História A Dançarina e o Palhaço - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Michael Jackson
Tags Carrossel, Circo, Dançarina, Michael Jackson, Namoro, Palhaço, Romance
Exibições 18
Palavras 1.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeiramente gostaria de pedir desculpas por ficar tanto tempo sem postar. Segundamente, já podem ler o capítulo 6:

Capítulo 6 - Uma Semana Especial


Alguns meses se passaram. Tudo estava indo bem. Até que numa manhã de sábado linda (10:00 precisamente) acordei, e fui para fora de casa olhar se tinha correspondência na caixa de correio. Havia uma carta para mim. Mas, antes que eu pudesse abri-la, ouvi pessoas chamando por mim: eram meus irmãos que não via a muito tempo, porque mudaram de cidade. Jeane (que estava com meu cunhado, Glaison) e Tarcísio (nós o chamamos de “Juno”).
-Jeane! Juno! -dei um grito alto.
Eles correram até mim e me abraçaram.
-Eu estava com tanta saudade -falei, emocionada.
-Nós também... -disse minha irmã.
-Já faz um tempo que vocês não vem aqui. Por que não viram depois da última vez? -perguntei.
-Estávamos andando sem tempo -falou meu irmão- mas, o importante é que agora estamos aqui.
-Eu amo tanto vocês -falei, abraçando eles novamente.
Meu cunhado estava atrás, só olhando.
-Vem aqui -abraçei ele -estava morrendo de saudades também -disse sorrindo.
-Eu também -ele disse, rindo.
Bom, vamos entrar. Mamãe tá lá dentro -falei.
Entramos, minha mãe estava tomando café.
-Bom dia, mãe -disse minha irmã.
Ela olhou e sorriu.
-Gente! Quanto tempo, e que saudade! -ela disse, abraçando os três -achei que quando vocês viessem, ligariam antes para avisar.
-A gente quis fazer uma surpresa -falou meu irmão.
-Vocês vieram aqui para ficar só hoje? -perguntei.
-Não, vamos ficar aqui uma semana -minha irmã disse.
-E onde estão suas coisas? -minha mãe quis saber.
-Deixamos na casa da minha mãe e do meu pai- falou Glaison.
-Ah, então vocês não vão ficar aqui em casa? -perguntei com uma cara triste.
-Não íamos, mas já que querem... -falou minha irmã.
Comemoramos.
-É claro que queremos -disse minha mãe.
-Já tomaram café? -perguntei.
-Sim, mas já faz um tempo. Já tô com fome de novo -respondeu meu irmão.
-Comilão -falei.
Nós rimos. Eles se sentaram com a gente para o café, e começamos a conversar um pouco.
-E aí, estão gostando de Newark? -minha mãe pergunta.
-Sim, é bem legal lá -responde minha irmã.
-Eu e minha madre precisamos ir lá um dia né? -falei- é só vocês que vem aqui nos visitar.
-Verdade -minha mãe falou.
-Concordo. Não precisam nem avisar, só ir e pronto. Que nem a gente fez -disse meu irmão.
-E o meu netinho, quando vem? -minha mãe perguntou para Jeane e Glaison.
-É, quero logo um sobrinho -falei.
-Ano que vem, talvez -Jeane respondeu.
-Isso aí -Glaison falou.
-Glaison! -minha irmã gritou.
-Brincadeira! -ele falou.
Nós rimos.
-E você, nada né Tarcísio? -perguntou minha mãe.
-Por enquanto não, mãe. Quero dedicar meu tempo para outras coisas. Quem sabe daqui a alguns anos... -disse meu irmão.
-E a Lívia te contou que está namorando, Jê?! -minha mãe falou.
-Ai mãe, eu ia falar para ela depois... -eu disse.
-Jura?! -quis saber minha irmã- e quem é o azarado?
-Hahaha, engraçadinha -falei- Michael Jackson. Depois vou apresenta-lo a vocês.
-É, é para apresentar mesmo hein -falou meu irmão, com cara fechada, mas depois sorriu- e aquela carta ali? Você encontrou ela na caixa de correio um pouco antes de chegarmos, e deixou ali em cima do armário -continuou.
-Nossa, já ia me esquecendo -eu disse- mas eu posso ler depois, afinal agora é um momento família.
-Que não vivemos a anos... -comentou Jeane.
-Saudades de acordar nos Domingos e ver essa mesa com um prato cheio de bolinhos de chuva. E todos nós sentados nela, comendo, jogando conversa fora... -falei.
-Mas agora estamos aqui reunidos de novo -falou meu irmão.
-Graças a Deus e amém né non? -eu disse.
Nós rimos. Acabamos de tomar café e fomos para a sala. Coloquei um filme para vermos. Nos divertimos muito. Quando acabamos de vê-lo, eram 12:15. Fomos para a cozinha ajudar a mamãe com o almoço, e enquanto isso conversávamos.
-Caramba, acabei de lembrar que nem falei com o Michael hoje -falei.
-Chama ele para vir almoçar aqui, Lívia -disse minha mãe.
-É mesmo -disse minha irmã- chama ele.
-Aí eu posso conhecer ele -falou meu irmão.
-“Nós podemos”, né Tarcísio? -acrescentou minha irmã.
Eu ri.
-Vou ligar para ele -falei.
Fui para a sala, peguei o telefone e disquei o número de Michael. Ele atendeu.
-Oi amor, boa tarde! -falei.
-Oi, minha linda -falou ele- tá tudo bem aí?
-Sim, e aí? -perguntei.
-Tudo ótimo.
-Que bom. Você não vai acreditar em quem está aqui!
-Quem?!
-Meus irmãos, Tarcísio e Jeane, e meu cunhado, Glaison.
-Sério?
-Sim, eles vieram nos visitar. Lembra que te falei que eles mudaram pra Newark?
-Sim, lembro.
-Pois é, e eles estão aqui agora... Vão ficar por uma semana. Aí, queria te convidar para almoçar aqui. Assim você pode conhece-los.
-Claro, vou sim. Só vou me trocar e já estou indo.
-Se trocar? Ah, aposto que você tá de pijama até agora -disse rindo.
-Acertou -ele falou, rindo também- então te vejo daqui a pouco.
-Tá bom, até logo -falei- beijo.
-Outro, tchau.
Eu desliguei. Fui para a cozinha contar ao pessoal que Michael iria vir, e para continuar ajudando com o almoço. Nós acabamos, e alguns minutos depois Michael chegou. Eu fui o atender.
-Oi! -falei animada, em seguida dei um beijo em sua bochecha.
Ele sorriu envergonhado.
-Vem, vamos lá dentro -eu disse.
Fomos até a cozinha. Todos estavam esperando, sentados.
-O Michael chegou, pessoal! -falei.
Apresentei Michael a todos e todos ao Michael. Então nos sentamos para almoçar e papear. Conversamos bastante (principalmente Michael e meu irmão), até que acabamos de comer e fomos para a sala ver TV. Depois de um tempo desligamos a TV e fomos para a varanda. Conversávamos muito, até que tive uma ideia.
-Michael, você podia cantar para a gente né? -eu disse.
-O Michael canta?! Dessa eu não sabia! -perguntou minha mãe.
-Canta, e muito bem -falei.
-Canta para a gente então, Mike! -minha irmã disse.
-Não sei... -Michael disse, meio com vergonha.
-Por favor? -pedi, sorrindo- canta aquela que você disse que estava compondo. Baby Be Mine, certo?
-Ele também escreve? -perguntou meu irmão.
-Sim! Ele daria um ótimo cantor -eu ri.
-Tá bem, vou cantar -falou Michael.
Como sempre, ele cantou muito bem. A voz mais linda, parecia de um anjo. Quando terminou, todos aplaudiram e o elogiaram.
-Acho que ele compôs essa música pensando em alguém, hein... -disse minha irmã.
-Foi? -perguntei.
-Claro, em você -ele me beijou.
-Awwnnn... -disse minha irmã e minha mãe.
Meu irmão e meu cunhado riram.

