História A Dama dos mil encantos- Jk One-shot - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Visualizações 69
Palavras 2.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


*Não me matem *
É meu primeiro hot, então assim neh ficou horrivelmente horrível. Perdoem-me.
Ps: Imagina que naqla época já existia lingerie e cueca 😂
*Não me matem *

Capítulo 3 - Parte 3 ( Final)


*Jungkook POV*

Depois da cerimônia, nós fomos a nossos aposentos. S/N ia abrir a porta quando a peguei no colo. 

-Seguir a tradição, não sabia que da azar? - Falei referindo-me a superstição de carregar a noiva. 

-Anda logo seu idiota- Ela deu um soco em meu peito rindo- Eu quero ver os presentes. 

- Ok ok. 

Entramos e eu a soltei no chão,  ela imediatamente correu em direção as diversas caixas com embrulhos espalhafatosos. 

-Ah são tantos. O que será que ganhamos?- Ela perguntou enquanto tentava abrir um embrulho. 

-Deixa que eu abro - Falei abraçando-a por trás e rasgando o papel. 

Antes que S/N pudesse falar algo,  depositei um selar em seu ombro direito,  que estava desnudo. Ela simplesmente permaneceu, continuei com os beijos em todo seu pescoço. Deslizei minhas mãos até a abertura do zíper do vestido, e com cuidado fui abaixando o mesmo. Quando estava terminando de abrí-lo,  S/n virou-se e me encarou. 

-Você não quer?- Logo após de eu terminar de falar, ela atacou meus lábios. 

-Acho que isso te responde. 

Voltamos a nos beijar. Eu explorava cada canto de sua boca,  a qual tinha gosto de morango. A tensão no local era palpável, nossos corpos pediam por mais,  minha mente implorava para que eu continuasse o mais rápido possível. Fui subindo minha mão na coxa esquerda de S/N,  até que estivesse em sua bunda. Dei um leve aperto- Arrancando um gemido rouco de seus lábios - E a coloquei em cima da mesa. 

Os presentes caíram todos no chão,  se eu me importei? Não. A minha preocupação agora era tirar o vestido de S/N.  

S/N subiu suas mãos até minha nuca e enlaçou suas pernas em volta da minha cintura. Dei leves apertos em suas coxas, recebendo uma mordida em meu lábio inferior como resposta. Nos afastamos, pois não tínhamos mais fôlego. Olhei em seus olhos,  brilhantes,  profundos,  cheios de desejo, luxúria, excitação, um total pecado. Puxei o que sobrava de seu vestido, deixando-a somente de lingerie.  Peguei S/n no colo e a levei até a cama,  onde a coloquei com cuidado.  Deixei uma trilha de beijos na sua perna e fui subindo,  passando pela sua barriga, colo, pescoço e chegando em seus lábios. Passei meu nariz em seu pescoço e dei leves mordida no local, sentindo S/N estremecer abaixo de meu corpo . Logo notei suas mãos descendo pelo meu terno e o tirando. E o mesmo aconteceu com minha camisa, deixando-me somente com uma calça. Levantei-me e olhei para S/N. 

Seu corpo era perfeito, sem nenhum defeito, era um pecado. Olhar para ela tirava qualquer homem do sério, pensar que ela está tão entregue para mim, me excitava. S/N ficou em seus joelhos e veio em minha direção. Ela raspou seu nariz em minha orelha e logo sussurrou :

-Deixe eu fazer algo também. 

Antes que eu falasse qualquer coisa, suas mãos desceram ao meu cinto,  tirando-o com facilidade. S/N me empurrou na cama e puxou minha calça para baixo, deixando-me somente de cueca. 

-Uwa,  já está assim- Ela disse rindo,  enquanto olhava para meu volume. 

-Para você ver o que a dama dos Mil encantos é capaz de fazer com um mero humano como eu. 

