História A Deal With the Devil - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kai, Sehun
Tags Chankaisoo, Chansoo, Chanyeol, Demon!exo, Kai, Kaisoo, Kyungsoo, Sehun, Sesoo
Visualizações 228
Palavras 2.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, desculpem a demora. Eu havia escrito o capítulo e a burra aqui esqueceu de salva, acabou que perdi tudo e não consegui recuperar então tive que escrever tudo de novo. O capítulo está curto, pois estou desenvolvendo outra fic Sebaek/Chanbaek, então me desculpem ♥

Capítulo 5 - Parte 1: Acidente de trânsito


 

A primeira coisa que Jongin viu ao voltar para o hospital foi seu namorado dormindo com a cabeça apoiada em Sehun, este que estava abraçado a Kyungsoo. Sentiu uma pontada de ciúmes e uma pequena vontade de afastar aos socos Sehun de seu namorado, mas logo se acalmou ao lembrar que Kyungsoo faria questão de dar alguns socos em Sehun assim que acordasse e visse o rapaz tão próximo de si. Havia uma cadeira vazia ao lado de Kyungsoo, com uma sacola de roupas em mão Jongin se aproximou dos dois e se sentou no lugar vazio.

A sala de espera ainda estava cheia, várias pessoas estavam em pé esperando para serem chamados, alguns doentes sentados nas cadeiras que havia no lugar e duas crianças correndo pra lá e pra cá brincando de alguma coisa como pega-pega, e também o trio. Kyungsoo e Sehun dormindo enquanto Jongin estava atento e escutando se Kyungsoo seria chamado para ser avaliado pelo médico para finalmente irem para casa. Estava de noite, por volta das 20h40min, Jongin estava entediado de tanto esperar e seus olhos já se fechavam sozinhos quando o médico chamou pelo microfone. Esfregou os olhos para afastar o sono e cutucou Kyungsoo.

 “Soo, acorde. O médico está chamando.” Kyungsoo abriu um olho lentamente e viu Jongin de pé em sua frente tentando despertá-lo, uma visão adorável. Por outro lado, ao virar o rosto se deparou com Sehun praticamente jogado sobre si e foi então que se levantou de supetão e Sehun acabou caindo de lado sobre a cadeira e batendo a lateral do rosto no suporte de plástico.
 “Ai.” Resmungou e bocejou. “Que horas são?” perguntou coçando o rosto e se espreguiçando, ainda estava sonolento, mas logo tratou de se despertar e correr quando viu Kyungsoo e Jongin ao longe.

Uma enfermeira os guiou até uma sala onde estava o médico, Kyungsoo foi o primeiro a entrar na sala, seguido de Jongin e logo em seguida, Sehun com a cara fechada e o inchada de sono. O médico fez sinal para que Kyungsoo se sentasse em uma maca que havia na sala.

 “Pois bem Senhor Do Kyungsoo...” fez uma pequena pausa para olhar uma ficha que estava em sua mão, provavelmente o resultado de seu exame de sangue, este que foi tirado assim que chegou ao hospital enquanto estava literalmente desmaiado. “Está se sentindo melhor? Alguma dor?” Kyungsoo negou.
 “O exame de sangue está pronto?” Sehun perguntou tomando a atenção de todos.
 “Você é parente de Kyungsoo?” o médico perguntou e Sehun negou. “Sinto muito rapaz, mas é permitido apenas um acompanhante, creio que o único necessário seria o rapaz que trouxe o paciente para o hospital.” A expressão de Sehun ficou pior ainda.
 “Eu sou amigo dele e...”
 “Sehun.” Kyungsoo disse entre dentes, não foi preciso dizer mais nada para que Sehun deixasse a sala com uma carranca. “Então...” pigarreou assim que Sehun fechou a porta. “Algum problema?”
 “O exame de sangue não constatou nenhum problema de saúde.”

Morte por causa natural pensou nas palavras de Chanyeol.

 “Agora...” Pegou o estetoscópio e foi até Kyungsoo que estava sentando sobre a maca.
 “Algum problema?” Jongin perguntou preocupado.
 “Não, apenas exame de rotina.” Jongin assentiu.

O médico pediu para que Kyungsoo respirasse fundo diversas vezes e fez uma massagem sob a região de suas costelas, Kyungsoo reclamou de dor e o médico se afastou indo até sua mesa e escrevendo algo em uma pequena ficha. Ao terminar entregou a ficha para Jongin.

