo Lestrange, Ronald Weasley, Severo Snape, Theodore Nott, Viktor Krum
Tags Dramione, Mistério, Revelaçoes, Romance, Suspense
Visualizações 545
Palavras 2.133
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey guys, aqui está o outro capítulo.
espero que gostem.
Enjoy

Capítulo 7 - Punição


 

Hermione estava de volta à escola por quase duas semanas antes de seu pai lhe enviar a hora e a data para uma reunião dos Comensais da Morte. Hermione ficou encantada ao receber a mensagem e imediatamente prometeu fazer o que fosse necessário para participar. Até agora, a escola não tinha se mostrado muito excitante e Hermione estava ansiosa por qualquer coisa que pudesse adicionar alguma excitação em sua vida.

No tempo desde que voltaram, as únicas coisas semi-interessantes que haviam acontecido tinham sido em Defesa Contra as Artes das Trevas. Na primeira lição do ano, Umbridge deixou claro a todos que o Ministério acreditava que Harry e Dumbledore estavam mentindo, portanto não haveria necessidade de ensinar qualquer mágica prática, suas aulas seriam puramente teóricas. Embora isso fizesse para algumas lições chatas, sua demissão constante dos argumentos de Harry a respeito de Voldemort provou ser divertido.

Apesar de só ter voltado à escola algumas semanas, Harry era praticamente um exilado. Até mesmo um dos companheiros de dormitório de Harry, Seamus Finnegan, o acusara de mentir e ele tinha dado um jeito em Harry alegando que suas mentiras quase fizeram com que sua mãe se recusasse a permitir que ele voltasse a Hogwarts. As opiniões de Seamus sobre Harry mentir eram ecoadas por toda a escola e mal passava um dia sem que alguém o atacasse.

O único outro brilho de entretenimento que Hermione tinha experimentado foi um breve encontro com Draco no corujal. A troca inteira só durou alguns segundos enquanto ele rosnava um insulto para ela, mas Hermione ficara satisfeita com o evento. O fato de que eles estavam sozinhos significava que ele não tinha nenhum de seus amigos Sonserinos para impressionar ou seus amigos para terminar, o que significa que o insulto era genuíno e não foi encenado para fazê-lo parecer mais desagradável do que ele era. Enquanto Hermione não estava mais interessada em ser insultada, ela estava satisfeita que Draco pensou tão pouco de bebês nascidos trouxas e automaticamente demitiu-a porque ele pensou que ela era um.

Não querendo se deixar distrair pelos pensamentos de Draco, Hermione dispensou o loiro de sua mente e recolheu sua bolsa. Dirigindo-se para a sala comum, ela encontrou Harry e Ron se instalaram na esquina jogando xadrez bruxo.


- "Vou para a biblioteca por algumas horas." Ela disse à dupla.


"Diverta-se." Ron murmurou, sem olhar para cima do tabuleiro de xadrez.


"Até logo." Harry sorriu brevemente para Hermione, antes de voltar sua atenção para o tabuleiro.

Satisfeita que os meninos ficassem ocupados durante a maior parte da noite, Hermione saiu da sala comum. Em vez de dirigir-se à biblioteca, no entanto, ela tomou uma passagem secreta para o quarto andar e se dirigiu para uma sala de aula abandonada no final do corredor. A porta da sala de aula estava trancada, mas Hermione rapidamente a abriu com magia e entrou. Uma vez dentro da sala de aula ela reentrou a porta e puxou seu medalhão para fora de debaixo de seu manto.


"Eu espero que isso funcione." Hermione murmurou para si mesma quando abriu o medalhão e pressionou o polegar sobre a pedra esmeralda.

Hermione sentiu um agudo puxão no estômago, semelhante ao sentimento de aparatação, e por um segundo o mundo ficou negro ao seu redor. Quando a escuridão desapareceu, Hermione se viu de pé na sala familiar do escritório de seu pai.


"Você está aqui." Voldemort sorriu, de seu assento atrás da mesa.


"Sim estou aqui." Hermione assentiu, emocionada pelo medalhão ter feito seu trabalho.


- "Antes de irmos para a Mansão, quero falar com você." Voldemort disse para sua filha. "Sente-se."

Hermione sentou-se enquanto Voldemort lhe contava tudo sobre a carta que Lucius havia recebido de Draco. Ele então lhe contou como ele visitou a casa Nott e enganou a Sra. Nott para perguntar sobre sua filha.


"O que você fez com ele?" Hermione perguntou. Enquanto ela estava com raiva que as instruções de seu pai tinha sido ignorado por Nott, ela ficou impressionada com a lealdade de Draco para eles.