-Jungkook,  eu nem comecei. Eu vou te fazer sentir todos as sensações que você nunca imaginou sentir. Eu sou sua, e você é meu. 

Ela subiu em meu colo e deu uma rebolada leve, fazendo-me gemer. Virei as posições, ficando por cima. 

-Digo o mesmo amor. 

Abri o seu sutiã, com certa brutalidade, pois já havia me segurado de mais. Abocanhei seu seio direito dando leves mordidas,  enquanto brincava com o esquerdo com meus dedos. S/N remexia-se e gemia, ver aquela cena me influenciava a continuar. Minha mão que antes estava em seu seio,  desceu para sua intimidade coberta. Massagiei a mesma área, fazendo-a arquear as costas. Desci minha boca até sua intimidade e tirei sua calcinha. 

-Minha vez de brincar. 

Abaixei meu rosto e antes de começar,  olhei novamente para ela. Comecei com movimentos de baixo para cima,  explorando toda a área em volta do clitóris. Não queria ser apressado,  eu queria proporcionar prazer a ela. Ao mesmo tempo que trabalhava em sua região íntima, dava alguns apertos nas suas coxas e bunda. Molhei minha língua com um pouco mais de saliva, para facilitar o ato. E deu certo,  pois S/N começou a gemer mais alto que antes. Fiz movimentos circulares em seu clitóris e brinquei com seu seio esquerdo. 

-Amor,  já está bom- Ela falou ofegante. 

-Shh- Coloquei meu dedos em seus lábios - Não seja apressada. 

Coloquei um dedo dentro dela, sentindo seu interior contrair. Ela tinha uma expressão de dor, então eu esperei para que ela se acostumasse. Logo S/N estava gemendo e pedindo por mais.  Movimentei meu dedo dentro dela, enquanto olhava em seus olhos. S/n gemia descontrolada e arqueava suas costas constantemente. Inseri o segundo dedo,  e logo S/n movimentava-se, querendo mais contato. Dei várias investidas, até sentir seu interior contrair-se cada vez mais. Até que em meio a um grito, ela alcançou seu ápice. Suguei todo seu líquido e me levantei. 

-Eu disse que era pra me deixar fazer alguma coisa também- S/n veio em minha direção - Deita. 

Fiz o que ela mandou e me deitei na cama. Em seguida, ela puxou minha última peça de roupa e me olhou. Um sorriso surgiu em seus lábios,  me deixando completamente louco. Ela veio em minha direção e deu mordidinhas em minha orelha e em meu pescoço. Ela foi descendo por meu abdômen, e quando eu achei que a tortura iria acabar,  ela  passou reto pela minha parte necessitada  e começou a beijar o interior de minha coxa. 

-S/n- Ela colocou o indicador em meus lábios. 

-Shh. Não seja apressado. 

S/n ficou me torturando durante um tempo, ela passou a língua por toda a extensão do meu pênis, me fazendo tremer em antecipação. Finalmente S/n atendeu meu pedido e abocanhou meu membro,  fazendo um gemido rouco sair de minha boca.  A sensação era incrível, quente, tão quente quanto o sol. Ela começou a movimentar a cabeça, e o que não cabia em sua boca, ela fazia movimentos com a mão. Ela fez movimentos circulares com a língua na glande e movimentos de sucção,  mas em seguida ela afastou-se. 

-Você está gostando?- Ela sorriu. 

-Meu Deus,  e. 

Antes que eu terminasse de falar, ela começou a movimentar sua mão, fazendo-me fica calado. Eu estava perto,  muito perto. 

-Eu quero engolir- S/n agachou,  sem quebrar o contato visual. 

- Não faça isso comigo - Falei ofegante. 

