História A Different Ômega - VerKwan - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Seungkwan Alfa!, Verkwan, Vernon Ômega!
Visualizações 34
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, tudo bom? Espero que sim ^^


Se o capítulo estiver pequeno e conter erros, me perdoem, eu não revisei e os próximos serão longos...


Tenham uma boa leitura!

Capítulo 1 - Alfa vs Ômega





- Vernon, acorda - ouso meu Omma gritar, mas apenas ignoro cobrindo minha cabeça com o cobertor. - Hansol Vernon, se você não tomar vergonha nessa sua linda cara e levantar já dessa cama, eu vou ai bater panela bem pertinho do seu ouvidinho frágil, não duvide de mim. - para um ômega, ByungJoo Omma é bem estressadinho as vezes.


Resolvo obedecer o ômega mais velho, pois não estou nem um pouco a fim de ouvir um baralho irritante de panelas se chocando uma com a outra e fazendo um barulho insuportável. Meu frágil ouvido merece ouvir coisa melhor!


- Já levantei - Me jogo da cama e saio praticamente me arrastando, acabei de acordar nem vi como está o dia hoje, na verdade nem sei que dia que é hoje. 


- Ashi menino, ânimo - O Omma entra no quarto e vai até a minha janela, sorri minimamente enquanto abre as cortinas. - O dia está tão lindo... Garoto, levanta desse chão, você vai se atrasar criatura. - seu sorriso desparece e a cara de irritado reaparece.


- Me atrasar para que? Não tenho nenhum compromisso - fecho os olhos na intenção de voltar a dormir, no chão mesmo. Meu bem, não importa o lugar, nem a onde esteja o importante mesmo é dormir!


- "Me atrasar para que"? - abro os olhos minimamente, e encaro a pessoa em minha frente que estava com as mãos na cintura, batendo o pé em sinal de irritação - Criatura maravilhosa que eu coloquei no mundo, hoje, amanhã e até o final do ano você tem aula, então trate de levantar logo e ir se arrumar e se por algum acaso eu voltar aqui e você estiver estirado no chão, saiba que não irei me responsabilizar pelo banho de água fria. 


Diz por fim se retirando do quarto, pisando duro e eu? Bom, eu permaneço ali, no chão, alone... Nossa, não tinha reparado que o chão era tão gentil, eu e ele somos amigos de longa data. Meu celular vibra avisando ter chegado uma mensagem e com um pouco de coragem que me restava, eu me levanto indo até o criado mudo e pagando o meu marido, sim, meu celular é meu marido, desbloqueio a tela e vejo de quem era a mensagem, do meu querido amiguinho Woozi.



Woozinho: Vernon, desgraça, cadê você? Não vai vir hoje não, é? 

Seungkwan, perguntou de você... Seu crush te notou 


Me: Meu crush uma pinoia, ele nem me suporta e nem eu o suporto. 

Já estou indo, vou só me arrumar


Woozinho: Ainda? Nossa, tu é lerdo demais 


Me: Ah, você quer que eu vá de pijama? Por mim tudo bem...


Woozinho: Se você sonhar em aparecer de pijama aqui nessa sagrada escola onde o hobby de geral é cuidar da vida dos outros, saiba que além de eu te chutar até a sua casa, vou fazer questão de falar pro Boo, da quedinha que você tem por ele.


Me: Você não ousaria...?


Woozinho: Ousaria sim! 


Me: Seu, seu, seu mal amado 


Woozinho: Meu bem, o que não falta nessa minha vida é gente que me ama e você é uma dessas pessoas, então por tudo que é mais sagrado, anda logo.


Me: Ok, chego ai em 20 minutos



Bloqueio a tela do meu celular novamente, enquanto me espreguiço. Levanto me encaminhando até o banheiro, faço minhas higienes matinais, dou aquela tipica corridinha que não é corridinha, é o que chamam de corridinha zumbi, você não corre, você se arrasta! Me visto apressadamente, nem tive tempo de ver qual roupa eu estava usando, mas tudo bem. 


Desço as escadas correndo, passo direto pela cozinha e por fim grito um "Tchau Omma, até mais tarde", e saio correndo no estilo Dasi run, só faltou a musiquinha. No caminho esbarrei em umas trintas pessoas, a maioria quase arrancou o meu belo pescoço, eu juro que pedi desculpa. 


Depois de horas correndo (exagerado, eu? Magina), chego no maravilhoso local onde estudo. 


Me agacho colocando uma mão no joelho e a outra me abanando, respiro fundo tentando recuperar o ar perdido e porra, nunca mais eu corro nessa minha vida, eu achei que eu iria ter um piripaque e morrer no meio da rua, só essa que faltava. 


- Vernon, menino, tudo bem? - sinto alguém tocar em meu ombro, inclino a cabeça um pouco para trás e vejo Mingyu, me encarando com uma certa curiosidade.


- Só... Me... Deixa... Recuperar o ar, aqui - digo entre pausas, já sentindo o ar voltar em meus pulmões. - Bem melhor agora! Oii, hyung.


- Oii, Vernon... O que aconteceu com você? - pergunta curioso.


- Eu tô morrido, hyung! Corri mais rápido que o ligeirinho... Me carrega? - sorriu, tentando ser fofo, mas tudo que recebo é um "Não" - Credo hyung, G-Deus tá vendo você ser mal com os seus dongsaengs... Agora, me da licença, porque eu tenho que encontrar o clã purpurina. Tchau hyung


Me despeço do mais velho e começo a correr, de novo por que amo correr, e esbarrar nas pessoas. Procuro Woozi e Jeonghan e os acho justamente perto da pessoa que eu mais amo naquela universidade (sentiu a ironia?).


- Cheguei, pra avisar que tô vazando - tento sair correndo, sim, por que hoje eu tô a fim de correr.


- Você não vai a lugar algum - Woozi segura a  gola da minha camisa, me puxando para perto do alfa que eu mais desejo matar.


- Olá, Vernonzinho - Vernonzinho, minha mão no meio da tua cara. - Como vai? Ainda espantando muitos alfas com esse seu humor ácido, em. Vai acabar sozinho desse jeito.


- Cala a boca e cuida da sua vida - retruco alterando a voz - Melhor estar sozinho do que mal casado!


- Vai começar, vamos sair daqui enquanto há tempo Woozi, não quero presenciar a terceira guerra mundial - sussura, saindo de fininho levando o mais baixo junto.


- Cuidado com o que você fala, não se esqueça que você é apenas um ômega, um frágil e vulnerável ômega! Então não tente se meter com alfas como eu. 


- "Alfas como você"? Você é um dos alfas mais estranhos que já vi, não tenho e nunca terei medo de você e de nenhum outro alfa. - dou de ombros, escuto um rosnado e solto um pequeno riso - Agora se me der licença, eu tenho que ir para a minha sala, thauzinho...


E mais uma vez corro, só que dessa vez para a sala, sério eu devia ser um personagem do Naruto ou qualquer outro anime em que os carinha corre pra caramba porque caraí, eu corro muito.








Notas Finais


Os pais do Vernon, são nada mais e nada menos que Hansol e B-Joo do Topp Dogg, o por que de eu ter escolhido eles? Por que são divinamente, divinos e fim.


Me desculpem por qualquer erro, tchauzinho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...