História A Detetive - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, Tsunade Senju
Tags Ação, Gaaino, Itazumi, Naruhina, Policial, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 136
Palavras 3.530
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hellou Mon Amours! o/

Cheguei chegando *--*

Demorou um pouco, mas tá marromeno né :) kkkkkkkkkk

Vcs ainda vão me matar veeeeei.. A cada capítulo q posto, os favoritos estão aumentando.. Vcs são os melhores do mundo ❤❤❤❤❤

Vou beijar na boca d cada um d vcs seus gostosos *---* Kkkkkkkkk

Prometo q quando chegar em 45 favoritos vou fazer um capítulo especial com uma missão do nosso Itachi ^^.. Promessa comigo é cumprida viu meu povo ") kkkkkkkkkkkkkkkkk..

E quero agradecer tbm a minha quase co-autora (ela diz q não é, mas eu considero e foda-se ¬¬' kkkkkkkkkk) q me ajudou em quase tudo (obs: o hentaizão é dela.. Safadeeenha ;} kkkkk).. Valeu Maria, agradeço muuuuuito por tudo e sei q posso contar contigo para oq der e vier.. I Love you vc gata ❤❤❤❤ kkkkkk.. Enfim, sou tagarela d+.. Vamos ao capítulo d hj

Boa leitura e até lá em baixo! =**❤

Capítulo 8 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction A Detetive - Capítulo 8 - Capítulo 7

POV Sakura:


Eu devo ter pisado no rabo do Satanás para ele mandar o filho dele vim me atazanar. Ainda assustada o encaro com raiva, vejo ele me dar uma piscadela e ir de encontro a uma das mesas do local, rolo os olhos e me viro de volta para Sasuke suspirando cansada.

- Amigo? - ouço Sasuke me perguntar calmo.

- TÁ DOIDO? Nunca! - respondo ele alterando um pouco e o assustando - desculpa. É que esse babaca me dá nos nervos - finalizo grunhido.

Vejo ele sorrir de mim e dar um gole em seu chopp, olho para ele com a testa franzida. Não entendi. Contei alguma piada?

- Por que está rindo? - pergunto erguendo a sobrancelha.

- Gostei de te ver com raiva. Você fica mais linda - diz ele sorrindo de canto, olho para os lados sem jeito.

- Obrigada! - sorrio tímida, ele me dá uma piscada.

- Agora desembucha - fala ele calmo - por que ele lhe dá nos nervos? - pergunta ele.

- Porque ele é nada mais, nada menos que meu ex babacão - falo sorrindo falso.

- Hum! - fala ele surpreso - entendo. Para ele ser tão babaca tem que ter um motivo, certo? - pergunta curioso.

- E tem. Eu e ele tínhamos 15 anos quando começamos a namorar, a gente levou 3 anos com o namoro. Como ele é mais velho que eu 3 meses, eu ainda inocente esperei completar 18 anos para perder minha virgindade com ele porque sempre achei que ele era o homem da minha vida e foi ai que eu me enganei - finalizo com um sorriso fraco e segurando minhas lágrimas. 

- Acho que tenho noção do que aconteceu, mas mesmo assim irei perguntar. O que houve? - perguntou ele bem sério e parece que vi ele com raiva? Será?

Mesmo com as lágrimas querendo descer, continuo segurando-as para terminar a história. 

- Quando completei meus 18 anos, eu o chamei para dormir em minha casa, ai aconteceu o que tinha que acontecer ou o que achei que seria bom acontecer - falo suspirando - no dia seguinte quando acordei, ele estava colocando a roupa para ir embora, perguntei porque a pressa e ele simplesmente falou que a noite foi boa, mas que não podia mais continuar com o namoro, porque ele queria viver a vida e que nunca me amou, que só queria transar comigo - dou uma pausa para engolir o nó que formou em minha garganta por causa do choro.

- Que idiota - fala ele e o vejo fechar o punho.

Sorrio para disfarçar as lágrimas que insistiam em cair, ele olha para mim sério e com um olhar de "eu sinto muito".

- Não acaba ai - falo e o vejo me olhar confuso - ele saiu para a casa dele, chorei o dia e a noite inteira, no dia seguinte, entrei em meu facebook e vi ele postando que estava indo para Londres, nessa mesma hora meu melhor amigo que por coincidência estava no mesmo avião que ele me falou também, contei que a gente tinha terminado e tudo mais. Quando meu amigo chegou em Londres, ele me falou revoltado que o Sai estava aos beijos com uma menina de lá, quando entrei no facebook ele tinha colocado o status de relacionamento de solteiro para em um relacionamento sério com Katherine blá, blá, blá. Não sei falar o sobrenome dela - falo rolando os olhos - então encaixei as peças, ele estava comigo para conseguir o que ele sempre almejou e já tinha a outra para quando ele viajasse. E esse é o final do porque eu achar ele um babacão! - falo fingindo felicidade e fico séria novamente.