Ela estava com suas pernas de cada lado das minha,  me deixando capaz de sentir seu sexo em minha pele. Senti sua língua circulando minha glande, lentamente,  me torturando. Olhei para S/n, que a todo momento mantinha seus olhos em mim.  Novamente meu membro estava em sua boca,  percebi meu ápice chegando, então coloquei minhas mãos e seus cabelos e auxiliei nos movimentos. Gemi ao alcançar meu ponto máximo e senti meu jatos sendo lançados em sua cavidade bucal. S/n engoliu tudo e lambeu os lábios. Eu ia me levantar, quando S/n empurrou meu corpo de volta para baixo.  E em seguida,  ela sentou em meu membro, gemendo de dor. 

-Cuidado,  eu disse que eu iria fazer para não te machucar- Falei bravo. 

-Está tudo bem, espere só um pouco. 

Fiquei parado olhando para ela,  mesmo nesse momento ela tinha uma expressão doce,  mas que a qualquer momento poderia se tornar extremamente sensual. Depois de um tempo parada,  S/n começou a rebolar,  fazendo nos dois gemermos. Levantei-me, para oferecê-la algo para apoiar-se. Ela começou a subir e descer se apoiando em meu ombro. Com dificuldade,  beijei-a durante o ato. O beijo tinha desejo,  amor,  paixão, todas essas sensações juntas.  Virei S/n ficando por cima,  e comecei a dar estocadas mais rápidas e fortes. Sentia meu membro ser espremido pelas paredes da intimidade de S/n. 

Coloquei ambos meus braços de cada lado de seu corpo e abocanhei seu seio esquerdo, dando leves mordicadas no bico. S/n arqueou as costas, ela gemia alto e gritava meu nome. Subi meus beijos por seu pescoço -Sem parar com as estocadas - até chegar em sua orelha, onde falei obscenidades. Fiz uma trilha de selares em seu maxilar e fui ao seus lábios,  os quais eu invadi com brutalidade. Nossas línguas batalhavam para ver quem explorava mais espaços na boca alheia. As mãos de S/n foram até minha nuca, onde ela puxou meus cabelos, me dando mais motivos para ir mais forte e fundo. 

-Assim- S/n gemeu,  quando eu aumentei a intensidade dos movimentos - Meu deus, Jungkook. Assim. 

Peguei S/n em meu colo e a levei em direção à janela,  a mesma bufou irritada- pois eu havia parado brevemente com os movimentos. 

-Apoie-se na parede- Falei colocando-a no chão. 

Ela fez o que eu mandei e eu levantei sua perna esquerda,  colocando-a em meu ombro, pois assim poderia ir mais fundo. Penetrei S/n sem avisá-la,  fazendo-a gritar. Continuei com as investidas em um ritmo frenético, sem parar um segundo sequer. Nós estamos soados, ofegantes e queimando em desejo. 

-Jungkook só mais um pouco - S/n falou em meio a um gemido. 

-Eu também. 

Novamente levei-a à cama, onde a coloquei de quatro e a penetrei novamente. Uma, duas, três, oito penetradas a mais foram suficientes para que S/n gozasse. Dei mais algumas estocadas e enfim me desfiz dentro de minha amada.  Cai com o corpo fraco ao seu lado,  S/N colocou a cabeça em meu tórax e deu um selar no mesmo. 

-Isso foi. 

-Incrível - Ela continuou minha frase. 

-Não conhecia esse seu lado - Falei rindo e puxando-a mais para perto de mim. 

-Nem eu conhecia esse seu lado, coelhinho. 

-Coelinho?- RI de seu apelido. 

-Querido,  posso fazer-lhe uma pergunta?

-Diga. 

-Porque o Rei e sua mãe estavam se olhando daquele jeito na igreja?

-S/n eu vou te contar um segredo... Ninguém pode saber disso, tudo bem - Ela fez que sim com a cabeça - Eu sou o filho bastardo do Rei, minha mãe o conheceu antes de ele se casar. No entanto,  o conselho não aceitou os dois, então eles viraram amantes. E minha mãe engravidou,  e cá estou eu. 

-Então a mulher da estátua é ela?

-Sim.

-Kookie - S/n subiu em meu colo, tímida - Eu quero mais. 