"Nada ainda." Voldemort respondeu. "Eu estava me perguntando se você queria ensinar a ele uma lição na reunião.Ele vai mostrar a todos para não mexer com você e reforçar as minhas instruções para não falar fora do lugar."


"O que você quer que eu faça?" Hermione perguntou.


"Nada muito ruim, eu estava pensando em usar a maldição Cruciatius em Nott seria uma lição suficiente."

Hermione assentiu enquanto mordeu o lábio nervosamente. Ela tinha praticado a maldição durante o verão e sabia como fazê-lo doer, mas ela nunca usou um alguém e estava nervosa sobre fazê-lo. Se ela tropeçasse na frente dos Comensais da Morte ela nunca iria viver para baixo e eles nunca iria levá-la a sério.


"Você não tem que fazer isso, se você não está pronta." - disse Voldemort, sentindo o nervosismo de Hermione.


- "Não, vou fazê-lo." Hermione disse com determinação. Esta foi a sua chance de provar que ela era tão formidável quanto seu pai e que ela ia pegá-lo com as duas mãos.


"Excelente." Voldemort sorriu orgulhosamente para Hermione. Ele entendeu seus nervos, mas estava satisfeito por ela ter superado então e decidiu mostrar o quão poderosa ela realmente era.

O óbvio orgulho de Voldemort ajudou a acalmar os nervos de Hermione quando ela abriu um armário no escritório de seu pai e tirou sua longa e profunda capa vermelha. Uma vez que ela tinha a capa, ela colocou seu anel em seu dedo e acenou sua varinha sobre suas unhas, pintando-as de vermelho sangue. Satisfeita, ela estava pronta. Hermione colocou sua varinha dentro de seu manto e seguiu seu pai até o fogo onde eles flutuariam para a Mansão Malfoy.

Ao chegar à mansão, Lucius cumprimentou os dois e uma vez que Hermione levantou o capuz em seu manto, partiram para a sala de jantar. Ao contrário de todas as reuniões anteriores, onde a longa mesa da sala de jantar estava no centro da sala, o quarto estava nu quando Hermione seguiu seu pai e Lucius. Os Comensais da Morte estavam todos em pé ao redor da sala e Hermione podia sentir a atmosfera nervosa na sala, esta era uma reunião muito diferente e todos sabiam disso.


"Veio-me à atenção que certa pessoa tem falado fora de vez." Voldemort começou a andar para o centro da sala. "Sempre foi compreendido que o que acontece em uma reunião, permanece em uma reunião e eu não tolerarei que as pessoas falem fora de vez, especialmente sobre minha filha."

Uma onda silenciosa de conversa circulou em torno das multidões reunidas e dos olhares nervosos nos rostos de algumas pessoas Hermione supôs que mais do que Nott tinha falado sobre ela. Ela só esperava que os rumores não iriam mais longe e a Ordem não os ouviria.


"Nott!" - berrou Voldemort. "Venha até aqui."

Hermione observou enquanto Nott hesitante avançava, até que ele estava de pé na frente de seu pai. Com sua máscara de prata no lugar e seu capuz, Hermione não podia ver seu rosto, mas ela podia imaginar o medo que estava gravado em seus traços. Um segundo depois, ela podia ver o medo enquanto seu pai avançava e tirava a máscara prateada de seu Comensal da Morte antes de atirá-la ao chão com nojo


- "Você está falando mal, Nott." Voldemort sibilou, sua voz baixa e perigosa. "Você disse a sua esposa sobre minha filha."


"Desculpe, meu Senhor, ele simplesmente saiu." Nott pediu desculpas. - "Eu não queria falar."


"É tarde demais para pedir desculpas agora." Voldemort encolheu os ombros. "Você deve ser punido."

Nott baixou a cabeça e esperou que a punição ocorresse, mas para a surpresa de todos Voldemort recuou antes de caminhar até sua filha e ficar ao lado dela. Voldemort deu a Hermione um pequeno empurrão e um sorriso tranqüilizador quando ela deu um passo à frente. Hermione acenou com a cabeça para o pai antes de procurar sua mãe na multidão, depois de um assentimento tranqüilizador dela, ela caminhou deliberadamente para o centro da sala.

Certificando-se de que ela tivesse a atenção de todo o quarto. Hermione lentamente retirou a varinha e apontou para Nott. O Comensal tragou nervosamente, mas para seu crédito ele não tentou se esquivar, ele simplesmente ficou na frente de Hermione esperando para receber seu castigo.


- "Sinto muito, minha senhora." Ele sussurrou, sua voz tranquila claramente audível na sala silenciosa.

Hermione assentiu aceitando as desculpas, antes de segurar o braço. - "Crucio!"