 “É um pedido de raios-X, por favor, siga a ficha azul que tem no corredor, ela os levará até a sala de raios-X.” o casal saiu da sala em que estava e não encontraram Sehun do lado de fora.
 “Ele foi embora?” Jongin perguntou olhando ao redor procurando pelo rapaz.
 “Melhor assim, não há nada pra ele fazer aqui.”
 “Por que isso?” parou de andar e ficou de frente para Kyungsoo.
 “Isso o que?”
 “Ele te fez algo de ruim para ser tão ignorante assim com ele?”
 “Eu já te expliquei o motivo.” Cruzou os braços.
 “Ah, claro. Ele foi um caminho indireto para você fazer um pacto. Sério, Kyungsoo?” arqueou a sobrancelha. “Há cinco anos você me conta essa estória, não poderia inventar algo melhor? Pacto?” riu soprado. Para Jongin aquilo era apenas uma desculpa para não contar a verdade.
 “E por que eu mentiria? Não acha que já passei da idade de contar estórias? Huh?”
 “Sabe o que eu penso? Que você conta toda essa bobagem pra desconversar o real motivo de odiar Sehun.”
 “Eu não o odeio.” Respondeu bravo. “Mas ele me incomoda e sabe disso, mas não faz questão de me deixar em paz. Custa me deixar em paz? Que saco!” saiu pisando firme e deixando Jongin pra trás.
 “Pensa que me engana.” Sussurrou para si mesmo antes de seguir o baixinho.

Kyungsoo entrou na sala de raio-X sozinho, Jongin se ofereceu para acompanhar, mas o baixinho estava com a típica expressão no rosto de quem queria socar quem seja que viesse falar com ele. Não demorou mais que dois minutos para Kyungsoo aparecer novamente. Jongin estava sentado em uma das cadeiras que havia do lado de fora da sala. Kyungsoo se sentou ao seu lado.

 “Tudo bem?” perguntou na tentativa de puxar assunto.
 “Estaria se você acreditasse nas coisas que eu te conto.” Jongin revirou os olhos e respirou fundo.
 “Me desculpe.” Soo se sentou na cadeira ao lado de Jongin e se inclinou, colocando a cabeça sobre o ombro do outro. “Eu acredito em você, só acho engraçado tudo isso.”
 “Nossa vida é engraçada de certa forma.” Jongin sorriu e beijou o topo da cabeça de Kyungsoo. “Acho que nunca pensei que teria uma vida tão complicada como agora, nem mesmo quando eu era cego.”
 “Por quê?”

Kyungsoo apenas ficou em silêncio, pensando um pouco sobre seu estado atual, na época em que era cego pensou que a vida dele não poderia piorar. Ledo Engano. Apesar de ter um namorado perfeito e um bom relacionamento, parece que a vida quis lhe dar mais. Um ex namorado inconveniente e um demônio em sua cola. Um demônio. Ele sentia que poderia enlouquecer a qualquer momento, após a visita de Chanyeol e ter recebido a notícia que sua vida iria definhar dali para frente, percebeu que sua vida era uma verdadeira piada. Quem sabe um dia poderia virar uma peça teatral? Um humano, um ex namorado que não larga de seu pé, um namorado bom moço e um demônio que, apenas em seu olhar é possível notar a vontade que ele tem de devorar sua alma ou coisa pior – e o pior é que isso realmente aconteceria.

Kyungsoo olhou para cima e viu Jongin de olhos fechados, percebeu o quão perfeito ele era, tanto sua personalidade e caráter quanto sua aparência, seus traços fortes bem desenhados. Ele se parecia com um filhote fofo de urso, Kyungsoo se permitiu sorrir minimamente e se afundar no abraço que Jongin lhe oferecia com os braços que estavam ao seu redor.

 “O que você vai fazer depois que eu morrer?” perguntou em pensamento.
 

Eu vou junto com você a voz de Jongin ecoou por sua cabeça fazendo seu coração doer, Jongin permanecia de olhos fechados abraçado a Kyungsoo. Kyungsoo se soltou do abraço e cutucou Jongin para que o mesmo se levantasse.

 “Nini, vamos para a sala de espera. O médico vai nos chamar quando o raio-X ficar pronto.” Jongin coçou o olho com sono e se levantou preguiçoso.
 “Depois que sairmos daqui, vamos comer frango até explodirmos.” Disse colocando o braço sobre o ombro de Kyungsoo enquanto andavam pelo corredor. Kyungsoo riu.

Ao entrar na sala de espera do hospital, Jongin fez questão de procurar por Sehun mesmo que o namorado reclamasse, mas não o achou em lugar algum, então voltou para perto de Kyungsoo e sentou-se ao seu lado. Cerca de uma hora se passou até que o médico os chamasse novamente, Kyungsoo caminhou preguiçosamente novamente para a sala, seguido de Jongin. Sentiu um arrepiou na espinha ao abrir a porta do consultório, não daria bola pensando que pudesse ser o ar condicionado do ambiente, mas ao olhar para dentro da sala, Chanyeol estava sentado sobre a maca que havia ali e tinha a cabeça tombada para o lado observando Kyungsoo parado na porta. Kyungsoo só percebeu que o encarava quando Jongin o cutucou e o empurrou levemente para dentro da sala.