-Só se for agora. 

*14 de julho de 1789*

Acordei com S/n abrindo as cortinas do nosso quarto. 

-Amor,  está muito cedo - Cocei meus olhos - Feche isso. 

-Jungkook os rebeldes estão lá fora,  seu pai mandou evacuar o castelo,  nós temos que fugir- Ela colocou algumas roupas dentro de uma mala. 

- Ok,  irei me trocar- Corri em direção à janela. 

Lá fora estava o caos,  o povo jogava pedras nos guardas, os quais tentavam os parar pacificamente, mas eram obrigado a responder com violência. Me vesti rapidamente e peguei a mala da mão de S/n. 

-Vamos - Puxei sua mão e saímos nos corredores do castelo,  estava tudo uma bagunça. Os empregados gritavam assustados e as duquesas tentavam acalmar suas crianças. 

-Vamos procurar seus pais - S/N correu em direção ao salão principal. 

Fui atrás dela,  enquanto eu corria pensava em todos nossos momentos juntos.  Eu não queria que tudo acabasse,  não agora,  eu queria formar uma família com ela. Quando S/n abriu as portas, os portões do castelo foram derrubados, dando passagem para centenas de pessoas enfurecidas entrarem no local. 

-S/n volte agora - Gritei desesperado,  se eles a pegassem iriam matá-la. 

S/n tentou correr,  mas suas roupas eram muito pesadas. Fui em sua direção para ajudá-la,  rasguei os tecidos do vestido deixando-o mais leve.  Nós começamos a correr na direção contrária aos rebeldes. Mas foi tudo inútil. 

Pois o som que causou meu desespero e acabou com minha felicidade,  foi o grito que ecoou na garganta de S/n quando ela foi atingida por um tiro. Segurei-a em meus braços, sentindo as lágrimas escorrerem pelos meus olhos. 

-Amor,  amor olha para mim - S/n levantou meu rosto - Eu vou ficar bem. Vá, rápido. 

-Eu não vou te deixar- Solucei ao ver seu sangue escorrer em minhas mãos e sujar minhas roupas. 

-Jungkook... Por favor,  eu não quero que você morra. 

-Eu não vou viver sem você - Gritei. 

A cada segundo  mais perto os rebeldes estavam de nós,  eu já não ligava mais.  Se S/n não fosse comigo,  eu ficaria,  mesmo sabendo que eu iria morrer. 

-Jungkook... Eu estou grávida - Ela começou a chorar,  colocando seu rosto na curvatura do meu pescoço - Eu ia te contar hoje,  mas ai tudo aconteceu.  Eu queria que nós vivêssemos felizes, com uma família. Imagine só,  uma menininha ou um menininho correndo pelo castelo. Me perdoe por não ter feito isso por ti,  me perdoe por não ter te dado uma família.

-S/n... Amor- Segurei seu rosto em minhas mãos - Eu fui o homem mais feliz do mundo. E essa criança iria ser a mais amada do mundo. Eu te amo tanto meu amor,  tanto. Nós nos conhecemos de forma tão inesperada,  mas eu aprendi a te amar. Obrigada pro tudo.  

O grito dos rebeldes,  o rosto choroso de minha amada e as lágrimas que escorriam de meu rosto,  foram as últimas coisas que eu ouvi, vi e senti. 






Notas Finais


Me desculpemmm, era o único jeito que podia acabar, por conta da revolução francesa e tals.
E me perdoem pelo hot horrível.
Leiam também o do Jin ( Não tem Hot)
Sweet demon - Oneshot Jin
https://spiritfanfics.com/historia/sweet-demon-one-shot-jin-9607248
E a fanfic do Jimin- Cartas para Jimin
https://spiritfanfics.com/historia/cartas-para-jimin-9728690
Tae one shot - Olhos de Ressaca
https://spiritfanfics.com/historia/olhos-de-ressaca-10081546

~Naty


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...