História A Dama do Prazer - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time, The Vampire Diaries
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Damon Salvatore, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Belle, Captain Swan, Damon Salvatore, David Nolan, Emma Swan, Evil Charming, Hook Queen, Killian, Mary Margaret Blanchard, Once Upon A Time, Outlaw Queen, Regina Mills, Robin Hood, Ruby, Rumbelle, Snowing, Sr Gold, Swan Queen, The Vampire Diaries, Zelena
Exibições 569
Palavras 2.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Harem, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoainhas!
Atualização adiantada essa a minha, mas já aviso que essa semana não terá mais att de A Dama do Prazer por que ainda falta duas fics pra mim atualizar, então espero que aproveitem muito esse capítulo, e também atualização agora só pra não deixar vocês agoniados kkkkk
Boa leitura!

Capítulo 8 - Intoxicados de Prazer


Fanfic / Fanfiction A Dama do Prazer - Capítulo 8 - Intoxicados de Prazer

Se despiram tão lentamente, prolongando suas excitações. As peles se tocavam já húmidas, ambos suados.

Regina buscou por seus lábios, ela pode sentir a excitação dele nesse beijo, onde suas línguas dançavam um dentro do outro. Por algum momento, Regina se sentiu intoxicada pelo sabor e excitação dele, deixando suas sensações entrarem e ebulição enquanto mantinha seus olhos fechados. O polegar de Robin circulou demoradamente sua nuca, em uma pequena carícia rítmica, que fez as costas de Regina se arquearam e seus lábios tremerem junto ao dele.

O quarto estava parcialmente claro, a noite começava a se fazer sob a cidade, o vento que entrava pela janela aberta fazia seus corpos se refrescarem por breves segundos e as cortinas se balançarem violentamente.  E seus corpos se intoxicaram ainda mais um com o outro.

Regina deu um pequeno gemido sob os lábios molhados dele, Robin rugiu feito leão.

-Nunca pensei que desejaria tanto uma mulher, que fosse tão competente em habilidades de dar prazer a qualquer um. – Ele passou a língua sobre os lábios dela, Regina mantinha seus olhos fechados, assim que Robin começou a beijar e dar mordiscadas em seu pescoço, Regina mordeu seu lábio inferior para conter os gemidos que ela sentiu que viriam. Ela nunca foi do tipo escandalosa, mas Robin a tocava em pontos que ela mesma desconhecia, bastava um beijo ou olhar dele para sua calcinha ficar encharcada e sua vagina clamar para ser fodida por ele.

 

O membro dele raspara pelo ventre dela, Regina tentou alcança-lo com as mãos, mas Robin foi bruto e segurou as mãos dela com força, acima da cabeça.

Ela podia ver nos olhos dele o tamanho e força de seu desejo por ela, assim como ele podia ver nos olhos dela a mesma coisa em relação a ele.

-Não faça nada! – Um sussurro saiu de seus lábios, Regina mal conseguiu entender suas palavras.

 

Então ele deslizou uma das mãos sob a pele dela, bem lentamente, apertando cada centímetro, e amassando um de seus seios, Robin pode sentir o mamilo dela enrijecido.

As pontas dos dedos dele alcançou o clitóris dela, Regina estremeceu apenas com a aproximação, Robin nem havia tocado, ainda.

Ela não sabia o que era sentir prazer, ela o dava sem sentir, e Robin a faria sentir e Regina temia em morrer com a sensação, mas se morresse, iria mais que satisfeita.

 

Robin a tocou, sua mão se encharcou e Regina perderá o controle de seu corpo. Ela era quente, muito quente, os dedos de Robin escorregou para a entrada dela, penetrando fundo. Ela mordeu o ombro dele, Robin fechou os olhos e sentiu algo quente escorrer pela cabeça de seu pau. Seus corpos estavam em uma torturante eletricidade sexual.

-Entre em mim. - Seus lábios tremiam.

 

Robin tirou os dedos de dentro dela e segurou seu pau. Ele passa sobre vagina dela, fazendo circulo sob seu clitóris, Regina gemia alto, apenas com esse pequeno prazer que ele a proporcionava.

A cada gemido que saia dela, Robin sentiu mais vontade de fode-la fundo e forte, mas ele não quer que seja apena sexo, por mais que ele estava querendo fode-la com força. Robin quer mais, quer fazer amor com ela, a fodendo lentamente, e dar tudo o que ela pedir para ele.

Então ele redirecionou a cabeça de seu pau na entradinha molhada dela.

