História A Dona da Boate - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Álcool, Boate, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Romance, Sexo
Visualizações 0
Palavras 2.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Geente esse é meu primeiro livro e eu espero que vocês gostem muitoooo!! Se gostar comentem, favoritem e curtam muito.. Bjo na bunda de voces ❤❤❤❤

Capítulo 1 - Capítulo 01


Acordei com o meu celular despertando no meu ouvido avisando que ja era 7:00 da manhã e que tinha que levantar. Fiz uma careta e me levantei arrastada da cama. Fiz minhas higienes e tomei um banho demorado. Coloquei um vestido preto tubinho, meu scarpin preto de sola vermelha, fiz uma maquiagem leve, arrumei meu cabelo e desci pra tomar café.

Meu nome é Eliza Hastings, tenho 22 e sou uma CEO das boates de Califórnia. Após a morte de meus pais quando eu tinha 16 anos, eles deixaram pra mim uma herança ótima onde eu pude investir na minha empresa que hoje é multinacional,e, nas minhas boates que tem filiais em toda Califórnia e nos E.U.A.

Moro sozinha em um apartamento de frente pro mar na costa litorânea da Califórnia, que é perto da minha empresa e de uma das minhas boates.

Eu tenho 1,65 de altura, sou de pele morena, olhos castanhos escuros, cabelos longos porém cacheados, meu corpo e bem definido, apesar de eu não ser Fitness.

- Bom dia Helena! - disse chegando à cozinha. Helena e minha segunda mãe. Ela esta comigo desde que meus pais eram vivos. Trabalhava para os Hastings e agora está aqui na Califórnia comigo.

- Bom dia minha querida! - disse Helena - dormiu bem?

- Muito e você? - perguntei.

- Claro querida! Está muito bonita hoje, algum encontro com alguma moça bonita por aí? - Helena pergunta me fazendo dar uma risada

- Ooh Helena quem me dera viu. Apenas felicidade mesmo. Acordei bem disposta hoje - Dei de ombros.

- Huum sei - disse desconfiada - tome seu café mocinha e vá logo que ja está atrasada.

- Sim senhora - Bati uma continência e depois comecei a rir e tomar o meu café.

Conversando com a Helena, terminei o café e fui pra garagem buscar meu carro. Na verdade eu tinha três: um porshe preto, uma Mercedes preta e um Jaguar também preto. Peguei o Jaguar mesmo e fui pra empresa, a noite tinha de ir pra boate. Eu não tenho motorista. Não gosto de depender de ninguém. Só a Helena que fica lá em casa porque ela faz parte da família e que sem ela minha casa viveria uma bagunça e eu não teria comida. Eu sei cozinhar e muito bem, mas eu chego tao cansada que tenho preguiça de fazer. Nas folgas da Helena, eu peço ou uma pizza ou um sanduíche ou compro algo no mercado antes de voltar pra casa.

Cheguei à empresa eram 9:30 da manhã. Estacionei meu carro na minha vaga e adentrei à empresa. Dei bom dia a todos por quem passava e entrei no elevador com destino a minha sala que era no último andar do prédio. Cheguei e já vi uma Maira toda louca ao telefone com alguém. Rir da cena e me aproximei:

- Fala piranha - falei rindo.

- Olha só eu não quero saber! Se vira. Tenho que desligar. Fala piranha - ela desligou o telefone e veio até mim me abraçando.

- Gritando com quem a essa hora Maira? - perguntei

- Meu irmão - bufou - ele só faz merda e eu quem tenho que ficar arrumando depois. Mais dessa foi diferente! Mandei ele se virar sozinho - disse se sentindo toda orgulhosa.

- Sei sei. O que temos pra hoje? - perguntei indo em direção à minha sala e ela vindo atrás.

- Você tem uma reunião com os representantes da marca Jeans Intimus ás 13:30, uma teleconferência com os representantes da Secret's às 15:00 e uma reunião em particular com aquela megera que dá em cima de você da The Lux às 17:30 - disse e se sentou - ai, vida de secretária é difícil. - RI da cara dela.

- Aah, pelo menos você tem à mim - falei olhando pra ela com um olhar malicioso.

- Eita - ela arregalou os olhos - sai fora porque eu não gosto dessa fruta ai não - dei uma gargalhada.

Ela foi saindo da minha sala quando gritei:

- TE AMO DELÍCIA! - falei rindo

- TAMBÉM AMO VOCÊ GOSTOSA - ela respondeu de longe. Dei um risinho e comecei a trabalhar

Maira é minha secretária e também minha melhor amiga. Nos conhecemos desde os 6 anos. Eu cresci com ela e considero ela como minha irmã mais nova.

Maira é tem 1,60 de altura, magra, porém tem um corpo bonito, cabelos lisos e longos com luzes, olhos castanhos claros e pele branca.

