História A dama de rosa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Fantasia
Exibições 10
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Desculpa por não ter postado mais! Meu computador deu tilt e não pude mais postar porque tudo estava salvo no computador então... Quero muito que gostem!! 😅

Capítulo 8 - Os irmãos



“Oi Theo faz tempo que eu não te vejo por aqui.” A menina falou com Theo me ignorando totalmente, como se eu não estivesse lá, se levantou e abraçou ele e deu dois beijos nas bochechas dele. “ hum... Alícia, essa é a Cátia, a sobrinha da Patrícia... e Cátia essa é a Alícia e Benjamin, eles dois são irmãos, filhos adotivos da sua tia” ele falou apontando para eles. Eu não tinha a mínima ideia de que ela tinha filhos, ela não tinha tocado no assunto. “ Ah sei... oi” Ela disse me medindo de cima a baixo com cara de que não tinha ido com a minha. E naquela hora o menino pareceu existir e falou “ Cátia hum... não é o que eu esperava. Pensei que você fosse mais nova que a gente” E ele deu um sorriso que parecia malicioso e malvado, mas era uma coisa estranha pois parecia que ele tinha gostado de mim de certa forma. Ele era muito bonito mas não era meu tipo, se é que eu tinha um tipo. “ Eu posso levar a Cátia pra dar uma volta? Pelo visto a Ali está se coçando de tanta vontade de falar com você”. Benjamin falou com Theo mas olhando para Alicia, que deu um empurrão nele para abrir espaço para chegar até Theo e empinou o nariz e deu um grunido. Ela parecia mais patricinha e enjoada do que a Clarisse. “ É claro que você pode não é Theo?” Alem de ficar toda atirada no Theo estava falando de mim como se eu fosse um objeto. O Theo com um olhar um pouco desesperado, olhou para mim e eu disse que claro.  Eu meio que não tinha escolha. 

Nós saímos daquele "restaurante", Benjamin segurou minha mão meio grosseiramente e começamos a andar pelo colégio, tinha varios quadros e o que mais me admirava era que tinha colunas gregas, meio desnecessário mas complementava a beleza daquele lugar espetacular, até as pessoas se vestiam muito bem, as meninas nunca sem maquiagem e os meninos se um fio de cabelo fora de lugar, eu acho que não conseguiria me encaixar ali pelo simples fato que eu era totalmente fora de moda, acho. 
Eu estava admirando toda aquela beleza e aproveitando a ventania que estava lá, espalhava o cheiro de damas da noite, flores que eu adorava seu aroma que predominava na noite, que já chegava. Era cerca de 18:00 já, que eu vi no meu relógio e mal tinha visto o tempo passar. De repente a ventania se voltou contra mim e começou a bagunçar meu cabelo e eu não conseguia ver nada, e comecei a me desesperar. Quando me virei para o Benjamin ele estava rindo da minha cara, não estava acreditando! " você tá engraçada assim, se desesperando por uma besteira dessas! Deixa eu te ajudar!" Ele me guiou até um banco que havia lá e ajeitou meu cabelo. Ele passou a mão atrás do meu pescoço e começou a se aproximar. "O que você tá fazendo seu louco!" ele tinha me forçado a beijá-lo! Eu não estava acreditando naquilo! Meu primeiro beijo foi com um babaca nojento! E foi um beijo contra a minha vontade! 
"Qual é! Não me diga que não gostou!" Ele estava rindo, idiota! " O que diabos foi isso? Você não tem o direito de fazer isso! Eu nem te conheço!" Não deixei nem ele se defender. 
No caminho-que já havia aprendido- até a "minha" casa eu fiquei limpando minha boca com as costas da minha mão. Completo idiota aquele menino.
Passei pelo portão principal e me lembrei do Theo, eu tinha que falar com ele sobre o que aconteceu. Não! Era melhor não pois só ia gerar confusão para nada e também estava com medo de que ninguém acreditasse em mim, eles conheciam o Benjamin muito melhor que eu, uma completa estranha. 
Na sala tinha a Patricia lendo um livro apenas sobre a luz de um abajur. " Oi querida! Já conheceu tudo por aqui? Espero que o Theo tenha te levado para conhecer o Benjamin e Alicia, eles não ficam muito em casa e até tinha me esquecido de menciona-los a você..." Ela falou em voz baixa. Não sei porque já que estávamos sozinhas, pelo menos era o que eu esperava. " Eu preciso te mostrar o  seu quarto e tudo mais da casa! Eu sou muito desligada!  E também mal falei de mim e da minha familia!" Nós começamos a andar pela casa e ouvi um som de chuveiro e vendo minha cara de interrogação " É meu marido. Estou dizendo que eu não falei nada sobre mim! Mas vou apresentá-lo amanhã de manhã." Aquela casa era enorme! Nós andamos muito e subimos uma escada que deu direto em um quarto. Supus que era o meu. Ela abriu a porta e lá tinha todas as minhas coisas, pelo visto a van com o resto das minhas coisas tinha chegado um pouco depois que eu saí. "Você pode ir arrumando já algumas das suas coisas e eu trago o seu jantar aqui ta bem?" Ela piscou pra mim e eu apenas balancei a cabeça.
Estava tudo uma bagunça e o quarto era muito pequeno, eu estranhei que tinha grades na janela, o que aliás era muito pequena, eu acho que era pra ninguém cair já que estavamos no 2º andar da casa. O quarto era todo sem cor, com paredes brancas encardidas e tinha móveis de madeira velhos. Quando abri o guarda roupas vi um monte de traças.
Eu tive que limpar tudo aquilo e depois de toda aquela jornada eu resolvi que que eu ia ligar pra Clarisse, claro que por video no notebook, tinha que ver aquele rosto entupido de maquiagem mais uma vez porque eu já estava morrendo de saudades.
"Ai meu Deus catita! Que cafofo é esse que você se meteu?" Essa foi a primeira coisa que ela falou quando ela me atendeu, junto com a Yara que estava ficando uns dias na casa da Clarisse porque os pais dela estavam viajando. " Eu acho que era o único quarto vago já que tem quatro pessoas morando aqui!" Falei com cara de cansada. " Ué de onde veio esse povo?" " Eu não sei! Ela não tinha me dito que tinha marido e filhos adotivos, que aliás o filho dela me beijou a força!" Elas ficaram com cara de chocadas e a Yara falou indignada " E você fez alguma coisa? Contou pra sua tia? Meu Deus!" " Que idiota! Eu quero te trazer aqui de volta catita" agora a vez da Clarisse. " Eu não estou gostando muito daqui, não estou me encaixando, mas acho que eu vou me acostumar... E quanto ao Benjamin eu dou um jeito, eu não vou perturbar o povo daqui que conhece ele mais que eu e são muito apegados a ele com certeza."
Depois de conversa vai conversa vem finalmente desliguei, e me deitei na cama, ouvi a porta bater logo depois. Era a Patricia que deixou a minha comida " nossa, eu sou muito desleixada, deveria ter limpado o quarto antes de você vir! Eu não tinha ideia que estava tão sujo!" Ela falou rindo de nervoso e olhando para as paredes e os cômodos. " Não se preocupe, eu já limpei boa parte da sujeira" " Nossa querida não precisava! Era só ter me chamado" Eu achava a simpatia um pouco forçada, ela queria forçar uma intimidade que não estávamos nem perto de conseguir ter. Ela se despediu, disse que já estava com muito sono mesmo sendo só 20:00
Eu não estava com um pingo de fome, mas me forcei a comer um pouco. Já estava muito tarde então resolvi me deitar e tentar dormir.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...