A olhando nos olhos ele quer assim, que ela o olhe nos olhos enquanto é penetrada por ele.

Aos poucos ele foi invadindo-a, Regina consegue ser ainda mais quente por dentro, e mesmo com sua “profissão” ela consegue ser tão apertada.

Regina gemeu e arqueou os quadris para que ele a penetrasse mais rápido. Robin deslizou um pouco mais fundo, fazendo-a se agarrar nos lençóis e soltar o gemido mais alto que ele já ouvirá.

Ambos respiravam entre os dentes. Deus. Ela é tão quente, talvez ela seria seu inferno, e também é deliciosamente tão apertada. Oh... Definitivamente ela não é seu inferno, Regina é sua segunda chance, e ele não a perderia por nada.

A cada vez que seu pau deslizava para dentro dela, ele sentia seu membro ser apertado por ela, e Regina sentia que ele não parava de crescer dentro dela.

-Tudo! – Ela pede manhosa e Robin a atende.

 

Movendo as nádegas Robin desligou deliciosamente para fundo, a tocando como ninguém jamais a tocou, ela escancarou ainda mais as pernas para que ele de alguma maneira colocasse mais e mais.

Sua vagina se contorceu faminta pelo pau dele, sugando-o para fundo, provocando uma sensação tão intensa que Robin estremeceu.

-Você faz isso com todos? – Ele perguntou mesmo sem querer.

-Com eles eu faço sexo, com você eu farei amor. E seu pau não para de crescer. – Ela finalizou com um gemido de aprovação de que estava adorando ser penetrada ao máximo por ele.

-Estou te machucando? – Ele pergunta mesmo sabendo que não.

-Nem um pouco. Por mais que não pare de crescer dentro de mim... É como se você fosse feito para mim, pois se encaixa tão, perfeitamente. – As mãos dela pousaram sob as costas dele.

Robin se aproximou dos lábios dela, e a beijou suavemente, momento que ele começa a se mover... indo e vindo. O corpo dela faz o mesmo debaixo do dele, vai e vem, raspando suas peles. Seus seios empinados raspavam contra o peito dele.

Investindo com vontade dentro dela, seus corpos começaram a se chocar, e a suarem ainda mais. Lábios unidos e corações próximos.

A cada investida dele, era um gemido agudo, as paredes da vagina dela começaram a doer, não por ele estar machucando-a, mas sim por tamanho seu prazer.

-Mais forte. – Seu tom de voz era autoritário e era exatamente o que ele queria.

 

Tirando tudo de dentro dela, Regina abriu os olhos e o repreendeu com um olhar duro, mas assim que ele voltou para dentro dela, foi rápido e fundo, fazendo-a se desmanchar deixando dele. Ele seguiu esse ritmo, rápido e fundo, e a cada vez que entrava ainda mais fundo ele a tocava diferente, a cabeça de seu pau a acariciava e Regina cravava ainda mais as unhas na pele dele.

Se alguém estivesse naquele apartamento, poderia escutar de qualquer lugar os gemidos de ambos e as estocadas dele.

-Isso!

 

Regina disse fazendo as bolas de Robin vibrarem.

Seu pau estava faminto, a vagina dela estava faminta, e ambos sentem que poderiam ficar ali por horas se fossem mais devagar, talvez na segunda vez, mas agora seus corpos precisão de libertação, fazendo-os transarem quase como animais.

Regina arqueia o quadril para Robin a tocar mais fundo, e ele consegue, tanto que ela o prendeu com suas pernas, deixando-o inabalável, prendendo-o dentro dela.

Com pernas ágeis, Regina as usa para ajuda-la a vira-lo.

Ela monta sobre ele, as mãos dele ficam sob a bunda dela.

Regina deixa a cabeça cair para trás e rebola sobre ele, Robin dá um tapa forte sobre a bunda dela, a fazendo quicar sob ele.

-Bruto! – Ela diz manhosa.

-Vadia!

 

Ela olha para ele e morde a língua.

-Você não imagina o quanto.

Regina o enterra dentro dela, seu clitóris raspa contra a pele dele. Olhando para os seios dela balangando, Robin sente o dever de chupa-los, tanto que ele se senta, indo em direção a um deles e chupando, mordendo o mamilo, passando a língua... sugando-os...

Regina geme manhosa, seu sexo agarra o dele com precisão, depois o corpo dela o abraça, ela arregala os olhos e busca pelo olhar dele. Robin sente o ventre dela se contrair e a vagina dela o apertar ainda mais, ele sabia o que o corpo dela estava preste a fazer, mas Regina nunca gozou em toda sua vida.