Comecei a trabalhar e a analisar algumas propostas de contratos com algumas agências de modelos. Estava tão concentrada que nem vi a hora voando e Maira batendo em minha porta me chamando pra ir almoçar:

- Liz, vamos almoçar, depois você continua com isso ai - disse Maira

- Claro! Vamos. Deixa eu so pegar minha carteira - fui na minha bolsa peguei minha carteira e o celular - vamos vaca.

- Vamos correndo por que parece que eu nao como tem 1 mes ou mais - disse me fazendo rir

- Me diz pelo menos uma vez quando você não está com fome - zombei dela

- Pois é menina, deve existir um buraco negro em mim - rimos e entramos no elevador.

Chegamos ao restaurante, logo nos sentamos e já pedimos e começamos a papear:

- Vai pra boate comigo hoje? - perguntei a Maira

- Eu não! So tem mulher la e eu ia ficar igual uma idiota so bebendo - disse

- Que nada. Você bem que poderia pegar uma mulher la, quem sabe voce se revela pelo menos bissexual - recebi um olhar fulminante que me fez rir e logo depois receber um tapa no ombro - ai sua grossa - resmunguei

- Voce bem que mereceu eu eiin - disse irritada

- Desculpa estressadinha. Estava apenas brincando com você - disse e ela me mostrou língua - mais e sério. Vamos comigo por favor. Vai ter seleção pra novas dançarinas e eu preciso da sua ajuda pra escolher as 3 melhores. E você sabe que se eu escolher sozinha vou escolher pela beleza e ainda dar uns flertes com elas - disse fazendo bico.

- Okaay - falou bufando - eu vou mais só porque eu não quero que você fique pobre porque você não pode ver um rabo de saia bonito - falou me fazendo fechando a cara.

- Eii - a repreendi - eu não sou assim e você sabe muito bem disso.

- Uhuum é neeh - disse me fazendo revirar os olhos.

Continuamos a conversar até nossos almoços chegarem. Comemos, combinamos o horário que iriamos para a boate e voltamos para empresa:

- Não esquece reuniao às 13:30, ou seja, daqui a 30 minutos.

- Sim senhora - falei

- Senhora é a sua avó Dona Eliza - falou franzindo o cenho

- Ela tambem delícia - falei a fazendo revirar os olhos e me fazer rir - até daqui a pouco.

- Até idiota.

Adentrei à minha sala e mexi em alguns papeis até dar a hora de irmos pra reunião. Ja faltavam uns 5 minutos quando Maira bateu na porta e entrando:

- Os representantes da Jeans Intimus chegaram - disse ela

- Oh sim - falei levantando da minha cadeira - vamos então.

Fomos em direção a sala de reuniões que ficava dois andares abaixo do andar da minha sala.

O predio da minha empresa tem exatamente 20 andares e por fora é totalmente espelhado com o logo da minha marca "the world intimus". Aqui se faz de tudo, desde uma simples calcinha, até uma lingerie que só de olhar você já tem um orgasmo.

Chegamos na sala de reuniões e os representantes da Jeans Intimus ja estavam lá:

- Boa tarde. Sejam muito bem vindos à The World Intimus! - disse - essa é a minha secretaria e também braço direito Maira Benson e é um prazer conhece-los. Por favor sentem-se

- Bom srta. Hastings a Jea... - interrompi um dos representantes

- Eliza. Apenas Eliza por favor - falei

- Bom srta. Eliza, nós da Jeans Intimus estamos aqui para formamaos uma aliança - disse um representante

- Certo. Que tipo de aliança?

- a Jeans Intimus gostaria de se juntar a The World para um catálogo de lingeries para mulheres tamanho plus size, o que acha?

- Mais é uma otima idéia - disse feliz - e como fazeremos isso?

- Muito simples, nós procuraremos agências de modelos plus size e selecionaremos as melhores, claro. E a The World ficará encarregada dos desenhos e ideias e nós da Jeans Intimus com o tecido.

- Otimo! - exclamei - me fale mais...

Falamos mais algumas ideias. Realmente foi uma ótima ideia já que essa sociedade tão hipócrita não vê as pessoas acima do peso como seres humanos normais.

- Sr. Cannon o catálogo será apenas feminino? - perguntei

- Sim srta. Eliza, por enquanto - falou - se a ideia render o tanto que nós esperamos podemos pensar em fazer um catálogo unissex.

- Sim, claro. Bom, acho que é só isso, certo? - falei levantando e estendendo a mão para apertar a dele - foi um prazer fazer negócios com a Jeans Intimus. Tenham uma boa tarde e até logo. - disse saindo da sala com Maira.

- Ótimo negócio não acha Loira? - perguntei à ela.

- Sim. Vai nos render muitos lucros. A Jeans Intimus é uma empresa bastante famosa na Califórnia.

- Certo. Qual a próxima reunião mesmo? - perguntei.

- É uma teleconferência com os representantes da Secret's às 15:00 - disse Maira

- Certo. E que horas são? - perguntei apertando o botão pra chamar o elevador.