 “Sentem-se, por favor.” O médico disse enquanto mexia no computador. “O raio-X ficou pronto há pouco.”
 “E então...” murmurou Jongin.
 “Felizmente não há nada.” Kyungsoo suspirou aliviado. “Eu suspeitava de uma possível pneumonia, mas seu pulmão está saudável. Kyungsoo precisa tomar alguns cuidados, principalmente com a alimentação.” Jongin encarou Kyungsoo que deu de ombros. “Também receitarei algumas vitaminas para evitar uma futura anemia mais grave. De qualquer forma, o mais importante agora é a alimentação.” Ficaram alguns minutos em silêncio enquanto o médico escrevia a receita, Jongin tentava ler de longe o que o mais velho estava escrevendo no papel enquanto Kyungsoo tentava não encarar Chanyeol que ainda estava ali os observando.
 “Psiu.” Escutou alguém chamar a sua atenção. “Eu disse por causa natural, não disse?” se levantou da maca e se aproximou ficando atrás do médico e espiando o que o mesmo escrevia. “Se será por causa natural, então por que está maltratando seu corpo desse jeito? Você deveria cuidar dele e não adoecê-lo.” Estalou a língua no céu da boca e isso irritou Kyungsoo.
 “Cale a boca.” Disse em tom alto o bastante para tomar a atenção de Jongin.
 “O que?” o encarou sem entender.
 “Não, nada. Estava pensando alto.” Sorriu forçado. “Então...” deu uma última olhada em Chanyeol antes de encarar o médico. “Eu só preciso cuidar da alimentação? Não tenho nenhum risco de saúde? Digo...” pigarreou. “Um exame de sangue foi feito e sabe, não há nenhum outro problema com minha saúde?” o médico negou.
 “Sua saúde está em perfeito estado, só a alimentação que precisa ser cuidada. Seu corpo está um pouco fraco e precisa repor vitaminas, então coma frutas, verduras que ficará tudo bem novamente.” Sorriu gentilmente e entregou a receita para Jongin. “As vitaminas podem ser compradas na farmácia, vocês estão liberados.” Se levantou da cadeira e se despediu com aperto de mão.
 “Obrigado.” Disse Jongin ao sair da sala e fechando a porta.

Kyungsoo não falou mais nada enquanto seguia Jongin pelos corredores do hospital, Jongin também não fazia questão já que Kyungsoo estava com a expressão fechada, não se arriscaria a ser xingado. Chanyeol seguia de perto o casal, Kyungsoo sabia que ele estava ali e por isso andava a passos rápidos querendo se afastar do demônio. Ao sair do hospital ambos entraram no carro de Jongin e foram para a farmácia mais próxima comprar o que lhes foi receitado. Estava frio e Kyungsoo tremia dentro do carro enquanto Jongin dirigia, o prédio onde moravam não estava muito longe dali, ao ver o namorado tremendo, Jongin esticou o braço e esfregou as mãos na coxa alheia tentando lhe dar um pouco de seu calor.

 “Quando chegarmos você pode dormir, aguente só mais um pouco.” Kyungsoo assentiu e olhou pelo retrovisor, Chanyeol não estava mais lá. Respirou fundo e encostou a cabeça no vidro e aos poucos foi levado pelo sono. Kyungsoo acordou de supetão quando o carro foi freado brutalmente e um barulho alto de algo batendo na frente do carro foi escutado. Imediatamente olhou para Jongin, ele estava bem. Jongin retirou o cinto de segurança e saiu do carro, Kyungsoo fez o mesmo. O capu estava amassado pela força do impacto, Jongin correu até a frente do carro.

 “Liga pra ambulância, rápido!” Gritou. “Eu atropelei o Sehun.” Kyungsoo correu e abriu a porta do carro para pegar seu celular que estava dentro do porta-luvas, em uma fração de segundos olhou pelo retrovisor. 

Chanyeol estava lá. Sentado no banco traseiro com um sorriso na boca balançando a cabeça negativamente.

 "Eu acho que alguém vai para o outro lado hoje." Kyungsoo sentiu seu corpo se arrepiar inteiro, fechou a porta do carro com força e discou o número da emergência.
 "Alô? Por favor, mande uma ambulância rápido, meu amigo foi atropelado."


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...