História A descoberta de um coração - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Tags Inuyasha, Rin, Romance, Sesshomaru, Sesshoumaru
Exibições 38
Palavras 2.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá.
Demorou né? Estava sem idéias. Mas ...estamos de volta.
Espero que gostem...
E obrigado aos novos favoritos ...amei!!!

Ótima leitura.

Capítulo 32 - Você de volta


Fanfic / Fanfiction A descoberta de um coração - Capítulo 32 - Você de volta


    O sol já estava se pondo vagarosamente entre os montes quando o imponente youkai surgiu aos portões de seu império, e com o corpo adormecido de sua esposa aparentemente fragil nos braços fortes. Logo atrás, eram seguidos pelo companheiro youkai de Rin, Tallin que planava no ar próximo ao principe daquelas terras. Quando os pés de Sesshoumaru tocaram a grande escadaria da entrada da casa imperial, ouviu- se o barulho e movimentação dos soldados e criados do local. Muitos iam olhando de canto os passos firmes, porém calmos do grande youkai com a humana adormecida e inerte em seus braços, rastros de sangue em suas roupas e face. Sesshoumaru podia ouvir os borburinhos de alguns se perguntando se tal estava morta, se o mestre a havia matado por ter fugido. Mas ele não se importou em dar ouvidos a esses boxixos inúteis, e seguia seu caminho sério , com seu caminhar calmo e majestoso. Os fios prateados balançavam suavemente de acordo com cada passo que dava, os cabelos negros de Rin se penduravam junto ao tecido alvo das mangas do kimono de Sesshoumaru, com seu brilho negro espelhando os últimos raios de luz do dia.

        Quando o mestre passou pelas grandes portas de entrada, e pode finalmente pisar o solo de sua casa, gritos de uma alegria exagerada, misturada a uma preocupação que beirava a adoração se ouviram.

- Meu mestre Sessshoumaru!!! Que alegria reve-lo!! Hooo mestre eu estava tão preocupado... Não tinha notícias... E...céus!! Que maravilha parece que encontrou a ssssenhora Rin!!- Jaken ia falando sem parar com os olhos grandes marejados enquanto marchava ao lado dos passos de seu príncipe, que mantinha seu caminhar impassível rumo aos seus aposentos, sem nem sequer olhar para o pequeno youkai que tagarelava aos seus pés.

- Jaken...- pela primeira vez desde que chegou, os criados ouviram a voz grave de Sesshoumaru soar no enorme castelo. Jaken congelou em seu lugar, aguardando o desejo de seu amo. - pare de falar. Rin precisa descansar. Chame as criadas para dar lhe banho, e traga frutas frescas. Rápido. - com a última palavra o imperador deu seu típico olhar dourado e gélido ao seu criado, e ele prontamente entendeu que era uma urgência.

- Ssssim mestre Sessssshoumaru!! Agora mesmo. - concordou o velho sapo, se curvando de forma exagerada e saindo rapidamente deslizando no piso liso de mármore.

      Sesshoumaru seguiu pelo corredor , e finalmente adentrou em seus aposentos. Com cuidado, depositou o corpo pequeno de sua amada em seu leito, vendo os fios negros se espalharem no lençol branco.

- enfim minha Rin...está de volta a sua casa. No seu lugar . - disse baixo acariciando o rosto pequeno de Rin. Com cuidado , percorreu os dedos na armadura que ela vestia. Uma couraça de Youkai, e sem cerimônias quebrou os pequenos fechos de metal da roupa, retirando as peças sujas uma por uma e jogando ao chão. Na cama Rin, por vezes respirava fundo, tirando a atenção de seu esposo para seu rosto. Mantinha os olhos fechados, e adormecida, mas não parecia ter um sono calmo pela expressão de seu rosto. E realmente Rin não tinha no momento uma recuperação tranquila, coisa que ninguém ali poderia saber. As criadas chegaram, e Sesshoumaru deixou que elas continuassem o trabalho, retirando as vestes de Rin cuidadosamente, e ele permanecia ali, olhando cada movimento. Vendo os hematomas que surgiam na pele morena, o corte no abdômen que já não era profundo. As criadas limpavam e aplicavam ervas. E as vezes ouviam Rin soltar um fraco gemido.

    Ali , alheia a quem a movia, Rin sentia que era tocada, que estava sobre uma cama, mas não conseguia abrir os olhos ou mover qualquer parte do corpo. Sentia seus músculos queimarem, seus ossos doiam. Mas nada podia fazer. A energia de Midoriko modificava seu corpo, tornando o frágil ser humano em algo muito mais forte. Mas ela não podia dizer nada, e ali ela resistia silenciosamente sua transformação.