-Robin... Eu te amo!

 

Ele investe para dentro dela, e Regina se prende ao corpo dele, se desmanchando sob seu pau, deixando seus sexos mais molhando com seu prazer. Ela geme escandalosamente, Robin puxa seus cabelos pela nuca. Os lábios dela ficam entreabertos e ele sorri satisfeito e logo passa a língua de baixo para cima, entre os seios dela e até chegarem em sua boca e ele a chupar.

-Minha vez! – Ele a empurra e a joga na cama, abrindo as pernas dela e a penetrando feito um animal primitivo, ele escorrega fundo, Regina arqueia as costas.

Ele se movimenta mais forte e mais rápido, a cama pode de destruir em mim pedaços, Robin não fazia isso á muito tempo, ele teme em machuca-la, mas devido á forma que ela voltou a se agarrar no corpo dele, isso esta fora de cogitação.

Robin ruge feito louco, ele começa a gemer tão alto quanto ela, suas bolas está se chocado violentamente contra o corpo dela. Regina leva dois dedos até seu clitóris e o massageia, fazendo movimentos circulares. Robin nota, então ele tira a mão dela de lá, com um puxão, ele faria isso, ele a fode rápido e usa seus dedos para dar mais prazer a ela. Ele sorri maliciosamente, Regina perderá as forças, totalmente rendida a luxuria. Ele pinga sob ela, suas pelas começam a ficar escorregadias, os lençóis encharcados, tanto de suar quanto a lubrificação dela seguida pelo gozo dela que foi longo.

Ele para.

Pega seu membro e tira de dentro dela, fazendo círculos no clitóris dela, ele bate seu pau nela, o som que o mesmo fez foi prazeroso demais. Regina o vê se afastando, ela o amaldiçoa, pois ela sabia que mais um orgasmo estava vindo. Buscando-o ela o vê com a cabeça entre suas pernas.

Um gemido mais agudo saiu, ela rebola contra a língua dele.

Regina o sente tirar e colocar varias vezes dentro dela, aquele pedaço molhado e quente.

-Goze dentro de mim.

 

Robin da uma chupada na vagina dela, ele olha para o abdômen dele ao vê se contrair novamente, ele é rápido e estoca dentro dela de uma vez, dando quatro estocadas rápidas e fundas para dentro dela. Seu membro incha e lateja quando seu prazer chega, juntando com o orgasmo dela, os dois gozam.

O corpo dele cai sobre o dela, Robin enterra a cabeça no pescoço dela, Regina o sente se mover lentamente dentro dela.

-Gostoso. – Sua voz manhosa voltou.

 

Ele sorri satisfeito, Regina o sente e também sorri. Robin fica dentro dela.

-Que bom que gostou. – Ele levanta a cabeça e busca pelos os lábios dela.

-Minha primeira vez deveria ter sido assim.

-Mas essa foi sua primeira vez. A primeira vez que você faz amor. – Os olhos dela brilham.

-Se isso é fazer amor... Imagino o que é uma foda com você. – Regina sorri maliciosamente.

-De deixarei de cama.

-É mesmo? – Robin impulsiona para dentro dela.

-Só preciso recuperar minhas energias.

 

Os corpos se viram, e infelizmente Robin sai de dentro dela, para que Regina possa deitar a cabeça sobre seu peito.

Regina sente seu corpo cansado como nunca, a mesma começa a perder as forças, Robin a aperta contra seu corpo. Regina nunca dormirá tão leve em toda sua vida.

 

Já de madrugada, Robin sente Regina suspirar e uma das mãos dela acariciar seu peito nu.

-Já acordou? – Ele pergunta sem certeza de que ela estava acordada.

-Digo o mesmo em relação a você. – A voz sonolenta dela é tão sensual.

-Eu nem dormir. – Regina sorri.

-Obrigada!

-Pelo o que?

-Por me fazer sentir de verdade e por me fazer ter dois orgasmos.

-Te darei orgasmos todas ás vezes.

-Convencido. – Ele da um beijo sobre os cabelos dela.

 

Assim que seus lábios se juntaram, Robin havia se esquecido de tudo, de Gold, da volta dela para boate, de Henry, mas assim que eles acabaram de se amar, tudo isso voltou. Robin não quer perde-la, e se contar a ela, provavelmente ela irá querer partir, querer ir até Gold e saber de seu pai. Mas Robin não quer mentir para ela. Seu coração se dividiu em fazer o certo ou em ficar com ela pra si.

-Casa comigo? – Regina levanta rápido a cabeça.

