História A desgraçada princesa e o pobre mendigo - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Elfman Strauss, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Jude Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Zeref
Tags Nalu Romance Gale Natsu Lucy
Exibições 99
Palavras 1.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Escolar, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


hehehe
eu n tenho desculpa desta vez
nem sei o que dizer
este capitulo é só felicidade
espero que gostem boa leitura

Capítulo 37 - Estamos felizes


Fanfic / Fanfiction A desgraçada princesa e o pobre mendigo - Capítulo 37 - Estamos felizes

- NATSUUU – gritou Erza

Eu estou na cozinha com Happy ao meu lado. Eu olho para ele

- o que foi que fiz desta vez? – perguntei e ele ganiu para mim

- EU VOU-TE MATAR – disse aparecendo na porta da cozinha com a cara vermelha de raiva

- o que é? – digo contendo o riso

- estás a rir?

- vá, fala logo o que foi que eu fiz assim de tão grave para pareceres um tomate

- o teu c… O QUE FOI QUE DISSESTE!!! – gritou com a aura maligna

- n-n-nada – digo com medo

- acho bem. O teu cão, está morto

- não está não, ele está aqui ao meu lado – digo gozando com ela

- ele destruiu minha almofada DE NOVO – disse mostrando a almofada rasgada. Eu olho para o Happy e ele esconde o rosto com as patas

- e o que queres que eu fassa? Ele com certeza fez isso por vingança.

- vingança de quê? – disse se sentando na minha frente. Ela se acalmou fácil

- eu não sei. Talvez ele queria brincar contigo e tu não quiseste

- m-mas eu não fiz nada – disse com lagrimas nos olhos

- e-ei, c-calma eu não disse isso. – isto está estranho

- m-mas… - do nada as lagrimas desaparecem e ela fica com raiva de novo – eu não estou nem ai, VAIS COMPRAR UMA ALMOFADA NOVA – Gritou saindo da cozinha

- mas o que foi isto? – pergunto-me a mim mesmo. Eu olho para o Happy serio – serio mesmo? Era preciso estragar mais uma almofada? – ele olha para mim com os olhos brilhando e com as orelhas para baixo – ta bem, estás desculpado – digo dando mais uma trinca na minha sandes.

Vejo a minha mulher entrar na cozinha e pegar uma taça que tinha um creme de chocolate que Virgo estava fazendo e uma colher

- vais comer isso? – pergunto e ela olha para mim e assentiu – a Virgo ia precisa disso para o bolo que estava fazendo. Ela só saiu para comprar mais alguns ingredientes

- mas eu quero, estou com fome – eu me levanto e tiro a taça e a colher de suas mãos

- se estás com fome, deverias comer outra coisa sem ser chocolate

- tá bem, estão vamos ás compras – disse sorrindo

- eu não sei, estas com 8 meses, deverias estar em repouso

- vá lá – disse olhando para mim, da mesma maneira que Happy olhava para mim há pouco

- ok, mas vamos rápido.

Ela agarra a minha mão e me pucha para fora do apartamento.

 

- olha, eu estive a falar com a Levy e o Gajeel – disse ela olhando para mim enquanto eu conduzia

- e como eles estão?

- ótimos

- quem diria que o Gajeel iria arranjar uma namorada simpática como a Levy

- o que estás querendo dizer? – disse seria. De novo não

- nada amor, apenas estou dizendo que…

- preferias a ela do que a mim? – eu paro no sinal vermelho olhando para ela nos olhos

- nós já falamos disso, eu vejo a Levy só como amiga. A pessoa que eu amo está aqui ao meu lado. E é a pessoa com quem me casei.

- é, um casamento pequeno, mas que eu adorei

- fico feliz em ouvir isso – digo voltando a condozir

- para não falar do desastre que ouve

- é, todos nós ficamos bebados e Gray passou mal mesmo – digo me lembrando de ver Gray a vomitar

- e olha que foi bom, porque assim conhecemos a namorada dele

- Juvia né?

- sim. Ela é boa pessoa, eu gostei dela. Voltando ao Gajeel e á Levy… eles iram fazer uma festa

- e dai? – pergunto estacionando o carro e saindo. Dou a vota ao carro e abro a porta á Lucy ajudando-a a sair.

- e daí que eles nos convidaram para irmos lá ter- agarrou a minha mão

- quando é isso?

- é já para a semana

- Lucy eu não sei se é boa ideia

- eu sei Natsu, por causa da gravidez, mas eu estou bem, e a Nashi também. Eu não vejo razão para não irmos, para não falar que nunca mais os vimos desde que nós saímos de Magnólia

- será arriscado voltar lá – disse serio

- por causa do meu pai

- sim – e não só

- eu sei disso e sei que também queres ver o Rony. E eu gostaria de conhecer a Marta

- eles vão lá estar?

- acho que sim

- tudo bem, mas qualquer coisa tens que me dizer – digo a olhando nos olhos. ela assentiu e eu dou um beijo. – agora vamos nos despachar. Eu ainda tenho que ver coisas do meu trabalho.