     Depois que as criadas terminaram o trabalho, Sesshoumaru se aproxima de Rin em seu leito, acariciando seu rosto delicado, logo após lhe deixa um beijo calmo nos lábios um pouco pálidos da esposa, e se retira para agora cuidar de si mesmo, já que está mais tranquilo em relação a sua amada. Depois de um longo banho, se alimenta no salão principal, e logo após sai com Jaken para a sala privada a fim de obter um relatório do que aconteceu nos últimos dias em sua ausência.

    Horas se passaram, e Sesshoumaru nem percebeu. Já era madrugada, e então resolveu voltar ao seu quarto e ver se Rin havia despertado. Ao chegar, encontra a mesma ainda dormindo, mas agora parece mais tranquila. A respiração calma, o som do seu coração bate num ritmo suave. Ele se aproxima e pode notar que os hematomas no rosto e braços já não existem mais. Ela volta a ter uma aparência mais normal, os labios agora se mostram rosados , e ele pode sentir uma energia percorrer o corpo da jovem humana. Ele fica satisfeito e aliviado, mesmo que seu rosto perfeitamente esculpido não demonstre isso. Sendo assim, ele se desfaz das roupas e se deita ao lado de sua mulher, inalando profundamente o prefume único de Rin. Perfume que tanto temeu perder. E com esse cheiro próximo a suas narinas, o grande youkai adormece, pois também estava muito cansado.

      Os raios de sol entram pelas cortinas de linho do grande quarto, o som do vento balançando as árvores é ouvido ao longe. Pássaros cantam , e ela aos poucos vai despertando. Ao abrir os olhos castanhos, vê o teto adornado conhecido. Era seu quarto. Seu e de seu amado youkai. Ela então num súbito relembra dos últimos acontecimentos, dos dias de viagem, lutas , sangue suor...seu amado... E então ela se assusta sentando na cama, olha para o lado e vê seu amado adormecido. Seus cabelos prateados espalhados na cama, alguns fios cobrindo o rosto alvo, a boca rosada entreaberta, Rin suspira aliviada ao ver que está em casa, ao lado de seu amado youkai novamente. Ela levanta vagarosamente para não despertar seu companheiro . Vai a grande sala de banho, e de frente ao grande espelho começa a analisar seu rosto, que agora lhe parece limpo sem marcas, com uma aparência macia e sedosa como nunca esteve. Seus braços agora sem nenhum arranhão ou marca, e os flexiona sentindo os músculos mais fortes, abaixa a camisola fina exibindo o corpo tão igualmente limpo, sem marcas a pele macia. Os dedos finos tocam o local onde foi ferida a alguns dias por um hanyou na aldeia de jade, e não há sequer uma marca.

- Como pode? - ela questiona sozinha olhando no espelho seu reflexo. É a mesma Rin, mas ela se vê diferente, mais bela ela mesma diria. Mais forte, ela se sente . Ao longe ouve o som de uma cascata que fica a alguns metros do castelo. É longe para o ouvido humano, mas agora ela ouve nitidamente os guardas andando em volta do local, o som das águas caindo.

- não pode ser!! É.... Incrível. - ela exclama pondo a camisola sobre o corpo e seguindo rápidos para a janela, pisando o mais leve possível para não despertar Sesshoumaru. Ao chegar na janela, um sorriso toca seus lábios, o vento balança seus cabelos negros, ela fecha os olhos e concentra seus ouvidos , pode ouvir os sons com perfeição , mesmo tão longe, é incrível para ela.

- é assim que ouve um youkai? - ela pergunta ao vento. Sentindo o ar fresco da manhã. até que um toque em sua silhueta a desperta de seu transe. Um par de mãos grandes e fortes a envolvem, ela sente os dedos percorrerem o tecido fino sobre sua pele, logo sua cabeça se encosta no peito largo e forte do youkai , sente os fios prateados roçando sua orelha, logo os lábios macios tocaram seu lóbulo , ouviu a respiração inalando seu perfume profundamente.

- Como se sente minha Rin?- a voz grave do youkai .

- muito bem. Como nunca estive. E muito feliz de estar de volta. - ele a vira pelos ombros fazendo com que  ela fique frente a frente com ele. Ele analiza o rosto de sua amada, e Rin sente o peso do olhar dourado de Sesshoumaru sobre si, ela não pode deixar de sentir o rosto corar, a pele arrepiar. A beleza de seu amado a desconcerta sempre. O tronco alvo aparecendo pela camisa aberta caida sobre os ombros, exibindo o abdômen bem desenhado. Os olhos dourados, em contraste com as marcas de nascença sobre os olhos. A pele branca lábios rosados. Sesshoumaru era uma visão e tanto. Assim como Rin para o youkai.