- 14:45 - disse.

- Ótimo. O tempo de tomar uma água e ligar o computador - falei revirando os olhos.

Entramos no elevador. Chegamos no meu andar e fomos direto pra minha sala montar as coisas para a teleconferência. Depois de tudo montado estavamos esperando os representantes ligarem e nada. Ja estava cansada. Esperamos 30 minutos até que desistimos:

- Eu não sou obrigada - falei cerrando os dentes - loira por favor, pegue os papeis do contrato com a Secret's e faça um para romper esse contrato. Já é a terceira vez que eles fazem isso. Estão me enrolando.

- Vou fazer sim - falou - mais pode ser amanhã?

- Pode. Você disse que eu tenho uma reunião particular com a Ferrer neh? - perguntei. 

- Sim.

- Pois cancele. Ligue para ela e avise que eu fui para casa porque estava com um mal estar - falei - vá logo. Estou esperando você pra nós irmos para minha casa.

- Quem disse que quero ir pra sua casa? - perguntou

- Eu disse. Você não vai escapar de mim. Você vai na boate comigo hoje sim - falei ja irritada

- Eii. Eu disse que vou não disse?  Então. Vou pra sua casa sim Dona Eliza. Só estava brincando - falou - já volto. Vou ligar pra Ferrer e arrumar minhas coisas.

- Okay - falei me sentando no sofá que tinha na minha sala.

Depois de uns 20 minutos Maira volta à minha sala:

- Pronto podemos ir - disse. Eu estava mexendo no celular.

- Demorou ein - falei bufando - Vamos logo

- Demorei porque a puta da Ferrer insistiu pra ir ver você na sua casa.

- O que - engasguei.

- É isso mesmo. Pediu endereço e tudo.

- E você passou? - perguntei

- Mais é claro que não! - Maira exclamou.

- Aaah por isso que eu amo você - a abracei pela cintura e sem que ela percebesse lhe dei um tapa na sua bunda.

- Eliza - me repreendeu o que me fez da uma risada nasal - não me provoque.

- Vamos ver então Maira Benson - falei bem proxima no seu ouvido o que a fez arrepiar. Dei um sorriso vitorioso.

- Apostado?

- Sim - disse. Sempre fazemos essa apostas e ela nunca ganha.

- Ótimo.

Eu e Maira sempre tivemos essas brincadeiras. E a aposta no caso era: quem ceder completamente as provocações pagaria o almoço por uma semana. Meio bobo? Talvez. Mais era a nossa brincadeira e não passava disso. Apesar de que se fosse por mim neeh passaria, mas respeito a minha melhor amiga.

Chegamos no estacionamento e não vi o carro de Maira. Ela deve ter vindo de táxi, pensei. Fomos em direção ao meu carro. Passei correndo e abrir o porta pra ela. Eu iria começar minhas provocações ali mesmo:

- Quanta gentileza - disse enquanto entrava no carro. Fechei a porta e dei a volta entrando do outro lado.

- Tudo por você meu amor - a olhei com um olhar safado. Ela engoliu em seco e desviou o olhar o que me fez rir baixo.

O caminho todo ficamos em silêncio a não ser pelas músicas que cantavamos juntas, e,  claro as minhas provocações. Vez ou outra eu a olhava maliciosamente e colocava a mão em sua coxa e apertava sutilmente o que a fazia respirar pesado. Mais não passava disso mesmo.

Quando estávamos quase chegando em casa ela resolveu brincar:

- Agora é a minha vez - ela sussurrou em meu ouvido e depositou um beijo no meu pescoço e depois deu uma leve mordida. Gemi em aprovação e pelo retrovisor vi o sorriso de satisfação dela. Deixa ela pensar que vai ganhar essa aposta, pensei. E ela nao parava de beijar e morder meu pescoço e agora resolveu passar a mão na minha coxa subindo e descendo descaradamente.

Cheguei em casa e estacionei o carro, ela continuava a me beijar. Abrir a porta do motorista e olhei pra ela, nosso rostos estavam praticamente colados. Dei um sorriso travesso e sussurrei em seu ouvido:

- No quarto a gente continua com essa nossa conversinha. Vamos ver se você vai continuar safada desse jeito - disse e mordi o lóbulo de sua orelha a fazendo arfar. Dei um sorriso de satisfação e sai do carro. Ela estava atônita, paralisada do mesmo jeito - quando resolver sair daí, por favor tranque o carro.

Mandei um beijo no ar pra ela e joguei as chaves:

- Idiota - ela resmungou o que me fez rir. Segui meu caminho pra dentro de casa a deixando pra trás. 


Notas Finais


HEEY GOSTOSAAS!!!  Como estamos?

Votem e comentem muito!!!
Me sigam no instagram: santos_vsr

Espero que gostem e até o próximo capítulo ❤❤❤

BEIJOS NA BUNDA DE VOCÊS 😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...