-Você... – Ele se senta sob a cama.

-Eu sei que é rápido, mas eu não quero te perder.

-Quando você chegou aqui...

-Gold não aceitou minha oferta. – Ele puxa Regina e inala todo o cheiro de seus cabelos.

-Eu voltarei.

-Casa comigo e você não voltará. Será minha esposa.

-É o que eu mais quero. – Robin busca pela face dela, seus olhos estavam vermelhos e lacrimejados.

-Não tenho uma aliança aqui e agora, mas prometo comprar amanhã mesmo.

-Não me importo com isso e você sabe. Me importo com isso. – Ela coloca a mão em rumo ao coração dele. – Gold vira atrás de mim.

-Eu tenho advogados, tenho a lei do meu lado.

-Ele pode te machucar por minha causa. Eu nunca me perdoaria por isso. – Robin segura a face dela.

-Ninguém me machucara. Ninguém te machucara.

-E meu pai? – Robin fecha os olhos, Regina vê o quão tenso o corpo dele ficou. – Robin, e meu pai?

-Gold esta com ele.

 

Robin diz mesmo não querendo. Mas ele deve isso que tem diante de seus olhos a Henry, e não o deixará para trás. Mesmo que isso custe o amor de sua vida.

-Por que não me disse? – Regina se levanta e vai até a sacada, nua, exatamente como fazia depois que transava com seus clientes, mas Robin vai atrás dela a abraça por trás, a prendendo contra seu corpo.

-Eu ia dizer, me perdoe.

-Você esperou transarmos para me contar? – Regina pergunta incrédula.

-Não... não faça isso. - Ele a puxa para dentro. – Não me acuse de algo que eu não fiz.

-Preciso voltar. – Regina ia em direção ao banheiro mais Robin a puxa e a joga na cama, ele fica entre as pernas dela, Regina da socos no peito dele. – Me deixa ir até meu pai, eu preciso ver o meu pai.

-Você não vai sair daqui a essa hora.

-Não sou sua propriedade.

-Não disse que era. Mas... por favor se acalme. – Regina sente seu corpo vibrar quando o membro dele volta a ficar duro sob sua coxa. – Iremos amanhã bem cedo. Eu prometo.

-Robin... eu não aguentaria perde-lo.

-E não irá. Antes de irmos para boate, iremos até meus advogados, iremos até a policia se preciso.

-Você promete? – O coração dela que tinha ficado angustiado se acalma com as palavras dele.

-Eu juro pelo o amor que eu sinto por você.

 

Ela segura a face dele e o puxa para juntar seus lábios, ela se arrepende amargamente de ter dito que ele esperou transarem para contar sobre o pai dela.

-Me perdoe por...

-Não vamos falar disso. Eu só peço um pouco de confiança.

-Eu confio em você. Eu só... – Robin coloca o dedo indicador sob os lábios dela.

-Faça amor comigo? – Agora é ele quem pede.

-Não precisa pedir.

 

Eles voltam a se intoxicarem de luxuria, de prazer.

Tanto ele já estava excitado como ela também, mesmo brava sua vagina estava encharcada para recebe-lo novamente.

Ele deslizou devagar dentro dela, amando seu corpo devagar, beijando aonde seus lábios alcançavam, e Regina gemia baixo e manhosa, feito um ronronar, as mãos dela o acariciam, seus lábios se unem em um beijo estalado e seus corpos dão pequenas vibradas com os orgasmos que viram. Ela deixa a boca dele e busca por sua orelha, local que morde, forte. E Robin mesmo sem querer deixa seu pau escorrer dentro dela. Quente como o inferno, apertada como uma virgem.

Robin fará o possível para fazer Henry voltar para os braços da filha sem ela ter que voltar para aquele lugar.

E como dito, amanhã mesmo ele comprara o anel, e irá com ela para boate, junto com os advogados, o exercito se preciso. Mas ele não saíra de lá sem Henry Mills.

 


Notas Finais


Eu avisei que seria o hot mais detalhado e longo, pq eu só tenho ideias boas pra eles hahaha bom eu acho que foi bom, se você não achou, tudo bem, compreendo.
Mas, espero que tenham gostado, e aproveitado, até a próxima atualização.
Mwah! 😘

Não esqueçam de favoritar minhas outras fanfics:
Unintentionally Loved You: http://socialspir.it/6727355 / Seana
20 Coisas Que Eu Odeio Em Você: http://socialspir.it/6413292 / Seana
O Que Você Faz Comigo: http://socialspir.it/6227443 / Seana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...