- parece mais forte. Está... Um pouco diferente.- ele diz tocando o lábio rosado da amada.

- me sinto mais forte . estou ...ótima.

- Rin. - a voz sai grave, o rosto sério a encara. - ouça bem ...- ele prende o queixo da humana a erguendo para olhar dentro de seus olhos. - nunca mais... Ouse me deixar... Ou se afaste de mim....seja por qual motivo for. Ou irei te manter minha prisioneira se for necessário. - seu tom soou como uma ameça, que fez Rin estremecer.

- fique tranquilo meu amado. Juro que não irei repetir esse feito. Já consegui o que queria. Agora , viverei somente para ti. - ele a olha intensamente. Toca os fios negros, e em seu íntimo está muito feliz em ter sua amada de volta, para si, bem e inteira. Ele a puxa de encontro ao seu corpo, e deposita um beijo calmo nos lábios de Rin, e como queria lhe dar esse beijo. Sente os lábios de Rin retribuir o toque, aprofundando o carinho, acendendo a paixão de ambos. Ele temeu não ter mais esse prazer, e agora sentia o alívio de a ter em seus braços. Ele deixa os lábios descendo pelo pescoço da mulher, sorvendo a pele macia, o perfume feminino exclusivo de sua fêmea.

- minha Rin...- ele ressona baixinho ao ouvido de Rin, ela sente as pernas amolecerem, o desejo crescente. Sesshoumaru desce as mangas da camisola fina, que cai num monte ao chão, exibindo o corpo nu e bem feito de Rin. Sesshoumaru sente o desejo tomar conta de si, necessitando possuir sua amada. Como se sua vida dependesse desse ato. Como uma confirmação de que estava tudo bem. Ele comprime a silhueta fina da garota a pressionando contra si.

- Rin...eu a quero agora. Preciso...- diz contra a pele morena indo de encontro ao colo farto da esposa.

- Sou sua meu Sesshoumaru. Sempre fui, sempre serei. - ela afunda as mãos nos cabelos prateados sentindo os lábios róseos sobre a pele exposta. Sesshoumaru, a ergue nos braços, selando as bocas num beijo profundo, sentindo as linguas se encontrarem saudosas . De volta a cama grande, o youkai deposita Rin no leito, e começa a retirar as roupas sem pressa, aproveitando cada instante. Sem cortar a ligação visual de ambos. Rin observa a bela visão do corpo de seu amado a sua frente. Os olhos felinos do youkai sobre si, a deixava envergonhada, mas ao mesmo tempo ansiosa por senti- lo novamente. Ele vagarosamente se deita sobre ela, beijando sua pela ,acariciando as curvas fartas e bem moldadas, Rin tomba a cabeça para trás sentindo o toque do seu amor. Ele alcança o par de seios, e os comprime na mão grande ouvindo um suave gemido da garganta de Rin.

- Linda...- ele sussurra. E rm seguida suga forte o mamilo direito sentindo a pele macia na língua, provocando sua mulher.  Deslisa a mão aos quadris de Rin a unindo mais a si, sentindo o corpo nu colado ao seu. Viaja seus dedos longos até a intimidade da mulher que já estava molhada e desejosa. Rin se curva num gemido alto com o movimento dos dedos de Sesshoumaru, e agarra os cabelos longos o apertando mais contra si.

- hooo....Sesshoumaru...que saudade.- ela exclama entre suspiros. Ele rosna em seu pescoço sentindo seu membro pulsar suplicando por alívio.

- você ...é... Minha..!- ele rosna novamente, as presas aparentes, olhos vidrados nos de Rin. E num movimento lento a penetra, olhando cada expressão de Rin, como se para capturar cada momento, e gravar na memória como se sente ao possuir sua amada humana.

- haaa...Rin..- ele geme e morde o lábio da mulher , entra e sai de dentro dela, sentindo o deslizar dos corpos. Ouvindo os gemidos melodiosos de Rin. E assim se amaram mais e mais, sucumbindo a saudade e ao prazer que ambos proporsionavam um ao outro. Agora não era apenas fazer amor, nesse momento eles buscavam a paz, a confirmação de que nada os separará nunca mais. São um só. Ambos um para o outro.


Notas Finais


Fim por agora. Ainda tem mais ..mas ta quase acabando.
Espero que tenham gostado.
Deixem seu cometário, e favorite.

Obrigado por ler...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...