- ok. Mas eu quero comprar uma coisa para a Erza já volto. – disse desaparencendo do meu ponto de vista. Isto hoje está tudo doido.

 

Assim que entro em casa sou recebido pelo Happy.

Deixo as compras na cozinha e Virgo me ajudou a arrumar tudo

- foi de novo ás compras? Podia me ter pedido eu trasia o que queria

- eu sei, mas a Lucy queria muito ir. Ou isso, ou comia todo o seu doce do bolo

- entendi – disse rindo. Eu olho para a porta da cozinha e vejo uma Erza passando para a sala

- Erza – digo indo ter com ela. – está aqui a tua almofada nova. - Ela pega na mesma e depois devolve

- já não é preciso obrigada

- estas a brincar?

- e porque estaria?

- tu vieste gritando cominho para ir comprar uma almofada nova porque o Happy tinha estragado a tua e agora estás a dizer QUE NÃO A QUERES

- sim – disse saindo em direção á sala como se não fosse nada.

Já cançado disto tudo, subo as escadas e vou direto para o quarto da minha irmã

- Isto é de doidos – digo atirando a almofada para cima da cama onde estava Jellal

- o que se passa?

- Erza está maluca hoje – digo atirando-me para a cama

- eu também já reparei, mais vale é ficares longe

- eu nem sei como consegues namorar com ela

- basta ama-la, não é preciso muito. – eu não pude evitar de sorrir

- gostei dessa. Mas não achas estranho ela estar assim?

- ela já está assim á uns dias atrás. Tu só reparaste agora porque tens andado ocupado com as empresas do teu pai.

- é, talvez. Bem o problema também não é meu e sim teu. Ela é que é a tua mulher – digo batendo nas costas dele

- tu nem sabes o que eu já passei. Ela quer transar a toda a hora

- eu já passei por isso. Lucy esteve assim quando… - eu deixo a frase murrer assim que me lembro a razão de Lucy querer transar tanto. E a seguir eu sorri para ele – boa sorte – digo gozando com ele

- sorte com o quê? – bem, ele é mais burro que eu

- AAAAH – ouvimos alguém gritar e logo nos levantamos olhando para a porta

- era a Erza – disse o Jellal, logo a Lucy aparece na porta no quarto dele sorrindo. Eu recebi logo a mensagem e sorri junto a ela.

- Erza precisa de ti – disse ela

Ele começa a correr. Lucy veio até mim e se sentou ao meu colo dando-me um selinho

- é o que estou a pensar? – pergunto sorrindo

 - sim – disse me beijando – te amo

- eu também te amo, a ti e á Nashi

 

Umas horas depois, já estava na hora do jantar.

Erza já tinha ido ao medico com o Jellal

- e então estás de quanto tempo? – perguntou a Lucy coriosa. Como sempre

- um mês

Eu e a Lucy engasgamos

- estas a brincar? – perguntamos os dois ao mesmo tempo

- não estou não. – disse seria

- sem enjoos, sem desmaios – disse Lucy

- e sem vómitos, como é que nunca te deste conta que tinhas um bebé dentro de ti? - perguntei

- eu também não sei – disse ela metendo as mãos no ventre – eu já andava sentir-me estranha, mas nunca pensei que fosse de estar gravida.

- e como tu não deste conta mais cedo? – perguntei ao Jellal

- e vais me dizer que as atitudes dela não eram as atitudes que ela tem no dia á dia?! – ficou logo um silencio enquanto a Erza olhava para ele com uma aura maligna

- desculpa Erza, mas ele tem razão – digo o defendendo

- seja como for – disse Lucy chamando a atenção dela – eu sei o que estas a sentir, sei que não é fácil e que agora estas a pensar que não és capaz de tomar conta desse bebé não é?

- bem sim eu ainda não estou preparada

- estás a brincar – digo serio – tu tens 30 anos Erza, 30 ANOS, já estava mais do que na hora para teres um filho

- continuando, tu logo vais gostar da ideia de teres esse menino ou menina e vais ama-lo muito, mesmo que ele esteja dentro de ti, tu o vais amar, tanto que depois só vais pensar no dia em que ele estará cá fora nos teus braço, tu irás desejar esse dia, durante os teus nove meses

- e também, tens o teu marido – digo dando a mão á Lucy

- e a nós, se precisares de alguma coisa é só dizeres – disse ela sorrindo

- obrigada

- só uma condição – digo fazendo todos olharem para mim – tenta pelo menos contrular os teus hormônios do humor. Eu já não suporto ir ás comprar por uma simples e insignificante almofada 

Todos começaram a rir e eu também.

Como disse estamos todos felizes nesta casa, e agora vou ser tio, quem diria?!

Também já estava mais do que na hora. Ter filho só aos 30 anos… bem, sem comentários… eu também o entendo, minha irmã quando quer consegue ser um monstro…

Eu desejo que eles sejam felizes, como eu e a Lucy estamos.


Notas Finais


qualquer duvida escrevam nos comentarios
como disse eu gosto de ler a vossa opiniao, mesmo k seja boa ou má
até á proxima
Inté


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...