Vejo ele muito sério me encarando ainda com os punhos fechados, vejo ele fechar os olhos e respirar bem fundo.

- Com certeza ele é um otário - fala ele - usar e deixar uma garota linda como você, realmente merece um ferro no meio do cú - finaliza. 

Acabo gargalhando com essa teoria dele, só assim para eu rir, odeio contar essa história, me sinto um lixo ambulante.

- É uma boa ideia - falo sorrindo sincera.

- E você só teve ele de namorado? - pergunta ele.

- Namorado fixo sim, apenas ele - o respondo.

- E por que não teve outros? - pergunta ele mais uma vez.

- Tomei trauma de relacionamentos, graças a ele - sorrio fraco.

- Vacilo seu! - fala ele e eu olho para ele - se procurasse bem, acharia um que lhe daria o valor que merece - fala ele me encarando sério.

- E esse existe? - pergunto bem-humorada.

- Acha que não existe?

- Duvido muito.

- Então olhe para sua frente que você está vendo um que existe. - fala ele me sorrindo de canto.

Sinto minhas bochechas esquentarem com essas palavras dele. Meu Deus, esse homem não existe e isso tudo é um sonho. Sinto um beijo em minha bochecha direita e me assusto olhando para a pessoa que fez isso e adivinha quem era? Leonardo DiCaprio? Não. Foi o Zac Efron? Não. Foi o Satanás? Sim. Foi o Satanás. Mais conhecido como SAI!

- Oi minha linda! - diz ele sorrindo já puxando a cadeira para o meu lado. Eu mereço uma porra dessa?

- Verdade. Sou linda mesmo, mas não sua - falo com um sorriso falso, olho de soslaio para Sasuke e o vejo olhar para Sai com um olhar fuzilador.

- Qual é Sakura, eu sei que você me ama - sorrir ele se achando.

- Me poupe com essa babaquice que você acabou de falar Sai.

- Eu sou inesquecível Sakura, eu sei que você ainda lembra de nós.

- "Nós"? - falo fazendo aspas e começando a perder a paciência - Não existiu "nós", existiu apenas o Sai ainda babaca e a menina Sakura - finalizo com raiva.

- E que menina maravilhosa você era em? - fala ele sorrindo malicioso.

- Você tem noção do que fala seu palhaço? - pergunta Sasuke já se alterando.

- Fica na sua otário, não te chamei na conversa.

- Sai daqui Satanás - falo já sem paciência, olho de soslaio para Sasuke vendo ele de punhos fechados e fuzilando o Sai mais que o normal.

- Satanás agora né, porque há 5 anos atrás era Sai que saia em gemidos dessa sua boca maravilhosa - fala ele sorrindo malicioso.

- Cala a porra dessa sua boca e me respeita - falo já alterada.

- Te respeitar? Desde quando vagabunda merece respei... - Sai é interrompido pelo soco de Sasuke.

Dou um pulo da minha cadeira com soco repentino de Sasuke em Sai.

- Sasuke! Você está fican... - me interrompo e engulo em seco depois da olhada de raiva dele. Ok! Boa sorte Sai! 


POV Sasuke:


Esse realmente é um babaca, onde já se viu fazer isso com uma mulher maravilhosa como Sakura? É um moleque otário. Fiquei putasso com essa história. Continuei conversando com ela, até que vejo aquele idiota vindo em direção da nossa mesa e beijando a bochecha dela, mas o que me fez ficar com vontade de matar ele foi o que ele veio falar com ela.

- Oi minha linda! - ele disse sorrindo e puxando a cadeira para perto dela, para mim isso foi a gota d'água.

Depois disso eu não ouvi mais nada da conversa deles dois, eu só pensava em querer quebrar a cara desse idiota. Onde já se viu? Namorar 3 anos com uma garota só para conseguir a virgindade dela e ainda dizer que não amava? Impossível em 3 anos não amar e sem falar que só em tirar a virgindade de uma mulher, já é uma honra, mais um motivo para ele ter dado valor. Quando dou por mim já estou com os punhos fechados e vejo ele falar dela com malícia. 

- E que menina maravilhosa você era em? - diz ele com aquele sorriso malicioso retardado dele, não aguento isso já me metendo na conversa.