Nott caiu de joelhos enquanto a dor percorria seu corpo. Hermione manteve sua varinha apontada firmemente para o homem contorcido, sabendo que ela não poderia mostrar qualquer sinal de fraqueza. Ela tinha certeza de que a maldição de seu pai teria sido muito pior para suportar, mas ela estava claramente causando Nott alguma dor e mais importante todos os Comensais da Morte estavam assistindo ela tortura implacavelmente um homem sem hesitar.

Hermione continuou a torturar Nott por quase dez minutos. Um par de vezes ele gritou com a dor e Hermione ficou surpresa ao descobrir que os ruídos lhe davam um brilho quente dentro. Eventualmente decidindo que Nott tinha sido punido o suficiente, Hermione deixou cair sua varinha.


"Que seja uma lição para todos vocês." Ela anunciou para o quarto. "Não vamos tolerar as pessoas falando fora de hora outra vez."

Virando-se Hermione assentiu para seu pai, que estava sorrindo orgulhosamente ao lado de Lucius. Voldemort deu um passo à frente e depois de lembrar os Comensais da Morte, mais uma vez para manter a calma sobre seus negócios, e mais importante Hermione, ele demitiu-los. Como os Comensais da Morte deixaram vários deles se curvaram respeitosamente em Hermione enquanto passavam por ela no caminho para a saída.


"Acho que as pessoas vão pensar duas vezes antes de fofocar novamente." Lucius riu quando o quarto estava vazio.


- "Sim, acho que sim." - disse Voldemort. "Isso foi muito impressionante, Hermione."

Hermione empurrou para trás o capuz de seu manto e sorriu para seu pai e Lucius. "Obrigado."


- "Acho que você gostou." - disse Voldemort, tomando nota da expressão estimulante de sua filha.


"Sim." Hermione assentiu. "Isso me fez sentir tão poderosa."


"Contanto que você se lembre de não abusar desse poder." - disse Voldemort à filha. "É tudo muito bem usando o seu poder para manter as pessoas em linha, mas você deve ter cuidado para não exagerar. Você quer que as pessoas sejam cautelosos e possivelmente um pouco assustado de você, você não quer que eles te odeiam. Que odeiam você é mais provável que se volte contra você e traia você. "


"Compreendo." Hermione assentiu. "Enquanto você precisa punir o mau comportamento, você também precisa recompensar o bem."


"Exatamente." Voldemort sorriu para Hermione, satisfeito por estar aprendendo tão depressa. "Você provavelmente deveria estar voltando para a escola, eu tenho mais algumas coisas para discutir com o Lucius, então diga a sua mãe que eu voltarei daqui a uma hora."

Hermione assentiu e disse adeus a seu pai e Lucius antes de voltar para o escritório de Lucius. De lá ela flutuou para casa e tirou o manto e o substituiu no armário. Ela então removeu seu anel e colocou-o com seu manto e removeu seu verniz de unha escuro, deixando suas unhas claras de qualquer cor.

Antes de voltar para a escola, ela encontrou sua mãe e passou a mensagem de seu pai. Ela também demorou alguns minutos para conversar com sua mãe, que expressou o quanto ela estava orgulhosa de Hermione e quão forte ela tinha aparecido. Agradecendo a sua mãe, e tomando providências para escrever em breve, Hermione abriu o medalhão e se transportou de volta para a escola.

De volta à escola, Hermione ficou na sala vazia por quase dez minutos, acalmando-se e tentando parar de sorrir. Se ela voltasse para a Torre da Grifinória tão obviamente exaltada, Harry e Rony iriam fazer perguntas e, tanto quanto gostava de ler, duvidava que uma noite na biblioteca pudesse fazê-la tão estimulada.

Eventualmente, Hermione se acalmou o suficiente para escapar da sala de aula e voltar para a Torre da Grifinória. Quando ela chegou na sala comum, ela encontrou Harry e Rony no mesmo canto, parecendo que não tinham se movido. Quando se aproximou deles, eles pareciam surpresos ao vê-la e ficaram bastante chocados quando ela lhes disse que tinha ido embora por um bom par de horas.

Deixando os meninos jogando xadrez, Hermione disse boa noite e foi para a cama. Uma vez que ela estava na cama, com as cortinas de rubi desenhadas em torno dela, ela ficou acordada por horas revivendo os eventos da noite. Depois desta noite, ela certamente se provou aos seguidores de seu pai e espero que isso facilitaria as coisas no futuro, quando ela se envolveu mais nos planos de seu pai.


Notas Finais


Bom gente é isso por hoje. Espero que vocês tenham gostado. Amanhã eu posto os outros.
Beijinhos 😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...