História A Door to Nárnia - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~Viivelavida

Postado
Categorias As Crônicas de Nárnia
Personagens Edmundo Pevensie, Lúcia Pevensie, Pedro Pevensie, Personagens Originais, Susana Pevensie
Exibições 13
Palavras 802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oioioi!! faltam tres capitulos para dizermos adeus a essa história :( ,ai meu corazaum!
Espero que gostem!!!

Capítulo 23 - Capitulo 23


E toda a paz que tivemos naquele instante foi a tona quando ouvir os gritos de desespero das  pessoas lá fora, olho para Edmundo e o mesmo em olha posso ver o desespero em seus olhos. 

- Edmundo eu preciso que me prometa uma coisa - peço, Edmundo me olha atentamente - Prometa que ira cuidar de Jordan para sempre, que sera um pai presente, que o amara mesmo que as vezes ele te tire do serio - peço.

- Eu prometo - diz Edmundo, sorrio triste.

- Saiba que eu te amo e te amarei para sempre - digo, acaricio a sua bochechas - Você  e Jordan forma as coisas mais incríveis que já me aconteceram, eu nunca imaginei que um dia podia amar alguém como eu amo você - digo - Eu amo tanto você Edmundo - Digo, Edmundo sorri, - E você também meu pequeno - digo, Jordan  sorrir banguelo como se estivesse entendendo tudo. - Segure-o - peço, Edmundo pega Jordan com o maior cuidado, essa é a lembrança que eu irei guardar para sempre, dou um beijo em Jordan e outro na bochecha de Edmundo, me teletransporto para fora do castelo, sacrifícios são feitos todos os dias e eu estou fazendo o meu.

Olho ao redor vejo as trevas em todo o lugar, olho para as minhas roupas vejo que estou vestindo uma armadura. me viro e vejo o enorme castelo sendo tomado pelas trevas, estendo minha mão e em segundos posso ver uma luz violeta saindo dela, ela voa ate o castelo posso ver a luz indo de encontro a cada parte do castelo, protegendo cada pessoa, posso sentir o poder da luz indo de encontro a cada comodo tomado pelas trevas, posso ver cada pessoa sem esperança sorrir, consigo ver Alisson olhando para Pedro em uma conversa que apenas os dois entendem, vejo Lucia e Susana abraçadas a Zara e Zoe como se pudessem protege-las de tudo,posso ver a luz seguindo para outro comodo, o quarto vejo Edmundo segurando Jordan em seus braços com todo o cuidado, posso sentir a esperança em seu coração,Edmundo olha para a porta como se sentisse que eu estivesse lá. Pisco os meus olhos, se as pessoas dentro daquele castelo tem esperança eu posso dizer que também tenho,ando pela nevoa, posso senti-la querer me dominar. Tento chegar ao centro da nevoa mas alguma coisa me da uma rasteira cabo caindo, sinto a dor em meu ventre mas preciso ser forte, olho para quem me deu a rasteira vejo Edmundo, franzo o cenho,Edmundo tenta me acerta com a espada rolo pela terra desviando de seu golpe, me levanto, puxo a espada, me defendo de seu golpe com o escudo, Edmundo começa uma sessão de golpes em mim, desvio de todos, ele golpeia a minha costela fazendo um corte, arfo de dor, ouço alguns passos, olho para o lado vejo Alisson, ela esta com um corte na bochecha e outro em suas mãos.

- Kate - Ela diz. - Kate esse não é o Edmundo! - Ouço Alisson gritar, olho para Edmundo, não consigo sentir seu coração bater, sinto um arder em minha perna vejo outro corte.

- Provocou demais - Digo, sinto a raiva me dominar, largo a espada e faço surgir uma luz vermelha em sua direção o fazendo queimar me chamas, pego a minha espada, vou ao encontro de Alisson. - Você mudou de ideia - digo sorrindo.

- Eu não deixaria minha irmã sozinha por mas que ela esteja com raiva de mim - ela diz.

- Eu não estou mais com raiva - digo, Alisson sorrir, me assusto quando vejo as trevas virarem uma gosma preta e logo se tornam pó.

- Isso é bem estranho - diz Alisson.

- Estamos em Nárnia tudo é estranho, logo você se acostuma - digo, fazendo Alisson rir, nós duas começamos a andar até o centro, movimento a mão fazendo a luz violeta ser jogada em direção as trevas, Alisson faz surgi uma bola de fogo ela lança para frente abrindo o caminho. 

- Isso não irá adiantar - diz Alisosn - Essas fumaças não irão embora - ela diz. - Precisamos de um plano - ela diz, assinto, as trevas morreram quando Alisson e eu nós perdoamos, mas o que as fizeram morrer? É claro!

- O amor - digo, Alisson me olha sem entender - Pense comigo Alisson, quando nós perdoamos o que você estava sentindo? - pergunto.

- Felicidade - ela diz, faço um movimento com a mão de prossiga - E amor - ela diz, ergo as sobrancelhas. - Esta dizendo que o amor pode derrotar as trevas - diz Alisson.

- Estou - digo.

- Okay - diz Alisson. - Vamos derrotar essas fumaças - ela diz, vejo o brilho roxo queimar em sua mão.


Notas Finais


Obrigada por lerem!!!! Beijssssss!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...