- Você tem noção do que fala seu palhaço? - pergunto já me alterando.

- Fica na sua otário, não te chamei na conversa.

Há há! Para mim foi a conta de já querer matá-lo, ele tem noção com quem está falando? Agora mais do que nunca eu estou com vontade de estourar a cara desse maldito. Vejo Sakura começar a perder a paciência, mas me seguro para não matar ele, porque ódio é o que não falta em mim. Ele continua a falar merdas e mais merdas digno de um moleque idiota, mas quando ouço ele falar dos gemidos da rosada, eu enlouqueço, os gemidos dela é somente meu, com o meu nome saindo e de mais ninguém. O que eu estou falando? 

- Cala a porra dessa sua boca e me respeita - fala ela sem paciência. 

- Te respeitar? Desde quando vagabunda merece respei... - interrompo o resto da frase dele já dando um soco.

Chega! Minha paciência tem limite, agora ele morre e morre bonito.

- Sasuke! - ouço ela falar - Você está fican... - dou uma olhada de lado para ela demonstrando minha raiva, ela engole seco e se cala.

- Você está pedindo para morrer né otário - vejo Sai falar e cuspindo o pouco de sangue que tirei dele.

- Levanta e tenta, mas tenta de verdade porque se eu ficar vivo, quem morre é você - falo o ameaçando e com um olhar fuzilador.

Ele levanta em um pulo vindo com a mão fechada em minha direção, não saio do meu lugar o esperando, ele me dá um soco de direita, eu esquivo, mais um soco dele em minha direção, mais uma vez me esquivo já dando um gancho de esquerda no queixo dele vendo um filete do sangue dele pingando no chão, ele retorce de dor, teve sorte que não coloquei ele para desmaiar.

- Eu avisei a você. Agora deixa de ser marica, levanta do chão e tenta me matar como você falou - falo olhando para a agonia de dor dele - LEVANTA SEU BOSTA! - grito.

Depois do meu grito, o vejo levantar com dificuldade e cambaleante, ele vem mais uma vez para cima de mim só que dessa vez quase me engana fingindo que me daria um soco, mas me dando um chute na altura de meu rosto, seguro em seu pé e o empurro para trás, grudando no seu pescoço rapidamente terminando de derrubá-lo e ouço a cabeça dele bater com força no chão. 

- Ah! - grunhi ele de dor - você está maluco? - pergunta ele tossindo e cuspindo sangue.

Encaro ele sério ainda segurando seu pescoço, eu juro que mataria ele se não fosse Sakura me tocando e me olhando com desespero.

- Pelo amor de Deus Sasuke, pare com isso, pare por favor - fala ela desesperada, olho para ela e vejo seus lindos olhos tremerem de desespero, folgo um pouco o aperto no pescoço dele e levanto ainda olhando com raiva para ele.

- Agradeça a "vagabunda" - falo fazendo as aspas - por você ainda estar vivo. Porque se fosse por mim, você já estaria morto. Afinal, eu falei que se ficasse vivo lhe mataria - finalizo o encarando.

Ele me olha quase desfalecendo e rir da minha cara, o olho com raiva me segurando para não quebrar o pescoço dele.

- Não é uma surrinha dessa que vai mudar a minha opinião de achar a Sakura uma vagabunda. - fala ele gargalhando.

Vou para cima dele mais uma vez, mas sinto ser segurado pelos braços com força.

- Sasuke, Sasuke, calma! - fala Sakura me segurando, olho para ela rapidamente e olho para o babaca.

- Aprenda uma coisa em sua vida seu moleque de merda: homem que é homem, coloca sorrisos no rosto de uma mulher e não lágrimas nos olhos. CRESÇA E VIRE HOMEM DE VERDADE SEU INÚTIL! - grito querendo me soltar para matá-lo - se meta no meu caminho e no dela mais uma vez e você morre sem piedade nenhuma - finalizo e vejo Sakura me virar de frente a ela, aqueles olhos me acalmam de um jeito que nem eu sei explicar.

- Vamos embora. Esquece ele - fala ela me encarando, olho de soslaio para aquele moleque e vejo ele desmaiado.

Viro-me para ela suspirando e balançando a cabeça positivamente, ela sorri fraco e me puxa para fora da lanchonete. Ela estica a mão para um táxi e ele para imediatamente para entrarmos. Minha volta para Tóquio foi bem impactante, nunca pensei que seria assim. Dentro do táxi ainda estou puto com aquele cara. Sakura deveria ter deixado eu matar ele, só assim ficaria menos um retardado no mundo. Evitando demonstrar raiva para ela, fico olhando o caminho pela janela até que ouço um pigarreio, olho de soslaio para ela.