 -Você podia cantar uma música pra gente também, né Lívia... -falou meu irmão.

 -Ué, você também canta Lívia? -perguntou Michael.

 -E muito bem, Michael -disse minha irmã.

 -Por que não cantou pra mim antes? -perguntou Michael novamente.

 -Ah, sei lá... Fiquei com um pouco de vergonha -respondi.

 -Pode cantar agora? -perguntou.

 -Ok...

 Cantei Coming Around Again, da Carly Simon. Depois todos aplaudiram e Michael disse:

 -Devia ter cantado pra mim antes! A gente pode até fazer uns duetos -ele me abraçou.

 -Com certeza -dei uma risadinha- também já tentei compôr, mas não sou muito boa nisso. Bom, acho que vou pegar aqueles jogos de tabuleiro para jogarmos, já volto.
-Traz Banco Imobiliário! -gritou meu cunhado.
Peguei o jogo no meu quarto e voltei. Jogamos bastante. Quando o jogo terminou, juntei tudo e coloquei da caixa de novo.
-Ai que tédio... Já fizemos tudo o que podíamos fazer para nos divertir -falei.
-Já sei, que tal irmos a sorveteria? -sugeriu minha irmã- afinal, tá tão calor, achei que podíamos tomar um sorvete pra refrescar, né...
-Ótima ideia! -falou Michael.
Saímos de casa e fomos até a sorveteria. Quando chegamos, compramos sorvete, cada um escolheu um sabor diferente. Resolvemos não ficar por lá, e irmos para a pracinha. Nos sentamos em bancos, e ficamos olhando a vista. Havia várias pessoas na praça, estava bem movimentado lá. Ficamos lá até as 18:00, mais ou menos. Voltamos para casa. Michael ficou um tempinho lá, mas depois se despediu e foi para sua casa. Meus irmãos e meu cunhado foram para a casa dos pais do meu cunhado pegar suas coisas, e voltaram para nossa casa. Todos tomaram um banho, jantamos, e depois resolvemos ver tv. Logo percebemos que já estava tarde, eram 23:50. Nos arrumamos para dormir e nos deitamos. Eu, antes, falei ao telefone com Michael por uns minutinhos. Depois dei boa noite e desliguei. Fui dormir. É, tudo estava realmente se saindo muito bem, em todos os sentidos.


Notas Finais


...terceiramente, também queria pedir desculpas se o capítulo não estiver muito criativo, ou interessante. Estou andando sem ideias, vou procurar me inspirar. Até o próximo capítulo (que não sei quando irá sair, huehue)! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...