- Mais calmo? - pergunta ela.

- Deveria ter deixado eu quebrar o pescoço dele - falo olhando sério para ela.

- Você está louco? Claro que não ia deixar.

- Não acredito que mesmo depois de tudo você ainda nutri sentimentos por ele.

- Claro que não. Eu tenho é ódio dele, mas quebrar pescoço é exagero né - fala ela balançando a cabeça de um lado para o outro.

Gargalho falso dessa frase dela, onde já se viu exagero? Para mim quebrar pescoço é como um soco, uma coisa normal.

- Exagero é ele continuar com as babaquices dele - falo rolando os olhos, vejo ela sorrir, ergo minha sobrancelha em confusão. Falei algo engraçado? 

- Não entendo essa sua raiva toda. Ciúmes? - pergunta ela mordendo o lábio inferior.

Olho para ela confuso, será? Deixa eu recapitular essa confusão toda que me meti. Chega o babaca, ela me conta a história, acho uma filha da putagem o que ele fez, eu fico putasso com o cara, ele fala merda para ela, ele me chama de otário e depois fico com raiva porque ele chama ela de vagabunda. Eu ciumei dela? Não pode ser. Claro que não ciumei. 

- Chegamos! - diz o taxista me fazendo sair dos meus pensamentos loucos.

Saio do táxi junto de Sakura e estranho o local, onde é que eu estou mesmo?

- Ok! Onde é que nós estamos? - pergunto confuso, vejo ela sorrir de minha cara.

- Em meu apartamento - fala ela me dando uma piscadela e sorrindo de canto.

Fico surpreso e acho graça indo atrás dela. Interessante, muito interessante. Vou indo para o rumo do portão principal do hotel, vejo ela falar com o recepcionista, ela vai em direção do elevador e eu a acompanho.

- Achei que morasse em uma casa sua - digo sorrindo de canto.

- Achei que não ligasse para isso - retruca ela, eu gosto de mulheres rebeldes.

Sorrio aberto e me calo, pela primeira vez uma mulher me fez calar respondendo-me a altura. A porta do elevador se abre, caminhamos em silêncio até acharmos seu apartamento, vejo ela parar em uma porta e colocar a chave, olho ao redor de todo o corredor. Parece que ela é bem de vida.

- Acorda Sasuke, entra logo - diz ela me fazendo voltar para terra.

Olho todo o seu apartamento, ela é bem misteriosa. Geralmente mulheres gostam de porta-retratos, quadros, flores, já vi que ela não é muito chegada nisso tudo.

- Apartamento novo? - pergunto curioso.

- Não - responde ela da cozinha - morava com minha melhor amiga, mas ela foi morar junto com o namorado, agora moro sozinha. Vinho? - pergunta ela já de meu lado com dois copos e uma garrafa de vinho.

- Aceito! - digo já pegando um copo e vendo ela colocar o vinho, ela coloca para ela e sai em direção ao sofá colocando a garrafa na mesa de centro.

A olho e vou na mesma direção que ela me sentando ao seu lado, ela me olha de soslaio passando a língua nos lábios, eu poderia achar que seria para mim, mas foi apenas o vinho.

- Vamos ficar aqui tomando vinho sem nenhuma conversa? - pergunto na cara de pau mesmo, foda-se! 

- Quer falar sobre o que? - pergunta ela sorrindo.

- Não sei. Que tal falar um pouco sobre você? - pergunto.

- O que quer saber?

- Sei lá. Seus gostos, trabalho, vida, sexo. Você quem manda - falo sorrindo de canto.

- Meu trabalho é algo comum, meu sexo é feminino, minha vida é comum e meus gostos são vários. - responde ela sorrindo da minha cara de ironia.

- Uau! Você é uma graça. Há há há! - falo gargalhando com ela.

- E você? Fale de você.

- As mesmas coisas que você, mas meu sexo é masculino e meus gostos são mais... Ahn... Exóticos!  - digo sorrindo de lado, lambendo os lábios e encostando um pouco mais perto dela.

Ela continua no lugar já percebendo o porque de minha aproximação repentina, mulher esperta. Gosto de mulheres assim.

- Exóticos tipo?

Sorrio malicioso pegando no cabelo dela, ela olha para a minha mão já entendendo minha jogada, ela rir e me olha de volta mordendo os lábios. 

- Não é qualquer mulher que me chama atenção e com cabelo rosa, eu considero exótico - falo com as costas do dedos passando em seu rosto, vejo ela fechar os olhos gostando do carinho, eu vou enlouquecer com essa mulher.

- Então eu chamei a sua atenção? - pergunta ela abrindo os olhos e o seu olhar alternando de meus olhos para a minha boca.

- Desde quando entrei naquela boate e te vi - falo já sentindo uma queimação dentro de mim, o que caralhos essa mulher está fazendo comigo?

Sinto os dedos gélidos dela encostarem em meus lábios como se estivesse hipnotizada, admirando cada centímetro deles.

- Por isso me fez perder o controle aquela vez - sussurra ela quase me beijando.

- E faço você perdê-lo quantas vezes quiser - sussurro de volta.

Sinto ela avançar em minha boca com calma, mas com o intuito de ficar mais selvagem, grudo os meus dedos com vontade em seus cabelos e sinto ela colocar as mãos em minha nuca, me puxando cada vez mais.

O beijo foi ficando mais quente, puxei Sakura para o meu colo e quando o ar faltou, comecei a beijar e morder seu pescoço arrancando gemidos enlouquecedores dela. Quando me dei conta já estávamos só de roupas íntimas. 

- Eu acho que estou passando dos limites né? - pergunta ela toda cheia de malícia. 

 - Eu não disse que não gosto - retruco ela. Sakura morde o lóbulo de minha orelha e sussura: 

- Então vou passar cada vez mais dos limites. Quero você dentro da minha boca Sasuke. - fala ela me encarando safado. 

- Hoje é você que manda rosada. - digo e sorrio maliciosamente. 

Após isso ela se abaixa, tirando minha cueca bem devagar e apertando meu pau com firmeza, me arrancando um gemido baixo, ela sorri de canto e começa a me masturbar enquanto chupa a cabecinha. Céus! Que boca é essa? Ela me abocanha por inteiro e começa a chupar forte, estou me segurando para não agarrar seus cabelos e ditar os movimentos. 

- Puta que pariu... Ah... - solto palavras desconexas quando ela aumenta o ritmo. 

 Quando estou perto de gozar ela para e logo que vou protestar vejo ela sorrir passando os dedos sedutoramente nos lábios me fazendo pirar. Ela vai arrancando a calcinha um pouco devagar vindo em minha direção, ela pega meu pau, encaixando de leve em sua entrada já encharcada e senta devagarzinho me fazendo preenche-la por inteiro enquanto gemíamos em uníssono, puxo as pernas dela que estavam ao meu redor, arranco o sutiã dela e abocanho seu seio direito, ela se apoia em meus ombros e começa a se movimentar rapidamente. Ela vai ditando os movimentos cada vez mais fortes enquanto eu dava atenção ao seu seio. 

- Aaah... Sasuke - ela geme meu nome quando mordo o bico de seu seio.

Ela pega em meu cabelo e ergue meu pescoço, me fazendo encará-la com tesão, logo após, ataca meus lábios com voracidade, seguro em seu quadril e faço ela sentar ainda mais forte enquanto impulsiono meu quadril para cima fazendo ela gritar cravando as unhas nas minhas costas. 

- Mais... Mais rápido - ela pede entre gemidos e eu obedeço aumentando a velocidade, sinto ela contrair me apertando ainda mais dentro dela. 

- Sasuke... Ah... Eu vou... - antes de terminar a frase ela goza gritando meu nome, meto fundo mais duas vezes e também alcanço meu clímax. 

Ela cai em meu peito com a respiração descompassada, a minha não estava diferente. Meu Deus que mulher é essa. Passam-se alguns minutos e vejo ela olhar para mim mordendo os lábios, a encaro sorrindo malicioso. 

- Isso foi... Intenso - disse ela depois que regulamos nossa respiração. 

- Intenso? Acho que selvagem é a palavra certa - falo bem-humorado. 

- Você ainda não viu nada - fala traçando com as unhas o meu abdome e me encarando com um sorriso safado.

Ela levanta me puxando em direção a um corredor, fico confuso, mas a acompanho. Ela para em frente a uma porta, enlaça meu pescoço e diz: 

- Pronto para mais uma rodada? - pergunta ela maliciosa. 

Sorrio com a proposta irrecusável dela, puxo as pernas dela para cima fazendo com que ela grude elas em minha cintura. 

- Mais do que pronto - falo avançando na boca dela e a empurrando para dentro do quarto fechando a porta com os pés. 

É... Parece que a noite vai ser mais longa que a outra e mais uma vez ela me enlouquecendo na cama.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...